AGORA É COM VOCÊ, VOTE NA UM

sexta-feira, 20 de abril de 2018

O ativista norte americano Martin Luther King falou que o que devia nos preocupar não era o grito dos maus mas o silêncio dos inocentes. Uma frase célebre e constantemente repetida nas redes sociais.


A mim sempre me preocupou o silêncio dos covardes, o silêncio daqueles que, tendo alguma coisa relevante para revelar, se calam, por não terem coragem de enfrentar as consequências ou para não deixarem a zona de conforto.

Como advogado militante assisti muitas situações dessas. Testemunhas de fatos comprometedores sem coragem de depor e revelar a verdade. Inocentes pagaram por isso. Fraudes ou agressões não denunciadas por medo.  Respostas a acusações ou humilhações caladas por covardia.




Não consigo imaginar como essas pessoas que guardam segredos importantes, que poderiam beneficiar a comunidade de que participam, conseguem caminhar de cabeça erguida e dormir de noite. Não sentem remorso, não guardam sentimentos de frustração, não sofrem dores de consciência.  Por acaso o dinheiro aplaca tudo isso ?  O poder vale a pena ? As vantagens adormecem seus princípios?

Faço essa reflexão porque me deparei com um excelente artigo na Zero Hora do médico J. J. Camargo, onde ele escreve sobre o risco de ter opinião, concluindo que sempre que deixamos de dizer o que precisava ser dito, encolhemos. Cita a frase do cartunista argentino Quino: - para onde vão nossos silêncios quando deixamos de dizer o que sentimos ?  Lamenta quando, por medo ou falta de coragem, não somos capazes de dizer o que tinha que ser dito.


Essas considerações me confortam por ter feito a  carta renúncia onde extravasei as inquietudes e revelei alguns fatos que me preocupavam, como por exemplo , as irregularidades do jurídico sem responsabilização e a constituicao irregular do comitê de auditoria, questões que continuam em aberto, sem uma resposta ou justificativa convincentes, e mencionei tudo aquilo que eu achava que tinha que ser dito sobre a falta de transparência na Previ, defeitos na comunicação, falhas na governança corporativa, remuneração variável, ganância do BB  e outros temas.

Os argumentos do dr Camargo , mais uma vez, somado aos apoios que recebi, me convenceram e me deram a convicção de que agi acertado.

O silêncio é atitude de covardia. Não faz o meu gênero. Há riscos, sim, em se manifestar e ter opinião, mas não podia me encolher, tinha que dizer o que foi dito, e isso só foi possível com o ato de renúncia. Eu não fugi, como alguns tentaram me acusar. Ao contrário, eu fui para o enfrentamento, dei a cara ao tapa, saí  da zona de conforto. Por isso,  estou em paz comigo. Não silenciei. Não me acovardei. Ando de cabeça erguida e sou respeitado pelos meus colegas e amigos.

Voto na chapa UM,  MAIS UNIÃO,  coerente com as ideias e princípios que defendi na minha carta renúncia. Eu fiz a minha parte,  agora é com você .

Vote Chapa UM na cabeça.


QUERIDAS PENSIONISTAS, VOTEM NA UM

terça-feira, 17 de abril de 2018

Queridass Pensionistas do Banco do Brasil,


Me dirijo a vocês com muito respeito, admiração e carinho, nesta data em que se inicia a votação para a Previ.

Minha saudosa mãe Geny era pensionista do BB.  Sei bem as dificuldades que ela passou e o orgulho que, mesmo assim, ostentava por fazer parte da família Banco do Brasil.  Para equilibrar as contas no fim do mês com os 60 por cento da pensão que lhe tocou com a morte do meu pai, ela fazia milagres. 

Convivo com muitas outras pensionistas na AFABB RS, que possui em seu quadro social mais de quinhentas , que participam ativamente da associação, inclusive com cargos na diretoria e no conselho deliberativo.
  
Foi lá na AFABB RS que eu iniciei o movimento de reivindicação para que as pensionistas votassem nas eleições da Previ, o que terminou se concretizando e hoje é uma realidade.

