Fim de semana

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Desejei uma boa semana, mas infelizmente os votos não lograram êxito. Não , não foi uma boa semana, nem para nós nem para mim.  A reunião do CD da Previ acabou há pouco e  quase nada temos a comemorar, O tempo voa e não perdoa. Propostas e resultados concretos a favor do corpo social precisam aparecer com urgência.


A Previ insiste em me tratar mal.e me causar problemas desnecessários,  omitindo documentos e me criando embaraços. E , com isso, me deixa com o ânimo e o humor bem pesados. Me esforço para manter um bom relacionamento e cumprir com eficiência o meu mandato.  Vou tocando o barco até onde posso. Entretanto, como disse em outra postagem, , minha paciência já se esgotou, minha tolerância agora é zero, e estou na iminência de chutar o balde.

Antes, porém, vou tentar desfrutar do final de semana. Relaxar um pouco. Festejar meus cinquenta e dois anos de casado com a Ana. Depois volto ao batente e comento algumas novidades para vocês. Aguardem.

Bom final de semana para todas e todos.

Vamos que vamos .

DECEPÇÃO

quinta-feira, 21 de maio de 2015

O Internacional repetiu erro das últimas partidas. Não aprendeu a lição. Não sentiu o perigo nem o risco que corria. Cedeu escanteios no final do jogo. Levou gol nos últimos segundos. E jogou fora a oportunidade e a vantagem, perdendo o jogo. Lamentável.


Deveríamos aproveitar esses ensinamentos da vida esportiva em nossas vivências do dia a dia. Talvez não fossem desperdiçadas as chances para uma vitória ou um empate vantajoso nos embates funcionais ou profissionais. Um descuido ou uma arrogância pode custar caro na última hora, e termina prejudicando todo um trabalho perseguido por meses. E aí acontece uma baita  decepção.

Está fervendo o nosso caldeirão.  A proposta indecorosa do BB com relação a CASSI revoltou a FAABB e o universo de aposentados e pensionistas. O BB disse que não quer mais saber dos pós laboral. Quer se livrar de nós. E acha que valemos pouco. Apenas cinco bilhões. Quer disponibilizar essa quantia para que ela seja administrada por ele mesmo, através de diretores indicados, e por dirigentes oriundos da Contraf Cut.  Baita decepção.

A questão envolvendo Marcel contra Cecília relativamente a um estudo para o aperfeiçoamento administrativo da Previ, para mim é uma mera cortina de fumaça, um assunto para desviar nossa atenção de outros muito mais delicados e graves que andam rolando por aí e que, ao contrário do dito cujo, já foram objeto de decisões, bastante questionáveis. Essa matéria vai ser examinada e debatida na reunião do CD e após darei meu parecer definitivo sobre o assunto. Parece que o diretor Marcel pisou na bola mais uma vez. Baita decepção.

Sobre a fórmula esquizofrênica do ES com CAPEC ainda é cedo para uma opinião abalizada a respeito, se é boa, se é ruim, faltam concluir os estudos que recém estão em seu início, segundo me informaram. O que venho dizendo é que não consigo entender essa preocupação exagerada com a solvência da terceira e última idade. Parafraseando diretores que costumam afirmar que não são  as aposentadorias acima do teto que vão quebrar a Previ, declaro, com absoluta certeza, de que os velhinhos do plano 1 também não tem essa força, os ES deles não vão quebrar o nosso fundo de pensão, muito pelo contrário os encargos que pagam mensalmente são uma bela fonte de receita. Prego uma solução linear, descomplicada e justa para todos. 160 x 160 agora. Sem discriminações, que deixam um rastilho de rancor e de ressentimento. Baita decepção.

