PREJUÍZOS E PRISÕES NOS FUNDOS DE PENSÃO

sábado, 25 de junho de 2016

Demorou mas chegou nos fundos de pensão a ação do MPF e da Justiça Federal. Sete prisões foram anunciadas ontem, três já concretizadas, de dirigentes da Petros e do Postalis, por desvios de recursos.  E parece que vem mais por aí. O Janot teria constituído uma força tarefa só para cuidar dos fundos estatais. Petros, Postalis, Previ e Funcef estão na mira, segundo a mídia.


Para aqueles que nunca acreditaram em minhas previsões, e não é atoa que me chamam de bruxo, vale a pena conferir o que vai acontecer na Petros. Os 16 bilhões de déficit serão cobertos meio a meio com os participantes, cerca de 76.000, o que dará , em 18 anos, cerca de cinco mil reais por ano, correspondendo a cada um um total de cem mil reais. É pouco ?  Não, não é. Aguardem, vem mais.

Tem novidades no Banco do Brasil, segundo a coluna do Moreno, no Globo. Paulo Caffarelli está escolhendo quais os vice presidentes que irão sair. Cogita o colunista, que , no mínimo, serão tres. O de Governo, de Tecnologia e Agro Negócio. Breve saberei. Estou acompanhando de perto. Nos interessa muito. Afinal o banco tem papel relevante na Previ e na Cassi.

E o nosso ilustre colega Paulo Bernardo, hem ?  Preso, de algemas, envolvido em esquemas .  Que feio !  E a sua linda esposa senadora Gleici , tão atuante na defesa de Dilma, com que autoridade fica ?  Que coisa !

São meditacoes numa manhã de sábado após ler jornais.

O dia finalmente nasceu com sol radioso. Deixa a gente mais alegre e esperançoso.

Esperamos que tudo melhore. E que Deus faça a sua parte também. Fá-lo-á ?  Até eu estou aprendendo a usar a mesóclise. Lembro de Janio, fi-lo porque qui-lo. Era professor de português.

Então tá. Bom final de semana para todas e todos.

O QUE SERÁ ?

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Na poderosa voz de Simone a música fica mais instigante.

"O que não tem vergonha nem nunca terá
O que não tem governo nem nunca terá
O que não tem juízo..."

O que será que vai acontecer com o nosso país?



Temos que reinventar o nosso modelo. Assim como está não dá.

Rio de Janeiro em estado de calamidade falimentar na véspera da Olimpíadas.  O Rio Grande do Sul sem segurança publica e sem dinheiro para pagar seu funcionalismo. Temer sem credibilidade e sem apoio popular. Escândalo atrás de escândalo.

Nesse cenário e nesse clima hoje e amanhã vai a plenário a votação sobre o projeto de lei 268 que muda a legislação dos fundos de pensão.

Fiz o que pude junto a quem tem poder de decisão. Tive bom sucesso junto ao PMDB, reunido na Capital. Bons contatos na sexta. Não tive êxito foi na mídia. A Zero Hora não publicou meu artigo intitulado Em Defesa dos Fundos de Pensão.  Achou corporativista. Paciência. Mas acho que a nossa posição paritária na gestão dos fundos estatais tem boas chances na Câmara.

Estou indo para o Rio quarta a fim de participar da reunião do Delib na sexta. Faltei à reunião de maio. Ia me operar mas a cirurgia terminou não acontecendo. Primeiro tentarei o tratamento clínico para reduzir a próstata que está com 85 gramas. Parece que faz um século que não viajo ao Rio.

Vão participar da reunião os novos eleitos. Vou apreensivo. O diretor Decio, por motivo de saúde,renunciou. Haverá eleição para seu substituto. Muito ruído nos bastidores.  Precisamos de paz. Sobretudo. Sou otimista, como sempre.

Mas nem o clima atmosférico ajuda. Nunca fez tanto frio nessa época. E o inverno recém está começando. Vejo no Google que a máxima do Rio na quarta será de 22 graus. Pode ?  E o nevoeiro de ontem ?  E a derrota do Inter para o Figueira de Rafael Moura ? Que coisa !

