COISAS ESTRANHAS CONTINUAM ACONTECENDO ...

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Não, não me refiro ao aumento do IPTU de Capão da Canoa, praia gaucha, que subiu nada menos do que 300 %.


Também não me refiro à indignação da presidente Dilma com o rebaixamento da nota da Petrobrás.

Nem com o golpe na calada da noite denunciado pelo Adaí em seu blog.  Nada disso.

Me refiro ao acidente automobilístico que o táxi que me conduzia ao aeroporto para viajar ao Rio, a fim de participar amanhã de importante reunião do CD, sofreu na subida da rua, quando outro táxi deu marcha ré, numa sinaleira, e bateu fortemente na dianteira do automóvel.

O motorista ficou indignado e partiu para cima do que deu a ré. E eu tratei de pegar minha mochila e partir rumo ao hospital mais próximo, pois fui vítima do chamado efeito chicote no pescoço, que atinge a cervical e causa vertigens. Fui parar no Pronto Socorro Municipal, elogio o excelente atendimento, e depois de bem examinado saí de lá com uma linda coleira no pescoço e muitas dores.


Estava nervoso e para aliviar lembrei me da Luma de Oliveira desfilando com o nome do EIKE na coleira ou, então, do filme 50 tons de cinza que ontem fui finalmente assistir.

Estranhei o acidente.  Sou desconfiado por natureza. Acontece cada uma. Transferi minha viagem para amanhã.  Me proibiram de chamar taxi. Meu filho vai me levar no seu auto e meu genro diz que vai atrás me camboiando. Pode ? 

A bruxa anda solta.

Vamos que vamos.

COISAS ESTRANHAS, ALGUMAS INACREDITÁVEIS

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Repito que tenho 76 anos, às vésperas de 77, e com problemas de coluna.  Houve quem me chamou até de velho caduco que nem mais escrever corretamente o português sabe. Erra a concordância. Não revisa mais os textos. Já está prá lá de Bagdá. São os que detestam os idosos, os que nos acham descartáveis, os que querem acabar conosco reeditando o nazismo.


Com quase oitenta anos, portanto, achei que já tinha visto tudo ou quase tudo na vida. Experiencia e vivencia não me faltam. Mas ledo engano. Coisas estranhas andam acontecendo que jamais imaginei. Estou realmente incrédulo e estupefato.

Não, não me refiro ao filme que ganhou o Oscar contrariando o gosto do público. Isso já aconteceu anteriormente. Nem aos vírus do meu computador, que o deixa travado, lento e até prejudica novas postagens. Isso também já aconteceu. Faz parte do ofício.

Entretanto, quando poderia imaginar que a nossa CASSI se recusaria a pagar as despesas áereas de um conselheiro deliberativo titular, de Porto Alegre a Brasilia, para participar de reunião de trabalho no conselho ?  As passagens aéreas estão sendo custeadas pela AFABB RS.
Quando poderia imaginar que seria nomeado presidente da Previ um jovem de 43 anos sem nenhuma experiencia em previdência complementar que se vangloria por ingressar, segundo saiu na midia,  sem portar os vícios do sistema ?

Quando poderia imaginar que, antes dos participantes tomar conhecimento de seu discurso de posse e de suas idéias de gestão, o presidente que estava em  exercício conceda ontem extensa entrevista à imprensa anunciando a mudança de rumos dos investimentos da Previ e as novas condições para atuar em infraestrutura,, atraves  da Invepar, conforme reproduziu o blog do Ari Zanella,  parecendo que está querendo tutelar o novo jovem presidente?

Quando poderia imaginar que o Bendine, o Dida, queimado no BB por suspeitas de irregularidades, seria nomeado presidente da Petrobrás, envolvida no maior escândalo de corrupção nunca antes ocorrido na história deste país?


Quando poderia imaginar que teria que comprar uma lupa para conseguir ler as notas explicativas das demonstrações contábeis da Previ , as letras e os números são menores dos que são mencionados naqueles contratos suspeitos ?

Quando poderia imaginar que a presidente da FAABB, Isa Musa Noronha, que preside mais de trinta associações de aposentados e é conselheira deliberativa da ANABB, uma autoridade inconteste no seio do funcionalismo ativo e aposentado do Banco do Brasil, respeitada por autoridades públicas, parente próxima do ministro do STJ João Octavio Noronha, ex consultor jurídico do Banco do Brasil, tenha recebido carta de ameaça de processo judicial por parte do presidente interino da Previ, por protestar de forma veemente contra o pagamento dos bonus de remuneração variável ?