Por último, a reunião de ontem as 16,00 horas na Previ foi mais uma decepção para mim. Ela ocorreu em alto nível de cordialidade e de respeito por parte do Dr. Guimarães, consultor jurídico da Previ, e do Dr. Marcelo, chefe de gabinete da Presidência, propiciando um clima de abertura indispensável para o debate. O que me frustrou é que aguardava proposições concretas e não uma troca de idéias. Sou partidário do diálogo, mas acho que essa fase já passou. Deveria ter acontecido no ano passado, em outubro ou novembro. O momento atual, com situações , por exemplo, na cesta alimentação, onde escritórios vorazes de advogados contratados pela Previ requerem mandados de penhora contra os participantes, contra os donos da Previ, como são chamados pelo presidente Gueitiro, exige tomadas de providências urgentes e decisivas. Não me neguei a continuar a troca de ideias, que me propuseram continuasse em Porto Alegre, com a ida do consultor jurídico até lá, mas sou obrigado a confessar, com a franqueza que me caracteriza, que tive uma baita decepção.

Vou encerrar aqui essa postagem, que pretendia mais alegre, quem sabe um bingo, tão escasso ultimamente, porque tenho um imenso material para estudar e analisar, que será colocado para deliberação na reunião de amanhã no CD. Estou contrariado com vários deles. Não tenho voto, mas, como proclamam, tenho voz. Então...O blog continua bombando. O nosso povo está inquieto. Ontem foram quarenta mil acessos. Um recorde. Muitos comentários de elevado valor. Outros, mais agressivos e de infiltrados, tive que deletar. Informo ao Adaí que o meu livro no olho do furacão está à disposição dele na secretaria do conselho deliberativo da Previ, com a Angela. Bom proveito.


BOA SEMANA !

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Uma boa semana é o que desejo para todas e para todos, inclusive eu próprio.


Nosso costume é de almejar bom final de semana. Nunca leio em nenhum lugar votos de bom início de semana.  Eles são, porém, necessários. Deviam fazer parte de nosso ritual. Trazem bons eflúvios. Especialmente em determinadas semanas que parecem decisivas para nossas vidas. Uma consulta médica, o resultado de um exame, o julgamento de uma causa, uma tomada de decisão, uma viagem aguardada, a solução de uma dívida, uma importante reunião, são  alguns assuntos que geram expectativas e nos fazem acordar na segunda feira esperançosos .

Sobretudo é preciso ter fé e acreditar. Além disso, segundo Fernando Sabino, "fica estabelecido que ninguém vai tirar o meu bom humor."  Portanto, como diz a Beatriz Madruga, "não economize o seu bom humor...não atrapalhe o meu. Não o deixe em casa guardado, traga o para sua vida."

Portanto, bom dia. Boa semana, mundo !

A semana que passou terminou bem para nós aqui da AFABB RS. O Banco do Brasil , por intermédio de suas bonitas funcionárias Aline e Simone, equacionou favoravelmente nosso vínculo operacional, atendendo nosso pleito, e renovou nossos laços de fraterna relação de amizade e parceria. Isso nos fez um bem danado a nossas almas, pois continuamos ainda amando aquela antiga instituição onde trabalhamos e dedicamos os melhores anos de nossas vidas. Teria sido doloroso romper com o BB . Preponderou o bom senso. Vale registrar que o BB alcançou um resultado recorde no primeiro trimestre.



Em Goiânia, segundo informam, o presidente Gueitiro, na sexta feira,  teria anunciado que estavam adiantados os estudos para atender os sete mil participantes excluídos do ES.  Oxalá. A garantia seria a CAPEC. Resta saber como ficam as pensionistas sem Capec e outros detalhes. O relato do Macilene  está no blog do Ari Zanella. Alguns comentários dão conta de que o encontro não agradou. A comitiva do presidente era numerosa e prejudicou sua participação no evento.

O meu blog bombou na semana passada e atingiu mais de trinta mil acessos diários.

E o Internacional venceu o heroico Atlético de MG num jogo eletrizante. Haja coração!

