PAULA GOTO NO PLANEJAMENTO DA PREVI

sexta-feira, 20 de julho de 2018

Por incrível que pareça , mais de um mês e meio após a posse da diretoria da Previ, ainda continua sub Júdice a situação de Paula Goto, eleita para diretora de planejamento e impedida de assumir pela Previc.


A alegação foi de que a diretoria de planejamento exerce uma função especial, a de AETQ, responsável perante a Previc pelo desempenho do fundo de pensão, por isso seu titular teria  que ter uma habilitação comprovada na área de investimento, ser uma pessoa tecnicamente qualificada.



No prazo de dez dias dado pela Previc Paula recorreu e até hoje ainda não houve decisão. Lamentável.

Paula Goto compareceu no Encontro dê Camboriú  e, além de responder perguntas relativas à área de planejamento, da qual ela foi nomeada recentemente assessora, prestou esclarecimentos sobre sua situação, juntamente com o conselheiro deliberativo Sérgio Riede, que , na opinião dos presentes, se excedeu em suas colocações na defesa da posse de Paula.

Educada e solicita Paula agradou , em geral, os participantes  no Encontro , procurando demonstrar conhecimentos técnicos e capacidade para o exercício do cargo.

Comprovou sua experiência funcional. no  Banco do Brasil, bastante rica,  e as diversas certificações que possui, além de cursos, como o MBA em gestão de investimentos. Com tais qualificações fica difícil entender por que a Previc foi impugnar a sua posse. Eu me manifestei inicialmente pelo seu impedimento  sem ter ideia de que ela possuísse tantas certificações.  Eu achava que ela era despreparada para a função, conforme se propalava nas redes. Mas confesso ter me enganado. 

Nada como um contato pessoal para a gente poder avaliar melhor. Para essa percepção é que servem encontros como o de Camboriú. 

Assim como Paula me convenceu e me deixou uma boa impressão, espero que consiga ser aprovada o quanto antes pela Previc para que possa desempenhar suas atividades e cumprir o mandato para o qual foi eleita por uma parcela relevante de participantes da Previ. Quem está desempenhando transitoriamente o cargo  não foi eleito e essa situação não pode perdurar.

Se foi aprovada para ser diretora de planejamento ela tem condições para ser AETQ, que não é um bicho de sete cabeças.  Além do mais a área de planejamento dispõe de uma equipe de funcionários excelente para assessora-la.

Com tantos problemas que nos acometem, a Previc decidiu criar impasse numa questão subliminar e implicar com uma colega que tem uma carreira funcional exemplar e dispõe de uma bagagem cultural e técnica invejável.

Qual é a da Previc ?  Não quer reconhecer que errou ou exagerou ?  O que está por trás ? Se houve erro foi da Previ na construção do edital da eleição.

Está na hora de tomar uma decisão justa e responsável. Paula Goto e seus eleitores merecem.

Sei que esta é outra postagem polêmica. Certamente vão insinuar que bandeei de lado. Mas é  , sinceramente, o que eu pude perceber no Encontro  e achei que devia registrar, para ficar em paz com minha consciência. Mahatma Gandhi disse que uma pessoa que não está em paz consigo mesma será uma pessoa  em guerra com o mundo inteiro. Não é, decididamente, o meu caso.

CÁRMEN LÚCIA E A CASSI

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Sou obrigado a voltar a falar de CASSI por dois motivos.  Por causa da decisão da Ministra Carmen Lúcia do STF e por causa da reunião do CD da Cassi no dia 20, daqui há dois dias, que vai tomar decisões que vão replicar nos associados.

A minha postagem anterior, sobre o Encontro de Camboriú, teve grande repercussão e o blog bombou mais uma vez, com milhares de visualizações.

Naturalmente tiveram os que gostaram e os que não gostaram.  Fazer o quê ?  Millôr já dizia que a unanimidade é burra.

Tive a intenção de contribuir com um fedback de que havia necessidade de uma postura mais serena para que as informações e as propostas pudessem ser melhor debatidas e principalmente para que se obtivesse mais união por parte dos associados.

Houve quem discordasse, achando legal que fosse utilizada uma linguagem mais dura por parte do dirigente eleito. Respeito as opiniões alheias e divergentes. Tem gosto para tudo.  O meu gosto pode não ser o teu gosto. Eu sou como o Gaudencio Sete Luas, “Se troveja a gritaria, já relampeja minha adaga”.

Perguntaram na rede, maliciosamente, se eu era um mero crítico ou se eu tinha propostas para a CASSI. Respondo que não tenho propostas.  Entendo que , no andar da carruagem, essa parte corresponde aos dirigentes da Cassi, do Banco , das associações e sindicatos. Eu sou só consultor jurídico da AFABB RS. A minha visão, portanto, é de ordem jurídica. Quero que as negociações avancem e se construam em cima de uma base jurídica sólida, sem que sejam atropelados nossos direitos adquiridos e o princípio de solidariedade. Simples assim. Tem campo para isso ? Tem, sim, apesar da resistência do BB. P

A decisão da Ministra Carmen Lúcia foi de que há necessidade de respeitar os direitos adquiridos e de que saúde não é mercadoria. Entretanto, para mim, o mais importante de sua decisão está na circunstância de que a OAB em sua petição aponta para a irregularidade de uma determinação de um órgão, a ANS, se sobrepor à Constituição, usurpando uma função que é do Poder Legislativo.  Se o pleno confirmar essa decisão liminar e monocrática será uma grande vitória jurídica, que poderá inclusive ser utilizada no caso da apropriação dos sete e meio bilhões do BET pelo patrocinador BB, baseado apenas numa instrução normativa. Aguardemos, pois, torcendo para que essa decisão brilhante seja confirmada pelo relator e pelo pleno do STF, e se refira à usurpação de poderes alegada pela OAB e reconhecida pela Ministra em sua decisão, conforme pode ser lido e comprovado.

O que isso tem a ver com a decisão do CD do dia 20 ?  E´ que se tem falado que o BB não chega aos 60% por causa justamente da  resolução CGPAR. Se for derrubada na Justiça o efeito da resolução , demonstrada sua ineficácia legal, nada impede que o BB chegue ao percentual que nos conforta.

Perdoem se faço mais uma intromissão e lamento se a mesma seja considerada meramente crítica. Estou , na realidade, tentando colaborar para evitar impasses e discussões jurídicas e dando minha posição na matéria. Os nossos direitos à saúde pelo BB, data vênia,  não são apenas decorrentes do Estatuto da Cassi. São oriundos do nosso contrato de trabalho, do que foi prometido pelo banco ao ingressarmos na instituição, de dispositivos que constam nos editais de concurso e na antiga CIC, como foi lido pelo Nasser na reunião de Brasilia.

Esses direitos, assim como o princípio de solidariedade, são direitos conquistados e , utilizando os dizeres da Ministra, não podem ser retrocedidos, sequer instabilizados.

Atendendo inúmeros pedidos, para que não fique a imagem de mero crítico, aí está a minha contribuição, salvo melhor juízo

Rezo para que Deus ilumine os conselheiros da CASSI na reunião do próximo dia 20.  Assim seja.

TERRORISMO SOBRE A CASSI

domingo, 15 de julho de 2018

Que o BB faça terrorismo a respeito da situação da Cassi, eu consigo entender.  O BB guloso quer tirar vantagem na negociação das medidas para salvar a Cassi.  Mas não esperava que nossos representantes eleitos entrassem no jogo do banco.


Entretanto, foi isso que assisti no Encontro de Camboriú.  O cenário descrito foi negro. Mas o pior foi  a agressividade manifestada na fala do diretor Satoru, que deixou um mal estar entre os organizadores do evento e inclusive inibiu as perguntas, tendo apenas quatro participantes se animado a questionar os palestrantes, nesse momento crucial da Cassi. Isso foi inédito. Nunca houveram tão poucas perguntas. As 190 pessoas presentes se recusaram dialogar ou debater com um diretor irado e agressivo, inclusive eu e o Lahorgue, que é grande conhecedor e estudioso da matéria, e certamente tinha condições de dar excelente contribuição para o debate, até porque éramos anfitriões.

