GIGANTE DE PÉS DE BARRO

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

O título também poderia ser GIGANTE DE PÉS DE LAMA.

Lama ou barro, são quase a mesma coisa, Um é masculino, o outro é feminino. Mas o efeito nefasto que provocam é semelhante.

No meu relatório final como conselheiro fiscal da Vale, quando encerrei meu mandato em princípios de 2007, coloquei esse título, Gigante de Pés de Barro.

Quis dizer que a Vale tinha crescido muito para cima, tinha virado Gigante, a segunda maior mineradora do mundo, mas tinha se descuidado da sua base, dos seus pés, que continuavam frágeis, como se fossem feitos de barro ou lama.  Qualquer escorregão, o gigante poderia cair.

Cuidado, escrevi no relatório, com a retaguarda, com a infra estrutura, com as estruturas ecológicas. Cuidado com a lama, com o barro, Não poderia ter sido mais profético.

Agora a imprensa noticia que está se formando a convicção de que houve negligencia da Vale no desastre e tragédia de Brumadinho.

Uma das últimas frases de Ricardo Boechat, na própria manhã de seu falecimento, no acidente do helicóptero, foi de que a IMPUNIDADE é a principal causa da corrupção e do atraso no Brasil.

Foram trezentas vidas, entre mortos e desaparecidos. Toda uma região devastada pela lama. Não é pouca coisa.

Ou a gente começa a tomar providencias para coibir essas negligencias e imprudências, responsabilizando os culpados, ou vai acontecer desgraça atrás de desgraça, tais como incêndios, 

alagamentos, epidemias.

A imprensa também noticiou que a força tarefa da Operação Greenfield, do Ministério da Fazenda, denunciou 38 pessoas pelo prejuízo causados aos fundos de pensão, Previ, Petros e Funcef. Mais de um bilhão de prejuízo. Vamos aguardar.  Tem ainda o caso da Sete Brasil.

A bolsa recuou para 95.000 pontos com o desastre da Vale.

E Bolsonaro saiu da UTI.




BOLSA RUMO AOS CEM MIL PONTOS ?

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

SE NÃO FOSSE O ACIDENTE DA VALE A BOLSA JÁ TERIA ATINGIDO OS CEM MIL PONTOS, UMA MARCA HISTÓRICA.

Esse fato deveria ser comemorado com letra maiúscula.

As ações do BB estão valendo 54,00 cada uma, uma baita valorização, pois em menos de seis meses valiam a metade, cerca de 26,00 ou 28,00.

Não ganhou quem não quis ou não acreditou.

Eu cantei a pedra várias vezes.  Cheguei a divulgar a minha carteira em outubro.

Tem muita água para correr ainda debaixo da ponte, mas essa pontuação fez um bem danado para a nossa Previ em dezembro.

Vamos ver os números do balanço e o que vai acontecer com os gordos resultados.

No momento, 5 de fevereiro,  o mercado é uma euforia só. 

Porém sempre tem o dia seguinte. Hoje, dia seis de fevereiro, a bolsa levou um tombo de mais de três por cento.

As ações caíram quase todas. Declarações desencontradas, vazamentos sobre a reforma da previdência e o discurso depressivo de Trump.

Vamos ver o que vai dar. Eu só 
fiquei com  duas ações. Metalúrgica Gerdau e CSN. Estava aguardando a queda.  Sou gato escaldado.

vamos ver o que vai dar. Tem os otimistas e os pessimistas. Correm também ao lado os chamados realistas.

NOVIDADES

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Há muita desinformação na rede.

E´ preciso  estar atualizado.  Assim como acontece com os aplicativos dos aparelhos digitais, corpo social desatualizado não consegue processar direito as informações que recebe e compreender os acontecimentos em sua verdadeira dimensão.

A Previ mudou o presidente do seu  Conselho Deliberativo. Não é mais o Walter Malieni Júnior, a quem o Edison de Bem encaminhou sua solicitação de reajuste de benefícios. O Walter já era,  já foi tarde. Agora o Presidente do CD é o conselheiro Marcio Hamilton Pereira.