Bom, nesta semana, que hoje inicia sob mil expectativas,  irei para o Rio de Janeiro na quarta feira. Na sexta feira tem reunião do CD da Previ, com extensa e delicada agenda. Vou antes porque tenho importantes reuniões.  Uma delas é para concluir meu exame sobre as demonstrações contabeis e financeiras da Previ referente ao exercício de 2014. Busco inconsistências. Poucos se dedicam a esse trabalho, fundamental em meu entendimento. Mais tarde vão alegar que não sabiam que o fundo estava mal gerido, como aconteceu no Aerus e está acontecendo no Postalis. Eu era perito em balanços no BB antes de passar para o Serviço Jurídico. Adoro contabilidade e matemática. Lembro que uma vez escrevi um artigo sobre as Despesas Secretas da Previ que teve repercussão internacional, com menção em jornais norte americanos e ingleses.

Na semana passada recebi um apelo desesperado da ABRAPP , para que remetesse os últimos exemplares do meu livro No olho do furacão - Conselho Fiscal nas empresas e fundos de pensão. Ele está sendo demandado em virtude do que está ocorrendo nos fundos Postalis, Funcef , Petros e por causa da CPI. Querem que eu atualize urgente a obra, por sinal a única no país, e que realize palestras pelo Brasil afora. Pode ? Depois da casa arrombada querem valorizar a fiscalização.

O tempo não é paciente conosco da melhor idade. A vida passa rapidamente. Temos que vive la intensamente. No ritmo do 4 G, segundo a propaganda que rola por aí. Não podemos aguardar soluções por muito tempo. Quem não entender isso está por fora e pode se quebrar. Não nos interessa o que pode acontecer daqui há cinco anos. Queremos saber o que vai acontecer hoje a noite. Mario Quintana sempre dizia que os grandes problemas estavam nas pequenas coisas.

Esta semana promete !


A CULTURA DO EU NÃO SABIA

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Infelizmente esse mantra pegou: eu não sabia


O Lula usou e abusou do eu não sabia por ocasião do mensalão.  Agora o presidente Mujica, do Uruguai, declara num livro recém lançado que Lula confessou a ele que sabia.

A Dilma, por seu lado, não sabia nada do que se passava na Petrobrás, nada sobre a compra da refinaria de Pasadena, nada sobre as propinas e os desvios. E era a presidente do conselho de administração. Incrível.

Henrique Pizzolato declara que não sabia o que tinha no conteúdo do pacote suspeito nem sabia para quem era endereçado. Impressionante.

A PREVIC alega que não sabia nada do que estava acontecendo no Postalis. Seu sistema de acompanhamento dos fundos de pensão não estava preparado para detectar falcatruas e roubos. Inacreditável.

Essa cultura do não sabia vem minando os alicerces de nossas instituições e contaminando os que lá trabalham. Nada vêm, nada ouvem, nada sabem. E , em razão disso, nada falam. Como os três macaquinhos.

O engraçado da história é que acham que todos rezam pela mesma cartilha. E também acham que alegando que não sabiam ficam isentos de responsabilidade.

Existe um mandamento constitucional que assegura que a ignorância da lei não isenta de culpa.

Por outro lado, existe a obrigação de diligência que todo administrador de bens alheios, todo dirigente ou conselheiro de empresa ou fundo de pensão, tem que cumprir.  Ele não pode ser omisso, displicente ou alienado. Tem que ser diligente. Se não for, será responsabilizado pelos danos ou prejuízos que sua ignorância ou desatenção causou.

Portanto, está mais do que na hora de terminar com esse mantra. Quem está no batente tem que saber o que está acontecendo ao seu redor. Fingir que não ve ou que não sabe merece o nosso repúdio ou a responsabilização civil ou criminal.

 Essa postagem não é de graça. Tem sua razão de ser. É uma advertência, um aviso. Interpretem como tal. Literalmente, sem distorções.

Uma conhecida anedota menciona que um bêbado estava na porta de um bar, quando passou uma procissão. A santa ia num andor todo revestido das cores verde e rosa. Os que conduziam o andor também iam vestidos de verde rosa.

