O APOCALÍPSE

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Muito se discute sobre o espírito do Natal ultimamente.  O comércio deturpou em parte a comemoração puxando naturalmente para o lado dos presentes, para aumentar o seu faturamento anual.

Algumas vozes, livros e filmes se insurgiram procurando restabelecer o sentimento de paz, amor e solidariedade que devem imperar no Natal.  Família reunida numa ceia, arrumação coletiva dos enfeites, sentimento de solidariedade, perdão de ofensas, busca de atos de doação e generosidade, enfim tanta coisa.

Acho que o mundo mudou muito e nessa área espiritual para pior.  A pressa e a ganância conduzem a humanidade para caminhos pouco recomendáveis.


A corrupção, o desvio de recursos, a falta de sensatez e de equidade, a moral e a ética atropeladas, são frutos dessa mudança de hábitos e de costumes, principalmente pela troca de princípios pétreos pelo avassalador mercado, que parece ser o dono do mundo. Quem manda hoje não é mais o político, o governante da nação poderosa, mas o líder da empresa que comanda a economia e as finanças mundiais.

Pergunta-se por que a bolsa brasileira teve o pior desempenho do planeta, quando outras bolsas, como a norte americana, bateram recordes de alta ?  Porque grupos chineses ou de outros lugares, alienígenas, tinham interesse em comprar ações de empresas brasileiras estratégicas por preço baixo. Simples assim. Mas e as nossas autoridades ?  Nada puderam fazer ? Não é tão simples a equação. O fato é que em setembro já se falava que a bolsa fecharia em torno de 50.000 a 52.000. Os mais otimistas falavam em 55.000.

Todos aguardavam confiantes o anúncio de que a Petrobrás ia finalmente aumentar o preço do combustível e notícias da China sobre o preço do minério do ferro.  Também se aguardava que a política de incentivos norte americana tivesse seguimento. No Brasil a economia não foi bem, o Governo se meteu demais no setor elétrico, os juros subiram, o Eike quebrou.  Deu no que deu. Se melhorar até 31 de dezembro, a melhoria será insuficiente para rcuperar as perdas, que já andam em torno de 16% no ano.

Uma sociedade que não consegue enxergar a imensa disparidade que vai de benefícios da aposentadoria de menos de hum mil reais até quarenta e cinco mil reais está enferma, entorpecida, drogada.  Impossível uma pessoa que ganha 45.000 sequer encarar outra do mesmo plano de benefícios que ganha um mil reais. E se computarmos os penduricalhos e chegarmos à cifra de mais de cem mil reais, a desigualdade vira um escândalo, um fosso de vergonha, um espaço inexplicável de iniquidade. No INSS a diferença entre o menor e o maior benefício é de seis vezes.A revolução francesa aconteceu porque veio em busca de igualdade e de fraternidade. O baile da Ilha Fiscal, uma ostentação às vésperas da queda do Império, foi um contra senso que a história até hoje não conseguiu explicar.

Espero que o espírito de Natal tenha iluminado aqueles que detém as decisões e que o pudor volte a preponderar nas relações inter pessoais do plano 1 da PREVI.

Assim seja.  Senão, como diz o Félix da novela Amor à vida, será o APOCALÍPSE.


ENTÃO É NATAL !

domingo, 22 de dezembro de 2013

 Hoje é dia 23 de dezembro, quase véspera de Natal.

A  Previ não trabalha nem hoje nem amanhã, segundo anunciou. Eu trabalho justamente para contestar uma cobrança indevida e injusta movida pela Previ, através do escritório Bothomé, contra dez colegas.


A mensagem acima de Natal é bem apropriada para o momento que estamos vivendo. Um momento  de descarga de um pacote de maldades que vem das entranhas e ao mesmo tempo uma prisão de ventre medonha com relação  aos pedidos que foram feitos.

Não vamos ganhar presente de Natal este ano. Nadica de nada. Eles não compraram. Só terrorismo e ameaças de cortes. Eles, na verdade, como muitos dizem, estão cag..., digo evacuando para nossos reclamos, para as determinações das autoridades, para os princípios de governança e para o próprio pudor.  Nem se importam de fazer cocô na frente de tudo e de todos. Vindo da praia  hoje ouvi em várias rádios a notícia de que dirigentes do BB passariam a ganhar 45.000 de aposentadoria. Todas as emissoras criticaram, ironizaram ou fizeram sarcasmo. 
 Presentes neste Natal só para o bebê guloso e seus diretores mais gulosos ainda. Os escândalos, como o do teto,  já foram longe demais e os desdobramentos serão incalculáveis. A diferença de quarenta vezes entre o piso e o teto é uma vergonha nacional. No INSS é de seis vezes. O movimento de indignação e de repúdio vai se multiplicar. Acredite quem quiser.

-o-o-o-o-o-

Mas então é Natal !  Chegou o Natal com o Papai Noelde moto, não mais de trenó, correndo, como nos tempos modernos, onde a correria prepondera. Chegou o Natal  e o que você fez ?  O bem ?  Está em paz com sua consciência ? Que bom !  Acho que todos os seguidores do blog, os colaboradores, os comentaristas e os que nos acompanham, estão fazendo o que o momento exige de cada um de nós, que é a mobilização, o ativismo, e a indignação contra os abusos que estão sendo cometidos em nosso fundo de pensão, que nos trazem intranquilidade, preocupação e medo justamente quando precisamos de paz para desfrutar a última quadra de nossa existência.

Desejo a todos três coisas básicas:, SAÚDE, que não é tudo, mas sem ela tudo é nada; PAZ, necessária para nosso equilíbrio emocional e para nossa segurança pessoal;  e AMOR, pois sem esse sentimento de solidariedade e de fraternidade nada na vida tem graça.

Deixo o dinheiro, o dim dim, para desejar no final do ano, embora a ameaça terrorista de nos caparem um quarto dos proventos.

Não vamos nos abater por não termos recebido o pacote de presentes que merecíamos, nem pelo pacote de maldades que tomamos conhecimento na véspera do Natal. Vamos festejar a data com ânimo redobrado, com a alegria dos saudáveis e com a satisfação que só acometem os homens de bem, os de boa vontade, os de generosidade, de alma boa. De minha parte trouxe lá de Rivera uma champagne especial francesa, não a Veuve Clicocq, que é dos marajás, mas a Veuve du Vernay, de 6,90 USS, mas tão gostosa como a outra e vou brindar em homenagem a todos vocês. Vai ter um sabor melhorado com um morango especial, que é a amizade, a fraternidade e o coleguismo que nos une. Vou festejar a esperança de dias melhores, mais justos e com mais equidade.

AGRADEÇO A TODOS VOCÊS OS VOTOS RECEBIDOS E DESEJO UM FELIZ NATAL JUNTO AOS SEUS FAMILIARES, PLENO DE SAÚDE, PAZ E AMOR.


SEM MEDO DO XERIFE

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

A diretoria da Previ não tem medo do xerife dos fundos de pensão, José Maria Rabello, que recuou de seu posicionamento na sessão do Senado, quando afirmou que não tomaria medida nenhuma para obrigar ao estabelecimento do teto dos benefícios em trinta mil reais.


Em declaração posterior, o superintendente da Previc, asseverou que não prorrogaria o prazo que se extinguiu no dia 2 de novembro, não aguardaria o parecer da AGU e tomaria imediatas providências para penalizar os dirigentes da Previ que se recusavam a cumprir as determinações do órgão.

A diretoria da Previ faz pouco caso dessa advertência do xerife da Previc, não tem medo de medida punitiva, não tem receio de intervenção no fundo.

O dr. José Maria tem que fazer valer a sua autoridade senão vai ficar desprestigiado perante todo o sistema de previdência complementar.  Qual será o desfecho da novela ?  Teto de trinta mil ou de quarenta e cinco mil reais como querem os diretores do BB e da Previ ?  As apostas estão abertas.




Enquanto cerca de trezentos marajás receberão o Natal mais gordo de sua vida e diretores recebem honorários discrepantes da hierarquia do fundo, quebrando o necessário equilíbrio que deve existir entre os benefícios, os assistidos da Previ terão talvez o Natal mais triste de sua vida porque estão na iminência de perderem 25% de seus proventos.  Não existem recursos para a continuidade do BET. Existem recursos somente para o pagamento dos benefícios acima do teto. Escandaloso. Chamei a atenção para essa situação condenada pelos participantes do plano 1 e pela sociedade brasileira. Está no vídeo que acompanha esta postagem, feito pela colega empreendedora Leopoldina.

