DIA INTERNACIONAL DO IDOSO, UMA PIADA ?

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Hoje, primeiro de outubro, é o dia internacional do idoso.  Merece ser comemorado ?  Sinceramente não sei, já que muita gente e muita entidade tem, atualmente, a idéia de que longevidade é um estorvo para seus negócios.

O que essa data deve nos concitar é para fazermos uma reflexão a respeito do assunto. Afinal, chegamos lá, pois a outra opção era de ficar pelo caminho.

A expectativa de vida oficial para o Brasil hoje anda em torno dos 75 anos, um pouco mais para as mulheres e um pouco menos para os homens. Daqui a vinte anos se calcula que andará acima dos 80 anos.

Eu já me encontro nessa faixa, pois tenho 76 anos.  Não sei se é melhor idade.  Apareceu um glaucoma no olho direito. A glicose aumentou. A coluna dói. O esporte diminuiu. O cabelo branqueou e escasseou. Enfim... Acho que melhor idade é para os médicos, farmácias e laboratórios.

Encarar essa fase só rindo, pois não há outro jeito de levar a vida, a não ser com alegria e bom humor.

Por isso, não levem a mal, desculpem se me excedi, vou encerrar essa postagem com duas anedotas que caracterizam o idoso atualmente, na conjuntura que estamos vivendo, uma levinha e a outra um pouco mais pesada, retiradas da internet.

Dois velhinhos conversam no banco da praça;

- Norberto, eu tenho 83 anos de idade e estou cheio de dores e problemas de saude. Voce deve ter mais ou menos a minha idade. Como é que voce se sente ?

- Eu ? Como um recém nascido.

- Como um recém nascido ?

- Sim. Sem dentes, sem cabelo e acho que acabei de mijar nas fraldas.

---------

Sentados, no gramado do jardim, o casal de velhinhos resolve reviver o passado. A velha levanta a saia e o velho enfia a cabeça no meio das pernas dela.

Momentos depois , ela reclama: -

- Querido, tire os óculos. Eles estão machucando minhas coxas !

No minuto seguinte ela volta a falar: -

- Querido, põe os óculos de novo. Você está lambendo a grama !

----------
Coisas da melhor idade. Só rindo mesmo. Aliás quem quiser ouvir um discurso bem humorado pode clicar na aba do blog, substituí o da novembrada pelo da posse.



CANDIDATOS DO BB

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Um fenômeno triste está acontecendo em nosso universo do Banco do Brasil.  Estão cada vez mais raros os candidatos a cargos eletivos oriundos do funcionalismo do banco. Qual será a razão ?

Antes eram muitos. Agora aqui no Rio Grande do Sul são so dois, um para a Câmara Federal e outro para a Assembleia Legislativa Estadual.  No Brasil parece que a ANABB encontrou apenas oito. E estamos precisando de gente nossa para defender nossos direitos e nossos interesses que estão ameacados justamente no Legislativo, onde se discute dois projetos de lei vitais para afastar as apropriações indevidas do BB do superávit da Previ. Se bem que temos um Judas na parada, numa das relatorias.


Para deputado Federal aqui no RS concorre o ex deputado Pompeo de Mattos, que acaba de se aposentar do BB e é associado da AFABB RS.  Pompeo é ligado às tradições gaúchas e já foi deputado anteriormente.  Está por dentro dos problemas da Cassi e da Previ. Pretende ser um canal nosso junto ao Congresso.

Gilmar Sossela é o atual presidente da Assembleia Legislativa do Estado e está lutando pela reeleição. Ambos pertencem ao PDT.

Precisamos unir forças em todos os poderes para afastar o que nos atrapalha e nos incomoda, como, por exemplo, o voto de minerva na Previ.

Temos que exercer bem o nosso compromisso com a cidadania. Temos que votar, comparecer às urnas, escolher quem possa nos representar e lutar por nós.

Para a Presidência da nação temos um grande embate para decidir. Ou mantemos o atual Governo ou votamos pela mudança.

O blog procura nao entrar na área política partidária.  Estou torcendo para que Deus nos ilumine na escolha pelo melhor para o nosso país.

Votem bem, conscientemente. Sobretudo votem.  Não se omitam.  O Brasil tem jeito, sim. Depende de nós.