O contingente das pensionistas já se constitui numa poderosa força eleitoral. São mais de vinte mil votos. Pode, sim, decidir uma eleição. A diferença entre a chapa vitoriosa e o segundo lugar deve ficar na casa dos cinco mil votos ou menos.

É para esse contingente, para esse grupo de pessoas queridas, para as belas e amadas pensionistas, que eu me dirijo neste instante para pedir o voto para a chapa um, MAIS UNIÃO.. porque essa chapa é a chapa mais afinada com as pensionistas.

Arrisco dizer que a chapa Mais União é, na verdade, a chapa das Pensionistas e dos Aposentados.

Tenho feito campanha aqui no Rio Grande do Sul, e posso afirmar que as pensionistas da Afabb Rs,, em sua grande maioria, quase unanimidade, vão votar na chapa um.  

Todos sabem que sou defensor permanente dos direitos das pensionistas. É possível afirmar que se não foram conquistadas as melhorias reivindicadas em seus proventos  pelas pensionistas durante esses vinte anos foi porque o grupo representado pela chapa dois tem se perpetuado no poder da Previ  e é contrário.

Então é isso. Pensionistas não podem votar na dois. VOTEM NA CHAPA UM, MAIS UNIÃO.

Por um futuro melhor e mais justo, votem na Chapa Um. Divulguem essa mensagem entre as colegas.

Um beijo afetuoso em todas vocês.

Medeiros


BINGO! CHAPA UM TEM CHANCE DE VITÓRIA NA PREVI

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Fiz uma pesquisa prévia sobre as eleições na Previ.  Foi por amostragem e de forma muito incipiente.  Farei uma nova pesquisa logo após o início da votação.


Neste levantamento inicial - sei que vou sofrer retaliações dos prejudicados - apurei que a eleição, que antes parecia parelha, já está polarizada entre duas chapas principais, a dois, da situação, e a um, da Mais União.

A chapa quatro, que tem força eleitoral, apoiada pela AAFBB e pelo grupo da Graça Machado e Denise ( esposa do Valmir Camilo. ), tem recebido muita rejeição em cima das candidatas Cecília Garcez e Célia Laricchia.  É impressionante.  A chapa é o alvo preferido das rejeições. Cecilia por já ter sido duas vezes diretora da Previ, concorre pela terceira vez, bem como por ser conselheira da EMBRAER , uma das empresas mais bem remuneradas. Celia por ter sido conselheira deliberativa da PREVI quando foi extinto o BET. Com isso, suas chances diminuem e sai da ponta da disputa para um terceiro lugar. Para virar o jogo tem que romper essa linha de resistência apostando no desempenho dos seus candidatos nos debates, onde, por sinal, se saem muito bem.

As chapas cinco e três, ao menos entre aposentados e pensionistas, não decolaram. 

Então com esse quadro eleitoral, a briga, no bom sentido, por votos, está centrada nas chapas um e dois.  A chapa dois é a que deve ser derrotada, para impedir o continuísmo. É a do grupo que se perpetua há vinte anos na Previ, votando com o BB e dessa maneira não permite que seja utilizado o voto de minerva, salvo raras exceções, o que comprometeria o patrocinador nas decisões que o favorecem. Quem quiser a derrota da chapa dois vai ter que valorizar o seu voto, dirigindo- o para a chapa que tem mais chance de se contrapor à poderosa Contraf Cut e a FENABB, que tem influencia nos aposentados que frequentam as AABBs. No caso, terá que votar na chapa um, Mais União.

O perigo será se as chapas um e quatro se digladiarem entre si, se atacarem mutuamente, como já começa acontecer nas redes sociais, pois quem se aproveitará disso é a chapa dois.

Previsão de resultado ?  Mero palpite, pois é cedo para uma previsão mais confiável.

Chapa um fará 35.000 votos. Chapa dois 30.000. Chapa quatro 25.000. As outras duas, menos de 20.000, cada uma.