 Verdadeiramente inacreditável, um retrocesso, uma intimidação incrível. Merece nosso veemente repúdio e a Isa precisa nos dar conhecimento dessa carta, se foi da diretoria ou só do presidente,  na FAABB, para as medidas necessárias;

Poderia continuar com as minhas incredulidades e o meu desencantamento.  Por hoje vou parar por aqui. Mas tem mais. Está preteando o olho da gateada. Vem bomba aí.  Nuvens negras se aproximam como previ e ontem caiu um enorme temporal em Porto Alegre. São sinais de turbulência. Também pudera. Perderam o rumo. Minha bola de cristal continua funcionando. Socorro. Tenho até vontade de renunciar para atender alguns apelos aqui no blog. Não seria a primeira vez na minha vida. Não sou apegado a cargos e motivos não me faltam.

Vamos que vamos.




EXPERIÊNCIA VALE NA PREVI ?

sábado, 21 de fevereiro de 2015

O novo presidente da Previ, já aprovado pelo CD, em consulta virtual, Gueitiro Genso, não tem nenhuma experiência em previdência complementar e teria declarado que isso não teria importância pois assumiria o posto desprovido de quaisquer vícios do sistema.


Instalou se alguma polêmica a respeito. Uns não deram bola, tanto faz, outros apoiaram, deram luz verde, e houve aqueles que, como eu, acharam que a escolha deveria recair em pessoa com conhecimento da previdência complementar. Democracia é isso. Direito de divergência.

Paralelamente, nas redes sociais, travou se um debate interessante a respeito da capacitação dos dirigentes e conselheiros eleitos para o nosso fundo de pensão. Houve quem afirmou que os indicados pelo BB são altamente preparados, ao contrário dos eleitos. Esse desnível tecnico é que justificaria a maioria dos problemas que nos afetam na CASSI e na Previ.

Vou enfiar a carapuça, já que estou incluído na onda. E vou concordar com a tese, defendida por ex conselheiro da Previ.

De fato, o nosso conhecimento da previdência complementar é bastante superficial, básico, mais conjuntural do que estrutural. Até porque ela é fechada mesmo e pouco transparente. Os estudiosos do sistema, entre nós, são poucos. Atualmente se destacam o mestre Ruy Brito, Ebenezer, Isa Musa, Sérgio Faraco, Tolendall, e outros que deixo de citar, e peço desculpas,  por falta de espaço, como, por exemplo, o Piani.

Tratam se de colegas que se aprofundam nos estudos e procuram examinar os assuntos com consistência, coerência, bom senso e sobretudo sob a ótica das leis e normas que regem a matéria,  e o jugo dos números, que, embora a contabilidade criativa, não podem mentir nem nos enganar.

Como sempre opino , e essa é uma das características fundamentais do blog do Medeiros, digo que considero experiência fundamental para o bom exercício de cargo na Previ ou em qualquer outro fundo de pensão.  Por isso a Abrapp realiza inúmeros cursos de aprendizagem e de aperfeiçoamento para dirigentes e conselheiros de fundos de pensão, especialmente para os novos.

De minha parte na Previ, embora minha experiência anterior de quatro anos como conselheiro fiscal, 2002/2006, senti a necessidade de realizar cursos e seminários de atualização a fim de poder me preparar melhor para exercer meu cargo na instituição e colaborar com alguns trabalhos eventuais, já que não tenho voto nas reuniões. Sou zero nas decisões. Nesse sentido participei de um curso da Abrapp sobre investimentos em cenário dificil, no Rio, um curso da Abrapp sobre integração de órgãos de governança, em Porto Alegre, um encontro da Abrapp sobre ações judiciais contra fundos de pensão, em São Paulo, um seminário da Anabb sobre o Banco do Brasil, em Brasília, Congressos da Abrapp e do IBGC, em São Paulo, e agora pretendo participar de um curso sobre demonstrações contabeis, em Porto Alegre.

Com esses cursos e mais os estudos particulares que venho fazendo nos normativos da Previ e da Previc, é que estou me sentindo em melhores condições para apresentar, com bases sólidas e quicás irrefutáveis, trabalhos verdadeiramente consistentes na Previ.  Talvez outros, mais jovens, aprendam mais rápido, como o novo presidente de apenas 43 anos. Mas eu , com 76 e coluna avariada ultimamente, preciso de um certo tempo para amadurecer e assimilar, ainda mais num cenário e num clima hostil, com um padrão de difícil convivência.

Por tudo isso é que mantenho a minha posição de um voto de desconfiança no novo presidente e continuo torcendo para que ele, que exibe, segundo a mídia, excelente folha funcional e técnica e contra o qual, repito, nada tenho contra sua pessoa, prove que estou errado. Estamos precisando muito, muito mesmo, de uma gestão eficiente, fraterna e transparente na Previ.


NOVO PRESIDENTE DA PREVI - BOMBA ?

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Sou sempre sincero. Não gostei da indicação do novo presidente da Previ.