Satoru se referiu aos que discordam das propostas e reclamam de terrorismo como irresponsáveis, usando palavras duras contra os críticos à sua proposta que se utilizam das redes sociais. Mas o que é isso ? Agressividade também é uma forma de fazer terrorismo, com certeza.

Alem disso surpreendeu ao mencionar que o princípio de solidariedade na Cassi é uma falácia.  Justamente o ponto que todos nós consideramos como fundamental e não abrimos mão.  Acredito que ele não disse isso na campanha porque não teria vencido. Eu não teria votado nele nem pedido voto para chapa dele.

Não havia necessidade dessa atitude agressiva.  As Afabb que promovem o Encontro de Camboriú sempre procuraram evitar debates acalorados,  criando e sustentando um clima de cordialidade, um ambiente fraternal, e talvez por isso mesmo o Encontro seja um sucesso.  Basta ver como transcorreu o debate sobre a Previ à tarde. Em alto nível.. Mesmo tendo um assunto delicado, como a posse da diretora Paula Goto, impedida injustamente pela Previc de assumir.

Alguns perguntaram, perplexos, se ser samurai era ser assim, era ser irado e agressivo ?   Acho que não. 

De minha parte saí do Encontro bastante preocupado com o rumo que estão tomando as providências para colocar a Cassi nos trilhos.  Mas hoje sou apenas um participante das redes sociais e advogado da Afabb RS. Na opinião de nossos dirigentes da Cassi para eles não importa o que escrevemos nas redes. Eles não ligam. Nao mudarão seu entendimento. Não somos técnicos. Nosso viés é ideológico, disseram.

Todos nós sabemos que a Cassi está mal das pernas, quebrada, necessita de medidas urgentes. Sabemos e estamos dispostos a despender recursos nossos.  O que não queremos é que o banco se aproveite dessa situação para nos espoliar, atropelar nossos direitos adquiridos e liquidar com o princípio de solidariedade, que, para nós, simples mortais e ignorantes, existe sim e é sagrado.

Terrorismo é falar que vamos ficar sem Cassi se não aceitarmos a proposta do BB.,que é pesada e maldosa. Me recuso a aceitar esses termos. No grito não me convencem. Não aprovo essa postura. que não conduz à união entre nós, tão desejada para fortalecer nossas posições.

Lamento, mas achei que devia fazer o presente registro, porque cheguei à conclusão que também tenho, sim, culpa no Cartório, nas eleições para a Cassi, por ter participado ativamente dela, apoiando  a chapa vencedora , justamente por ser do MSU.

Espero e torço que prevaleça o bom senso e o discernimento no processo da Cassi, que os ânimos se acalmem, que haja mais serenidade e respeito pelas opiniões divergentes. Não é porque é técnico que vai ser o dono da verdade. Eu sou do ramo jurídico. Posso ser antiquado, mas entendo que jamais, jamais mesmo, poderemos abrir mão do princípio de solidariedade e dos direitos adquiridos. Quem fizer isso é que é irresponsável. Vai finalmente abrir a brecha que o BB persegue há anos.

E tenho dito. 


NÃO SOMOS CAI CAI

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Neymar foi apelidado de Cai Cai.


Caiu demais. E fez fita . Rolou no chão, fez caretas, parecia que tinha sido atropelado e ia morrer. Foi patético, na opinião da mídia.

Não se pode dizer que tudo foi fiasco.  Ele foi verdadeiramente caçado pelos adversários. Estatísticas demonstram que foi ojogador que mais sofreu faltas na Copa. 

Por que ?  O que provoca esse sentimento de perseguição?

A certeza de que Neymar é anulado com uma marcação forte. Pára de jogar. Não faz mais gols.

As estratégias de jogo se aplicam a vida prática. Em nosso caso, na Cassi e na Previ.

Ambas são constantemente perseguidas. Querem sempre se apropriar de recursos dessas instituições.

E querem utilizar a força para isso. O objetivo é aterrorizar os associados para que fiquem com medo

Eles têm certeza de que, assim como Neymar, nós somos cai cai. E aceitamos as medidas impostas.

Não podemos dar essa impressão.  Temos que ser duros na queda. Temos que resistir.

Vamos nessa ?

NÃO PODEMOS ACEITAR A QUEBRA DA SOLIDARIEDADE. NEM A PERDA DE DIREITOS ADQUIRIDOS.

NÃO SOMOS  CAI CAI.

SEXTA FEIRA TEM O ENCONTRO DE CAMBORIÚ.

COMPAREÇA 

A CASSI NÃO VAI E NÃO PODE QUEBRAR

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Hoje tivemos a reunião de debates sobre a Cassi na Afabb RS.  Participou o superintendente regional do BB, Aílson, o presidente do conselho deliberativo da Cassi, Sérgio Faraco, e o coordenador do grupo de saúde da Anabb, Fernando Amaral.  Foi transmitido pela internet e teve o auditório da Afabb RS lotado.


Foi um encontro positivo e muitas das dúvidas foram esclarecidas.

Eu me manifestei. Não me contive.

Falei que não me conformava com o clima de terrorismo que estava sendo criado e manipulado pelo banco, numa tentativa de amedrontar os associados da Cassi e apressar a aprovação da proposta do BB.

Afirmei que o BB estava promovendo uma falácia , pois o banco tinha responsabilidade contratual com os funcionários que foram obrigados a aderir a Cassi para ingressar na instituição.  Essa responsabilidade pode ser cobrada caso descumprida a obrigação, e os diretores do banco podem até ser responsabilizados penalmente caso se omitirem e deixarem a Cassi quebrar ou ser objeto de intervenção da ANS.

Garanto que os diretores do BB sabem de suas responsabilidades perante a Cassi. Caso aconteça algum problema grave ou uma desgraça eles podem ser presos por omissão de socorro ou de  descumprimento de seu dever contratual. O Ministério Público Federal está atento e pode ser acionado para processar e mandar prender quem deixar a saúde dos aposentados e pensionistas do BB ir pro brejo. A ganância é grande por lucro ou PLR mas garanto que nenhum diretor do BB quer ir fazer companhia ao Duda na prisão.

Argumentei que ninguém duvida dos custos crescentes do sistema de saúde que provocam o déficit da Cassi.  Mas também deveria ser levado em conta o aumento dos lucros do BB que alcançou bilhões e bilhões de reais.  O auxílio para a Cassi é uma migalha que está sendo negociada vilmente pelo BB, que não quer abrir mão de nenhuma parcela de seu lucro, nem os dirigentes de seu PLR.

O superintendente amarelou e me respondeu que o BB não está fazendo terrorismo mas apenas informando sobre a real situação de dificuldade financeira por que passa a Cassi para que haja  urgência na aprovação das medidas propostas pelo banco.

Não sei não.  Ele se esforçou mas não conseguiu convencer da boa intenção do BB.

O CD da Cassi vai apreciar o aumento por dependente e da co participação e breve haverá um plebiscito para aprovação do aumento na contribuição. Portanto, estamos ferrados.
.
Continuo convicto da necessidade do protesto judicial para garantir nossos direitos adquiridos que estão ameaçados.

GUEITIRO SAI DA PREVI

quarta-feira, 4 de julho de 2018

De acordo com o site da Previ, Gueitiro Genso se despediu da instituição por ter sidoindicado para vice-presidente da área de varejo e de gestão de pessoas do BB.


O novo presidente da Previ já foi anunciado. Será o atual presidente do BB Seguridade,  José Maurício Pereira Coelho.

Ambos assumirão seus cargos após a devida aprovação pelos conselhos respectivos.

Para a maioria foi surpresa. Gueitiro recém havia sido indicado para um novo mandato na Previ e tomara posse.  Para mim não, eu já sabia por fontes seguras.  Gueitiro, me disseram, estava desconfortável com varias coisas na Previ.  A volta do déficit em maio, no valor de sete bilhões, foi determinante, me afirmaram. Alguns problemas com a Previc aborreciam o Gueitiro ultimamente, também.