Portanto, o recado é esse. Quer derrotar a chapa dois ?  Vote na um , MAIS UNIÃO, e multiplique seu voto obtendo adesões de aposentados e pensionistas.

COM MAIS UNIÃO CHEGAREMOS LÁ OUTRA VEZ.

CHAPA UM NA CABEÇA!

CHAPA UM NA CABEÇA

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Encerrado o  debate na Afabb RS vou apresentar a minha análise. Sei que é uma tarefa difícil, pois todas as chapas tiveram um bom desempenho e se esforçaram para defender suas propostas, mantendo elevado o nível do debate. Portanto, antes de mais nada, os meus parabéns a todos os que aqui compareceram e participaram prestigiando e valorizando o evento.



A chapa três compareceu com seus dois candidatos a diretores. Conforme eu já tinha antecipado trata se de um grupo de funcionários da ativa do BB que não possui ainda expressão eleitoral.  Procura transmitir a mensagem de solidez, transparência e atitude. Efetivamente não tem condições de vencer pois conta só com o público da ativa como eleitor.

No confronto, no bom sentido, entre a chapa dois e a chapa quatro, defendidas por Sérgio Riede e Cecília Garcez, ambos eloquentes, na minha opinião venceu a Cecília, que foi mais positiva e mais objetiva, demonstrando com firmeza suas realizações na diretoria de administração e argumentando com dados precisos suas ideias e conhecimento da Previ.

Já no embate, no bom sentido igualmente, entre as chapas um e cinco, defendidas pelos candidatos a diretores de ambas as chapas, no meu ponto de vista,  foi superior a chapa um de Arnaldo Vollet e Italo Lazarotto Júnior, que apresentaram uma bandeira mais coerente e consistente, de gestão austera e independente, do lado do participante, enquanto a cinco procurava explicar sua proposta fundamentada em cinco vértices, que não foi suficientemente bem assimilada, de que o futuro se constrói agora.

Alguns detalhes do debate chamaram atenção. Houve insinuação de que algumas propostas ou restrições apresentadas eram inócuas e davam a impressão de despreparo das chapas, como a questão do carro com motorista, que foi extinto em outubro de 2017; ou dos cartões corporativos, que foi extinto em 2016, além de objeção ao pagamento de remuneração variável.  Na verdade o que existe é falha na comunicação da Previ que omite essas informações e o que precisa ser defendido pelas chapas é mais transparência. Até hoje, por exemplo, a Previ não noticiou a minha renúncia.

Outra unanimidade é a questão de conselheiros de empresas. Quase todos admitiram que diretor da Previ não deve participar de conselhos de empresas participadas. Na minha opinião nem em casos estratégicos.  O negócio da Previ é administrar planos de aposentadoria, não é administrar empresas de mineração, nem de energia, nem de fabricacao de aviões, nem hotéis como o Finado Sauípe.

Isto posto e face às minhas considerações anteriores onde expliquei os meus motivos pelos quais não tenho condições de apoiar a chapa quatro, a minha decisão é a favor da chapa um, Mais União.

Acho, porém, que a disputa vai ser braba e bem parelha. A chapa dois tem um público cativo de trinta mil eleitores. Quem quiser ganhar tem que ultrapassar trinta mil votos. Há divisão de forças entre a chapa um e a quatro nos aposentados e divisão de forças entre as chapas um, quatro e cinco no pessoal da ativa.

De novo eu acho que só uma bandeira pode, a exemplo da Cassi, tornar vitoriosa a eleição, a bandeira da mudança, mudança com independência do BB e a favor dos participantes, mudança com competência. Mas mudança. Porque as chapas dois, principalmente, a quatro e a cinco possuem em sua composição pessoas que trabalham ou trabalharam na Previ. É, portanto, continuísmo. A chapa um traz sangue novo e quer uma Previ mais transparente e mais voltada para os participantes. Se defender essa bandeira de mudança e mostrar humildade aperfeiçoando seu programa, a chapa um terá condições de ser vencedora.

