QUE VERGONHA ! ROMBO NA CASSI ?

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Nos domingos circula na TV em horário mega nobre uma propaganda partidária que fala na venda de empresas estatais e até da Casa da Moeda. Que vergonha ! - exclama o apresentador nessa altura.


A última notícia sobre a privatização do Banco do Brasil dá conta de que o Banco seria vendido para fundos de pensão estrangeiros que investem ou querem investir no país. Que vergonha ! O BB fechou mais setenta agências no Nordeste, deixando clientes desesperados. Sinal de privatização iminente ?  Que vergonha !

Existe uma clara diferença entre privatização, para desafogar a máquina pública, e desnacionalização, entrega do que é nosso, nossas riquezas, para os estrangeiros, como ocorre, por exemplo, com a Petrobras, que mantém refinarias ociosas e deixa a Schell importar óleo.  Mas que vergonha !

Estamos, sim, numa encruzilhada.  Numa arapuca bem complicada de escapar. E temos que estar atentos para o que está acontecendo aqui e no mundo.

As conferências de saúde da Cassi no Rio e em São Paulo tiveram bom comparecimento e trouxeram importantes revelações, aliás constatações daquilo que já se esperava. Mesmo com o acréscimo mensal de quarenta milhões, as receitas da Cassi não cobrem os custos médicos e hospitalares.

Aguarda se para este mês as conclusões e sugestões da consultoria contratada para emitir parecer sobre a CASSI.

Na situação em que se encontra a Cassi está exposta perante a ANS.  Eu não acredito em intervenção, coisa que alguns alarmistas ou terroristas falam nas redes, porque a Cassi tem um plano de contingência e recuperação .

Eu considero a Cassi vital.  Eu não utilizo a Cassi para pequenas despesas médicas e farmacêuticas. É a minha forma de aumentar a minha contribuição. Mas desde o ano passado estou usando a Cassi, para mim e minha esposa, em cirurgias e procedimentos exigidos pela idade avançada e comecei a gastar o capital que acumulei lá durante cinquenta e mais anos. Sem a Cassi eu ficaria muito mal, assim como vários colegas aposentados e pensionistas submetidos a exames e tratamentos muito caros.

Os que assistiram às conferências, a do Rio bem relatada no blog do Adaí, referem que a situação difícil é perfeitamente descrita, mas as soluções para resolver os problemas ficam no ar.

Estou preocupado, como disse, e estou elaborando um protesto judicial para me defender caso se enverede por novos rumos para a Cassi que colida com nossos direitos e conquistas. Quero dormir sossegado.

O QUE SOMOS HOJE ?

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Como eu falei na postagem anterior a nossa vida anda complicada.  A tecnologia galopante atual em vez de simplificar tornou mais complicada a nossa existência.  Antes era mais simples viver.


Por exemplo, antigamente não existia nenhuma confusão a respeito de nossa situação laboral. Ou éramos funcionários da ativa ou aposentados. Simples assim.

Em algumas agências até existiam caixas especiais para aposentados do Banco do Brasil.  E nós tínhamos orgulho de ir para a fila dessas caixas ostentando nosso título, aposentado do BB, onde ficávamos conversando com colegas e trocando casos e episódios vividos na instituição.

E hoje o que somos ?

Aposentados, assistidos ou pós laborais ?

Esse epíteto de pós laboral, surgido há pouco tempo, quando dos debates da Cassi, me incomoda muito.  Aposentadoria, para mim, era uma conquista. Pôs laboral é um demérito, uma pessoa que deixou de trabalhar, um pós trabalho.

Além disso existem implicações jurídicas e trabalhistas. Uma coisa é ser pôs laboral, outra é ser assistido ou aposentado.

Aliás o termo assistido também me incomoda. Antes éramos associados da Previ, participantes, donos do nosso fundo de pensão. De repente viramos assistidos, que dá uma conotação de ajudado.

Outro dia perdi a compostura. Desculpem. Ando nervoso. Coisa da idade. Mas reagi feio quando  um colega da ativa me chamou de pós laboral. Respondi que pós laboral era a vovozinha. Depois me desculpei

Também não gosto do tal do FQM do nosso ÉS. Fundo de Quitação por Morte. Cruz credo. A Cooperforte usa uma expressão mais suave em seus empréstimos.

Sim , vamos simplificar a nossa vida e torna lá mais agradável .Eu sou aposentado do BB, não sou pós laboral. E tenho dito.

COMPLICADO, AGORA É AVANÇAR

sábado, 11 de novembro de 2017

A vida anda complicada. O Brasil também está complicado. A economia idem. Tudo se reflete em nós simples mortais.