No meu período de conselheiro deliberativo suplente tive uma relação conflituosa com o Gueitiro Genso.  Não me conformei com varias atitudes dele, especialmente na área da comunicação, transparência e jurídica, que estavam afetas à ele. Discutimos varias vezes. Ele também não se conformava com o meu blog e reclamou de algumas postagens.

Numa ocasião, durante reunião do conselho deliberativo, quase quebrou o pau, mas uma intervenção hábil do ex presidente Robson Rocha fez o Gueitiro se desculpar e o episódio foi superado.

Gueitiro é um gestor inteligente e tem qualidades negociais que merecem ser reconhecidas. Como todo gestor ativo tem acertos e erros. Conduziu a diretoria da Previ por três anos, tempo suficiente para demonstrar sua capacidade, sempre declarando que a força da Previ resistir a tempestade da corrupção estava em sua governança corporativa.

Acho que ele sai em boa hora.

Não conheço o novo presidente.  Vai assumir a Previ num momento delicado de instabilidade política e financeira do país.

Desejo-lhe pleno sucesso. Pelo bem de todos nós. E, desde já, coloco a minha experiência a sua disposição, se ele quiser.

Vamos que vamos.

REUNIÃO SOBRE CASSI NA AFABB RS

terça-feira, 3 de julho de 2018

Ja estou trabalhando firme. Cheguei sábado da viagem à Europa.


Quinta feira, dia cinco, vai ter reunião sobre a Cassi na Afabb Rs, que terá transmissão pela internet, a partir das 14,00 horas.

Vão participar o superintendente regional do BB, o presidente do Conselho Deliberativo da Cassi, Faraco, e o coordenador do grupo de saúde da Anabb, Amaral.

Irão procurar esclarecer os principais pontos que estão em debate sobre a Cassi e que breve serão colocados em votação para o quadro social.

Esse assunto da Cassi está pegando fogo. Existem muitas discussões e brigas acontecendo. As divergências são enormes.

Existem, para mim, algumas evidências.

O BB está se recusando a contribuir para a sobrevivência da Cassi com os recursos necessários e dos quais dispõe. E pior, quer ainda tirar proveito da situação para melhorar seu resultado no balanço.

A Cassi realmente está quebrada. Lamentavelmente deixaram ela chegar nessa situação. Houve, com certeza, má gestão. Comprovado no relatório da Accenture. As dificuldades financeiras e a ameaça de intervenção da ANS provocam uma urgência na solução e o terrorismo é uma espada em cima de nossas cabeças. Os culpados deveriam ser responsabilizados, sim.

Existem pessoas e facções que estão fazendo inocentemente ou não o jogo de interesses do banco.

Vai haver quebra da solidariedade e perda de conquistas históricas.

Eu, pessoalmente, não concordo com a perda dos direitos adquiridos e vou , assim que for adequado, ingressar com protesto de ressalva de direitos.

Nesse meio tempo torço por uma solução justa e inteligente, bem como por uma resistência contra as investidas do BB, que me parecem, mais uma vez, terem objetivos meramente financeiros, a favor do banco e de seus dirigentes.

Vou aguardar o debate de quinta. Mas, por enquanto, é o que eu penso. O protesto está adiantado na sua redação, só aguardando o momento certo para entrar.

Vamos que vamos. Sempre. 

ENCONTRO DE CAMBORIÚ DIA 13 DE JULHO

quinta-feira, 28 de junho de 2018

O Encontro das AFABB do Sul do país em Camboriú este ano promete. Ninguém que se interesse ou precise da CASSI ou PREVI deveria faltar. Os debates prometem ser empolgantes, Eu vou, com certeza. E pretendo participar ativamente.


Retorno de minha viagem a Itália no dia 30, sábado, e já na segunda, 2 de julho, estarei na Afabb S trabalhando.

O momento não é de bobeira. Não dá para brincar com fogo. Aconteceu na Itália e em Portugal . Os participantes pagaram o pato. É preciso lucidez e muita competência para lidar com os ataques a nossas conquistas e nosso patrimônio.

Também é preciso coragem. Não é hora de comodismo nem de omissão. 

O Encontro, como sempre, vai abordar em duas etapas a Cassi e a Previ.

Temos que ser objetivos naquilo que queremos e que é possível fazer.

Portanto, não perca o Encontro de Camboriú.

Nos encontraremos lá, se Deus quiser.

Até.

O REAL NÃO VALE NADA

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Eu viajo ao exterior todos os anos. Às vezes mais de uma viagem. Ano passado foi Espanha e Portugal.


Este ano estou revisitando a Itália. Nunca senti tanto a desvalorização de nosso real.

Uma coca cola três euros, o que equivale a cerca de quinze reais. Um chope seis euros, trinta reais. Um capuccino cinco euros, vinte e cinco. Uma mineral de dois a quatro euros. O euro está quase a cinco reais, agora baixou para 4,75. Uma refeição para dois sai 50,00 euros, cerca de 250,00.

Um teatro bom  sai trezentos euros o ingresso. O táxi cobra no mínimo dez euros por corrida.

Um hotel sai a diária por cerca de cem a cento e cinquenta euros.

Mesmo assim tenho encontrado quantidade de brasileiros viajando pela Itália. Chinês, japonês, e brasileiro, é o que mais tem.

Também se encontra muito brasileiro trabalhando de garçom. Não querem voltar.

Parece que a coisa com a Cassi está pegando fogo. O BB fazendo terrorismo, o jogo dele de sempre, e os nossos representantes brigando entre si. Quem vai pagar o pato é oparticipante.

Volto na próxima semana. Renovado. Aprendi muito por aqui.

Não entreguem a rapadura. O BB tem gordura de sobra.

Até.

PRA FRENTE BRASIL

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Iniciou a Copa do mundo de futebol. Refresco geral. Todo mundo torcendo. Salve a seleção !


O Brasil de Tite é um dos três favoritos para ganhar. Os outros dois são a Alemanha e a Espanha.

Eu continuo viajando pela Itália, que foi eliminada, não participa da copa. 

Minha atenção continua com a situação da economia do Brasil. Hoje vi queda bolsa caiu para 69.000 e no final se recuperou e fechou em 70.000. O pior índice em seis meses. O BB chegou a ter sua ação negociada a 24,40.  Eu comprei um novo lote a 25,00.ja havia comprado a 26,50. É para melhorar a média. Se cair para 20,00 eu comprarei mais. 

O que será que está acontecendo com o BB ?  Durante todo o ano de 2017 a ação nunca chegou a 24,00.  Algo estranho há.

Evidente que o BB quer jogar pesado com relação a Cassi. É uma prova de fogo para os novos eleitos. Precisam mostrar para que vieram. Não podem errar.

Andei de trem bala a mais de 240km por hora, sem barulho, sem sacudir, eu caminhando normalmente no corredor. Por que detonamos nossasferrovias ?  Para favorecer a quem ?  Aí ficamos refem de uma greve de caminhoneirosque esculhambou o país.

Volto em breve.

Bom final de semana para todos.

DOM BOSCO ABENÇOE BRASÍLIA

sábado, 9 de junho de 2018

Estive hoje em Turim, extremo norte da Itália, junto aos Alpes nevados.


Em Turim está o túmulo de Dom Bosco, que sonhou com Brasília antes dela ser cogitada por JK.

Visitei a Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora onde repousam os restos mortais de Dom Bosco.

Orei para que Dom Bosco a ntervenha em Brasília, conserte a podridão política que impera na Capital do Brasil.

Assim como está não vai dar.  Vai dar um bode danado. 

Estive olhando a foto da posse dos novos dirigentes na Previ estampado no site. Parece que não se trata de um ato festivo. Se nota um ar de constrangimento, talvez pelo episódio da ausência da Paula Goto. Também pudera ...

Me contaram que um dos eleitos botou a boca no trombone e ofendeu todos os que são de opinião contrária nessa questão da Paula. Cadê o respeito pela divergencia ?