O que será que vai acontecer conosco ?

Como será o amanhã ?

RENUNCIA DIRETOR DE PLANEJAMENTO DA PREVI

quinta-feira, 16 de junho de 2016

O projeto de lei 268, oriundo do Senado, ia ser votado nesta semana. Não vai mais. Ficou para segunda feira. A mobilização funcionou.


Vão ser apresentados vários substitutivos alterando regras do projeto.

Alguns colegas trabalharam debaixo dos refletores e fizeram questão de aparecer. Mais tarde podem se apresentar em novas disputas eleitorais como salvadores da pátria.  Nada contra. Cada um age do seu jeito e com os seus próprios interesses.

Eu preferi os bastidores, como tenho feito ultimamente.

Fui direto no centro do poder, em quem tem atualmente condições de mudar ou alterar o rumo das coisas.  Recebi sinais claros de que minhas principais reivindicações a respeito da paridade e da força do quadro social serão atendidas.

Agora vou aguardar. O mar está revolto. Brasília ferve com as revelações sobre as propinas e a corrupção. Todo mundo envolvido. Um mar de lama.

Neste cenário, fomos surpreendidos por pedido de renúncia do diretor de planejamento da Previ, Decio Botecchia, sob alegação de motivo de saúde. Será lançada eleição de seu substituto em breve.

Então nos resta rezar para um milagre brasileiro. Tite na seleção já é um bom sinal.  Palmeiras e Inter de líderes também.

Álea jacta est.

STRESS DEMAIS, PROJETO 268 VAI SER VOTADO NESTA SEMANA

segunda-feira, 13 de junho de 2016


Li que o brasileiro anda estressado demais.  

Ana Maria Rossi escreveu que basta andar na rua para perceber que o nível de estresse negativo está em alta. Observam-se pessoas com expressão tensa, impacientes e muitas vezes agressivas.

Os motivos são variados. Mas o fator mais estressante é a incerteza com relação ao futuro.  A crise atual pegou fundo, com o desemprego, o enxugamento das empresas, a corrupção, os problemas financeiros, o endividamento, a instabilidade política. O PIB per capita recuou cinco anos.

O stress  afeta a saúde, com certeza.  Nunca se vendeu tanto anti depressivo. Uma pesquisa revelou que 88% dos entrevistados têm dores musculares, 89% estão ansiosos e 63% estão consumindo álcool como forma de anestesiar o sofrimento. Alarmante.

E nós, aposentados e pensionistas do Banco do Brasil, como nos situamos dentro desse cenário ?

Também estamos inseguros com relação ao nosso futuro.  Nuvens negras rondam o nosso fundo de pensão e a CASSI. Um pessimismo cruel começa a tomar conta de nosso mundinho.

Depois de entrarem em nosso jardim, agora começaram a invadir a nossa Casa.

Nós queríamos acabar com o voto de minerva a favor do patrocinador e eles, em revide, querem acabar com a paridade na gestão ,  uma conquista histórica, mediante projeto de lei 268, obrigando-me a falar com alguns caciques como o Padilha e o Aécio Neves, além de deputados e senadores, bem como a imprensa, para esclarecer nossos anseios. 

Falando na mídia, uma notícia bomba foi divulgada neste final de semana na TV, a de que a Invepar não tinha pago uma parcela de um bilhão no aeroporto de Guarulhos. Será verdade ?  Aguardo manifestação da Previ.

Assim de sobressalto em sobressalto nosso stress vai aumentando e nossa tranquilidade pós laboral vai pro brejo. Hoje é dia de Santo Antonio, o santo que ajuda a encontrar as coisas perdidas e os caminhos certos. Valei-me Santo Antonio !

Para compensar as aflições e derrota pífia do Brasil para o Peru,  o meu Internacional lidera o campeonato nacional. Dá pra acreditar ? 

Xô stress !