Os últimos acontecimentos complicaram tudo.  A bolsa caiu de 77.000 para 72.000 pontos. Algumas ações desabaram, como é o caso do Banco do Brasil, que, numa semana, caiu de R$ 37,00 para R$ 31,00. 

Existem dúvidas a respeito da reforma da Previdência. Sairá este ano ? O governo perdeu apoio no Congresso. O PSDB quer deixar a base do Governo, desistir dos Ministérios que ocupa. Fala se em reforma ministerial.

Temer lança um novo programa intitulado Agora é avançar. Avançar em que ?  Avançar aonde ? Sobrou o que ?

Alguns colegas estão preocupados com a proposição apresentada no COnselho de Previdência de criação de um comitê de auditoria para  fiscalizar os investimentos dos fundos de pensão , integrado por profissionais do mercado. Está parecendo infiltração nos fundos.  A Anapar reagiu.

No caso da Previ existem diversas esferas fiscalizatórias.  Tem a auditoria externa, a auditoria interna, o conselho fiscal, o comitê de controles internos, a Previc, o tribunal de contas, enfim, um imenso sistema de fiscalização. 

Tem quem nas redes colocou essa proposta como mais uma ameaça que ronda a Previ. Será ? 






SETE DE NOVEMBRO, DIA DA RAINHA

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Para mim esta é uma data sagrada, uma data super especial, e faço questão de registrar, todos os anos.


Desculpem os que não gostam que eu fale de assuntos pessoais. Queriam

notícias do ÉS. Não tive condições de atende los. Elas podem ser vistas no site da Previ.

HOJE É O DIA DA RAINHA, O DIA DA ANA.


Há 74 anos nascia em Uruguaiana com sete meses, pequenininha, a Ana Maria. Parecia que não ia sobreviver. Foi para a incubadeira. Depois foi crescendo, crescendo, em todos os sentidos. De um botão virou uma linda Flôr.

No aniversário de quinze anos dancei a valsa com ela, fascinação, sonhos mais lindossonhei, e desde esse momento me apaixonei por ela. Faz 59 anos. Parece que foi ontem.

Era uma princesa quando casou comigo há 54 anos. Virou a rainha do lar e de meus quatro filhos. Hoje se questiona o papel da mulher que se dedica exclusivamente ao lar e a família, não contribuindo financeiramente para o sustento dela e dos filhos. Acho uma injustiça com aquelas que se dedicaram exclusivamente ao marido e aos filhos, e na sobra para obras sociais, como o Rotary.

Como eu poderia ter me deslocado de Uruguaiana para Porto Alegre em 1975, com os quatro filhos no colégio, mais um cachorro policial, sem a extrema dedicação da Ana ?  Graças a ela pude enfrentar o desafio de passar de advogado do BB para diretor de um banco de desenvolvimento, o
BADESUL.

Por isso, em homenagem a ela e a minha mãe, luto por uma pensão de cem por cento, e acho uma njustiça elas receberem sessenta por cento apenas, pois merecem mais.

Sao muitas as recordações desses anos, enfrentados juntos, perfeitamente sintonizados.

A rainha exerceu seu reinado e assumiu seu papel com dignidade e firmeza. É a soberana de um reino conquistado com muito amor.

Ana, te amo de paixão. Rainha do meu coração.



O QUE NOS ESPERA EM NOVEMBRO

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Passou Outubro aos solavancos.  Caiu a denúncia contra Temer deixando sequelas. Temer temeu tanto que foi parar no hospital com retenção urinária. Fez procedimento. Saiu avariado. Não será mais o mesmo. Sobreviverão novas crises. Credo. Pobre de nos. Coitada da Marcela.


O Brasil também está doente. Todos sabemos. Havia luz no fim do túnel. Sinais de que estava saindo da recessão e de crescimento econômico. A bolsa batendo recordes. Chegou ao patamar inacreditável de 77000 pontos. A Previ alcançou resultado excelente em setembro. Um ganho de três bilhões de reais. O superavit acumulado do ano em torno de sete bilhões. Esperanças se renovaram de que o déficits de treze bi pudesse ser zerado.

Chegou novembro , porem, com maus presságios. Nuvens negras no horizonte. Depois de quatro meses de lucros começou um processo de realização de lucros na bolsa, que caiu para 74000 pontos. As ações do Banco do Brasil descambaram de 37,00 para 34,00 ontem.

Esse cenário ainda restritivo impõe medidas para a solução de problemas financeiros. Redução de despesas e aumento de receitas. A fórmula mágica. Entretanto, que ideias e que propostas estão surgindo para resolver os déficits da Previ e da Cassi !  Difícil de acreditar !  Enlouqueceram !