Eu torcia por Robson Rocha por entender que ele tinha o perfil que a Previ está necessitando para a presidência. Educado, gentil, afável, poderia estabelecer o diálogo , a convivência e a transparência que tanto reivindicamos, bem como melhorar a comunicação. Por incrível que pareça, parece que pesou contra ele o fato de ser filiado ao PT, sabido que o PMDB desejava ardentemente o cargo.

Já haviam me avisado que Robson não seria o escolhido. Infelizmente o fogo amigo da Casa procurou fragiliza lo e está feliz por achar que ele saiu enfraquecido do processo. Torço para que estejam enganados. Acho que liderança dele no CD é inconteste.

Gueitiro Genso, novo presidente da Previ, teria sido escolha pessoal do presidente do BB, Alexandre Abreu, com o aval do Governo. Portanto, tudo decisão da Dilma. Joaquim LEVY ficou escanteado do processo. Gueitiro é funcionário de carreira do BB, diretor atualmente, com 43 anos, tendo nenhuma experiência na área de previdência complementar. Seu trabalho mais conhecido é o da incorporação do banco Nossa Caixa. Procura se acentuar que se trata de uma escolha técnica, não politica.

Consta numa das notícias que Gueitiro indagado sobre sua falta de experiência em previdência complementar teria respondido: melhor assim, entro sem vícios. Não gostei. Resposta Infeliz. Que história é essa ? Vai aprender o ofício no trabalho ?  Cadê a certificação tão exigida ?

Gueitiro vai ser submetido à aprovação do conselho deliberativo da Previ, por força dos estatutos e normas legais. Pela urgência, certamente será feita uma consulta virtual.

Todos sabem que sou suplente, não tenho voto.

Mas tenho uma opinião estritamente pessoal a respeito. Me recusaria a votar e aprovar a indicação sem uma entrevista prévia do indicado, para conhece lo , saber de suas ideias e quicas faze lo assumir alguns compromissos básicos que os participantes tanto reclamam. Sem esse contato e debate prévio com Gueitiro eu não  votaria (abstenção) ou até me animaria a votar contra, num voto de protesto ou de desconfiança contra o critério de escolha, marcando o mote de oposição ou divergência que alimentou o processo eleitoral para a Previ. Seria, em suma, uma forma de protesto e de demonstrar nossa inconformidade com o rumo que o BB está i priminho na Cassi e na Previ.

É o que penso. Cada um, cada um. Tive a satisfação de receber em primeira mão a notícia da indicação do novo presidente. Agradeço. Mas demorei para publicar. O blog do Vicente teve a primazia. Não me empolguei. Torço para o Gueitiro, contra o qual nada tenho contra a sua pessoa, provar que estou totalmente errado.

Oxalá ! Sucesso em sua missão, Gueitiro. Se não me achar descartável, apesar de suplente, conte comigo sempre que precisar.








Quarta feira de cinzas - novo presidente da Previ

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Quarta feira de cinzas !  Anunciado novo presidente da Previ,  Geitiro Genso, escolha pessoal do Abreu. Eu torcia pelo Robson. Consequentemente não gostei. Ele vai entrar debaixo de mau tempo.

Terminou o carnaval. Acabou a folia. Não tem mais lugar para o burlesco. Agora é para valer.


Começou o ano para o Brasil. Começou a partida oficial. Antes era só a preliminar.

Qual a sensação ?  

Infelizmente uma sensação amarga, um gosto ruim na boca, um azedume. E nao estou de ressaca. Bebi quase nada. Umas cervejinhas Estela. Um vinho argentino Luigi Bosca que ganhei de presente. Assisti o desfile das escolas de samba pela TV na praia. Minha coluna cervical e lombar piorou cortando a grama.

Como bem diz o antigo samba :


Foi uma chama,

Que o passado desfez

Agora é cinza

Tá  tudo acabado e nada mais.

É assim mesmo. Depois de virar cinza é muito difícil reconstruir. O cenário é muito ruim. O clima anda péssimo. Temporais. Turbulências.

Falando em cinzas, faz sucesso o filme cinquenta tons de cinza. Bilheteria cheia. O esplendor do chicote, a glória do sado masoquismo. Sinal dos tempos.

Mas vamos enfrentar as adversidades. Nada de se entregar. Estamos vivos, é o que interessa.  Mexeram com os idosos na avenida.

Coloquei em dia minhas leituras, especialmente da internet. Estou atualizado.  Muita insatisfação, com certeza.

Também estudei e analisei documentos. Muita preocupação, com certeza.

Estou indo para Porto Alegre, amanhã reassumo na Afabb RS. Muito trabalho, com certeza.

Não podemos se entregar pros homens de jeito nenhum. Não tá morto quem peleia.

