DAR A CADA UM O QUE É SEU

segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Hoje as 14-30 participarei da reunião virtual, on line, da diretoria da AFABB RS, da qual sou consultor jurídico, quando irei pedir que nossa associação reivindique junto a Previ melhorias no ÉS.


Vou também pedir ao presidente Cláudio Lahorgue que interceda junto a FEABB , da qual é vice presidente, para que faça o mesmo.

É a minha contribuição para a solução ou equacionamento da matéria. Já tomei outras providências, falando com diretores da Previ, porém de outras áreas, que me prometeram agir.

Apesar da descrença de infiltrados, como tenho mostrado na publicação de alguns comentários, eu faço sempre o que posso pelos menos afortunados.

Isso acontece numa semana muito atribulada é muito especial para mim, que preciso registrar para os que são meus amigos verdadeiros.

Minha neta Luíza se formou em Direito no sábado. A formatura infelizmente foi virtual, on line, apenas com a presença dos formandos. Uma pena pois eu iria entregar o diploma para ela na condição de advogado.

A minha neta foi o primeiro lugar no vestibular da PUC e recebeu a láurea acadêmica pelas notas excelentes que tirou durante todo o curso. Ela era estagiária de um escritório famoso que se apressou a efetiva-la. Mas ela já vem recebendo propostas de São Paulo e de Brasilia e até do exterior.

Sim, sábado foi um dia de grande emoção para mim. Sessenta anos depois de minha formatura, minha neta me dá essa grande alegria, que nem a pandemia pode ofuscar.

Dei para ela o mesmo conselho que meu avô, desembargador, me deu.

Exercer o Direito dando a cada um o que é seu.

Foi o que fiz e continuo fazendo em toda a minha vida profissional.

FERVEU O CALDEIRÃO

sábado, 16 de janeiro de 2021

E como ferveu !


O presidente do BB, Brandão, está cai não cai, depois de largar o pacote com fechamento de trezentas agências e demissão para cinco mil funcionários, apequenando nossa instituição. Bolsonaro reagiu e Paulo Guedes ainda resiste contra a saída. Vamos ver como fica.

O mercado não gostou e as ações do BB tiveram queda expressiva. Aliás o Ibovespa caiu ontem 2,5 por cento.

Nosso reajuste foi de quase 4,5 por cento, seguindo o reajuste oficial. O imposto de renda comeu uma boa parte. 

A Cassi estabeleceu novos critérios para os medicamentos. Acabou com os convênios e volta a forma de ressarcimento.

A Ford fechou suas fábricas e a economia sofre com isso.

O COVID 19 está recrudescendo numa segunda onda bastante violenta e Manaus sufoca com a falta de oxigênio. No Rio as Utis estão lotadas de novo.

E a novela da vacina demonstra a fragilidade do governo. Neste cenário, abriga entre Doria e Bolsonaro revela um bastidor político nocivo e perturbador. Quero a vacina, sim. O quanto antes.

Então, o caldeirão ferveu ou não neste início de 2021 ?

PRIORIDADES DO ANO: SAÚDE E TEMPO

segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

Já decorreram dez dias de 2021.. Poderia falar da venda de imóveis por parte do BB, mais de mil, com preços abaixo da avaliação, da reorganização e readequação administrativa do BB, com fechamento de agências e demissão,  Poderia falar do recorde da bolsa que atingiu 125.000 pontos. Poderia falar da Cassi, com reajustes e novos critérios. Do nosso reajuste, que sai esta semana. Mas não.


Estabelecer metas e fazer planos é algo que sempre fiz. As vezes não dão muito certo como ocorreu no ano passado, quando os acontecimentos e a vida nos atrapalham.

Uma das metas é sobre o blog. Vou prosseguir ou encerrar ?  Faço essa pergunta há doze anos.

Para mim em 2021 tenho que dar prioridade máxima a saúde. O COVID. 19 continua assustando. Pegou gente da família, vitimou amigos e colegas. A melhor fórmula de defesa é estar bem de saúde, com a imunidade alta, com as taxas de glicose, colesterol, creatinina, etc, bem comportadas. Não podemos facilitar. Estamos na linha de frente, qualquer erro ou vacilo será fatal.