PROJETO DE LEI 268 E O DIA DOS NAMORADOS

sábado, 11 de junho de 2016

A minha contribuição maior nessa questão do projeto de lei complementar 268 foi a de tentar sensibilizar o homem mais forte do Governo transitório, o ministro Padilha, gaúcho, de que o mesmo precisava ser aperfeiçoado e corrigido, com relação aos eleitos na gestão dos fundos de pensão, a fim de que conquistas históricas não fossem jogadas fora justamente numa fase de transição.


A minha ideia é que o Ministro Padilha convencesse Temer dessas imperfeições que resultariam num projeto aleijão e que inclusive provocaria ainda mais desgaste ao Governo Transitório.



Acho que fui bem sucedido na empreitada. Temer já acenou com mudanças e afrouxamento. O projeto vai à votação na próxima semana já com vários substitutivos e emendas. Vamos continuar acompanhando e entrando em contato com os deputados gaúchos. A Afabb RS está atenta e fazendo o dever de casa. Os sindicatos se mexeram e fizeram uma mobilização geral pelas redes, que tem funcionado. Colegas tem despertado de seu estupor e finalmente levantaram do sofá, ao que parece.


Antes disso, porém, acontece o dia dos namorados, nesse domingo, dia 12 de junho. O comércio está animado. O amor está no ar. Gramado está nevando e os hotéis estão lotados. Crise ?  Que crise ?

O dia dos namorados me faz pensar em coisas boas, emoções fortes, sentimentos prazerosos, desperta meu espírito romântico e certamente, por alguns instantes, me faz esquecer as agruras do cotidiano, com problemas de saúde e com as notícias diárias da corrupção, dos desastres e dos estupros coletivos.

Então é momento de amor, paixão ainda, carinho e compreensão. 

Há poucos dias festejei 53 anos de casamento com a minha Ana. Sim falei 53 anos. No dia 24 de maio, dia de Nossa Senhora Auxiliadora. Aos quais devem ser acrescidos mais cinco anos de namoro. Naquele tempo se namorava bastante antes de casar e não existia essa história de ficar, tão comum nos dias de hoje.

Não costumo festejar o dia dos namorados porque para mim essa data não existe, eis que sou um eterno e permanente enamorado da minha Ana.

Pensando assim é que desejo que o projeto de lei 268 em gestação no Congresso seja estruturado em bases tão sólidas como aconteceu com meu namoro há 58 anos.

Desculpem, mas o amor está no ar !  Parabéns a todos os namorados !  Bom final de semana !


BAGUNÇOU GERAL

quinta-feira, 9 de junho de 2016

O caos se instalou no Brasil. Bagunçou geral.


O japonês símbolo da Lava Jato, responsável por prender os acusados, foi , por sua vez, preso por ajudar contrabandistas e pode ser expulso da PF.

O PGU pediu a prisão preventiva de um ex presidente da República e do presidente do Senado. Já pensaram no Sarney de tornozeleira e no Renan preso ?

Juízes do Paraná entraram com ações judiciais de indenização contra jornalistas por matéria que analisou os proventos da magistratura acima do teto legal e o STJ determinou que o julgamento dos feitos deve ocorrer no próprio Estado. Pode ?

A taxa básica dos juros foi mantida nas alturas, 14,5 por cento, a inflação está em alta, o desemprego bate recorde, lojas e fábricas fecham a todo instante, e, nesse cenário, a bolsa sobe, o dólar baixa. Samba de crioulo doido.

Na primeira pesquisa Temer tem mais rejeição, 40 %.do que aprovação, 35%. Pior até do que a Dilma, e mesmo assim insiste em cometer erros e equívocos, como manter o seu Ministro do Turismo e querer mudar as regras dos fundos de pensão, além de conceder aumentos seletivos. . Desperta, homem !

O processo de cassação de Cunha se arrasta infinitamente. Seu substituto não consegue ou não tem condições de presidir as sessões da Câmara.

A nível internacional o Brasil foi chamado de campeão de corrupção e seis empresas brasileiras são alvos de ações coletivas nos EEUU. A Caixa foi rebaixada em nota de crédito. Fala se em fusão com o Banco do Brasil.