E nesse cenário discrepante de uma diretoria que perdeu o rumo e o pudor ainda existe lugar para festas, para gastos com festas, melhor dito. Não tem dinheiro para assegurar a continuidade do BET em 2014, mas tem dinheiro para festas. Escandaloso. Não que o funcionalismo da Previ não mereça uma festa de Natal, mas em caso de cortes de 25% todas as despesas passam a ser contingenciadas.

Essa diretoria vai passar como a pior diretoria dos últimos tempos na PREVI, a mais insensível, a mais ineficiente e a mais subserviente aos interesses do BB.

Não vou lhes retribuir os votos de feliz Natal. Não merecem.

AS REMUNERAÇÕES MILIONÁRIAS DOS CONSELHEIROS DA PREVI NAS EMPRESAS PARTICIPADAS

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

A revista Época publicou notícia sobre uma remuneração de conselheiro de administração da Petros que andava ao redor dos cento e vinte mil reais.

Na reunião com o presidente Dan Conrado e os diretores eleitos da Previ, conforme pode ser comprovado na gravação já exibida pela Leopoldina, o presidente informou que essa situação não existia na Previ porque lá havia um teto limite em torno de treze mil reais para o conselheiro perceber da empresa participada.

Será verdade ?  Vejamos.

Quando Henrique Pizolatto adquiriu um apartamento em Copacabana, a vista, cash,  foi acusado de ter utilizado dinheiro recebido do mensalão. Defendeu-se no Congresso alegando que recebia rendimentos mensais suficientes para a compra. Mas como ?  Na ocasião os honorários de diretor do BB eram de vinte e cinco mil reais. Aí ele falou que ganhava da Embraer onde era conselheiro de administração doze mil reais e da Previ, como conselheiro, tres mil reais.  Ao todo quarenta mil reais.

Eu era conselheiro fiscal da Previ na época e fiquei chocado com a declaração do furtivo e sempre fugaz Pizolatto. Isso porque então o BB estabelecia um teto máximo de tres mil reais para os funcionários da ativa que participassem eventualmente de conselhos de empresas participadas.

O mecanismo era o seguinte: o funcionário recebia todo o valor dos honorários da empresa onde era conselheiro, ficava com a parcela permitida pelo BB e a diferença fazia doação para uma entidade assistencial, de preferência a Fundação Banco do Brasil.

Exemplificando, o Pizolatto recebia os doze mil reais da Embraer, ficava com tres mil e nove mil deveria fazer a doação para uma fundação.  Só que, conforme declarou no Congresso, ficava com tudo, o guloso, indevidamente.

Perguntei se a auditoria interna da Previ não fiscalizava as doações dos conselheiros.  Não.  Era um assunto que dizia respeito unicamente ao BB e o seu funcionário.  E o BB não fiscalizava ?  Ao que parece, também não. Como fiscalizar um diretor de marketing do BB ?  Como fiscalizar o presidente e vice presidentes do BB ? Só louco para ter uma idéia dessas !

Além  disso me informaram que essa regra do teto limite nos conselhos só funcionava para o pessoal da ativa, para os aposentados não havia limites, podiam receber toda a quantia.

E agora, 2013, essa regra dos treze mil funciona só para o pessoal da ativa ou para todo mundo ?

Na reunião conosco estavam o Presidente Dan Conrado, os direitos eleitos Marcel, Vitor Paulo e Paulo Assunção, a conselheira deliberativa Celia Laricchia e o conselheiro fiscal Odali Cardoso. Aplicando a regra que eu conhecia só Dan Conrado e Marcel estariam sujeitos ao teto.  Ganham muito mais que treze mil,  mais de cinquenta mil por mes na Vale onde são do conselho de administração ?  Os demais todos estariam livres do teto por serem aposentados. Podem ganhar altos honorários para engordar suas aposentadorias.  Exemplificando, o diretor Vitor Paulo ganha 45.000 como diretor da Previ, supostamente 30.000 como aposentado recente do BB e mais 30.000 supostamente da Embraer, empresa da qual é conselheiro, cerca de 105.000 por mes, no ano R$ 1.260.000,00, o que se enquadraria na remuneração milionária mencionada pela Revista Época, se os valores estiverem corretos. O mesmo cálculo com o diretor Paulo Assunção, conselheiro da BRFoods.

Uma pergunta que não quer calar: para que fundações ou entidades assistenciais os diretores Marcel e o presidente Dan Conrado fazem suas doações mensais das sobras de quarenta mil ,supostamente ? A revista Época e o Estadão gostariam de saber.

Esse debate sobre o limite que os funcionários da ativa e diretores do BB devem obedecer nas empresas participadas é relevante neste momento porque no dia 19 deste mes de dezembro, no apagar das luzes do ano, quando todos já estão se preparando para a virada, haverá uma assembléia extraordinária no Banco do Brasil para definir os honorários dos dirigentes da instituição que deverão vigorar em 2014.  Os honorários em empresas participadas é uma forma de remuneração indireta.

Portanto, cabem vários esclarecimentos da direção da Previ e do BB a respeito do que aqui se escreveu a bem da transparência que deve reinar num fundo de pensão e numa instituição com ações na bolsa de valores. A mídia e a sociedade vão agradecer.

O limite de treze mil reais vale para todos ?  Existe controle a respeito das doações dos conselheiros da ativa do BB para entidades culturais ou beneficentes ? Por que o BB não cobrou do Pizolatto as quantias embolsadas por ele, que não foram doadas como determinava a norma ?

A cobra está começando a fumar !




AGARREI O RABO DA COBRA

domingo, 15 de dezembro de 2013

A gatinha preta ficou toda eriçada, levantou o lombo e miou.  Algo se moveu na grama alta e na folhagem do quintal da casa do meu filho em Uruguaiana, onde estava hospedado. UÉ !

Curioso, como sempre, fui verificar.  Tinha um rabo esquisito se movimentando nos arbustos. Estranhei. Só aquele baita rabo exposto.  A gata levantou ainda mais o lombo e se aprumou para saltar. Certamente era uma cobra e das grandes.


Agarrei o rabo da cobra e puxei.  Não parava mais de sair. Tinha quase dois metros. Chamei as autoridades. Não era venenosa, só gulosa. Foi levada para o devido cativeiro.

Fiquei pensando o que a ocorrência poderia servir para nós, aposentados e pensionistas do BB, neste momento que estamos vivendo.

A cobra gulosa poderia tanto ser o BB como a Previ.  Ambos se enquadram no modelo.

A gata pode ser o que alimenta a cobra, o superávit, os benefícios mal calculados, etc.

Mas a lição mais importante que retirei do episódio foi que consegui dominar a cobra a partir de seu rabo, por sinal fedorento. Só consegui tirar o fedor do meu corpo dois dias depois. E não foi por falta de banho. O perfume do sabonete sucumbia perante a catinga da cobra.

O ensinamento mais valioso é que no rabo, sujo e fedorento,estava o seu ponto frágil , o seu calcanhar de Aquiles.

Pois, então,em nossa guerra vamos mudar de estratégia, em vez de bater de frente, vamos atacar pelo rabo.

Vamos ter sucesso.  A mídia vai adorar.  Nossa paciência se esgotou.

Estou voltando amanhã, segunda feira, para Porto Alegre cheio de boas idéias.  Aguardem.

GUERRA É GUERRA

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Estou em Livramento a caminho para Uruguaiana, minha terra natal, para atender compromissos, rever meu filho, nora, neta e família.

Mas, mesmo assim, já que estamos em guerra, não posso me furtar de fazer uma postagem, mesmo que sacrifique alguns momentos de minha viagem nesta linda cidade fronteiriça com o Uruguai.

Em primeiro lugar quero cumprimentar a Presidente da FAABB , Isa Musa Noronha, pela nota que enviou a todas as associações de aposentados, cujo final é digno e retumbante, onde expressa sua indignação e afirma que está disposta a apoiar todas as medidas disciplinadoras da PREVIC na questão do teto, mesmo que DRÁSTICAS.  Eu entendo que Isa quis dizer que mesmo que seja a INTERVENÇÃO NA PREVI.  Bravos , Isa.  Corajosa como sempre.


Em segundo lugar quero dizer aos meus seguidores no blog, que aumentaram significativamente, e estão próximos da marca dos quinhentos, bem como aos demais visualizadores, colegas aposentados e pensionistas, o blog está bombando, ontem foram mais de 15.000 visualizações, aflitos pela suspensão do BET, que a Associação de Aposentados do Paraná, dirigida pelo meu amigo Nereu Lagos, já ajuizou ação para garantir o pagamento do mesmo e nós, do Rio Grande do Sul, vamos aguardar os acontecimentos, e se concretizada essa pérfida providência, sem a necessária base de fundamentação, vamos ajuizar também uma ação semelhante, porque o benefício adquiriu nesse período o caráter alimentar e não pode ser retirado assim no mais, como diz o gaucho.