Cadê o bom senso ?  Um festival de besteira assola o país !  -  como diria o Millor.

Vamos torcer que a turbulência de novembro seja rápida e pequena. Que os ganhos voltem ! É que não sejam debatidas bobagens nem besteiras , nem implantadas medidas superficiais, que representam mera perfumaria e jogo para a torcida de cunho eleitoral. Oxalá !  Estamos maduros. Não temos mais tempo a perder. Respeito !


O QUE PREOCUPA OS APOSENTADOS DO BB ?

sábado, 28 de outubro de 2017

Reclamavam que eu não vinha postando no blog assuntos de interesse dos aposentados e pensionistas do BB. Aí eu fiz um post sobre a CASSI falando das ameaças que rondam o nosso plano de saúde. A visualização e os comentários foram menores do que quando abordo assuntos genéricos. Saúde não é importante ?  Para nós na casa dos oitenta é fundamental. O nosso organismo precisa de reparos para continuar. Cirurgias, próteses, remédios. Sobrevivência custa caro.


Comentaram que tem outros lidando sobre a CASSI.  Inclusive tem grupos se digladiando nas redes sociais. Afinal, as eleições estão chegando.

Respondo que ninguém fez protesto judicial resguardando direitos que estão procurando atropelar. Só eu. E deu certo. Sepultou a discussão sobre se os aposentados tinham direito a CASSI ou se era só para o pessoal da ativa, como o BB queria.

Agora querem mexer em alguns direitos estruturais. E os associados estão apáticos, alienados, achando que algum milagre aconteça.

Me disseram que, mais do que a saúde, o que preocupa os aposentados são as finanças desequilibradas, comprometidas com empréstimos ou outros compromissos de ordem familiar. Falta dinheiro no fim do mês.

Então, como são aposentados e pensionistas participantes do plano 1 da Previ, entendem que a única solução vem de lá, ou porintermedio de aumento de benefício ou margem para uma fatia do ÉS. Simples assim, pois já não possuem mais condições de trabalhar, são septuagenários ou octogenários.

O BET alimentou esse entendimento e os sucessivos aumentos da margem do ÉS também.

Sempre fui simpático a causa dos endividados e dos mais necessitados.  Já tenho ajudado muita gente. E continuo fazendo.

Acredito que na próxima eleição na Previ essas questões devem prevalecer, pois são altamente polêmicas. Quais serão as promessas e as plataformas dos candidatos ?  

CASSI AMEAÇADA

terça-feira, 24 de outubro de 2017

A CASSI está nas redes sociais com destaque ultimamente.

Há notícia de que estaria com um rombo de 152 milhões, constante no blog do Adaí, segundo a Loreni Sanger.

Há notícia de que estaria em cogitação novo aumento para os associados, pois não pode haver desigualdade com a patrocinadora.

Há notícia de que assumiu o novo presidente, ex  conselheiro deliberativo.

Há notícia de que os eleitos estariam sendo ameaçados de penalização por participarem de eventos largando informações negativas sobre a CASSI. segundo carta do Tollendal.

Há notícias sobre nuvens negras rondando nosso plano de saúde.

A AFABB RS realizou há poucos dias, na segunda feira passada, uma reunião cujo palestrante foi Fernando Amaral, que focalizou o projeto da CGPAR que pretende introduzir alterações nas regras que disciplinam os planos de saude. Algumas delas são prejudiciais aos nossos interesses.




A palestra teve nosso auditório lotado. Cerca de 130 pessoas estavam presentes.  A foto dá uma ideia.  A maioria de aposentados e pensionistas.  

Eu começo a ficar preocupado.  Acho que estão querendo mexer em nossos direitos, que são verdadeiramente direitos adquiridos e pétreos.  Querem passar por cima como um trator.

Quando a diretoria do banco, em especial o diretor vice presidente Luiz Oswaldo, que atualmente, pasmem, é o presidente do conselho deliberativo da ANABB, quis alijar os aposentados da CASSI, declarando que só tinham direito ao plano de saúde o pessoal da ativa, entrei com um protesto judicial que teve boa aceitação e causou impacto positivo. Pararam de falar que os aposentados não tinham direito à CASSI.

Agora, com tantas ameaças à CASSI, creio que está na hora de um novo protesto defensivo. Estou estudando a matéria e breve informarei a respeito para os interessados.  Vou fazer o protesto para mim e para os associados da AFABB RS.  Mas haverá possibilidade para quem quiser participar. Aguardem, portanto.

E´ mais uma contribuição minha à coletividade Banco do Brasil.  Estamos, nesta altura da vida, precisando dormir mais tranquilos, sem ameaças nem nuvens negras rondando os nossos sonhos.

Vamos que vamos.