Com a bolsa a 72.000 pontos cai por terra o discurso do êxito de gestão por causa da governança, pois  o alegado superávit foi pro espaço.

Estou torcendo que o Governo consiga levar o país sem grandes comoções, como a dos caminhoneiros, até as eleições presidenciais. Falta pouco.

Aqui ninguém mais acredita no Brasil. Exceto no futebol. 

Avante Brasil. Salve a seleção!



PÂNICO NA BOLSA E NA MOEDA

quinta-feira, 7 de junho de 2018

A BOLSA está em baixa violenta, mais de cinco por cento, e o índice do Ibovespa recuou para 71.000 pontos, zerando o ganho do ano. Há pânico no mercado. As ações do BB foram as mais afetadas. De 32 reais baixaram para 25. Bom para comprar. Mas não se sabe ainda quando o mercado vai se estabilizar. Pode cair mais. Eu comprei a 26,50. Achei bom negócio. Depois da compra caiu mais. Não importa. Nunca compro no mínimo nem vendo no máximo. Mas sempre ganho. É o que vale. Me ensinou um operador de câmbio de Uruguaiana.Achei um milagre ter feito a operação de compra daqui de Milão pelo celular. Incrível. Tempos modernos. Também assustam. Alerta na internet por parte do FBI.


O dolar foi a 4,30 reais nas casas de câmbio. O euro está uma loucura. E eu aqui na Europa. Mamma mia.

Hoje visitei a bolsa de Milão. A Itália passa também por uma crise.

Dizem que a causa da baixa da bolsa  é a instabilidade política e eleitoral do Brasil e o receio com os países emergentes. Há medo de guerra e de calotes. Os estrangeiros estão saindo da bolsa no Brasil.

Onde vamos parar ? 

Não há uma razão conhecida para tamanho tombo nas ações do BB. Não para mim. Ou haverá?

O Bacen vai intervir urgente para tranquilizar os investidores. Intervenção já. No mercado, bem entendido.

Hoje fui ver a Última Ceia do Leonardo da Vinci. Emocionante. Genial. 

Mas estou apreensivo com a situação do Brasil.

Mamma Mia.

MAMMA MIA !

segunda-feira, 4 de junho de 2018

O amigo Ari Zanella usa com frequência essa expressão italiana quando se depara com algo espantoso:  mamma mia.


Estamos vivendo alguns momentos espantosos. O impedimento de Paula Goto assumir na Previ pela Previc. Ela vai recorrer. Tem dez dias. Mas o mal estar já está feito. Sempre ficará marcada.  Para mim a chapa toda foi contaminada. Não tem essa de assumir só uma parte. Se a Previc voltar atrás vai ficar desmoralizada.A decisão do BB de terminar com a mesa de negociação da Cassi e culpar as entidades pelo desmanche é outro espanto. Quem teve mesmo a culpa ?  O sindicato diz que o BB quer fugir de sua responsabilidade, pois deve 450 milhões na conta dos dependentes, para a Cassi,  em obrigação que assumiu em 2008. Mamma  mia !

O sobe e desce da bolsa. A subida do dólar para quatro reais  e dos preços do combustível, do tomate e dos remédios. O euro foi a 4,60.

Mamma mia !

O país está cheio de boatos. Parece que vem nova greve por aí. O Temer vai renunciar.  O Lula vai sair da prisão. O Bolsonaro é contra a intervenção. O Geisel mandou matar. Muita fake news.

Mamma mia !

Sabem de uma coisa ?  Vou sair do país. Vou embora pra Pasargada ?  Não.  Vou passear na Itália. Tirar uns tempos por lá.  Só volto em julho. Uma viagem cultural, religiosa, de lazer e diversão. Vou comemorar meus oitenta anos recém feitos e os 55 de casado com a Ana. Vou só com ela. Não é a primeira vez. Vou rever lugares e conhecer novos. A Costa amalfitana é um deles. A Toscana outro. Quero relaxar e voltar energizado. De relance, vou ver como está a situação dos aposentados por lá.

Mamma mia !

Mas o blog não vai parar. Continuarei postando , se Deus quiser, nesse período , para desconforto dos infiltrados e opositores que me provocam, boicotam e querem o fim do blog.   Até a volta. Paz e amor. 

Mamma mia !

OUTRA BOMBA ! O BB DESQUALIFICOU A MESA NEGOCIADORA DA. CASSI

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Em extenso texto o BB desqualificou a mesa de negociação da CASSI, alegando que tentou fazer reunião e não conseguiu. Então resolveu levar a sua proposta, com alterações , para ser decidida na governança da Cassi, pelos órgãos respectivos da entidade.


Isso quer dizer que a partir de agora as associações estão fora da discussão. A decisão será tomada pelos dirigentes da Cassi.

A proposta do BB é de quebrar a solidariedade através dos dependentes e de que sejam criadas duas diretorias técnicas , bem como que o BB tenha o voto de qualidade no conselho.

Nos bastidores corre que o BB achou que na mesa a solução demoraria demais e a sustentabilidade da Cassi está exigindo uma solução rápida e urgente.

Mas sem dúvida é um baita tiro nas associações e entidades. Que tiro foi esse BB ? Foi uma bomba.

Vale a pena ler o texto proposta do BB para a Cassi.

O meu protesto judicial cada vez se robustece mais e ganha razão de ser.

Mais uma postagem em primeira mão do blog do Medeiros.

Vamos que vamos. Sempre.

SUJOU A FESTA DA POSSE

Tenho passado muitas dificuldades no blog. Só Deus sabe. Ele é monitorado 24 horas por dia. Haja censura !


Tenho resistido a bombardeio de vírus, bactérias, etc.  

Mas agora foi demais.  Mexeram fundo. Bloquearam comentários.  Sumiram comentários. Uma baita confusão. Cookies pra cá, cookies pra lá.  Infiltrados. Insurgentes. Insuportáveis.fizeram uma baita esculhambação.

Querem que eu me incomode e acabe com o blog. Eu já falei que enquanto me provocarem eu não termino com o blog.

Por que será ?  Qual serviço, qual utilidade o blog está tendo que está gerando toda essa movimentação ?   

Será por causa das minhas fontes ?  Será por causa de minhas atitudes ?

Hoje deveria ser um dia de festa.  Mas a festa sujou.  A posse dos novos eleitos vai ser feita de forma inadequada e defeituosa.  A diretora de planejamento, PaulaGoto, não deverá tomar posse. Foi proibida pela Previc por não estar habilitada como gestora de investimento, não tem condições de ser AETQ.

Pois então a eleição foi nula, viciada pela não habilitação de uma candidata ao cargo. Com isso maculou toda chapa de que ela fazia parte. Bem feito. Quem mandou fazer a campanha em cima da suspeição de um candidato dachapa um. Agora o feitiço virou contra o feiticeiro.

Acho que com esse fiasco a Previ nem vai emitir convites para posse que hoje, 1 de Junho, acontece no Rio.  Pois o correto seria dar posse para a segunda colocada ou fazer nova eleição.

Que vergonha !

BOMBA ! PAULA GOTTO NÃO FOI CERTIFICADA PARA AETQ E NÃO PODE ASSUMIR NA PREVI

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Surgiu na rede de fonte segura a informação de que a diretora de planejamento eleita Paula Gotto não foi certificada pela PREVIC para AETQ.  Dessa forma ela não poderia assumir agora e o atual diretor de planejamento Marcio ficaria transitoriamente no cargo.

AETQ significa que o titular deve ser uma pessoa especialista em finanças e planejamento com alta qualificação, tecnicamente qualificada, pois fica responsável perante a PREVIC da execução das politicas estratégicas adotadas pelo fundo de pensão para o cumprimento de suas obrigações.

Essa falta de preparo já tinha sido levantada por ocasião da eleição, mas os defensores da chapa vencedora alegavam que Paula tinha todos os elementos necessários para a incumbência.