O segundo bem mais precioso a ser dada prioridade é para o tempo. Com 82 anos, não tenho mais direito de desperdiçar tempo. O tempo passa inexoravelmente. Não perdoa. No dizer de Leandro Karnal é um bem infungivel. Temos que decidir o que fazer com ele. Com o que vamos gastar o tempo. E é aí que entra o blog. Será uma perda de tempo ?  Um prazer ou um aborrecimento ?  Tem utilidade ainda ?

Apesar de críticas dos infiltrados, o blog tem comprovado sua utilidade. Na eleição para a Cassi o apoio ao Flesch foi decisivo para sua apertada vitória. Conseguimos conscientizar a Cooperforte a abrandar medidas. Temos esclarecidos dúvidas de diversos colegas. Damos dicas para investimentos. Cuidamos dos endividados. Tem diversos colegas que participam dos comentários que são experts.

Então enquanto for de utilidade, enquanto ajudar os amigos e incomodar os adversários o blog do Medeiros continua.

E tenho dito. Vamos que vamos.

VIDA QUE SEGUE

terça-feira, 5 de janeiro de 2021

Então estamos em 2021. E o ano inicia com perda de um primo irmão. Estava compneumonia no hospital há quinze dias. Era mais moço que eu. Na faixa dos setenta.


Ele era cardíaco e sempre teve excesso de peso. Numa ocasião tivemos o mesmo médico.

Mas a vida segue.

O ano inicia com algumas interrogações. A vacina vai funcionar ? 

Temos que continuar o isolamento ?

Quanto será o reajuste dos nossos benefícios?

Vale a pena investir na poupança?

Como será que a economia vai se portar ?

O que mais desejo é que a ciência derrote a pandemia para a acontecer a volta do abraço.

Que 2021 seja o ano da volta do abraço.


FIM DO ANO 2020

sexta-feira, 25 de dezembro de 2020

Passado o Natal, o fim do ano se aproxima.


O ano 2020 vai fazer história. O ano da pandemia do COVID 19, o ano atípico, o ano do medo, o ano da máscara e do distanciamento e isolamento social e familiar.

Para alguns um ano terrível, de perdas, de sofrimento em hospitais, de angústias.

Eu sempreavalio o ano que passa. Sempre. Sob três aspectos, saúde, finanças, e paz. Para mim paz significa tranquilidade, dormir bem, não ter perturbações e aborrecimentos. 

Claro que existem outros aspectos, mas eu me detenho nesses três.

Chego bem de saúde até aqui. Salvo uma gripe forte  com jeito de COVID, nada de anormal. Então o ano foi bom. Continuo cuidando de minha diabetes, de minha hipertensão, hiperplasia da próstata , glaucoma, labirintite e dores na coluna cervical e lombar. Mas não fui afetado por doenças graves, como aconteceu com diversos colegas e amigos de minha faixa de idade.

Financeiramente, o ano foi muito bom, apesar do susto na bolsa, da recessão e dos problemas no comércio e indústria, especialmente no turismo. Todos sabem que eu sempre recomendo comprar ações na baixa e vender na alta. Quando a bolsa caiu em março e abril eu avisei no blog que era hora de comprar e fui além ao mencionar que os analistas projetavam o Ibovespa no final de 2020 a 120.000 pontos. Poisfoi o que aconteceu. 

Tenho recebido felicitações de natal de colegas agradecidos pelas dicas. Houve quem lucrou mais de cem por cento. Aplicações em ações tradicionaIs e em ações da Azul e Gol duplicaram de preço.

A atividade profissional foi bem durante o ano com o pagamento de várias ações e a conclusão de inventários. Alguns processos desencalharam depois de anos. Isso tudo mesmo com a paralisação do Judiciário e o atendimento virtual. Foi um ano com superávit.

Por último, sobre a paz, foi um ano perturbado, pois o medo esteve sempre presente no trabalho, no lazer, na vida familiar, nas viagens, no cancelamento de eventos, festas, formaturas, casamentos, bem como pelo sentimento com a perda de amigos e familiares.

Viagens ? Apesar das restrições da pandemia fiz várias viagens de lazer. Em maio fui a. Sc no recanto dos cânions, em agosto a Gramado no lago negro, em setembro ao Alagoas, Maragogi e São Miguel dos Milagres, em outubro a Caldas de Imperatriz em SC, em novembro a Bento Gonçalves no Vale dos Vinhedos e agora em dezembro a PortoBelo em Sc. Mas perdi um cruzeiro pelo Alaska, que foi cancelado, é uma viagem ao Canadá.