O Walter, Waltinho por causa de sua baixa estatura,  foi para a presidência da BRasilPrev.  Houve quem acha que ele foi promovido. Não foi. Ao contrário foi rebaixado. Saiu da vice presidência do BB, saiu do chamado conselho gestor do banco, órgão todo poderoso,e  perdeu a presidência do CD da Previ. A BRasilPrev é considerada uma subsidiaria de segunda linha. Forte é a BBDTVM ou a BB Seguridade.

Ele queria ficar na vice presidência do BB, até quem sabe na presidência. Saiu na imprensa.  Mas não conseguiu. Muito ligado ao PT e ao Bendine, foi defenestrado. Breve vai se aposentar.

A reunião anterior na Cassi foi preliminar. Amanhã vai ter nova reunião, quando será reaberta a mesa de negociação. Algumas decisões poderão ser tomadas. O BB volta a fazer exigências que poderão resultar em quebra do princípio de solidariedade.

Na visão de nossos eleitos melhor quebrar os princípios já conquistados do que quebrar a Cassi. Vamos aguardar.

A crise da Vale está sendo avaliada. O impacto inicial foi doloroso. Vinte e cinco por cento de perda de valor de mercado. Uma quarta parte. Mas é cedo. A Vale vai se recuperar.  Seria saudável uma mudança nos conselheiros. O presidente da Vale suspendeu o pagamento dos bônus. Boa medida.

Tem mais novidades. Mais adiante. A vida não está fácil. Aqui no RS excesso de chuvas e calor danado.

TRAGÉDIA DE BRUMADINHO. É PRECISO RESPONSABILIZAR OS DIRIGENTES E CONSELHEIROS

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Duzentos desaparecidos, o sinal de alerta não funcionou, tragedia anunciada, busca intensa de lucro , bônus generosos de recompensas para os dirigentes.


Essa tragedia merece reflexão para que não se repita.  No momento em que o Presidente anuncia em Davos que o Brasil é campeão em preservação ambiental, ocorre esse desastre. Foi acidente ou foi provocado ? 

Se não foi um atentado, então tem que ser apurada as responsabilidades.

Eu fui conselheiro fiscal por três anos da Vale, de 2005 a 2007.  A auditoria interna, na época, revelou vulnerabilidades em barragens.  O Conselho Fiscal exigiu rigorosas providências.

Quando no ano de 2017 foi debatido no Conselho Deliberativo da Previ o desastre de Mariana eu levantei questão dasvulnerabilidades observadas na minha época na Vale. Gueitiro e Marcel , conselheiros de administração daVale, argumentaram que a Vale havia adotado um sistema moderno e infalível nessa questão. Os sistemas precários do meu tempo estavam superadas com novas técnicas que davam total segurança.

Pelo que se viu não era infalível.

Vou aguardar o desenrolar das investigações.

Mas para mim fica a lição de que a irresponsabilidade não pode prosperar.  

Certamente será um ponto negativo na Bolsa de Valores. Vai afetar o desempenho da Previ. 

Eu não tenho ações da Vale.  Vendi todas. E após a tragedia de Mariana me recuso a comprar ações da Vale. 

A vida humana merece  respeito. Minha total solidariedade às vítimas. Ainda bem que estou de consciência tranquila.

Em MG se pergunta, qual será a próxima a romper.

Até hoje os responsáveis pela tragedia de Mariana estão impunes. Os da boate de Santa Mari, que incendiou, também estão livres.  Até quando ?

HOJE SE DECIDE O FUTURO DA CASSI

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Hoje é a reunião decisiva sobre a Cassi.


Convocada pela Cassi , a mesa de negociação das entidades representativas do funcionalismo e dos aposentados irá analisar a proposta para a “salvação “ da Cassi.

Na opinião dos nossos eleitos Faraco e Satoru ou nós aprovamos essa proposta ou a Cassi vai pro brejo.  Se. ficarmos  com nossos direitos, ficamos sem assistência à saúde.

Essa proposta resolve o problema da Cassi por varios anos, segundo eles.

Claro que vai sobrar para nós. A maior parte dos encargos com o plano de sobrevivência vai recair sobre os associados e o BB será o menos onerado.