O site da Previ está mudo e surdo por enquanto a respeito da posse dos eleitos.  Nenhum convite também chegou para a cerimonia, ao que se sabe. Mutismo comprometedor.

Consultei várias fontes e todas confirmaram o impasse. Mas existe o boato de que a Contraf Cut está se mexendo junto com a ANAPAR para obter a certificação ou a liberação, talvez passando a AETQ para outro diretor.

Vamos acompanhar.  Episódio lamentável. Dá razão aqueles que defendem uma melhor qualificação de nossos eleitos ou que a função seja exercida por profissionais competentes do mercado.

E o Postalis continua no noticiário. Descobriu-se uma operação de valor enorme com uma refinaria da Petrobrás.  Não há o que não tem. Pobre dos carteiros.

Vamos que vamos.  O blog está sendo boicotado e bloqueado. Os comentários entram com dificuldade. Sinal de que estou com razão e incomodo aos poderosos de plantão de nosso fundo e do BB, além dos invejosos.

Como sempre mais uma vez o blog publica em primeiríssima mão as noticias que nos dizem respeito.


NÃO ADIANTA INSISTIR, A INTERVENÇÃO MILITAR NÃO VIRÁ

Se algum grupo queria a intervenção militar provocando o caos se estrepou.  Não existe clima para a intervenção militar.  Os militares não estão afim, não querem se expor de novo. A solução só pode ser democrática, dentro das normas da Constituição.


A greve não tem mais razão de prosseguir. A continuidade só interessa a política. Querem perturbação da ordem.

Mas cadê a inteligência do exército e do Governo?

O que não pode acontecer é o aumento exagerado do tomate, da cebola, da batata. A falta de frango e de carne. A gasolina a seis reais.

Vamos sentir por algum tempo a consequência da greve.  Faltou ração. Morreram 70 milhões de galinhas. Um crime.

A bolsa reagiu hoje. As ações da Petrobrás subiram 14 por cento. Mas existem receios.

Com esse cenário o que sobra pra nos aposentados?

Acho que é preciso descobrir o que está atrás desse movimento.

Foi declarada a ilegalidade da greve dos petroleiros.  Isso diz alguma coisa ?

Só uma coisa é certa. A intervenção militar não vai acontecer. Não adianta provocar.

Eu tenho uma certeza comigo e comentei isso na ocasião. A prisão de Lula não ficaria sem reação. Quem achou o contrário não sabe nada de história. Ele é líder social e tem o maior índice de aceitação popular.

A quem interessa o caos ?  Quem vai ganhar dinheiro com a baixa da bolsa .

Eu vou viajar.  Sair um pouco do país.

A posse dos novos eleitos da Previ acontecerá quando ?  Meu mandato terminaria amanhã.

A VENEZUELA É AQUI, O BRASIL PAROU

domingo, 27 de maio de 2018

Quem estava alienado agora finalmente se deu conta que algo estava errado no Brasil.  Teve que faltar transporte, comida e remédios para as pessoas se darem conta de que a realidade era pintada de cores falsas.


Lucro trimestral da Petrobrás de sete bilhões foi festejado.  Lucro de seis bilhões do Itaú foi festejado.  Lucro de dois bilhões do BB foi festejado. Agora a economia está se recuperando. A bolsa vai rumo aos cem mil pontos.

Temer lança Meirelles candidato a presidente por ter colocado a economia nos trilhos. A inflação está controlada. O PIB volta a crescer.

A Previ apresenta superávit. Sinal de que houve uma gestão eficiente dos recursos.  O presidente e os diretores indicados foram reconduzido pelo BB.

Uma greve dos caminhoneiros derrubou toda essa falácia.  Desnudou o país.  Mostrou o lado negro e negativo., mostrou nossa fragilidade.

De repente, estamos a beira do colapso, no meio do caos. Mas não foi a greveque causou o caos. Foi o caos que causou a greve,

Corremos para os super mercados para comprar papel higiênico, água , produtos básicos.

Viagens são prejudicadas. É o meu caso . Tenho viagem marcada para o exterior.  Não sei se vai sair. É via São Paulo. Baita prejuízo. Mas mesmo assim estou apoiando.

Remédios começam a faltar nas farmácias.  É o caso de um hiper tensivo que eu uso. Os preços das verduras e frutas estouraram.  Tem que existir limites.

E o nosso Governo  ?   Incompetente, ignorante, arrogante, e .... não sabe negociar.  Quarta feira vem aí uma greve dos petroleiros para agravar a situação.

O que fica ainda no ar é se a greve visa o atendimento de reivindicações da categoria ou se é algo mais profundo, como, por exemplo, motivar uma intervenção. No refrão cantado pelos  grevistas, falava que o movimento já era vitorioso, mas que apenas tinha começado. Irá até onde ?

Fiquemos atentos. Nada mais será como antes.

QUEM DIRIA QUE VIVER OITENTA ANOS IA DAR NISSO

sábado, 26 de maio de 2018

Eu hoje estou aqui, vivendo este momento lindo. Se amei ou se chorei, se sorri ou se sofri, o certo é que emoções eu vivi, canta Roberto Carlos. Eu também vivi muitas emoções. É que estou fazendo oitenta anos hoje, 26 de maio de 2018.

Escolhi o Banco do Brasil para trabalhar porque era, naquela época, um ótimo emprego. Oferecia bom salário, uma carreira, um ideal a ser atingido, proteção à saúde e uma aposentadoria justa.  Ingressar no BB por concurso era a garantia de que o felizardo estava feito na vida e se transformava num excelente partido para as moças casadoiras. Além disso meu pai era do banco. Apaixonado pelo BB. Arriscou até  a vida por ele.



Eu entrei na Faculdade de Direito em fevereiro de 1957 e no Banco do Brasil em abril do mesmo ano. Tinha 18 anos. Tinha sonhos. Tinha pretensões. Tinha dificuldades. Tinha tuberculose. Um estigma naquele  tempo. Vai morrer cedo, diziam.

Vinha de uma infância feliz em Uruguaiana. Apenas uma surdez atrapalhava um pouco minha vida. As pessoas me achavam distraído e tímido, talvez abobado. Não se davam conta que eu escutava mal, produto de uma otite. Esse menino não vai dar em nada, profetizavam.
Tive um programa de TV onde eu debatia os problemas da fronteira oeste, nas quartas feiras, depois da novela. Sucesso de audiência. Fiquei famoso na cidade. Fui presidente do Rotary Clube de Uruguaiana Presidente da Somar, que fazia alfabetização de adultos pelo rádio. Emocionante. Professor e diretor interino da Faculdade de Zootecnia. Lancei um livro Desafio à Pecuária, best-seller estadual. E fui convidado para ser prefeito de Uruguaiana, que, por ser fronteira, era nomeado pelo Presidente do Brasil.

Convocado pelo Governador Guazelli para ser diretor de crédito rural do Badesul, em Porto Alegre, me mudei com a família toda, mulher, quatro filhos, empregada e cachorro policial. Meu mandato foi o único renovado pelo Governador Amaral de Souza no sistema financeiro. Fui de novo convidado para prefeito de Uruguaiana. Indicado para a ESG, para diretor do BB e do Bacen. Tive que ceder meu lugar para o ex senador Daniel Faraco por ainda ser muito novo, trinta e sete anos. Assumi a presidência da Banrisul Financeira. Retornei para o BB, fui convidado para consultor jurídico adjunto do banco em Brasilia, não aceitei, Ana se recusava a morar em Brasília, e fui nomeado assessor jurídico da Super RS, onde me aposentei em 1987 e fui advogar,, trabalhar na Bantrade e ser diretor de corretora de valores no mercado de capitais.