PAUSA PARA MEDITAÇÃO

sábado, 27 de setembro de 2014

Depois da palestra do Amaral na AFABB RS, continuei me movimentando. Participei do Congresso Estadual da OAB, na condição de comendador, na quarta-feira a noite, e no dia seguinte viajei para o Rio de Janeiro para a reunião do CD da Previ, tendo retornado ontem quase a meia noite.

No mês de outubro pretendo me aquietar um pouco, para reunir energia e meditar, pois preciso colocar ordem nas coisas e nas idéias, a fim de não estressar.

O prezado amigo Ari Zanella teve um sério problema num olho e ficou com risco de perder a visão. A cirurgia, felizmente, foi bem sucedida, a expectativa é boa, mas o Ari vai ter que se cuidar durante um período longo para não haver novo descolamento da retina.

Botei as barbas de molho e vou me dedicar um pouco mais ao tratamento do meu glaucoma. Essa atividade nossa no computador, no tablet e no celular, certamente prejudica os nossos olhos e requer redobrada atenção. Temos que moderar.

Desde a posse na Previ em princípio de junho tenho procurado tomar pé da situação do fundo e me atualizar com relação as normas e instrumentos para uma boa gestão. No meu entendimento, é preciso primeiro completar a bagagem com roupagem nova e adequada para poder agir com mais eficiência no conselho deliberativo.

Nesse sentido participei de alguns cursos e seminários básicos. O day Previ, nono encontro dos advogados dos fundos de pensão, os desafios dos investimentos promovido pela Abrapp, o papel do BB promovido pela Anabb, a integração dos órgãos estatutários promovido pela Abrapp, o encontro de governança da Previ, entre outros, como o evento de Camboriú. Foram no Rio, São Paulo, Brasília e Porto Alegre.  Atividade intensa. Com certeza os conhecimentos ali adquiridos foram e serão de muito valia.

Mas agora é hora de refletir e de estabelecer um plano estratégico de ação. Não que não estejamos agindo, pois o ES por exemplo, tem ocupado permanentemente nossa atenção, assim como foi a questão dos bônus para os dirigentes. Mas é preciso mais e não pode ser feito desordenadamente, senão o êxito fica prejudicado. Tem a questão do teto dos benefícios, que está parada. A questão das pensionistas. O alinhamento dos benefícios. A suspensão das contribuições. A cesta alimentação. Os pedevistas, os investimentos da Previ, enfim, tanta coisa.


O minuano gelado me recebeu em Porto Alegre. Diferença de quinze graus de temperatura. Meia hora na fila do lado de fora do aeroporto, com frio, mal agasalhado, aguardando chegada de taxi.

A primavera já entrou em vigor. Espero que ela floresça ,  seja alegre, colorida, frutífera  e fecunda para todos nós. E sobretudo nos permita desfruta-la com saúde.

PÚBLICO DE GRE NAL

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Costumo dizer que a força de uma associação reside nos seus associados, especialmente quando os mesmos são interessados e participativos, comparecem na sede e nos eventos, apresentam críticas e sugestões, votam nas eleições, enfim, cumprem suas obrigações sociais.




Na palestra que Fernando Amaral realizou na AFABB RS o nosso auditório estava lotado, gente de pé ao fundo, público de GRE NAL, cerca de duzentas pessoas. Além de numeroso o público foi altamente selecionado, pois estavam presentes colegas representativos do movimento sindical,  Xavasco, Pastoris e Mottini, ex diretor do BB e ex conselheiro deliberativo da PREVI, Juraci Massiero, presidente da AABB POA,  Luiz Antônio, Gerente Regional da Cassi, Ewerton,Delegado da Cooperforte, Polvora, e tantos outros.



A palestra versou sobre as impropriedades da resolução 26, que favorece o patrocinador em detrimento dos participantes, dos polêmicos e mal ajustados bônus concedidos a diretores da Previ e sobre os critérios equivocados do teto dos benefícios. Amaral anunciou que a ANABB está concluindo os estudos e vai entrar com ação judicial em todos esses casos.

O que gostei e congratulo aos presentes foi o clima que permeou os debates, em alguns instantes até um pouco exaltados, mas sempre com respeito e educação, embora as naturais divergências de opinião.