Na pauta está o custo com os dependentes, com a maior participação nos eventos, aumento de contribuição, maior poder de decisão para o BB, etc, etc.

Vamos acompanhar e ver o que será decidido.

De qualquer maneira é um capítulo muito triste pois representa capitulação de conquistas históricas e vai acontecer justamente quando se inicia um novo Governo, saudado como a esperança de tempos mais promissores. Ontem Bolsonaro voltou a decepcionar e frustrar com um discurso burocrático em Davos.

Como disse, estou focado no lado. Jurídico. O protesto judicial está pronto para ser ajuizado, caso necessário.

Alguns já ingressaram com medidas preventivas.

É o dia D para a Cassi.  Oremos.

TEMOS QUE TER FOCO

sábado, 19 de janeiro de 2019

Sem foco a gente não consegue resultado. Dissipa o tempo e desperdiça o esforço. Ainda mais na reta final da existência.


Alguns não conseguem enxergar isso. Ficam fazendo cobranças, provocando atuações, querendo desviar ou dirigir atenção para os assuntos de seu interesse.

Comigo não funciona assim.  Me concentro naquilo que me cabe e me propus fazer.

Quando era dirigente de associação ou conselheiro de entidade, meu papel era o de gestor, o de protagonista, o de buscar melhorias, criticar , achar erros.

Agora. que sou consultor jurídico minha obrigação é de ser advogado.

Simples assim.. 

Inverter posição não dá certo. Sem foco da mesmo vontade de largar tudo e partir para o ócio.

Então explico que no momento estou totalmente ligado na área jurídica.  Tenho um objetivo profundo em me dedicar ao mundo jurídico. Quem teve o trabalho de ler a minha carta de renúncia na Previ, poderá perfeitamente avaliar qual é o meuinteresse, o que pretendo provar. Tenho uma denúncia engatilhada. Vou largar no momento oportuno. Já dei dica no blog. Quem foi esperto pegou. Mas o principal está no forno, pronto para sair.

E se obtiver sucesso nessa empreitada todos os colegas ganharão. A transparência será escancarada.

Claro que procuro ajudar nas outras áreas naquilo que me for possível. O blog é um instrumento útil. Mas esse não é o meu foco e fazendo isso prejudica o meu labor jurídico.

Por isso peço paciência e compreensão. Sou solidário com as aflições dos desprotegidos e apertados financeiramente. Mas me deixem completar minha missão no lado jurídico. É muito importante.

Aguardem. Vai valer a pena.

REAJUSTE DOS BENEFÍCIOS DA PREVI PELA META ATUARIAL

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

O reajuste de nossos benefícios pelo INPC tem sido pífio. O deste ano foi de 3,43%. 

Vários colegas tem reclamado contra esse reajuste, que , na realidade, sequer reflete a inflação real.

Algumas sugestões tem sido apresentadas.

Uma delas seria o retorno para o índice IGP -DI, que vigorava até maio de 2004.  Se fosse pelo IGP-DI, o reajuste seria de 8% mais ou menos.

Com o imenso superávit que se aguarda para o exercício de 2018, bem que poderia ser pensada uma maneira de recompensar os participantes.  Todos sabem que os gestores receberão gordos bônus sobre os resultados. E os participantes como é que ficam ?

O presidente da AFABB RS, Claudio Lahorgue, sugere que seja adotado o valor estabelecido para a meta atuarial para o reajuste dos benefícios, Ele toma como fundamento a definição da meta atuarial contida no Regulamento do Plano de Benefícios, inciso LVII do artigo 110. 

Atualmente a meta atuarial é de 5% + INPC.  Em 2018 essa meta foi ultrapassada, graças a excelente performance da renda variável, com o Ibovespa chegando a números recordes. Isso nos proporcionaria um reajuste mais equânime, superior a 8%.

Para o Lahorgue a adoção dessa sistemática é viável e , se adotada, MANTERIA O EQUILÍBRIO FINANCEIRO DO PLANO E BENEFICIARIA ENORMEMENTE OS PARTICIPANTES.

Que se manifestem os estudiosos a respeito !

Não podemos ficar parados. Precisamos agir em busca de soluções que atendam o nosso interesse.

Vamos que vamos !