Tenham,, portanto, a certeza, colegas, que estamos alinhados com vocês e vamos tomar todas as providências, nos meios judiciais, administrativos, contábeis, atuariais e fiscais, para terminar com essas mazelas na Previ, onde fazem pouco caso de nós, nem sequer se dignam responder nossos manifestos, não cumprem as promessas e, segundo parece, efetuam despesas completamente desproporcionadas, como essas que beneficiam mais de trezentos marajás.

Guerra é guerra. Vem chumbo grosso por aí.  As bombas vão começar a cair.

Por último, meus parabéns a todos vocês que estão se mobilizando, comparecendo no blog, enviando emails e mensagens. E´ Isso aí.  E´ assim que se faz.

Participei ontem do almoço de encerramento em Porto Alegre do contingente de pracinhas da FEB, um almoço emocionante com os nossos heróis da II guerra mundial.  A associação é presidida pelo meu querido amigo e colega dr. Jorge Krieger de Mello com muita classe. Em meu discurso eu contei que era um guri em Uruguaiana por ocasião da guerra, nasci em 1938 e em 1945 tinha sete anos, mas me lembrava dos carros movidos a gasogênio e do blecaute à noite com receio do ataque aéreo da Argentina simpatizante da Alemanha.

Concluí contando da emoção da população de Uruguaiana, que foi às ruas, quando o presidente Getulio Vargas decidiu enviar a FEB para guerrear na Italia e no contingente embarcado haviam vários uruguaianenses.  Foi nesse momento que todos tivemos a certeza de que a cobra ia de fato fumar e que a vitória dos aliados estava assegurada, pois uruguaianense não se intimida por nada e tem um espírito idealista de sentinela da pátria. Afinal em Uruguaina se deu a rendição dos paraguaios com a presença de Dom Pedro, Conde D'EU e Almirante Tamandará, cujo busto está na foto. E é lá na minha Uruguaiana que vou buscar a energia e a bravura para enfrentar e vencer essa peleja. Contem comigo. Intervenção Já.  Guerra é guerra.

A Previ é nossa. Como dizia o indio Sepé Tiaraju: Esse território tem dono.

Vamos que vamos. Não tá morto quem peleia.

FAÇA AMOR NÃO FAÇA GUERRA

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Esse era o título de um dos maiores e melhores programas humorísticos da TV brasileira.

Tenho feito o máximo esforço para espalhar o amor por aí, mas cada vez fico mais frustrado com o que tenho oportunidade de presenciar.


A novela do horário nobre da TV Globo se chama AMOR Á VIDA, mas deveria de fato se intitular de AMOR Á MALDADE, pois ninguém ali presta. O pai, dono do hospital, desviou recursos para comprar casa para a amante secretária.  O filho superfaturou as contas. Vai se descobrir que a mãe é a responsável pela morte da mãe de Aline. A avó virou periguete. A filha traz ódio no coração e quer vingança do Felix. Um hipie naturista vira cúmplice assassino. Uma golpista de milionário o trai com o namorado. A mulher do advogado gay rapta o filho do ex companheiro do advogado. Um desmemoriado tem nada menos que tres mulheres, é mais que bígamo. Uma gorda simpática faz sucesso com depilação por causa de um bigodinho na sua vulva. E assim por diante, não existe ética nem moral.  Não tem mocinho, nem mocinha. Se torce para o vilão simpático gay, cuja qualidade maior foi botar um sobrinho recém nascido numa caçamba de lixo. E ninguém reclama de tanta malvadeza, de tanta torpeza, de tanta imoralidade.

A Previ não respondeu à nossa interpelação extra judicial, conforme o presidente Dan Conrado havia prometido, mas se apressou a dar explicações sobre a notícia que saiu no Estadão, e, pasmem, declarou que tem recursos suficientes para pagar todos os benefícios, mesmo com valores acima do teto. "O pagamento dos benefícios mesmo sem um teto estabelecido não compromete o equilíbrio do plano 1. A Previ tem recursos suficientes..." Vai suspender o BET mas não os benefícios dos marajás.  Um escândalo. Caso de polícia, caso de intervenção no fundo.

Pois se isso acontecer, vamos fazer a guerra. QUEREMOS A INTERVENÇÃO NA PREVI.

Estou verdadeiramente indignado e enojado.

Que nojo !  Que vergonha "  Perderam o pudor. Intervenção.  Guerra é guerra.

DAN CONRADO ESTÁ ATRASADO

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Para mim a fatura venceu na sexta feira, 6, quando expirou o décimo dia útil da entrega da notificação extra judicial ao presidente Dan Conrado na Previ, na segunda feira, dia 25 de novembro.

Mas há quem diga que o prazo se encerra hoje, dia 9, porque começaria a contar do dia seguinte, 26 de novembro. E´ como se faz nos prazos judiciais.  Ou quem sabe amanhã. Vá lá que seja.


Para mim o presidente Dan Conrado já está atrasado. Rimou ? Já teve tempo de sobra para responder.

Será que amanhã vai colocar na reunião de diretoria melhoria para o ES ? E´ por essa razão a demora da resposta ?

Não sei.  O que me importa, nessa altura do campeonato, é caracterizar a atitude do presidente Dan Conrado.  Trata-se de pessoa que responde às indagações de uma comissão representativa de participantes do fundo, que aceitou receber, ou não ?  Trata-se de cumpridor ou de enrolador ?

Breve, muito breve saberemos. E, então, de acordo com seu comportamento, saberemos agir.

Dan Conrado,
Não fique sentado,
Responda logo
Senão vai ser denunciado, ou cassado, ou protestado, ou processado. Cuidado ! A rima é de acordo com o gosto de cada um.

Informaram-me que no dia 11 o diretor Marcel Barros vai a Goiania fazer palestra sobre o BET.  Será que afinal teremos o sonhado debate entre ele e o nosso combativo e esclarecido colega João Rossi Neto ?


Hoje é o aniversário da Isa Musa Noronha, presidente da FAABB, uma incansável batalhadora pelas causas das pensionistas e dos aposentados do Banco do Brasil. Parabéns Isa, saúde, força, alegria, êxito e mil realizações.  Quem sabe hoje, em homenagem ao teu aniversário, será ajuizada a ação civil pública contra a resolução 26, que já está em fase de digitalização na sucursal do escritório do dr. Wagner Gusmão em Brasília ?  Você merece esse presente.

VENCIMENTO DA FATURA

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Eu iniciei trabalhando no Banco do Brasil de Uruguaiana em abril de 1957, com 18 anos,  no setor de cobranças, considerado então o mais trabalhoso e mais incômodo.  Tinha que atender o balcão, receber os avisos de cobrança ou as faturas, que, quando vencidas, exigiam que eu fosse fazer os cálculos dos juros de mora nas máquinas FACIT, aquelas que a manivela ora ia pra frente ora pra trás.

Naquela época existia uma grande preocupação com pagar no vencimento, especialmente os títulos  descontados, por causa do risco do protesto. Mas a verdade é que existia bem clara a noção de atender os compromissos e as obrigações no dia certo.  A insolvência era zero ou quase zero.

Hoje é comum empurrar com a barriga o cumprimento das obrigações e deixar de lado as promessas feitas.


Será que a Previ vai responder hoje a notificação extra judicial que a comissão representativa entregou ao próprio presidente Dan Conrado, com prazo de dez dias úteis ? Vai honrar o vencimento da fatura na data certa ? Existem apostas correndo, a exemplo do que acontece na Inglaterra.  Há os que apostam que sim e os que apostam que não.  Os esperançosos e os céticos.  Onde você se coloca ?

Hoje o presidente Dan Conrado e toda a diretoria da Previ deve estar na Costa do Sauípe para o sorteio da tabela de jogos da Copa do Mundo.  Para esse evento - embora se afirme o contrário - foi construída a grande arena, que exigiu cerca de quatorze milhões de aportes da Previ,  investimento que se espera seja realmente rentável e produtivo depois que a Copa terminar.

Porém a dispendiosa Arena não serviu para o sorteio por causa do teto muito baixo que não comporta os equipamentos de TV. O que fazer ?  O Governo da Bahia entrou com seis milhões e construiu uma tenda só para o evento, a qual será desmanchada já no dia seguinte.  Pode ?  Quanto desperdício !

Sabe-se que na Africa do Sul os gastos com a Copa superaram em muito as receitas.  Os elefantes brancos estão lá abandonados e vazios.

Então, será que nossa resposta virá diretamente da Costa do Sauípe, embalada com os tambores da banda Olodum, da Bahia e o canto da Margareth Menezes e Alcione?

Aguardemos.  Eu já fiz a minha aposta.