Em caso de eleição Lula ainda está na frente, embora ontem, desgastado fisicamente e sem energia, tenha declarado não ser candidato. Ressurge Marina, cada vez mais misteriosa e rejeitada?

O Banco do Brasil tem sido muito citado como cúmplice, junto com o BNDES, nas operações denominadas como pedaladas fiscais, que são a base das irregularidades que comprometem Dilma no impeachment. Comentam senadores que podem chamar o presidente do BB para depor , a fim de esclarecer se foi pressionado ou não pelo Governo.

Aqui em Porto Alegre uma moradora de rua assalta o prédio sede da segurança estadual e furta computador e outros equipamentos importantes. Cadê a segurança ?

Eu só tenho uma dúvida a respeito da perfeição de Deus como Criador. É que ele tenha inserido a glândula prostática no lugar onde ela está, obrigando a um exame tão constrangedor e a uma cirurgia tão emblemática quanto arriscada para atividades básicas e prazerosas do homem, deixando a gente temerosa. Falei TEMERosa.

Assim não dá. E tem mais, em nosso mundinho.. Mas cala-te boca. Bagunçou geral. É o caos. MEU DEUS !  

MUDANÇA NA LEGISLAÇÃO DOS FUNDOS DE PENSAO

terça-feira, 7 de junho de 2016

Aproveitando os momentos que estou vivendo, às voltas com problemas de saúde decorrentes do envelhecimento, tenho feito algumas insinuações com relação a crise política e institucional estabelecida atualmente no país, com o impeachment provisório da Dilma e o Governo transitório do Temer.


Para mim estamos, ambos, o país e eu, numa encruzilhada e numa fase de transição. Estamos numa travessia.  Temos que escolher rumos, prioridades, e adotar providências adequadas e compatíveis com os graves problemas da crise.

A definição a respeito do impeachment será no dia 16 de agosto. Faltam só dois meses. Pouco tempo. Aliás o mesmo período que eu tenho para decidir pela cirurgia ou não.

Assim sendo não consigo entender a lógica do Temer tentando tomar medidas de caráter definitivo antes de ser decidida a situação da Dilma.

Uma dessas questões absurdas no momento é a de exigir a aprovação no Congresso do projeto de lei aprovado no Senado que muda a legislação dos fundos de pensão e restringe a eleição de representantes dos associados para cargos de direção.

Por que isso ?  Qual a real finalidade ?  Querem maior ingerência política nos fundos de pensão ?  Querem mais cargos para distribuir aos afilhados ?  Querem meter a mão em novas propinas ?

A pressa na aprovação do indigitado projeto de lei já cheira mal e agora a pressão colocada por Temer de que só nomeia novos dirigentes de estatais após aprovação do mesmo o fedor ficou ainda mais forte.

Para mim a legislação do sistema de previdência complementar precisa ser aperfeiçoada, sim, mas não de afogadilho. Existem pontos importantíssimos a serem atacados, como a fiscalização, a responsabilidade, a transparência e a comunicação.

Duvidar de que os quadros do Banco do Brasil não possuem gestores capacitados para administrar devidamente seu fundo de pensão chega a ser um desaforo.

Uma senadora, porém, me alegou que o atual presidente da Previ teria declarado ao assumir o cargo que era neófito em fundos de pensão, que nunca tinha tido nenhuma experiência na área e que por isso não estaria contaminado por eventuais vícios do sistema. Não sei, não me lembro. Mas ela falou nisso como um tiro no pé, ainda mais que o resultado da Previ foi deficitário no exercício.

Entretanto, acho que o Temer pisou, mais uma vez,  na bola. Deste jeito, com tantos equívocos iniciais, não vai longe e a Dilma volta ao poderpara pagar cinco mil reais pelo seu corte de cabelo, lançando o país, em más condições, com imenso desemprego e contas para pagar,  no bloco cirúrgico.

MEU DEUS !