E´ assim que tem que ser entre nós.  Não somos inimigos, somos colegas fraternais.  O que nos une é muito maior do que o que nos separa.  Opiniões diversas e eventuais críticas não podem ser levadas a ferro e fogo, desde que feitas com educação e de maneira construtiva.

Assim, desejo aqui, me congratular com os promotores do evento, Maeda, Celson, Canabarro e Oraida Medeiros, e, principalmente, com o público presente, que deu uma verdadeira aula de cidadania e de coleguismo. Parabéns.

REUNIÃO DO CNPC E OUTRAS AVENÇAS

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Hoje estive participando de novo seminário promovido pela ABRAPP em Porto Alegre, sobre governança, gestão de riscos e integração de órgãos estatutários.  Estavam presentes altas autoridades do setor de previdência complementar, entre os quais o atual superintendente da Previc, dr. Carlos de Paula, com quem tive oportunidade de contatar e conversar.

                                            Dr. Carlos de Paula, superintendente da PREVIC

Recebi a informação do dr. Paulo Cesar dos Santos, diretor de Políticas da SPPC, sempre muito simpático e acessível, que a reunião do CNPC foi transferida do dia 30 de setembro para o dia 7 de outubro, para que pudessem ser melhor digeridos os números que irão balizar as novas normas sobre os lançamentos contábeis do passivo das entidades fechadas de previdência complementar.

Falou-me que sobre os demais assuntos, como a longevidade e a terceirização da cobertura de riscos para seguradoras ainda não estão maduros para decisão e deverão ficar para mais adiante, assim como alteração na resolução 26. Não devemos baixar a guarda. Estão pintando mudanças no sistema e o Congresso dos Fundos de Pensão vai se realizar em meados de novembro em São Paulo, devendo contemplar algumas novidades.

Já está mais do que na hora de uma decisão a respeito do teto de benefícios na Previ. O TAC até agora ainda não foi aprovado pelo BB que aguarda a homologação dos poderes da Fazenda e do Planejamento, segundo consta.

Na realidade nunca intervi nesse assunto por achar que já tinha gente demais tratando dele, vários pais da criança e nunca quis que achassem que eu queria tirar alguma lasquinha de última hora e virar herói da história.  Mas a demora está demais e começo a me impacientar.  Não sou de ficar parado e pretendo agir para sacudir o marasmo.

E como a vida não para, amanhã, depois do seminário pela manhã, com encerramento previsto para as 14 horas, vou correndo para a AFABB RS a fim de assistir o Fernando Amaral, vice presidente da ANABB, que vai fazer palestra em nosso auditório, às 15,00 horas, sobre temas de relevância, entre os quais o mencionado teto de benefícios, bônus para diretores da Previ, resolução 26, etc.

Portanto, cada vez é mais aplicável o meu bordão, de vamos que vamos.

TEMPO DE INCERTEZA. ( FINAL )

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Concluo hoje minhas observações sobre o importante evento de governança realizado pela Previ, focalizando a entrevista dada pelo diretor de participações da Previ, Marco Geovanne ao jornal Valor Econômico.

Alguns pontos merecem serem destacados e refletidos por todos os que se interessam pelo futuro da Previ, especialmente no setor de renda variável , onde se concentram a maior parte dos investimentos do plano 1.

Para o diretor o momento atual de volatilidade não é de investimentos mas de preservar caixa. Empresas que calcularam a conjuntura de forma equivocada, com visão de curto prazo, se deram mal. Ele cita o caso da Vale, onde o preço do minério de ferro caiu.  Lembro da minha luta quando lá estive no conselho fiscal para evitar a aquisição da Xstrata, em momento inoportuno, 2007, véspera da crise de 2008, o que endividaria a empresa e comprometeria sua liquidez. Seria um desvario megalomaníaco que teria deixado a Vale em situação ainda mais crítica.

Outra afirmação interessante do diretor foi a respeito da comunicação, assunto abordado no seminário de governança, no sentido de que o conselho de administração das empresas deve se comunicar mais e melhor com os acionistas. Como o palestrante falou que a gestão dos fundos de pensão é similar a das empresas, podemos situar a Previ no mesmo contexto, para que igualmente exista maior transparência aos atos e decisões do conselho deliberativo e demais órgãos de governança.

