O DINHEIRO DOS FUNDOS DE PENSÃO

quinta-feira, 20 de julho de 2017

A entrevista do novo presidente da ABRAPP para a revista Isto É causou repercussão porque ele foi enfático ao declarar que o dinheiro dos fundos de pensão acabará em 2034.  


O que ele quer, na verdade, é sensibilizar o governo federal para dar estímulos para a previdência complementar fechada a exemplo dos incentivos dados para a previdência aberta no tocante ao imposto de renda.

A previdência aberta vai de vento em popa enquanto a fechada estacionou e entrou em processo de descenso. 

Não é só por causa do incentivo fiscal. Existem outras causas. 

Antes as empresas investiam na criação e manutenção dos fundos de pensão porque queriam garantir a manutenção e a estabilidade de seus empregados. Hoje isso não mais existe. A mudança de emprego é característica dos tempos atuais.

Tanto é assim que muita gente fala que o Banco do Brasil pode retirar o patrocínio da Previ, circunstância de que, por enquanto, eu não acredito. Mas os boatos correm.

O mundo tem mudado muito. Algumas carreiras não existem mais, outras a automação e a digitação estão matando. As datilógrafas já foram embora, os carteiros estão indo embora. Os bancários estão sendo substituídos pelas máquinas, pelos celulares e pelos robôs. E aí como é que fica ?  Já pensaram nisso ?

A proposta imediatista do novo presidente da Abrapp bate de frente com a escassez de recursos do Tesouro. A retribuição ao investimento é difícil de ser compreendida.

Em se tratando da Previ será que os recursos também acabarão em 2034 ? 

Temos dois planos, um de beneficicio definido, em fase de extinção, pois não entra mais ninguém e a partir de 2020 se espera que todos os participantes estejam aposentados, e o Previ Futuro de contribuição definida, que está em fase de expansão.

Mais na frente iremos analisar a situação de ambos, segundo meu entendimento, o de uma pessoa que tem uma vivência de 60 anos de BB e trinta de aposentado da Previ. Gostaria antes de ouvir pessoas da geração mais nova.

Aguardem.

VIDA COMPLICADA

sábado, 15 de julho de 2017

Como já escrevi, passado o susto da gripe A, terrível, voltei, feliz, ao trabalho, procurando recuperar o tempo perdido, cerca de um mês às voltas com antibióticos e outras artimanhas .


Mas a vida não volta atrás e não perdoa. Deixei para fazer meu passaporte para o dia 4 de julho, data devidamente agendada, um mês antes de uma viagem internacional devidamente programada, já que o prazo de entrega era de cinco dias úteis. Não esperava que, poucos dias qntes o serviço fosse suspenso por falta de recursos. E agora estou vivendo um drama, a viagem se aproximando e não tem data para o reinício das entregas dos passaportes. O Congresso aprovou na quinta a verba extra, mas falta agora Temer sancionar. Ontem ele estava em São Paulo tratando de sua sobrevivência.

Em discurso no início desta semana Temer falou que o Brasil necessita de pressa em decisões relevantes, respostas rápidas, disse ele. Mas não dá o exemplo.

Nesse meio tempo a nossa vida continua, as dívidas vencendo, os credores em cima, as cobranças às vezes indevidas, nossos valores sendo questionados, e, paradoxalmente, como uma demonstração de que o mercado quer mudanças, a bolsa subindo de 62.000 para 65.000 pontos, o que é bom para a Previ e para nós.

Falando na Previ foi publicado no seu site as melhorias introduzidas no ES para os participantes do plano Previ Futuro.  O pessoal do plano 1 me bombardeou com indagações a respeito de melhoras para nosso plano. Como tenho repetido sou sempre partidário da fórmula definitiva de 180 x 180, e vou continuar lutando por ela até o fim, porque não fui convencido de sua inviabilidade, apesar dos estudos que tenho tido oportunidade de analisar. Salvo melhor juízo, naturalmente. Data vênia, como dizem os advogados.

Sobre o ES existe um grupo de colegas que discute com a Previ critérios de cálculo. Recentemente a Previ respondeu mas o grupo não se convenceu e voltou a apresentar novos elementos para serem examinados. É um debate interessante que pode servir para que todos fiquem bem esclarecidos a respeito daquilo que estão pagando de juros e correção pelo ÉS e compreendam como funciona.

Vamos ver o que esta semana nos reserva.  Meu passaporte vai sair. A bolsa continuará subindo ? O dólar baixando ?  Vem aí a delação do Cunha ? O Maia vai emplacar ? O que isso nos afetará ?