EM CIMA DA NOTÍCIA, PALESTRA DO MARCEL

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Tenho dito que uma das virtudes deste blog é a informação em tempo presente, que procuro sempre honrar.

A reunião promovida pelo Sindicato dos Bancários no auditório da GEPES, na agência centro do Banco do Brasil, em Porto Alegre, para o diretor Marcel Barros fazer uma palestra sobre o BET, terminou às 11,30 horas.  Ao todo, no seu momento máximo, tinha cerca de 75 pessoas, entre o pessoal da ativa e aposentados.  Estavam lá o Claudio Lahorgue, vice presidente financeiro da AFABB-RS, Claudio Eli, jornalista de nosso informativo, e Sandyr Schuster, secretário do Conselho Deliberativo.

Nas palestras que a AFABB-RS promoveu recentemente, com Ruy Brito e Celia Larichia, haviam mais de 130 pessoas.  O prestígio do diretor Marcel, portanto, anda em baixa. Justificável pois prometeu a incorporação do BET na campanha eleitoral, reafirmou isso como diretor no encontro de 2012 em Camboriú e agora vem anunciar a suspensão do benefício.

O diretor Marcel me ligou na sexta feira passada me comunicando que o Pastoris, diretor do sindicato e ex assessor do Sasseron na Previ, ia marcar uma reunião dele comigo e uma visita à AFABB-RS. Isso não aconteceu.  O vento levou ... Por que será ?

Conforme as informações recebidas de participantes da reunião recém encerrada, no GEPES, pouco se conseguiu aproveitar do pronunciamento do diretor Marcel.

De novidades, uma surpreendente informação de que o prazo da PREVIC, que teria terminado no dia 2 de dezembro, foi novamente prorrogado por mais noventa dias e que a diretoria da PREVI não vai tomar nenhuma providência sem o parecer da AGU, solicitado pelo BB.

Outra informação, sobre a cesta alimentação, na parte que ele mais gosta de tocar que é a judicialização, de que aqueles que tiveram trânsito em julgado continuarão a receber e de que aqueles que tem só liminares terão as mesmas cassadas, mas os valores eventualmente já recebidos não podem ser cobrados por se tratar de verba de caráter alimentar, obviamente.

Acha que é quase certo a suspensão do BET só não pode afirmar se isso vai ocorrer em janeiro, fevereiro ou março de 2013, dependendo dos números finais.

Houve quem reclamou dos investimentos, o colega Elias Umpierre fez uma colocação interessante sobre o aparelhamento das entidades, com nomeação de partidários em vez de técnicos renomados, e o nosso jornalista Claudio Eli reclamou com veemência sobre a deficiência da comunicação da Previ.

Por enquanto é só. Estou com problemas de visão.  Dilatei as pupilas.  Velhice é fogo.

VELHICE É FOGO

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Velhice é fogo !  Melhor idade coisa nenhuma.  A gente passa por cada situação de constrangimento.


Pego uma lotação para ir do meu bairro ao centro, para trabalhar na AFABB-RS.

Semana passada entrou um loiraço na lotação, shortinho curtíssimo, e ficou indecisa onde sentar. Terminou por sentar no banco ao meu lado, meio apertado. Cruzou as pernas longas e bonitas.

- Oi, desculpe. 

- Desculpe por que ?

- Por lhe apertar.  Mas o caso é que só podia sentar ao seu lado. Por causa da sua idade. Fico tranquila.

Desgraçada.

Em outro dia e outro lotação, sentou no meu lado um rapaz gay.  De repente, não mais que de repente, botou a mão na minha perna. Levei um susto.

- Ei o que que é isso, cara ?

- Um carinho, coroa. Por que ?  Estranhou.  Não me diga que é antiquado, do tempo da discriminação. Odeio bofe idoso e preconceituoso.

Safado.

Por último, no elevador do edifício da rua Uruguai, sede da AFABB-RS.  Capacidade para seis pessoas. Entro eu e mais cinco moças. Aí chega mais uma da turma querendo entrar.

- Está cheio, falou uma das moças.

- Ora, aperta o velhinho aí no fundo. Não vai ter problema. Ele já deve ser inofensivo. 

Vadia.

Para levantar a ...moral, uma amiga da minha neta, na praia, falou pra mim: -

- Vô me abraça bem apertada pra fazer ciúme para o meu pretendente a namorado. Ele vai ficar louco de ciúme.

- Mas guria, ele com ciúme de mim, um coroa ?

- Claro que sim, tu estás mais gato do que a maioria dos rapazes por aqui.

E não é que funcionou.  O namoro deles aconteceu e resiste há bastante tempo. Minha auto estima melhorou uma barbaridade.

Mas, reconheço, velhice é fogo ! E para nos castigar a PREVI penaliza os mais idosos com o ES, estipulando cláusulas mais onerosas, ao arrepio da lei.  O ilustre dr. Edgardo, com 87 anos, se revoltou com razão contra essa discriminação odiosa. Como festejar o aumento da longevidade em nosso país, que passou para 75 anos ?  O Estatuto do Idoso está sendo violentado em nossa cara. O ES necessita de correção urgente, aumento de prazo e condições iguais para todos. Nós somos vocês amanhã.  Não se esqueçam nunca disso.  A vida às vezes não perdoa os algozes, nem seus ingênuos apoiadores. Cuidado, muito cuidado. Quem avisa amigo é !

MERA COINCIDÊNCIA...

domingo, 1 de dezembro de 2013

Guimarães Rosa escreveu que a vida é dinâmica, plena de mudanças, ora aperta, ora desafoga, ora traz dores, ora traz alegrias, e que, no fundo, o que ela exige de nós, viventes, é coragem.

Pois então...

Antes de enfrentar os duros embates que temos pela frente até o final deste ano de 2013 - e são duros mesmo para que alcancemos bons resultados - nada melhor do que dar uma descontraída, ganhar um pouco de gás, uma pequena trégua, melhorar o clima da galera, porque, afinal, ninguém é de ferro. E uma das armas mais empregadas por nossos adversários para nos desunir e nos desagregar é justamente nos estressar com confusões e provocações.  Não vamos cair no jogo deles.

Sou fã de carteirinha do Ciduca Barros lá do Rio Grande do Norte que conta histórias engraçadas do Banco do Brasil e ajuda a trazer bom humor para o nosso ambiente, às vezes carregado. Acho ótimo e parabenizo a AFABB-RN por prestigiar o nosso Ciduca e suas histórias.

Vou contar uma historinha acontecida lá em Uruguaiana, da qual fui testemunha, e que foi recordada na Zero Hora de sábado pelo consagrado escritor Luiz Coronel

O nosso personagem pertencia a uma das famílias mais ricas da região pampeana, mas estava sempre duro de dinheiro. Entretanto, tinha uma lábia e uma cara de pau inacreditáveis.

Chegou em Uruguaiana, diretamente de Buenos Aires, uma linda castelhana, "de vida pregressa e de dadivosa beleza. Contava-se que tivera namoriscos com Peron e outros poderosos portenhos".

Num sábado encontra-se com o Rato, que se jogou inteiro em cima da castelhana e utilizou seus melhores floreios para conquistar os seus favores.  Falou: -

- Estou decidido a lhe dar o mais completo contentamento. O cheque que lhe passo às mãos permite que seus sonhos sejam realidade.

Tirou do bolso o talão de cheques do Banco do Brasil e escreveu: "pague-se à portadora o que bem quiser e pretenda, posto que merece. Datou e assinou.

Entre champanhas caros e suspiros mil, o sábado e o domingo transcorreram de forma fantástica.

Segunda feira a castelhana armou o maior barraco no hall do Banco do Brasil. O caixa, José Carlos Zaccaro, o Manivela, se recusou a pagar.

- Mas como pagar o que a senhora quiser, dona, se nem saldo o Rato tem aqui no Banco. A conta dele está sempre raspada.

A castelhana, por sinal muito bonita, exigiu a presença do advogado do Banco, me chamaram e eu acudi imediatamente. Mas não tinha o que fazer. Não consegui esconder o meu riso, nem a minha indignação,  da engenhosidade do tramposo Rato.

O Banco do Brasil tem cada história. Qualquer semelhança sobre as promessas do Rato à castelhana e outra promessa feita em campanha eleitoral é mera coincidência. Não me comprometam.

E´ HOJE O DIA DA ALEGRIA -

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Hoje à noite, falta pouco, é o jantar/baile comemorativo do Jubileu de Prata da AFABB-RS. E´a ocasião de confraternizar, de alegria, de festejar.

Hoje é o dia da alegria. A bolsa está subindo bastante, como já era esperado, e vai subir mais. até chegar onde queremos que chegue.

Hoje é o dia de esquecer um pouco o BET e o Teto dos Benefícios.