Mas cada ano com suas mazelas e suas maravilhas. Temos que viver o momento presente, procurar agradecer, não se lamentar muito e olhar para a frente.

Gratidão a 2020. Na parte boa. Repulsa pela parte ruim. Esperanças renovadas e redobradas para 2021.Com a graça e proteção de Deus, de minha padroeira e de meus Santos.

O NATAL NA PANDEMIA

terça-feira, 22 de dezembro de 2020

E não é que então chegou o Natal em plena pandemia ... E com o Natal o Ano Novo se aproxima, logo ali, dobrando a esquina.


O Natal deste ano é realmente atípico. Ao menos para mim. Eu não quero presentes, quero saúde, quero me ver livre. É longe dessa pandemia que tem feito sofrer muitos colegas e amigos, inclusive levando os ao hospital e alguns ao cemitério.

Mas este Natal tem sabor de sobrevivência, de chegada, de não morrer na praia.

Muitos passaram por sustos e sufocos, por dificuldades financeiras, por perdas, mas chegaram ao Natal.

E acho que apesar de tudo temos que festejar. Sem aglomeração, com cautelas, mas temos que festejar.

No princípio do ano a Cassi estava na UTI. Não está mais. Tem problemas, tem dificuldades, mas está superando seu desequilíbrio financeiro, com nosso sacrifício e ajuda.

A Previ em março estava com déficit de mais de vinte bilhões de reais e agora parece que vai fechar o exercício com o déficit zerado  o que significa que não teremos que contribuir para o equacionamento.

E assim caminha a humanidade. Tivemos a ameaça do COVID 19 o tempo todo. Eu acho que tive, apesar do teste negativo. Tomei a ivermectina e a azitromicina. Uma semana de tratamento e me curei.

O Natal é uma data que traduz uma mensagem sobretudo de esperança. 

Temos um novo mundo pela frente, gente. Vamos valorizar cada momento, cada despertar. Vamos declarar nosso amor a vida é a todas as pessoas que convivem conosco. Dizem que ingressamos não era de aquário, uma era de amor e solidariedade.

Faço votos de que todas e todos passem um Natal com paz, harmonia, luz e sobretudo com muita saúde.

Vamos em frente, sempre.

FELIZ NATAL

VÍDEO CONFERÊNCIA DA CASSI

sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

Tentei de tudo quanto foi jeito ingressar na vídeo da Cassi, mas infelizmente não consegui.


Vou fazer um relato naquilo que me foi transmitido.

Participaram osdiretores Satoru e Flesch, eleitos.

Apresentaram os números da Cassi e alegaram que, apesar desucessivos superávits mensais e dos aportes por parte do banco a Cassi não alcançou o equilíbrio econômico, necessário para que possa respirar com mais tranquilidade e apresentar melhorias para os associados.

Esse tal de equilíbrio, se tudo der certo, seria alcançado em 2022. Oxalá.

Nesse ínterim se torna necessário reduzir custos e equacionar racionalmente a gestão administrativa. Varias opções estão em andamento.

Uma delas é a substituição do plano Cassi Família, que se tornou caro e fez milhares saírem, por outro plano mais barato, que está em gestação. Vai oferecer menos, mas será acessível aos familiares do associado.

No atual momento não se cogita de reduzir o custo da co participação. Seria fator de desequilíbrio.

Parece que o regime de livre escolha está com seus dias contados. Tudo terá que passar pelo crivo do setor médico da Cassi. Não gostei. Minha experiência ao utilizar a Cassi não tem sido satisfatória.

A Cassi não é minha especialidade.  Tem muita gente entendida. Vou deixar para esses colegas comentarem os aspectos que considerem importante.

Sei que a entidade não pode ser deficitária. Mas já está pesando demais em nosso orçamento. O pessoal do Cassi Família não aguentou e debandou. Consta que cerca de vinte mil saíram. Pode acontecer em nosso plano de associados também. 

Que saudades da nossa antiga Cassi !  Lamento a nostalgia, mas tinha um carinho especial pela Cassi. Hoje tenho desconfiança.

Perdoem o pessimismo.