Bom final de semana.

TRABALHAR FAZ BEM

sábado, 8 de julho de 2017

A vida anda complicada e difícil. Ainda por cima muito estranha.

Essa tal de digitalização mexeu com tudo. Agora é tudo digital. Tudo eletrônico.

Eu andava com saudade do trabalho. A gripe me nocauteou por duas semanas. Aos poucos voltei ao batente. Fui recebido com carinho pelas funcionárias da AFABB RS.  Na foto abaixo ao meu lado estão a Caty Simone e a Camila. Nas pontas estão as advogadas Magali e Gabriela.



Amo a minha profissão, o Direito, e tenho grande orgulho de exerce la no Rio Grande do Sul. Como estou impedido de atuar contra a Previ por ser conselheiro deliberativo suplente tenho me dedicado especialmente aos inventários e questões de família, bem como de saúde.
Mas não deixo de me manter informado e atualizado a respeito de todas as questões jurídicas que afetam aos aposentados e pensionistas do Banco do Brasil. Não posso ficar ultrapassado nem enferrujado. Estudo profundamente e leio tudo que aparece. Breve pretendo oferecer uma contribuição importante na área jurídica.

Às vezes me revolto porque tem quem ache que já estou velho demais. Dizem que já estou beirando os oitenta, já estou na beira do tumulo. Não presto pra mais nada. 

Essa gripe me deu um susto, sim, mas serviu para que eu voltasse com mais vontade de ser útil e prestar serviços aos meus colegas e amigos. E bem acompanhado o trabalho vira um bálsamo, faz um bem danado.
Estou consciente da aflição de muitos colegas e vou trabalhar firme para minora las.

Um bom final de semana.

Vamos que vamos.

PREVI E CASSI

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Passou o susto da gripe A, consegui tomar o antibiótico por quatorze dias, sinto me renovado para retornar ao trabalho.


Na Previ participei na quarta feira passada do seminário sobre políticas de investimentos. Fui cedo de manhã, levantei as quatro para pegar o voo das seis e retornei à noite no voo das vinte horas, chegando em Porto Alegre as vinte e usa horas. Cansado, doído, mas acho que valeu a pena, pois os temas tratados no seminário foram relevantes, como vocês podem conferir no site da Previ.

Hoje assisti a uma interessante palestra sobre a judicializacao na Cassi e participei de um debate construtivo com o médico palestrante.  A ideia é tentar sempre uma solucão administrativa antes de ajuizar uma ação ou de denunciar para a ANS.  Há um canal aberto para diálogo e entendimento. Tem que ser evitada a indústria que se formou para a obtenção de liminares.

Entretanto é preciso que seja respeitado o direito garantido pela Constituição para que todo cidadão tenha acesso à Justiça. Às vezes só esse caminho consegue obter resultado. Essa questão da judicializacao é delicada e tem que ser tratada com muita cautela e respeito. Não pode ser considerada , porexemplo, como um tiro no pé, nem como uma predominância do individual sobre o coletivo.Vamos voltar ao assunto com dados concretos.

Tenho observado nas redes sociais algumas manifestações preocupantes a respeito da situação financeira de colegas aposentados e pensionistas, que, apertados, estão inclusive requerendo o cancelamento da Capec, uma coisa que considero inconcebível nessa altura de nossas vidas, quando está próximo o dia que o pecúlio será utilizado. Mas cada um sabe onde aperta o sapato e se estão cancelando certamente é por alguma razão muito séria.

Bom, como viram a vida continua. Estou trabalhando dobrado para compensar o tempo perdido.

FOI DUREZA, MAS SOBREVIVI Á GRIPE

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Passei mal, muito mal mesmo. Quase morri. Não fui para o hospital porque as emergências estavam superlotadas. Tive que tirar forças de onde não sabia que existiam. A ideia era que um trator tinha passado por cima de mim. Que gripe violenta ! Não facilitem com ela.  As autoridades estão já sabendo de sua virulência mas ainda não deram o alerta. A gente simplesmente não consegue respirar. Falta ar, sensação horrível. Nunca havia passado por isso. Ontem o marido de minha secretária doméstica, 48 anos, portador de diabete, não superou a gripe e morreu de parada cardio respiratória. 48 anos !