Hoje é o dia de comemorar vinte e cinco anos de lutas, de bom combate, de amizade, de glórias e de vitórias.  Os aborrecimentos, os ciumes e as invejas ficam no olvido que é o lugar que merecem.

Hoje é o dia de comemorar, o peladaço e a novembrada, inclusive.

Hoje é o meu dia, o teu dia, o dia do aposentado, da pensionista, dos associados, dos participantes, daqueles que são a razão de ser de qualquer associação.

Hoje é o dia da AFABB-RS, de tantas boas recordações.

Hoje é o dia de acreditar.

Por isso o lendário samba canta:  "Acredito ser o mais valente
                   
                                                        Nesta luta do rochedo contra o mar

                                                        E´ hoje o dia da alegria,  e a tristeza

                                                        Nem pode pensar em chegar."

Eu acredito, e vocês ?

Vamos nessa, gente.

RESULTADOS DA NOVEMBRADA ( 4 )

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Hoje faço a minha avaliação da novembrada e respondo alguns colegas  preocupados apenas com os resultados.  O que conseguimos com o protesto ?  O que ganhamos ?  Só o cafezinho e a água gelada ?  Só conversa fiada ? Só incomodação ?

Cada um tem sua opinião e sua maneira de pensar.  Canso de repetir que não sou o dono da verdade. Gosto de divergência, gosto de ouvir críticas. Analisei com profundidade tudo o que se escreveu sobre a novembrada, especialmente vindo dos companheiros da comissão representativa do movimento, Ary Zanella, Leopoldina e Jane.  Nada li dos Vegini, nem da Eliana. Li o que escreveu a Cecilia em seu prestigiado blog

                                   A comissão representativa com o chefe de gabinete da Previ
                 Neusa , Leopoldina, Ary Zanella, Marcelo, Medeiros,Jane, Eliana e Genésio

Na minha visão, como já afirmei, a novembrada arrasou e foi uma enorme satisfação para mim ter participado da manifestação defronte a sede da Previ no Rio de Janeiro.

Acho que o primeiro resultado positivo foi o número de participantes, 150, aquém do esperado, 300, mas mesmo assim bastante expressivo em se tratando de aposentados e pensionistas do Banco do Brasil no Rio de Janeiro em dia de chuva intermitente. Foi uma marca histórica.

                                                     Ary Zanella presidente da ANAPLAB

Segundo, foi que não houve a baderna temida, o quebra quebra, tudo transcorreu sem violência, demonstrando o espírito pacífico e ordeiro do protesto. Ninguém se machucou, enfartou, necessitou de socorro médico. Que bom !

Terceiro, os manifestantes demonstraram seu inconformismo de maneira explícita, não se encolheram, não encabularam, gritaram palavras de ordem, como A PREVI É NOSSA, O BET É NOSSO, TETO NOS BENEFÍCIOS, 100% PENSIONISTAS, AUDITORIA INTERNACIONAL, e cantaram com seriedade e emoção o hino nacional, coisa mais linda de ver.

Quarto, o presidente da PREVI, sempre esquivo e fugidio, consentiu em receber, com os diretores eleitos, uma comissão representativa do movimento, numa sala, no quarto andar do edifício Mourisco, para acolher e debater as reivindicações.  Isso foi uma vitória do comitê organizador, ANAPLAB, AFABB-RS, AFABB-SC, FAABB.  Leopoldina tem o grande mérito de ter obtido essa audiência, nada fácil. Outras associações não conseguiram.

                                       Presidente Dan Conrado, diretor Marcel e Leopoldina

Quinto, a reunião foi produtiva, sim, a única afirmativa correta da notícia publicada no site da Previ. Todos os membros do comitê falaram e o fizeram de maneira franca e competente, abordando as preocupações e os riscos que rondam o nosso fundo de pensão.  Foi entregue não apenas um mero manifesto, mas uma notificação extra judicial, revestidas das formalidades legais, preparada pela dra. Neusa Vegini na última hora, com prazo de dez dias úteis para a resposta. Isso nunca antes havia acontecido. O documento foi divulgado e , conforme pode ser observado, é pertinente e consistente. Eles leram os principais tópicos e debateram algumas questões.

Sexto, a reunião foi gravada por nós, está portanto documentada, não pode ser distorcida pela Previ, como procurou faze-lo na notícia publicada em seu site. Uma bela estratégia da Leopoldina.

                                                     Medeiros e seu amigo Ary Zanella

Sétimo, finalmente pude falar tudo o que queria ao Presidente Dan Conrado, pois em janeiro minha palavra foi cassada pelo Marcel. Desta vez nenhum deles se atreveu a faze-lo e ouviram o discurso que ontem divulguei, onde chamei a atenção deles para a sensação que estão transmitindo à nós e à sociedade brasileira que algo de errado está acontecendo em nosso fundo de pensão. E comprovei com fatos, aproveitando que na minha frente estava o conselheiro fiscal Odali Cardoso, que a diretoria selecionou para também exercer o cargo de conselheiro deliberativo do Sauípe, o que contraria princípios de boa governança.

Oitavo, arrancamos do presidente e dos diretores algumas informações preciosas e valiosas. Por exemplo, de que o maior benefício é de 34 mil reais e de que não existem milionários nos conselhos de empresas participadas porque a Previ tem por norma limitar os honorários nos conselhos em 13 mil reais.
            Junto com José Pereira, vice da AFABB-RS, confraternizando com admiradores do blog

Nono, consegui mais e melhor. Aproveitei o ensejo e falei da consulta feita pela Previ a respeito do futuro relatório, de 2014. Mencionei que desde minha saída do conselho fiscal, em maio de 2006, a Previ não mais publicava nos relatórios, como antes, o maior e o menor benefício pago. Apenas a média dos benefícios. Pedi e o presidente prometeu, está na gravação, que no exercício de 2014 vai voltar a publicar esses valores. Se tal acontecer, se a promessa valer, é de capital importância para nós.
                                                       AFABB - RS   e   AFABB - SC

Décimo, ainda puxando a brasa para meu assado, quando o diretor Marcel, irritado sobre uma insinuação de irregularidade na Previ, respondeu que isso não existia e aproveitou para me questionar se alguma vez havia encontrado alguma irregularidade por ocasião de meu mandato como conselheiro fiscal. Respondi de imediato que sim, encontrara diversos casos, cerca de trinta investimentos irregulares. E você não denunciou ?  Denunciei sim, vários diretores e alguns funcionários. Citei como exemplo os casos do Magik Park, que a Previ gastou 80 milhões e vendeu por 3 milhões, e o caso do Sauípe onde favoreceu a Camargo Correa descaradamente. E ainda tem o caso dos cartões corporativos. Tenho guardadas as atas e os dossiês.N Mudaram de assunto imediatamente.

E tem mais, muito mais, poderia ir arrolando até vinte pontos positivos. Como a sugestão que o Marcel recebeu e anotou a respeito do ES, melhorar as condições para os mais necessitados;  como a denúncia sobre o não pagamento do BB à Previ de sua responsabilidade com o grupo pré 67 no BET;  como a declaração de que não compreendemos como os recursos do BET se esvairam antes do tempo; etc, etc.

Sei o que os críticos vão dizer.  Resultado concreto que é bom nada.  Não conseguiram prolongar o BET, evitar a suspensão do mesmo, fazer com que eles cumpram de imediato a determinação da PREVIC, e tantas coisas mais. Nós faríamos melhor que vocês. Somos mais preparados. Paciência. Fazer o quê ?

Mas acho que abrimos um caminho fantástico de demonstração de força.  Torceram que o movimento fracassasse, que não fizesse barulho, que não tivesse repercussão.  Assim como o Pizzolato, conforme já me referi, se enganaram.

A BAND noticiou o protesto. Falou a verdade, que eram cerca de 150 manifestantes. Olha nós na mídia.  E aí está outro resultado positivo, a que pode ser acrescentado o interesse que outros órgãos de imprensa estão tendo, pois recebi vários telefonemas para entrevistas.

Cansei, mas estou feliz.  Valeu o esforço, valeu cada momento que vivi naquela segunda feira histórica, de 25 de novembro, os quais ficarão para sempre marcados em minha memória. E por isso sou muito grato ao professor Ary Zanella, à guerreira Leopoldina Correa e à infatigável presidente da FAABB Isa Musa Noronha, por me convidarem para participar dessa novembrada gloriosa e vitoriosa.

Tenho certeza absoluta que os frutos virão e vocês em breve verão.  Promessa de escoteiro.
Até outra. Vamos que vamos.


A REUNIÃO COM DAN CONRADO E DIRETORES ELEITOS ( 3 )

terça-feira, 26 de novembro de 2013

A notícia publicada pela PREVI em seu site não traduz o que foi a reunião da comissão representativa da NOVEMBRADA com Dan Conrado e os diretores eleitos.  Ela está gravada em vídeo integralmente e quando a Leopoldina publicar vocês poderão comprovar o que estou afirmando aqui.