Tres  anos depois ingressaria na Afabb RS, recém criada, e lá permaneceria até hoje,  como consultor jurídico e presidente, tendo sido conselheiro  fiscal e deliberativo da Previ, conselheiro  fiscal da Gerdau e da Vale, autor do livro no Olho do Furacão. Viajaria a trabalho e por lazer por todos os continentes, menos a Austrália, por todos os países da América, por todos os Estados do Brasil, mais de quinhentas viagens de avião só  para o Rio de Janeiro, eu que quase morri num acidente aéreo com um avião DC 3 da Varig. Criei o blog do Medeiros que tem quase dez anos e mais de três milhões de visualizações, tendo chegado 141 países. Sou surpreendido em lugares com desconhecidos que me perguntam tu ès o Medeiros, aquele do blog ? Condecorado pela FEB, pela OAB RS e pela Prefeitura de Uruguaiana, com mais de cinquenta troféus de tênis, futebol e biriba, além de inúmeras medalhas. Adoro percussão e ronco uma cuíca.

O que eu não poderia imaginar, naquele ano de 1957,  quando ingressei no banco e na faculdade, é que ao fazer oitenta anos , hoje , ainda estaria advogando ativamente e ainda fazendo parte da comumidade do Banco do Brasil através da Afabb Rs e da AABB. 


 Sim, jamais imaginaria que teria condições de ir tão longe geograficamente e profissionalmente, conheceria tantos países, amanheceria defronte as pirâmides do Egito, andaria de camelo nas areias de Marrocos, me comoveria em Jerusalém no Horto das Oliveiras , no Gólgota e no muro do Templo, ficaria extasiado na mesquita azul de Istambul , participaria de  um safári na África do Sul, pegaria um leão no colo, assistiria ao espetacular por de sol de Santorini, andaria de gondola em Veneza, curaria um melanoma em Fátima, foto acima,  e iria viver tantas outras maravilhas, como entrar no interior da floresta amazônica, convivendo com cobras, macacos e araras,  nadar com golfinhos e tartarugas nas águas límpidas de Fernando de Noronha e com peixes e tubarões nos corais de Cozumel, no México.

Jamais imaginaria que ocuparia tantos cargos importantes, lidaria com tão altas autoridades, presidentes da República, Ministros, Governadores. Faria palestra na FAO em Roma sobre problemas ambientais. Enfrentaria situações e aventuras nesses oitenta anos, como o peladaço, a novembrada e a renúncia na Previ; como defender o Palácio Piratini de ataque aéreo na legalidade do Brizola armado apenas de revólver calibre 38; como salvar a vida de ...   Enfim... desculpem , hoje é um dia de emoções e de recordações. De sorrir e de chorar ! Dia de comemorar por chegar até aqui, ainda lúcido e de bem com a vida ! Dia de agradecer, à Deus, Nossa Senhora, meus santos, meu anjo da guarda, à Ana, aos meus pais, à família e a todos os que me auxiliaram a percorrer a jornada.  Desculpem eventuais falhas, procurei sempre o bem e a luz, buscando servir.  Obrigado do fundo do coração.

Quem diria que viver oitenta anos  ia dar nisso tudo !

UNIÃO DE 55 ANOS É MAIS DO QUE UNIÃO

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Estamos empenhados em tentar fomentar mais união entre nós, funcionários da ativa e aposentados do BB, na certeza de que unidos somos mais fortes e só dessa forma podemos ganhar eleições e fazer frente à ganância atual dos dirigentes da entidade, que querem lucro a qualquer preço, para aumentar sua remuneração variável.


Eu tenho uma união que está fazendo cinquenta e cinco anos. Uma união sólida, solidária, robusta, fundamentada no amor e no companheirismo, que tem alicerces concretos para enfrentar tempestades.

Casei com a Ana no dia 24 de maio de 1963, em Uruguaiana. Dia de Nossa Senhora Auxiliadora. Fomos abençoados com quatro filhos, noras e genro, quatro netos e sete cachorros colaterais, uma eterna babá, além de uma infinidade de parentes e amigos.

Não sei o que seria de mim se não tivesse ao meu lado, nesses cinquenta e cinco anos, a figura bonita,  suave e forte da Ana, dando o seu apoio e o seu carinho. A jornada junto se tornou mais fácil, menos dolorosa, mais possível, menos amarga, com mais momentos felizes.do que tristes. Porque a vida é assim com altos e baixos, tem que saber aproveitar os momentos bons, como a viagem que fizemos a Macchu Pichu, no Peru, foto abaixo. Tem mesmo que ter coragem de ser feliz, que é uma opção nossa, de mais ninguém.



Quando fizemos cinquenta anos de casados, dei para a Ana um livro sobre nossa história intitulado Bodas de Ouro.  Achava que tudo terminava ali. Estava enganado. A vida continuou e novo marco está se concretizando em nossa união. E põe união estável nisso. Agora a meta é mais na frente, rumo aos sessenta.

Agradeço ao bom Deus por tudo e a Nossa Senhora Auxiliadora pela permanente proteção.

Cinquenta e cinco anos juntos é mais do que união.  É  integração, é uma consagração ao amor,  uma benção do Criador, um milagre divino, um sol radioso, um céu estrelado, um sorriso de criança, um canteiro de flores, um sopro de primavera, são cinquenta e cinco tons coloridos de alegria e companheirismo.

Cinquenta e cinco anos !  Passaram tão rápido como uma neblina. Voaram. Mas valeram a pena.

Ana, te amo de paixão!  Vamos em frente !

Vamos que vamos ! Sempre unidos ! 

AS. MUDANÇAS E O DIREITO ADQUIRIDO

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Li atentamente o escrito do Satoru sobre como ele está lidando com as mudanças impostas pelas novas gerações de funcionários e dirigentes do BB na Cassi e na Previ. O comentário extenso dele está no post anterior.


Respondo que é importante deixar claro que ninguém quer a volta ao passado, por melhor que ele tenha sido. Sabemos que isso não é possível. Também não se quer cortar o diálogo com os mais jovens, criar uma barreira, guerrear com eles, por mais imediatista e materialista que essa geração digital seja.  Seria um erro tático.

O que se procura, na verdade, é fazer a defesa de nossos direitos, que estão fundamentados em princípios pétreos,  cuja quebra provocaria danos irreversíveis na estrutura que sustenta o convívio social.

Se não  existirem cláusulas jurídicas duradouras não existe segurança jurídica para ninguém. O resultado será o caos social, um retorno às trevas, um retrocesso em nossas conquistas. 

É preciso respeitar os direitos adquiridos.

A anarquia e a confusão aparecem soberanas quando se escolhe Economia acima do Direito.  

Quando o interesse financeiro restringe os nossos direitos sobrevém a ganância e a partir daí aincerteza comanda o espetáculo.

A pior coisa que está nos acontecendo no momento no Brasil é a mudança frequente de regras e de normas ao sabor de situações conjunturais e de crises que vez por outra nos acometem.

Eu tenho plena consciência de que a vida  é dinâmica e as mudanças ocorrem cada vez mais rápidas. Mas, a bem da segurança de nosso futuro, da tranquilidade de nosso ocaso, precisamos defender com unhas  e dentes a preservação de nossos direitos adquiridos, só transigindo em caso de  absoluta e indisfarçável necessidade. Não vejo conservadorismo nessa atitude. Vejo como sobrevivência. Se querem mudar, mudem, mas respeitando nossos direitos. Um deles é o princípio da solidariedade.

Não conheço esse movimento chamado Inspira BB. Conheço e estou afinado com o MSU que ganhou a eleição, cujos princípios básicos são os mesmos que sempre defendi.  Ou estou enganado ?  

O BB teve um lucro de dois bilhões de reais no trimestre e está descumprindo o compromisso que assumiu conosco quando ingressamos no banco, o de garantir a saúde quando a gente se aposentasse. Eu só quero que ele cumpra a sua obrigação. Tem gordura para tal. O que não estou disposto é pagar mais para que os diretores do BB tenham uma remuneração mais gorda. Só isso. Não nos embrulhem de novo...

Não me considero retrógrado nem saudosista. Vivo o presente e luto pela defesa dos direitos das pensionistas e dos aposentados, especialmente dos mais idosos, octogenários como eu, que precisam da Cassi e da Previ.