Eu vou cravar na cabeça. Chapa UM, MAIS UNIÃO.

VAMOS QUE VAMOS !

. NÃO PERCA O DEBATE DE HOJE NA AFABB RS

quinta-feira, 5 de abril de 2018

O DEBATE DE HOJE, segunda feira, às 14,00 horas, das chapas que concorrem para a Previ, promete.


Com certeza vai ser um debate importante e decisivo. A chapa que mais se destacar pode iniciar ali seu caminho para a vitória. Os debates que se sucederem serão mera consequência. Dificilmente terão tempo suficiente para alterar a impressão inicial.

O debate na Afabb RS tem todas as cinco chapas confirmadas, que serão representadas por suas lideranças mais significativas.

A chapa três, a menos conhecida, a qual eu me referi em meu post anterior como não tendo expressão eleitoral, vai , conforme comentário de seu candidato a diretor de administração, tentar mostrar porque é uma alternativa diferenciada e necessária. Vou ouvi lo com atenção redobrada.

As chapas um e cinco comparecerão com seus dois candidatos a diretor, força máxima. A chapa quatro com a experiente Cecília Garcez e a chapa dois, a da situação, com o não menos experiente Sérgio Riede.

Portanto, será um belo e empolgante debate.. os temas serão aqueles que mais preocupam os participantes. Por exemplo, teto de benefícios, remuneração variável, investimentos sustentáveis, empréstimo simples, BET, CAPEC, transparência, conselhos de empresas, renda variável versus renda fixa, responsabilização de gestores, relação com o patrocinador, etc. a Afabb RS vai eleger três temas principais. Perguntas poderão ser feitas, no auditório e pela internet. A transmissão pela internet será, como a anterior, de alta qualidade.

Em varios comentários de infiltrados haviam considerações de que o debate da Afabb RS seria esvaziado, não contaria com a presença de todas as chapas, pois outros debates mais relevantes iriam ocorrer posteriormente. Isso não aconteceu.  As chapas perceberam a importância desse lance inicial, que, quem sabe, como aconteceu na Cassi, pode ser decisivo para a eleição. 

Então, a diretoria da Afabb Rs, em comemoração aos trinta anos da associação, está fazendo a sua parte. Agora você tem que fazer a sua. Compareça. Pessoalmente ou pela internet. Tire suas próprias conclusões ou aguarde minha análise. Mas participe. Seu futuro está em jogo.

Vamos que vamos.

DEBATE DAS CHAPAS PARA A PREVI NA AFABB RS PODERÁ SER DECISIVO. NÃO PERCA !

segunda-feira, 2 de abril de 2018

O debate na AFABB RS é o primeiro a ser realizado. Será na segunda feira, dia 9, ás 14,00 horas e reunirá representantes das cinco chapas, que já confirmaram presença. É um esforço que a AFABB RS está fazendo, a exemplo do que aconteceu na eleição da CASSI, para comemorar os trinta anos de sua profícua existência.


Varias pessoas, inclusive eu, e  entidades, aguardam o debate para esclarecer dúvidas, ouvir as propostas, avaliar desempenhos, para decidirem que chapa votar.

No meu caso estou indeciso entre a chapa um e a cinco. Tenho varios questionamentos e darei a minha   orientação de voto logo após o debate. Sei de minha responsabilidade pois inúmeros colegas seguem a minha sugestão. 

No caso da Previ a eleição é mais complicada do que na CASSI.  Existem quatro chapas em condições de disputar a vitória. Só a três está fora. Não tem expressao eleitoral.

A chapa a ser vencida é a da Contraf Cut e da FENABB, que vem se mantendo no poder desde o ano 2002, quando Lula pela primeira vez foi eleito presidente do Brasil, e levou junto para o Governo, na área previdenciária,  o Gushiken, o Berzoini, o Pizzolatto, o Wagner Pinheiro, o Sérgio Rosa, e o Vaccari.