Sem dúvida uma declaração corajosa do diretor foi a respeito de falha dos conselheiros indicados pela Previ na ALL, que foram relapsos com relação a um contrato de consequências desastrosas para a empresa e que gerou prejuízos.  Essa declaração é importante porque deixa no ar o questionamento sobre a responsabilidade dos conselheiros pelo cochilo e a responsabilidade pela seleção dos mesmos para o exercício dos cargos.

Por fim, vale a pena também chamar a atenção para a referência aos casos da Oi e da Forjas Taurus, que surpreenderam com a revelação de operações nefastas, causando preocupações e criando situações de constrangimento.

Essa matéria do diretor Geovanne, é uma das mais autênticas e profundas a respeito da área de governança corporativa da Previ já produzidas, sem dúvida com reflexo no mercado acionário, e complementa, com sua divulgação, o seminário. Deveria mesmo ter sido a palestra de conclusão do evento e teria fechado, sem dúvida, com chave de ouro, a bem da transparência.

TEMPO DE INCERTEZA. ( 2 )

terça-feira, 16 de setembro de 2014

O Seminário de Governança se encerrou ontem com uma descontraída palestra sobre ética corporativa e sistemas de incentivo nas empresas, do professor Clovis de Barros Filho, de São Paulo, catedrático da matéria.


A palestra foi leve e divertida, entremeada de anedotas e alguns palavrões, deveria ter sido inserida logo depois do almoço, pois despertaria o público. Entretanto, embora tenha agradado ao auditório e a mim mesmo, o palestrante fugiu totalmente ao tema que lhe foi proposto, que dizia respeito até que ponto as estruturas de incentivos contribuem para o comportamento não etico das pessoas em todos os níveis das organizações.

O professor Clovis abordou os conceitos históricos da ética, chamando atenção para os pensamentos de Aristoteles e Jesus de Nazaré,  que ligavam ética com códigos de conduta e sentido no próximo, até chegar em nossos dias com os conceitos de Maquiavél, de mercado e de satisfação pessoal.

E terminou surpreendendo ao falar que o trabalho ético atualmente reside em se sentir feliz e fazer os outros felizes, desfrutando cada momento ou oportunidade que se apresenta, fugindo completamente do contexto.

Na manhã de hoje tivemos uma palestra morna, ao contrário do empolgado professor Clovis, feita  por John Wilcox, norte americano, sobre se o conselho de administração deve agir de forma autônoma, principalmente nos casos dos prejuízos recentes de empresas, com mais transparência, prestando contas aos acionistas. Gostei da palestra, que teve substância, de modo especial quando abordou a comunicação do conselho com os acionistas, divulgando, por exemplo, assuntos delicados como a remuneração dos dirigentes e a forma de seu cálculo. Ele foi explícito ao transmitir que o conselho deve estudar uma forma de ser mais transparente e de se comunicar, pois cada vez mais os acionistas e a sociedade estão exigindo que os membros dos conselhos prestem contas de seus atos. Devem ser respeitados apenas os assuntos mais sigilosos.

A moderadora Sandra Guerra, esbelta e elegante, acentuou que é importante que os acionistas sintam qual a colaboração efetiva que os conselheiros trazem para a companhia ou se só estão ali para cumprir tarefas ou fazer a vontade do dono ou dos diretores.

Concluiu que as vezes não temos coragem de questionar aquilo que tem que ser questionado. Mais uma vez surge a palavra coragem. Há poucos dias falei nela. lembram ?

O Seminário terminou com mais dois painéis. A organização do evento  foi boa e profissional. Obteve sucesso absoluto de presença de conselheiros de administração de importantes empresas, 114 do Brasil e 12 do exterior, o que propicia as conversas e os contatos, troca de idéias e de experiências, o que vale tanto quanto as palestras e os painéis. Agradou ao público presente.  Minha avaliação melhorou um pouco. O Seminário tem uma missão relevante junto aos conselheiros de empresas participadas da Previ.

Acho que a bolsa vai reagir forte hoje puxada por Petrobras. Desde ontem, quando escrevi que estava estudando o mercado, para comprar de novo, face as baixas, já corriam fortes boatos.  Vamos ver.