A notícia da Previ está fora da realidade e se preocupa apenas em procurar demonstrar que os diretores estão abertos ao diálogo e prontos para receber os participantes do fundo, o que não corresponde à verdade dos fatos, especialmente no que diz respeito ao presidente Dan Conrado, que tem se esquivado de qualquer contato com associações, exceto ontem, nem tendo sequer comparecido ao Senado para a audiência.

A notícia da Previ é fantasiosa até a respeito do número de pessoas que compareceram à manifestação. Se refere a aproximadamente 100, quando tinham cerca de 150.  Um erro de palmo. Será que erram assim nos números da contabilidade ?

A notícia da Previ não fala de que a diretoria estava, de fato e de direito, recebendo em mãos era uma notificação extra judicial para responder a vários assuntos que preocupam aos participantes, especialmente a respeito do BET, do ES, do teto dos benefícios, de 100% para as pensionistas, do favorecimento indevido ao patrocinador, e que tinha dez dias úteis para responder. Os esclarecimentos  mencionados sobre o BET e o teto dos benefícios na reunião ficaram longe de esgotar os assuntos.

A notícia da Previ merece o nosso repúdio mais veemente, por superficial, distorcida e deselegante. Não teve sequer a educação de mencionar o nome dos sete representantes dos participantes presentes.  Que nojo !

Feito esse reparo,  acho que me cabe tão somente relatar a minha participação na reunião, absolutamente desprezada na espúria notícia. O relato completo certamente cabe aos organizadores.

                                                                  -o-o-o-o-o-o-o-o-


O que eu falei, como demonstra a foto acima, para o presidente Dan Conrado, aos diretores eleitos Vitor Paulo, Marcel Barros, Paulo Assunção, à conselheira deliberativa Celia Laricchia e ao conselheiro fiscal Odali Cardoso, - aprendam, vocês da Previ, como se faz a nomeação dos presentes numa reunião -,  foi de que "eles não estavam se dando bem conta da situação preocupante pela qual a Previ está passando no momento e que eu tinha procurado inspiração divina para poder transmitir a eles a gravidade dessa situação".

Falei que",  me veio, então, à lembrança, a figura do Henrique Pizzolato, quando cometeu um dos seus maiores enganos.  Não, não estava me referindo ao mensalão, nem ao desvio de 75 bilhões da Visanet, que o BB recém agora anda procurando recuperar. Não. Aconteceu quando o Pizolatto era diretor de seguridade da Previ, no ano 2000, eleito, junto com Sergio Rosa e Erik Person."

Naquela ocasião, "Isa Musa, Ruy Brito, Piani e eu vínhamos advertindo os diretores dos riscos que a Previ corria com alguns atos imprudentes que estavam sendo cometidos.  Fomos chamados de abutres agourentos e o Pizzolato comentou que o Governo jamais se atreveria a intervir na Previ. Enganou-se. Interviu e ele perdeu o seu mandato, o que, como todos sabem, não lhe serviu de lição e hoje se encontra foragido da Justiça, após ser condenado pelo mensalão."

Pois" atualmente vivemos de novo momentos de inquietação e de imprudência. A falta de cumprimento da determinação da Previc sobre o teto de benefícios causa espanto, junto com outras atitudes e providências temerárias tomadas pela diretoria da Previ ultimamente, com relação a conselheiros regiamente remunerados, denunciados pela E´poca.  Fala-se de novo numa intervenção na Previ ou , quem sabe, numa nova CPI dos fundos de pensão. E a diretoria, assim como antes, não está acreditando que isso possa acontecer. Pensam como o Pizzolato em 2000. Não, não terão coragem de intervir. Não nesse governo. Isso não vai acontecer."

"Entretanto não é o que se está falando nos corredores de Brasília, onde estive recentemente, e não é o que eu penso. Sei que de novo vão me rotular de ave agourenta, eu que sou um reconhecido pé quente."

"Creiam, srs. diretores, que por mais criativos que sejam os argumentos e os sofismas para explicar o porque da não adoção até agora do teto dos benefícios e da aplicação imediata da determinação da Previc com relação à devolução de quantias indevidamente recebidas por ex dirigentes do BB, essa bomba vai estourar e vai estourar feia, porque os participantes do plano 1, a mídia e a sociedade brasileira, repudiam esses benefícios dos marajás e a forma como estão sendo pagos."

"Incrível como não causou nenhuma comoção na diretoria da Previ, a manifestação unânime dos conselheiros deliberativos eleitos, em setembro, de que registravam em ata sua INDIGNAÇÃO pelo não atendimento da determinação da Previc. Incrível."

"Isso nos deixa um sentimento muito acentuado de que aqui na Previ se estão praticando princípios de favorecimento ao patrocinador Banco do Brasil e a seus ex dirigentes que não condizem com os bons costumes e colocam em risco o bom nome da instituição, porque além da questão do teto existem outras situações que nos levam a pensar dessa forma, como a apropriação de recursos do superávit e o uso do voto de minerva, além de não se cobrar do BB no BET a parcela do grupo pré 67."

"Basta para comprovar que algo de errado anda acontecendo atualmente por aqui na Previ, dando oportunidade para desconfianças sobre gestão temerária, implantação duma CPI ou até mesmo intervenção, levantar o caso do meu colega Odali Cardoso, aqui na minha frente, com quem já debati abertamente essa questão com toda a franqueza que me caracteriza ."

"Pois bem. O que pensar dos princípios de boa governança corporativa, divulgados em recente encontro no site, quando a diretoria da Previ indica um conselheiro fiscal da própria Previ para conselheiro deliberativo do Sauípe ?  Mudaram os conceitos de governança ? Quando estive aqui por quatro anos como conselheiro fiscal cansei de ouvir o Aloisio Macário, mestre na área, falar que conselheiro fiscal da Previ só poderia ser nomeado conselheiro fiscal de empresa participada. Como é que vai fiscalizar os aportes de recursos feitos pela Previ na empresa da qual é conselheiro deliberativo ? Isso é uma incongruência inacreditável."

"São essas situações que nos deixam nervosos e preocupados. A sensação é de que algo está errado em nosso fundo de pensão. Será que uma CPI vai resolver isso ? Acho que não. Esse é um assunto só nosso e por isso temos que nos reunir mais vezes para discutir nossos problemas."

"Para concluir, a Leopoldina está me avisando que meu tempo já está esgotado, desejo dizer que nós, participantes da Previ, sabemos tudo sobre o BET, não precisamos de mais nenhuma aula, nem de ensinamentos, que o que a diretoria está fazendo, com divulgação em revista e com palestras, é dinheiro posto fora, é chover no molhado."

"O que não entendemos é apenas porque essa discussão se iniciou antes do tempo devido, que é no final do ano, e porque os recursos que eram suficientes para pagar o BET até fim de 2014 se acabaram antes do tempo."

"Sr. Presidente, o nosso protesto tem que ser entendido como um sinal de alerta, o sinal amarelo ou vermelho que o Pizzolato não soube ou não quis ver em 2000.  Pois o sinal de alerta está aí e a minha voz está aqui para chamar a atenção da diretoria da Previ, que parece estar ofuscada com seus altos salários. Às vezes é preciso sair desta bonita gaiola de vidro fumê, que é o Palácio Mourisco, para enxergar e sentir a realidade das ruas."

"A hora é agora. Não aguardem mais o parecer da AGU. Pode demorar demais. Implantem e façam cumprir o teto de benefícios na reunião de diretoria de amanhã mesmo. Depois pode ser tarde demais. Acreditem."

"Creiam que a nossa voz de protesto não é de agressão. E ´  uma voz de contribuição.  Não somos adversários nem inimigos de nosso fundo de pensão. Só não queremos que a Previ se transforme num novo AEROS, que quebrou porque os gestores decidiram salvar os aviões de sua patrocinadora a VARIG, com recursos do fundo, e ficaram a ver navios."

"A chuva que cai lá fora é um aviso e uma advertência para nós. São as lágrimas dos aposentados e das pensionistas do AEROS chorando a perda de seus benefícios e das contribuições de uma vida inteira.  Vamos lutar juntos para que isso nunca aconteça com a nossa PREVI, que é só nossa, dos funcionários do Banco do Brasil. A PREVI É NOSSA."

Ficou grande mas foi o que falei na reunião, tirado das anotações que levei e de uma gravação.  Vou ter que fazer ainda uma quarta postagem, porque tive algumas intervenções.