Vamos que vamos.



NUVENS NEGRAS EM NOSSO HORIZONTE

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Chegou o Carnaval. Deveria ser época de alegria e de folia. Mas nuvens negras toldam o nosso horizonte e prenunciam tempestades.

Mau tempo em Xangri La-RS

São os problemas na CASSI, discutidos agora de maneira mais ampla,  e são os números da PREVI, relativos ao balanço do exercício de 2014, que breve serão conhecidos e depois apresentados e debatidos em todo o país pelos diretores, que também terão de explicar os bônus que os participantes tanto reprovam.

No Rio de Janeiro vislumbrei uma tênue esperança no arco iris que surgiu após a tempestade , quem sabe a Dilma acerta o nome do novo presidente da Previ, mas as vazadas aposentadorias do Bendini e Ivan Monteiro, muito acima do teto de benefícios, bem como algumas decisões em gestação em nosso fundo de pensão, derrubaram as minhas expectativas e prevejo bastante turbulência nos próximos dois meses. Será mesmo que a Isa Musa, presidente da FAABB, segundo notícias que ontem circularam, foi ameaçada de ser processada ? Seria uma temeridade, um retorno às trevas, uma ameaça ao direito de se manifestar, um golpe na transparência.

Arco iris no Rio em Copacabana


Estou indo passar o carnaval na praia. Não vou com minha animação costumeira. Problemas na coluna. Próprios da veneranda idade,  e levo debaixo do braço para analisar os números do balanço prévio da Previ. Leitura altamente indigesta, inapropriada para o período. Mas fazer o quê ?  

Recebi inúmeras adesões de colegas que querem marchar comigo contra aqueles que estão me criando problemas e tratando sem a devida consideração. Mais de uma centena de emails. Bacana, bom contar com esse exército de gente boa e disposta. A manifestação do querido Ari Zanella aqui no blog é vehrdadeiramente épica.  Talvez breve eu venha liderar as mobilizações que estão fazendo falta e tanta gente reclama. Assim como está não pode ficar.

Desejo a todos um bom carnaval. Descanso, paz, divertimento, alegria, saúde, muito amor.

                                                               Por de sol na praia

Que o dia volte a raiar ou se deitar radioso!  Volto na quarta feira de cinzas.

Vamos que vamos.

GENTILEZA GERA GENTILEZA

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Na última vez que estive no Rio, à noite, caminhando pelo calçadão, comprei por dez reais uma camiseta com os seguintes dizeres: GENTILEZA GERA GENTILEZA.


Gostei. Hoje em dia gentileza é matéria rara. Pouco se vê. Antes nos ônibus os mais jovens davam lugar para os idosos. Isso acabou praticamente. Cada um por si. Velho só atrapalha. Tem que ficar em casa ou morrer.

Comigo atualmente só funciona gentileza. Fiquei sensível depois de velho. Se me tratam bem me levam direitinho, faço o que me pedem, desde que honesto.  Aqui na AFABB RS já sabem disso e conseguem tudo me paparicando.


O contrário acontece com agressividade. Comprar briga comigo é mau negócio. Adoro. Faz parte da minha vocação de advogado e da minha herança fronteiriça. Pisou no meu poncho, a reação é imediata. Não tenho medo de enfrentamentos. Já tenho dado provas suficientes. Tenho história. As pessoas as vezes se esquecem.

Não gosto de me decepcionar, nem de frustrações. Alimento sonhos e expectativas. Acredito nas pessoas e sou um eterno otimista. Acho que tudo tem soluções, menos a morte. Até hoje, mais de cinquenta anos de advocacia, não encontrei nenhum caso sem solução. Sou adepto da negociação e da tolerância para a solução dos litígios.

Os tempos andam difíceis. Ha muito insensatez. Muita perda do pudor de outrora. Algumas decisões são muito insensatas e desprovidas de bom senso. Alguns escândalos ainda surpreendem e chocam a mídia, como as aposentadorias cheias de Bendini e de Ivan Monteiro. muito acima do teto de benefícios da Previ, uma afronta ao quadro de associados. E que dizer da proposta do diretor Willians , da Cassi, só a favor do pessoal da ativa ?

Tem muita coisa rolando e eu não estou gostando nada. Tem briga de todo lado, pela frente e por trás, com reflexo em minha vida pessoal. Pra mim não importa. Danço conforme a música. Não tenho medo de lutar pelo que acredito e sempre tenho muita munição guardada para usar.Não sou apegado a cargos, nem sou ligado a grupos. Não mexam comigo. Cuidado. Me respeitem.

Como diz a canção seis cordas de espinho:

Meu canto tem cor de sangue...
Nenhum pesar me derruba
Qualquer paixão me arrebata.

Vamos que vamos.