É o que penso e faço. Enquanto tiver saúde e lucidez. Vou, sim, fazer o protesto judicial de ressalva de direitos, doa a quem doer.


OCTOGENÁRIOS

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Quantos octogenários temos hoje aposentados no BB ?  Um monte. É uma categoria que nem a Previ nem a Cassi apreciam.  A Previ, pela longevidade acima das previsões do IBGE.  A Cassi pelas enfermidades e cirurgias que costumam ocorrer nessa faixa de idade. Os octogenários, infelizmente, são vistos com maus olhos, causadores de dispêndios e de despesas.


Eu me preocupo com a Cassi - e por isso vou entrar com o protesto judicial de ressalva de direitos - porque estou ingressando na turma dos oitenta anos. Neste radioso mês de maio,  estou virando octogenário, passo a ser um fator de risco, uma máquina velha, com os desgastes naturais da idade.

Confesso que estou em estado de choque, vivendo a crise dos oitenta. Começa aqui o curto circuito entre a jovialidade do espírito e a decadência do corpo, entre a jovialidade da mente e a decadência da vontade. Há pouco era o gatão da meia idade. De tio agora sou vô da idade condor. Cabeça tão boa ,  joelhos fracos e olhos embaçados. Que aconteceu?

É que fui pego de surpresa. Faz pouco superei a crise dos quarenta. Não vi os anos passarem. Quando me dei conta estava com oitenta anos.

Fazer o que?   Uns dizem que tenho que me rejubilar por ter chegado aos oitenta, vencendo a balisa imposta pelo IBGE.  Varios não lograram ultrapassar a barreira e ficaram no caminho. Outros chegaram em más condições. Alegre-se por ter sobrevivido. Vencido acidente de avião e diagnóstico de câncer pulmonar aos 22 anos. Ufa !

Martha Medeiros escreveu uma crônica falando dos oitenta anos. Diz o seguinte: “ Até que se chega aos oitenta. É a idade de inúmeras pessoas que admiro. E o que tenho visto é só celebração. Os oitenta são motivo de festa , de orgulho e de uma espécie de refinada liberdade. Já não há mais tanta preocupação com o que os outros pensam, assume-se um pódio de chegada em que o troféu é olhar para trás e ser grato pela estrada percorrida, pelas conquistas profissionais, pela família constituída e pelos amores que nos tiraram o sono. Quem é que chega aos oitenta sem nada para contar ? Não há como não se ter uma biografia aos oitenta .  Você pode se sentir vencido, mas venceu também. Foi alem da expectativa do IBGE. E o prêmio é não precisar atender às demandas do mercado. Admiro os homens que souberam honrar os anos vividos, que compartilharam conosco sua inteligência, humor e cultura, e que nos fazem perder o medo de chegar lá, mostrando que onde tantos temem a aridez e a improdutividade, ainda há terreno fértil, esperança e futuro.”

Hoje fico por aqui. O texto de minha sobrinha Martha é inspirado. Termina com uma bandeira otimista, alertando que nos oitenta ainda há terreno fértil, esperança e futuro.

Oxalá !  

O BB E A CASSI

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Em fevereiro de 2008, o então vice presidente do BB, Aldo Mendes, declarou o seguinte numa entrevista:


“ Houve necessidade de reajuste do Estatuto do Plano de Assistência Médica de forma que ficasse muito claro nesse novo Estatuto que o Banco não tem obrigações futuras com esse plano, isto é, nós temos a obrigação que está ali, no Estatuto...  No Estatuto anterior isso não era muito claro... Se lá na frente o plano tivesse um déficit o Banco poderia ser chamado a arcar com esse déficit.  Isso não acontecerá mais.  Portanto, foi uma outra questão muito importante. Estamos evitando custos futuros para o Banco.”

Querem uma declaração mais cristalina do que essa ?  

O vice presidente Aldo Mendes estava explicando ao mercado as novidades apresentadas pelo BB para melhorar o seu balanço e dar mais lucro.  Repito: “Estamos evitando custos futuros para o Banco”.

Por aí se pode comprovar facilmente o verdadeiro propósito do BB para com a CASSI ao realizar a mudança estatutária de 2007, que foi aprovada em votação pelo quadro social, apesar de algumas vozes discordantes como a do mestre Rui Brito e a minha.

No meu protesto judicial de ressalva de direitos eu menciono essa declaração espúria do vice presidente do BB, que foi logo depois promovido a diretor do Bacen.

Naquela ocasião outra declaração causou espanto e indignação. Foi a do vice presidente Luiz Oswaldo que afirmou que “ o BB não tem obrigação de garantir a Cassi como plano de saúde, mas sim o de oferecer aos funcionários da ativa assistência à saúde “, excluindo os aposentados.

Atualmente Luiz Oswaldo é nada menos do que o Presidente do Conselho Deliberativo da poderosa ANABB, a raposa dentro do galinheiro, segundo alguns, o que talvez explique as reclamadas omissões e atitudes da Anabb, como a questionada reunião dos notáveis ex dirigentes da Cassi.

O que o BB fez e está fazendo com a Cassi nasceu em 2007. 

Fomos embrulhados em 2007. Vamos agora ser embrulhados de novo ?

REUNIÃO DE NOTÁVEIS SOBRE A CASSI

segunda-feira, 14 de maio de 2018

A nota da ANABB sobre a reunião a respeito da CASSI  com pessoas de notório saber e expertise me causou uma certa estranheza.  Não compreendi bem. A maioria  dos participantes eram ex dirigentes da CASSI, inclusive os indicados pelo BB.   Essa condição dava a eles o título de notáveis?


Melhor seria afirmar que a Anabb estava promovendo uma reunião com ex dirigentes da Cassi e alguns representantes de entidades nacionais do funcionalismo.

Dessa reunião não saiu nenhuma conclusão.  Resultou numa comissão, cuja constituição não foi divulgada.

Pela atual situação da Cassi o que menos conta é a opinião dos ex dirigentes, pois existem claros indícios de má gestão no relatório da Accenture, o que compromete os ex gestores e existe quem queira até responsabiliza los.

Causa choque constatar que o plano Cassi Família esteja também dando prejuízo, ele que vinha cobrindo o déficit do plano de associados. O que houve ?  

Ademais uma reunião de notáveis sem a presença do mestre Rui Brito é um desrespeito a quem tem se dedicado a fundo ao exame da reforma estatutaria de 2007 e a legislação dos planos de saúde.

Entendo também que existem outras pessoas com conhecimento especializado e profundo sobre a Cassi que merecem ser ouvidas, uma delas é o presidente da Afabb Rs e conselheiro deliberativo da Anabb, Cláudio Lahorgue,  que não foi convidado.

A situação da Cassi é preocupante e a posição do BB está cada vez mais perigosa. No próximo post vocês vão ver qual o verdadeiro propósito do BB.

PADECER NUM PARAÍSO

sábado, 12 de maio de 2018

Mãe é padecer num paraíso,  sempre apreciei essa frase inspirada do poeta.


Porque mãe sofre pra ser mãe. Nove meses carregando no ventre o filho, dos quais o primeiro trimestre tem enjoos. Depois vem o parto com todo o seu sofrimento. Empurra, faz força, aguenta a dor, até nascer a criança. Padece, sim. Mas pouco importa, o que importa mesmo é a maternidade, o que importa é ser mãe.

E ser mãe é padecer num paraíso !

Dia das mães é uma data de homenagem e de recordar.  No meu caso, relembro de minha mãe, Geny, falecida há alguns anos, com 94 anos.

Costumo dizer que ela era bonita por dentro e por fora. Era do bem e poderia ter sido miss se ela quisesse disputar concurso de beleza.

Quando meu pai faleceu, ela virou pensionista. Tinha orgulho de ser pensionista do Banco do Brasil. E reclamava de ter ficado apenas com 60 por cento do salário de seu marido. Uma vergonha, uma desconsideração. Por que a redução ?

A mãe tinha histórias. Não era sopa. Tomava atitude firme quando achava que tinha que agir.