Só espero ter expressado o que vocês gostariam que fosse dito frente a frente com os diretores e conselheiros de nosso fundo de pensão, que a minha voz tenha sido a voz de vocês. Esforcei-me nesse sentido, mas o tempo foi curto. Espero ter correspondido à confiança que em mim depositaram. Fiz o melhor que pude. Acreditem.




A NOVEMBRADA ARRASOU (2)

Como eu fui um simples apoiador da novembrada, deixei para os verdadeiros organizadores do evento, Ary Zanella, Leopoldina Correa e Eliana Meneghetti, fazer primeiramente o seu relato.  Desta vez o blog do Medeiros não se prontificou a ser o primeiro a noticiar. Em respeito aos idealizadores da manifestação.

Em primeiro lugar desejo agradecer e homenagear a todos os membros da comissão da novembrada, que trabalharam intensamente para o sucesso do evento:  Ary Zanella, Leopoldina Correa, Jane Torres de Mello, pela ANAPLAB, Eliana Meneghetty, do blog Olhar de Coruja, Neusa Vegini, consultora jurídica, Genésio Vegini, presidente da AFABB-SC.  Tive muita satisfação de fazer parte dessa comissão, como presidente da AFABB-RS e do blog do Medeiros, e muita honra por ter sido designado pela presidente Isa Musa Noronha como representante da FAABB. Meu papel era o de incentivador da novembrada e procurei desempenha-lo da melhor maneira possível através do blog e de telefonemas.


Em segundo lugar desejo agradecer a todos aqueles que compareceram ao Mourisco para protestar e demonstrar sua inconformidade com os rumos da Previ. Não foram os trezentos esperados e que se inscreveram. Mas foram cento e cinquenta, um número histórico em se tratando de manifestação de aposentados e pensionistas. Além disso foi um pessoal participativo, com faixas e cartazes, animado, vindo de vários pontos do país, alguns dali do Rio, gritando A PREVI É NOSSA, muita gente bonita e representativa, que exercem cargos importantes em entidades do funcionalismo, que não se importava com a chuva que não parava de cair, confraternizando, me acolhendo com carinho.  Dava gosto de ver. Só faltou o bumbo e a cuíca. Eu levei o tamborim.Obrigado, gente.

Em terceiro lugar desejo mencionar que não houveram os distúrbios que alguns previam, não houve quebra quebra, não aconteceu baderna, tudo transcorreu na santa paz.  Alguns incidentes, fruto de divergência de opiniões, considerei como fazendo parte do processo, embora alguns excessos. Sempre há os que discordam, os que criticam, os que querem se aproveitar do momento para aparecer. Alguns são até de carteirinha, pois tiveram longa vivência sindical e agora estão aposentados. A principal discordância é de que alguns queriam subir junto para questionar a diretoria da Previ. Porém não foi assim que foi costurado o encontro. A diretoria aguardava numa sala apenas a comissão já anunciada previamente pela Leopoldina. Daí os contratempos.  Desculpem a minha opinião sincera, mas achei até bom o diretor Marcel Barros sentir o clima pesado dos protestos.

Em quarto lugar desejo expressar que, em meu entendimento, A NOVEMBRADA ARRASOU, saiu ainda melhor do que a encomenda. Foi, de fato, um acontecimento histórico, vibrante e emocionante. Espero que o Schuster tenha filmado, ele estava com problema de som na filmadora, mas a caminhada dos manifestantes, de camiseta branca, cabelos brancos, semblantes cívicos, caminhando pelo pátio do Mourisco, cantando o hino nacional, foi verdadeiramente de arrepiar.

Só esse espetáculo, colega, já valeu a novembrada.  Mas tem mais. Amanhã vou contar da reunião com a diretoria da Previ.  Hoje o espaço acabou e tenho muito trabalho me esperando.  Não se levante da cadeira, nem deixe de acompanhar o meu blog. Aguarde a sequência, com uma única certeza:

A NOVEMBRADA ARRASOU.  Temos muito que celebrar. Vamos que vamos.

NOVEMBRADA ATINGE EM CHEIO SEU OBJETIVO

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Acabo de chegar em casa, na capital gaucha.  Chovia no Rio.  Chovia muito em São Paulo. O avião da GOL sacolejou na turbulência mas, graças a Deus, o Pereira, o Schuster e eu chegamos sãos e salvos da novembrada no Mourisco.

Chegamos cansados, viagem com escala em São Paulo, no Congonhas, mas chegamos felizes pela missão cumprida com sucesso.  Valeu o nosso esforço. Aliás como eu tinha anunciado. O Sandyr Schuster, do alto de seus noventa anos, duas próteses, que o obriga  ser revistado e apalpado na entrada da sala de embarque, falou que a viagem representou um rejuvenescimento, um novo ânimo, uma experiência inesquecível. Que lição de vida e de consciência cívica !

Gostei e apreciei cada momento da novembrada.


Agradeço sensibilizado e emocionado todas as manifestações de carinho que recebi pelo trabalho que desenvolvo neste blog. Não tem dinheiro que pague. Colegas de toda a parte me abraçando, beijando, querendo tirar foto junto, uma coisa bárbara ! Obrigado, minha gente. Só isso já valeu a pena.

Desculpem, mas hoje não vou fazer o meu relato, por razões estratégicas.  Depois eu conto. Não é por cansaço, nem por preguiça, tenham a certeza. Amanhã.

Mas vocês já devem saber que os baderneiros de máscaras não apareceram, não houve quebra quebra, ninguém se machucou.  Quem estava assustado e não foi por causa disso, se quebrou.

Sobre os descontentes alternativos presentes na manifestação, mencionados pelo Professor Ary Zanella, em seu blog,  não me impressionaram, nem sequer me incomodaram. Conheço cada um deles e sei que só querem tirar proveito pessoal do trabalho dos outros.  Não são só infiltrados, são sangue sugas, pessoas que carregam grandes frustrações funcionais e problemas pessoais. Para mim são só folclore. e não são do bem, já tentaram nos prejudicar. Não ligo pra eles, só querem dividir. Não tive vontade de chorar. Na realidade, no fundo, me diverti com a palhaçada que armaram.

 Só não gostei da chuva intermitente que caiu o tempo todo e afastou ainda mais o pessoal do Rio de Janeiro.  A chuva reduziu o número de manifestantes de trezentos para cento e cinquenta. E Rio de Janeiro com chuva não é Rio, não é a cidade maravilhosa, cheia de encantos mil.

Falei para a diretoria da Previ que a chuva simbolizava as lágrimas vertidas pelas pensionistas e pelos aposentados do AERUS, que estão na miséria.  Mas no fundo, no fundo, acho que as gotas de água que caiam eram as lágrimas de arrependimento e de amargura de todos aqueles colegas do BB que não se fizeram presente no Mourisco, nos dando a força necessária para convencer a diretoria da Previ de que as nossas reivindicações são justas.  Sim, lágrimas de arrependimento, pois amanhã poderão sofrer na própria carne a falta dos recursos que estão sendo abocanhados pelos marajás que recebem acima do teto.

Obrigado, Senhor, por mais este dia que ficará marcado para sempre em minha existência. Obrigado. Muito obrigado.


CONVITE - ÚLTIMA CHANCE

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Quer entrar para a história ?  Quer marcar presença num acontecimento histórico ?

Ou quer perder o bonde da história ?  E  se arrepender amargamente depois.

Está com preguiça de se levantar da poltrona ou do sofá ?  Está conformado com o fim do BET e com os benefícios milionários dos mais de trezentos marajás, ex dirigentes do BB ?

Está achando que não vale a pena, que é arriscado, que os baderneiros podem quebrar vitrines, que os infiltrados vão fazer confusão ?

Está se achando velho demais, idoso, adoentado, ridículo para segurar um cartaz ?

Qual é a tua, caro colega aposentado ?  Qual é a tua, caríssima pensionista ?

Vamos que vamos ou não vamos ?

Decida. E´ a última chance de você participar.  A novembrada está logo ali, segunda feira, dia 25, a partir das nove horas, defronte ao prédio Mourisco onde fica a sede da PREVI.

O convite está feito.  Você será benvindo e vai confraternizar alegremente com colegas e companheiros, vai rever amigos e amigas, conhecer novos, quem sabe entrar numa roda de samba.

Mas sobretudo, o que acho mais importante, você vai ficar em paz com sua consciência cívica, vai mostrar que está ligado, que não está omisso nem alienado.

Quem sabe vai contar em casa para seus netos, olha eu estava lá, protestei para que não aconteça conosco o que aconteceu com o pessoal do AERUS, que está morrendo na miséria, passando necessidade, sofrendo aflições.