O bêbado gritou: - Olha a Mangueira. Olha a mangueira.

Todos ficaram indignados com a falta de respeito. Acharam que estava confundindo a procissão com a escola de samba da Mangueira. Caíram em cima do bêbado. Foi, então, que a santa bateu no galho comprido de uma mangueira, arvore que estava na rua, caiu e se espatifou toda. Aí viram que o bêbado tinha razão da advertência.

- Olha a CPI .  Vejam o vídeo na orelha do blog. Vale a pena. E´ da novembrada.

    Bom final de semana. A próxima promete.

P A C I Ê N C I A ?

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Alguns me pedem um pouco mais de paciência com o novo presidente da Previ.  Dizem que os protocolares noventa dias, que se costuma dar a um novo dirigente, é pouco, nas atuais circunstâncias. Estaria eu sendo precipitado ou querendo pressionar o presidente Gueitiro ?

Escrevo essa postagem sob forte comoção. Dois colegas batalhadores pelas nossas causas acabaram de falecer. Raul Avellar, que esteve comigo no peladaço na porta da Previ pelo superávit, pertencente ao MSU, e Aldo Alfano, das hostes da AAFBB, ex conselheiro fiscal suplente da Previ. Ademais, daqui há pouco, o Inter joga contra o Atlético Mineiro pela Libertadores. Haja coração !

Essas perdas só demonstram uma coisa: - que a morte é inexorável e sepulta com ela todas as eventuais divergências. O que fica é a lembrança dos bons momentos compartilhados. Quanto ao jogo, a lição é que a disputa pela vitória deve acontecer sem os excessos  da violência, que deve ser repudiada. Os times rivais são adversários, não inimigos.

Eu não sou paciente. Nunca fui. Se fosse não teria feito nem uma quarta parte do que fiz.  Sempre tive comigo que o tempo não perdoa, que é preciso andar depressa sob pena de ser ultrapassado ou perder oportunidades, que a vida precisa ser vivida intensa e celeremente. Eu não fico aguardando soluções nem milagres. Eu vou atrás. Aliás seguindo preceito bíblico. Não deixo para amanhã o que posso fazer hoje. As pessoas quando envelhecem se arrependem principalmente daquilo que deixaram de fazer.

Eu fui eleito e assumi na Previ com divergências acentuadas com relação à gestão da Previ. Algumas delas estão no vídeo ao lado, na aba, do meu discurso na novembrada perante à diretoria da Previ. Vale a pena ouvir de novo. Levei comigo o descontentamento dos meus eleitores, especialmente dos aposentados e pensionistas. Foi uma vitória acachapante. Estabeleci uma programação de atuação na busca de melhorias para os participantes e de correção de algumas anomalias. Como não fui ouvido, em nenhum momento, diálogo zero, sentindo me discriminado  na Previ, minha paciência terminou em fevereiro deste ano, sob a presidência interina do Geovanne, conforme já me referi aqui no blog.

Nesse momento, chegou o novo presidente Gueitiro.  Acenou, de saida, com uma nova política de relacionamento com os participantes e suas associações.  Prometeu ir visitar a AFABB RS em Porto Alegre.  Dei uma segurada em parte do meu projeto. Contive os colegas mais exaltados, que exigiam providências drásticas junto à mídia e a Justiça. Denúncias e demandas foram represadas. Dei toda a força para a visita do Presidente a Porto Alegre, mesmo que tenha sido obrigado a compartilhar a mesma com a AAFBB.

A visita valeu, conforme escrevi numa postagem. Mas ficou uma interrogação a respeito de resultados concretos.  Confesso que tive a nítida sensação de que no dia ou na semana seguinte receberia do Gueitiro notícias do encaminhamento de alguns assuntos mais urgentes e menos complexos. A carta de agradecimento  dele foi lida em assembléia geral da Afabb Rs  realizada no dia 30 de abril e frustrou nossos associados, que a acharam curta e gelada.