Numa ocasião durante o horário de fazer os deveres do colégio eu escapei para  jogar futebol. Eu tinha ganho uma bola de futebol de aniversário. Tinha dez anos. A partida era num campo de futebol profissional. Onze contra onze. Camisetas e tudo.  O jogo corria disputado, quando de repente irrompe no gramado uma senhora bonita , esbelta, bem vestida, de salto alto. O jogo para. Era a minha mãe. Foi até o meio do campo. Agarrou a bola e se retirou para casa. Imaginem a indignação dos jogadores comigo e a cara com que cheguei depois em casa. Nunca mais desrespeitei ordens de minha mãe  . A lição estava dada. Primeiro os deveres. Depois a diversão.

Tenho saudades dela.

Minha homenagem sincera a todas as mães.

O RELATÓRIO ACCENTURE SOBRE A CASSI

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Recebi há pouco mensagem do BB para que leia o relatório da Accenture sobre a Cassi.  


Como todos sabem esse relatório faz uma análise aprofundado a respeito dos problemas da Cassi.

Algumas páginas não foram disponibilizadas. Certamente por conterem registros de irregularidades.  Ou sobre erros de gestão.

Por que o BB quer que a gente leia o relatório?

Porque o relatório , ao fim e ao cabo, na minha modesta opinião, chega à conclusão de que a situação deficitária da Cassi é estrutural, o que significa dizer que a Cassi gasta mais do que arrecada por motivos estruturais, estatutários, cobra mensalidades inadequadas e presta assistência médica e hospitalar acima de suas posses. Simples assim.

Tem problemas de má gestão. Tem.  O BB tem culpa em cartório. Tem. Mas não é isso o problema principal. Tem que mexer na estrutura do plano. Tem que aumentar a arrecadação. Os associados tem que pagar mais e receber menos.

A proposta do BB que foi lançada há poucos dias na mesa de negociação era inaceitável. Entre outras coisas quebrava o princípio da solidariedade.  Teve forte rejeição e o BB se defendeu dizendo que era apenas uma proposta inicial. Um bode na sala.

A divulgação do relatório faz parte do processo de convencimento.  Olhem aí que coisa horrível.  Assim não dá para continuar.

Não estou gostando nada do que estou assistindo.  Confio que os novos eleitos, quando assumirem, darão um novo rumo na história.  Confio no discernimento do Faraco.

Mas o seguro morreu de velho. Querem mexer nos direitos adquiridos dos aposentados.

Por isso estou quase concluindo um protesto judicial de ressalva de direitos para me defender. Preciso contar com a Cassi. Estou prestes a fazer oitenta anos. Tenho glaucoma e glicemia alta. Sou paciente de risco alto. Não posso arriscar. E cada vez me convenço mais de sua utilidade e validade.

Não, não gostei do relatório da Accenture. Faltou qualidade, apesar de abundante em informações. Mas fazer o que ?

Protesto judicial de ressalva de direitos já !

A propósito, sobre o outro relatório, o do exercício 2017, que está em votação, eu votei contra. Baseado no Mario Tavares, fui atrás, e, de fato, encontrei três inconsistências. Não podia deixar de votar não.



BB, A MÃE BRASILEIRA ?

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Domingo se comemora o dia das mães, uma data tradicional, respeitosa, merecida, mas que o comércio deturpou, transformando a num lucrativo negócio.


Outro dia um colega aposentado lembrou que antigamente nós tínhamos o BB como uma outra mãe, tal a generosidade com que seus funcionários eram tratados.  A mãe brasileira.  Mas que hoje o BB virou uma madrasta gulosa e malvada.

Não gosto dessa comparação pejorativa com madrasta. Como advogado conheço muitas madrastas que são melhores mães do que as próprias mães.

Mas que aquele BB de outrora mudou, mudou.

Aquele BB nos surpreendia com gratificações extraordinárias magníficas, que nos permitiam comprar   automóveis, viajar, botar as financas em dia. Bons tempos. Éramos felizes. Alguns não sabiam.

Por que mudou ?  Antes no escopo do BB figurava, junto com a satisfação do Governo, dos acionistas e da sociedade, também cuidar do bem estar de seu funcionalismo, para que este permanecesse no banco e cumprisse melhor o seu trabalho.

Aí mudou o escopo. O ex diretor Caetano, aquele da engenharia financeira de 1997, anunciou ao mercado que o funcionalismo não fazia mais parte do foco do banco. Das quatro finalidades, agora eram três. E que a partir daquele momento o BB passaria a reduzir despesas com o funcionalismo para se igualar aos demais bancos, especialmente ao Bradesco. Se iniciava a chamada bradescalizacao do BB.  

Na PREVI  também houve uma significativa mudança do escopo, que poucos se deram conta. Eu fui talvez o único a reclamar. O antigo era pagar uma aposentadoria digna e justa. O de agora é apenas garantir o pagamento da aposentadoria. Está na missão. Leiam.

Quando falamos em melhorias de benefícios no fundo estamos ainda nos referindo ao antigo escopo. O atual não permite sonhar com melhorias. Só em garantir o pagamento do benefício.  E nem sequer estabelece qual benefício garante.  Se o contratual, se o legal, se o possível.

Assim sendo, para mim comparar o BB de hoje, com seus mercantilistas vice presidentes e cerca de suas quarenta diretorias, com madrasta , é desrespeitoso e inadequado. Melhor seria compara lo com a Sofia, a vilã da novela das 21,30 da Globo, pois para quem trabalhou e vivenciou o BB de antes, o de agora nos parece algoz , como pode ser visto na proposta que apresentou recentemente para a CASSI e nas milhares de ações trabalhistas relativas a sétima e oitava horas,  e nos situa no OUTRO LADO DO PARAÍSO.

Desculpem a franqueza e o amargor, mas é o que eu penso.

E´ MUITA GRANA

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Algumas notícias merecem ser analisadas com atenção. Li no Valor Econômico o seguinte.

O BB finalmente entrou na ação contra a Petrobrás que está sujeita a arbitragem referente a prejuízos causados pela corrupção na empresa. A PETROS, a PREVI e a FUNCEF já haviam ingressado, pressionados pelos participantes dos fundos. E´ uma ação bilionária, similar a que teve sucesso nos EEUU.  Qual será o efeito nas contas da PETROBRAS ? 

O banco Itaú teve lucro de sete bilhões no primeiro trimestre, resultante de redução de provisão para inadimplentes e de aumento de tarifas. Um lucro espetacular. Com taxas de juros nos patamares que o Bacen tem estabelecido, as menores dos últimos anos.  O que isso significa para nós ?  E´ que o BB persegue o desempenho do Itaú e do Bradesco.  Não pode ficar atrás.  Custe o que custar. Vai sobrar pra nós. Na negociação da Cassi, por exemplo.

Os balanços das empresas listadas em bolsa não foram transparentes. Cinquenta por cento deles deixaram de trazer informações básicas sobre a remuneração fixa e variável dos dirigentes.  Dos que trouxeram informes, o primeiro lugar em remuneração foi a Vale do Rio Doce, com mais de vinte milhões de reais. E´  muita  grana.  Os conselheiros também ganham muito bem. Repito, é muita grana.  Quando conselheiro fiscal, reclamei da generosidade excessiva, fui mal compreendido. E´ grana demais.

Estou começando a estudar a documentação para ajuizar o meu protesto de ressalva de direitos contra o Banco do Brasil referente à CASSI.  Não podemos ficar a descoberto.  Não no final da vida.

Bom final de semana.  Um hábito antigo ainda tem sucesso. Coleção de figurinhas dos jogadores da Copa da Rússia. As bancas de revistas comemoram. Hábito saudável.  Nem tudo está perdido.

Decidi que enquanto estiver incomodando os infiltrados e os invejosos, gerando comentários risíveis, eu continuarei com o blog. Tenho audiência garantida. E´ ruim o silencio para quem escreve. Já dizia Ibrahim Sued, os cães ladram enquanto a caravana passa.  Pois que ladrem.

Vamos que vamos.