Estou tomando um antibiótico fortíssimo  para 14 dias chamado Avalox 400, caríssimo, duzentos paus. Estou no sexto comprimido. Cheio de reações secundárias. Quis parar mas o médico não deixou. Deu uns remédios para segurar os efeitos de mal estar no estômago e no paladar.  Afeta também a visão. Mas ataca a pneumonia e outras complicações brônquicas que acompanham essa gripe. Deixo aqui o meu alerta sincero. Se cuidem. Não facilitem.

Enfim, vamos em frente.



Esta é uma semana decisiva.  Os acontecimentos podem surpreender.  A fita não foi editada. A denúncia está sendo elaborada. Quarta feira pode ser o dia D.

Na sexta feira fui à posse do novo presidente do TRF da quarta região, que tem sede em Porto Alegre, o qual julga os recursos da lava jato  . O novo presidente Desembargador Thompson Flores Lentz é filho de um colega de turma meu da Faculdade de Direito, Otmar Lentz.  Assim como aconteceu com o Claudio Lamacchia, eu peguei esse menino no colo em Uruguaiana, onde o pai dele foi juiz do trabalho. E´ sério, rigoroso e o tribunal estará em ótimas mãos nesse período turbulento de nossa história.


Vamos que vamos :  Não podemos se entregar.  Não existe espaço para moleza. Olhem o que deu no Gremio frente ao Corinthians.  Perdeu o pênalti na última hora :  Faltou determinação.  Não estamos em tempo de indecisão.

GRIPE GOLPISTA

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Até a gripe virou golpista.  Ao menos essa que me pegou traiçoeiramente. Eu me vacinei.  Não me expuz. Ou é expus ?  Já entrei em parafuso. Culpa da gripe.


Pois ela me agarrou de jeito. Febre, dor de cabeça, rinite, tosse alucinante, dor n corpo, tonturas, indisposição.Tudo que ela tinha direito.  Me nocauteou e me deixou de cama arrasado. Coisa que há muitos anos não ocorria. 

De quebra contaminei minha esposa, que é dura na queda. Ana está ainda em pleno processo de combate. Está tomando o tal de Tomiflu. Caríssimo. Duzentos paus dez comprimidos para cinco dias.

Vou processar o laboratório da vacina.  Não me protegeu coisa nenhuma. Estou indignado.

E acovardado também. Louco de medo da gripe. De ter uma recaída. 

Ainda por cima o clima aqui no sul inventa de dar uma reviravolta drástica. Ontem caiu quinze graus. Pode ?  Tem organismo que resiste ?  Como ficam os idosos ? Meu Deus !  

Bem eu estou impondo uma resistência heróica.  Mas advirto-me que não é fácil.  Não brinquem com ela .  Essa gripe mata.  É pior que a gripe espanhola.

Aliás não é gripe . Stá disfarçada. É a influenza. 

Fujam dela.

ESFRIOU GERAL

sábado, 10 de junho de 2017

O inverno chegou antes do tempo. Até já nevou na serra. Trouxe chuva, granizo e tornado.


Na minha cidade natal está acontecendo a pior enchente do Rio Uruguai dos últimos trinta anos. Uma calamidade com centenas de desabrigados.

No TSE , depois de debates acalorados, veio a decisão fria e sombria a favor da chapa Dilma/Temer. 

Os juízes decidiram desprezar as provas e entender que não podem cassar presidente da república. O placar foi, como se esperava, de 4 x 3.

Uma decisão ao arrepio do Direito, meramente política, que levou em consideração a instabilidade do país. 

Henrique Meireles está surgindo nesse cenário como uma espécie de primeiro ministro. Pode ?  Um abalizador da política econômica. Ele que também está vinculado ao grupo JBS. 

Conseguiram abafar por enquanto a delação do Palloci. 

Esfriaram a temperatura para o lado do Lula.  Baita estratégia.

Ficou difícil manter o foco nessa confusão toda.  Só tem bandido. Cadê os mocinhos ?

Nesse clima gelado fica difícil a gente trabalhar.

O Direito é uma ciência que não pode ser vilipendiada dessa maneira. Isso vai ter sérias repercussões para as futuras gerações.

Quem sabe o recado que o filho do Ministro Napoleão levava para seu pai era o de que ele devia  pensar na sua neta, cuja foto levava no envelope, ao proferir o seu voto ?

Porém não adiantou. O voto do Ministro Napoleão foi o pior de todos, além de raivoso. Fez até sinal de degola e desejou a seus inimigos que sobre eles desabe a ira do profeta. Pode ?

Nós não merecemos.