A partir daí passei a ser cobrado diariamente por uma avaliação. Afinal, a Previ tinha mudado com o novo presidente ?  As reivindicações de campanha seriam examinadas e as correções feitas ? As melhorias para os participantes aconteceriam ? E por aí afora. E eu sem nenhum sinal positivo.

Hoje aconteceu a primeira sinalização. Recebi convite para aprofundar conversações. Já é alguma coisa. Abriu se uma janela. Não é uma porta, mas já basta para acalmar um pouco minha impaciência. Certamente vou dar mais um tempo. Vou tentar segurar a barra mais um pouco. Mas volto a dizer não estou pressionando nem desafiando ninguém. Eu que fui desafiado a mostrar diferença na Previ e que sou pressionado, com toda a razão, por meus eleitores. E não me importo. Gosto e aceito críticas. Procuro aprender e melhorar com elas. A vida fica bem melhor.

Isto posto, vou agora me preparar para torcer pelo Inter.  Haja coração ! Haja paciência !

CETICISMO E COERÊNCIA

terça-feira, 12 de maio de 2015

Como já tenho dito, a melhor idade é dura e complicada. Melhorei da cervical e da hipertensão, ufa, mas cinco dias seguidos de festas, aniversários de amigos, comemoração na FEB, jantar na AABB e almoço do dia das mães, resultaram em aumento da glicemia e mal estar. É fogo. Arruma de um lado e desarruma do outro. Saudades dos anos anteriores. Mas fazer o que ? Vamos que vamos.


Começa hoje a rodada de negociação oficial sobre a CASSI. Além da Contraf CUT estará nos representando a FAABB, na pessoa de sua presidente Isa Musa Noronha. Os recursos acumulados para solvência do plano de associados acabou. Fala o BB que houve má gestao. Mas o BB não tinha diretores na Cassi ?  Os responsáveis teriam sido só os eleitos ?  Falta coerência nessa história, inclusive na circunstância de que o BB quer lançar a conta só em cima de nós.

Saiu a CPI dos fundos de pensão no Senado. Foi por pouco. Número mínimo. O Governo não queria. Achei uma boa . Torci por ela. Reanimei a senadora gaucha Ana Amélia.  A Previc tem demonstrado pouca eficiencia. A CPI vai mexer com ela também. O caso do Postalis é uma vergonha. Caso de polícia. Houve denúncia criminal contra os gestores.

video


Essa CPI, para mim, é um sinal inequívoco, um divisor de águas. Se os dirigentes da Previ não se derem conta disso vão pagar caro. Na novembrada de 2013 eu adverti os diretores para essa possibilidade. Está gravado. Vou reproduzir de novo a fita. Não acreditaram.  Há poucos dias ouvi de um alto dirigente do BB que a Previ ficaria de fora da CPI porque havia apresentado superavit acumulado. A situação era diferente dos outros fundos. Estava equivocado. Não é essa a leitura correta. Aliás parece que os gestores da Previ vivem num mundo a parte. O relatório de administração do exercício de 2014, que poucos se debruçam para ler, é uma peça surrealista. Confiram. Falta coerência.Reclamei do mesmo na reunião do CD e registrei na ata um documento com as minhas principais inconformidades.

Nessas atuais circunstâncias, pós CPI, a administração da Previ tem que rever sua estratégia e sua atuação. Não é hora de medidas impopulares. Não é hora de mordomias nem de gastos desnecessários.  Não é hora de provocar os participantes. Não é hora de confronta los, como, por exemplo, ocorre na questão da cesta alimentação e do ES. E´ hora de reavaliar posicionamentos, senão o feitiço vai virar contra o feiticeiro. Minha bola de cristal continua funcionando. Creiam. Falta mesmo coerência.