Pena que as demais não se uniram. Aí era barbada.

Na Cassi eu indiquei a chapa vencedora, logo após o debate.

Será que terei o mesmo vislumbre na Previ ?

Vai ser um debate quente, empolgante, os representantes das chapas vão dar o seu máximo.

Compareça ou assista a transmissão pela internet.  É o seu futuro que está em jogo. Dia 9, as 14,00 horas, no auditório da Afabb RS.

Vamos que vamos.

PÁSCOA FELIZ, ELEIÇÕES DA PREVI A VISTA

sábado, 31 de março de 2018

Amanhã é domingo de Páscoa.  É uma data significativa. Traz no seu bojo uma mensagem de esperança, de renascimento, de recuperação. Ultimamente o comércio tem desvirtuado esse significado, procurando associar a data ao Coelho e aos ovos de chocolate. Não importa.  O espírito cristão da data prevalece.


Para os que votaram na chapa quatro, MAIS UNIÃO, na eleição da Cassi, e foram vitoriosos por uma diferença de seis mil votos, certamente será uma Páscoa feliz, pois com a vitória veio a esperança de melhoria na Cassi e de recuperação nos rumos. Eu estou feliz .

O domingo de Páscoa traz  também um marco importante para nós do BB. A partir daí temos que começar a pensar na eleição da Previ, que se avizinha. São cinco chapas disputando. É uma eleição mais complicada e difícil do que a da Cassi, que tinha apenas quatro chapas, sendo que duas sabidamente sem nenhuma possibilidade de êxito. Restaram as outras duas. Fácil a escolha entre situação e oposição. Deu oposição, deu mudanças.

A análise da eleição da Previ não é tão simples. A chapa da situação, a ser derrotada para tentar propiciar mudanças benéficas na gestão e resistir ao BB, é a chapa dois, Previ para associados,, do Riede, do Márcio, da Paula Goto, do Haroldo Vieira, do Tremarin, figuras conhecidas e tarimbadas. Cuja tendência já se sabe. Restam quatro chapas. Qual delas tem mais condições de vencer ?  De enfrentar a poderosa chapa da Contraf Cut  e da FENABB ?  Qual apresenta as melhores propostas ? Qual tem a melhor bandeira de enfrentamento à ganância do patrocinador ?

Me parece que a chapa três, formada por gente da direção geral do BB, e a chapa quatro, da AAFBB , da Cecília e da Célia, não possuem condições de conquistar expressiva votação. A primeira é desconhecida e a segunda já mostrou na eleição da Cassi que a AaFBB não tem força eleitoral pois possui apenas 25 000 sócios, nem a bandeira necessária de mudanças, pois a Célia já foi conselheira deliberativa da Previ, ocasião em que foi extinto o BET.

Sobram a chapa um, do grupo Mais União e MSU, vitorioso na eleição da Cassi, que está empolgado,  mas tem um candidato a diretor questionável pelos cargos que ocupa, e a chapa cinco, do grupo que foi vitorioso na eleição para diretor de planejamento, dando vitória ao Zeca, uma pessoa que eu tive oportunidade de comprovar seu trabalho sério na Previ até que foi vitimado por um enfarto violento que o impediu de continuar. Essa tem, sim, força eleitoral.

Eu estou em dúvida sobre qual delas vou apoiar. Vou aguardar o debate do dia 9 na Afabb Rs e verificar o desempenho dos candidatos e esclarecer algumas questões. Dia seguinte me manifesto.

Nesta Páscoa também temos a reflexão sobre o que está acontecendo no país e qual o panorama  das eleições de outubro. Faltam apenas seis meses. Uma confusão danada.

Por último resta rezar que a estação espacial chinesa em queda livre no espaço, calculada para cair amanhã, não caia em cima de nossas cabeças.

Uma FELIZ PÁSCOA PARA TODAS E TODOS, um renascer promissor e muitos ovos de chocolate que o coelhinho deposite nos ninhos de vocês. Vamos celebrar a vida.

Vamos que vamos.
.