Por isso está aumentando o ceticismo com relação ao desempenho do novo presidente Gueitiro. Só melhorar o relacionamento através do contato físico não é suficiente. Só palavrório não basta. Precisam medidas concretas, não necessitam ser majestosas, mas há necessidade de correção e de melhorias. Com frequencia me perguntam se a visita do Presidente Gueitiro a Porto Alegre resultou em alguma melhoria.  Respondo que até o momento nada de concreto aconteceu. E que estou aguardando até o dia 20. Só consigo conter alguns colegas mais exaltados até essa data. Como aconteceu por ocasião da visita a Porto Alegre, onde segurei a barra. Espero que o Presidente tenha se dado conta disso. Inteligência não lhe falta. A questão é de sensibilidade e coerência. Leitura de cenário e de contexto. Aguardo. Ele visita Goiania dia 15, sexta feira.

Vamos que vamos.

O DIA DA VITÓRIA

domingo, 10 de maio de 2015

A cobra vai fumar.  Ninguém acreditava nisso há setenta anos. Diziam os céticos que era mais viável uma cobra fumar do que o Brasil entrar na guerra contra o nazismo de Hitler. Mas estavam enganados. O exército brasileiro embarcou para lutar na Itália, com cerca de cinco mil pracinhas, comandados pelo General Mascarenhas de Moraes. Para dar apoio financeiro a esse contingente também seguiram para o front 26 corajosos funcionários do Banco do Brasil.


Na sexta feira, 8 de maio,  aconteceu a cerimônia comemorativa do dia da VITÓRIA,  setenta anos da heróica participação da FEB na guerra. Mancharam se de sangue os campos da Itália. Mais de novecentos combatentes brasileiros morreram nas batalhas. Justificaram nosso hino, ou deixar a pátria livre, ou morrer pelo Brasil. Alguns dos sobreviventes, atualmente com idade em torno de noventa anos, estavam presentes na cerimônia. Esses cantaram o hino do expedicionário: por mais terras que eu percorra, não permita Deus que eu morra, sem que eu volte para lá.. Muita emoção.

O Dr. Jorge Krieger de Mello, presidente do CD da AFABB RS , e eu,  presidente da diretoria, fomos condecorados. O Dr. Krieger com a medalha da Vitória e eu com a medalha Marechal  Mascarenhas de Morais. Honrarias concedidas pelo Exército Brasileiro, em reconhecimento de relevantes serviços, que muito nos desvaneceram e que recebemos recordando aqueles 26  bravos colegas do Banco do Brasil que foram para o front apoiar burocrática e financeiramente nossos pracinhas.



Convidei o General Antônio Hamilton Martins Mourão, comandante militar do Sul, descendente de nobre linhagem de generais do exército nacional, para almoçar e debater conosco, na AFABB RS, a atual conjuntura nacional, na qual está inserida a CPI DOS FUNDOS DE PENSÃO. Ele aceitou com
satisfação. É amigo pessoal do Dr. Krieger, que foi o orador oficial do evento, discursando com sua renomada eloquência.
 

Enganam se os que pensam que a guerra terminou. Só que a guerra agora é outra. É contra a corrupção que envenena e contamina nossas instituições. Enganam se os que acham que a cobra não pode voltar a fumar. Tudo tem o seu limite. Estão abusando da nossa tolerância. Estão fazendo pouco de nossa inteligência. Sempre houve roubalheira. Mas agora está demais. Perderam completamente o pudor. Em boa hora foi instituída no Senado a CPI dos fundos de pensão. Eu me empenhei junto à senadora gaucha Ana Amélia para que ela não esmorecesse. Vamos torcer que funcione e que apresente resultados concretos. Não pode e não deve virar pizza. Nosso futuro está em jogo.

Cuidado com a cobra. Ela pode fumar de novo.

Parabéns para a FEB. Parabéns para todos os combatentes, valorosos pracinhas. Parabéns ao exército brasileiro por data tão significativa, O DIA DA VITÓRIA.  Parabéns a todos os agraciados com as medalhas. Essa data reverencia sobretudo a coragem.

RUMO À VITÓRIA. SIM, NÓS PODEMOS.

Vamos que vamos.