Eu vou desde aqui de Porto Alegre, o José Rodrigues Pereira também, o Sandyr Schuster idem, dando um formidável exemplo do alto de seus noventa anos. A AFABB-RS tem orgulho dessa atitude do querido secretário de seu conselho deliberativo. Vários outros gauchos nos acompanham.  Não, não vamos amarrar os cavalos no obelisco da avenida, mas vamos marcar presença no pátio do Mourisco.

E você ?  Especialmente os colegas aí do Rio ?

Isa Musa Noronha escreveu um comentário na minha última postagem que merece ser lido. Ela não pode ir mas me delegou a honrosa incumbência de representa-la e de representar a FAABB.

"Eu pedi que a ANABB e a AAFBB divulgassem A NOVEMBRADA porque , como grandes associações, sei que a notícia chegaria a maior número de colegas. A iniciativa das bravas guerreiras Leopoldina Correa, Eliana Meneghetti, Jane Drumond e Neusa Vegini, e dos colegas dr. Medeiros e Ary Zanella, este último da ANAPLAB, atingiu boa repercussão e com toda a certeza será coroada de sucesso

"Sei que tem muita gente torcendo contra, sei que existe até o risco de baderneiros procurarem perturbar a boa ordem com que os organizadores pretendem conduzir a concentração, mas as medidas necessárias já foram tomadas. A NOVEMBRADA está cercada dos requisitos de segurança policial e médica exigidos para a ocasião.

...

"Aposentados e pensionistas que puderem e quiserem se juntar à NOVEMBRADA às portas da PREVI serão benvindos e podem ter a certeza de que o dia 25 de novembro de 2013 ficará para a história."

Aí está. Vamos ou não vamos ?  Você decide.

Forte abraço. Até segunda feira no Mourisco.




PREVI ESCLARECE SOBRE O BET (SIC)

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Está fervendo o caldeirão.  A água na fervura lançada pela diretoria da Previ na nota explicativa liberada em seu site, no dia 20, está fazendo efeito contrário.

Como podem comprovar , a postagem do meu blog sobre o assunto já teve mais de 60 comentários, marca que há muito não acontecia. E a visualização do blog alcançou a marca inédita diária de vinte mil acessos (20.000), com ocorrência não só em todo o país, como também em mais de trinta nações.
Além disso, dois jornais de grande circulação local me procuraram telefonicamente em busca de maiores detalhes.  E a adesão ao movimento do dia 25 na frente da Previ aumentou consideravelmente. Que coisa bárbara !


O que mais me chamou a atenção foi a elevação do nível de indignação. Alguns acomodados finalmente acordaram. Talvez não tanto pela suspensão do BET, mas pela forma como a PREVI vem conduzindo o assunto, procurando demonstrar ser uma cumpridora da lei no BET e no pagamento do benefício do Henrique Pizzolatto, mesmo que foragido da prisão.  Mas é complacente e relapsa no caso do teto dos benefícios.

João Rossi Neto escreveu um longo artigo a respeito e me encaminhou por email.  Como de costume faz ponderações bastante apropriadas.  Vou reproduzi-las, pois ele me autorizou, apenas em parte, pela escassez de espaço e de tempo. Talvez outro veículo ou blog consiga transmitir o inteiro teor. Vale a pena. Leiam abaixo os trechos que selecionei.

" O poder decisório no âmbito da Previ nas mãos do BB é um desastre terrível, uma vez que o Fundo vem desrespeitando até o órgão fiscalizador (PREVIC) por determinação do patrocinador BB.  Não cumpriu o prazo estipulado para implementar o Teto de Benefícios e nem fez a revisão das aposentadorias milionárias irregulares porque elas são, na maioria, de Diretores do BB. Essa consulta feita a AGU é uma manobra visível para ganhar tempo e enrolar a PREVIC. E se a AGU demorar anos para responder essa questão ou nem responder, como ficam as ordens da PREVIC...

"Pelo que se infere a Previ não sabe conviver com as opiniões contrárias e diz que os que se manifestam nas redes sociais sobre o BET e demais matérias ligadas à Caixa estão equivocados. Só que não vi afirmação no sentido de utilizar a Reserva de Contingência para melhoria de benefícios e, sim, propostas no sentido da Previc reduzir o percentual de 25% para 15% desta reserva, visto que a LC 109/2001 permite a flexibilização e se a mudança redundar em superávit contábil, o mesmo se transformará automaticamente em Reserva Especial e aí poderia ser utilizado em melhoria dos benefícios, já que uma utilização direta da Reserva de Contingência para melhoria de benefícios é que a LC 109/2001 realmente veda.

"Que estão querendo estabelecer uma negociação, isto não resta dúvida....... A Caixa tem por praxe divulgar os seus resultados somente após o final do primeiro trimestre de cada ano, especialmente quando os resultados são superavitários. Agora, são estranhos os posicionamentos açodados antes de dezembro e de conhecer os números do seu balanço patrimonial, o que quebra a prática rotineira. O certo é aguardar a definição contábil e com os números fechados, discutir as medidas que se fizerem necessárias e não ficar com alardes pessimistas, intempestivamente. Administrador consciente e responsável não pode agir por impulso ou achismo."

Amanhã vou ver se transcrevo algumas colocações que li na rede feitas por Isa Musa Noronha.

Todos no protesto do dia 25 de novembro.

A Novembrada vai firme.... Saiu a segunda nota oficial.

Não ponha água fria na fervura.  Ponha mais água no feijão e no mate, porque tamos chegando.

Avante.  Vamos que vamos .

VI, LI E NÃO GOSTEI DA MATÉRIA SOBRE O BET

terça-feira, 19 de novembro de 2013

A diretoria da Previ está preocupada com o protesto do dia 25 de novembro no Rio. Muito preocupada.

Decidiu, então, desviar o foco do movimento e concentrar nossa atenção unicamente na discussão sobre o fim do BET no início de 2014.

Colocou uma extensa matéria a respeito do BET no site da PREVI, anunciando que tudo indica que o BET vai efetivamente terminar no início de 2014 e faz diversas ponderações acerca do assunto.

Fez mais. Convidou os participantes para assistir palestras dos diretores da Previ em auditórios do BB ou no Satélite de São Paulo.  Hoje recebi email convidando-me para um dos eventos.

Por que isso, viventes ?

Porque querem que a gente peça para o BET não acabar já e se esqueça de denunciar à mídia o escândalo vergonhoso dos marajás beneficiados com valores acima do teto dos benefícios.

Por favor se atenham ao BET e deixem de lado o teto dos benefícios parece ser o desejo dos dirigentes.

Isso não pode acontecer.  Já somos grandinhos suficientes para não cair no canto da sereia.  Vamos sim reivindicar a continuidade do BET em 2014, afinal o ano não terminou, a bolsa pode chegar aos 60.000. Ontem subiu, hoje baixou, amanhã pode subir. Semana passada alcançou 54.300. Que pessimismo é esse da diretoria da PREVI.  Técnicos do banco Itaú previram a bolsa aos 60.000 no final do ano.

Mas não podemos compactuar com esse escândalo clamoroso de mais de trezentos marajás ganhando benefícios despropositados e indecentes, completamente em desarmonia com a hierarquia e o equilíbrio do plano 1.  Temos que denunciar à mídia e à sociedade esse escândalo e o descumprimento às determinações da Previc, ou seremos cúmplices dessa palhaçada e desse golpe.

Por favor, professor Ary Zanella e seus parceiros, não caia nesse maquiavélico ato de desvio de atenção promovido pelo nossos dirigentes da PREVI.

Nada mudou com relação ao BET que justificasse essa matéria e essas palestras. A conjuntura é a mesma. A expectativa é a mesma. Há, como sempre, os pessimistas que acham que a bolsa fecha em 55.000 e os otimistas que acham que a bolsa encerra o ano aos 60.000. E´ uma velha e conhecida batalha. Aposto nos otimistas e faltam ainda 40 dias, onde muita coisa pode acontecer.

O protesto tem que continuar firme.  Não podemos aceitar a água fria na fervura.  Nem o maquiavelismo das manobras desviadoras.

Vamos em frente. Vamos lutar pelo BET, mas sobretudo vamos derrubar esse muro escandaloso que esconde os benefícios privilegiados e exorbitantes pagos à nossa custa pelo nosso fundo de pensão. Isso é uma vergonha, como diria o Boris Casoy. Quem sabe o convidamos, hem Jane ?

Avante. Não vamos recuar, nem cair nesse papo furado.

Vamos que vamos.


TAMOS CHEGANDO NO RIO !

Oi Professor Ary Zanella, oi Leopoldina, oi Gilvan, oi Jane !

Preparem a recepção com carinho e muita festa, porque tamos chegando no Rio para a novembrada.

Preparem uma mini bateria de escola de samba para dar o rítmo.  Um surdo é indispensável. Eu levo o tamborim. A cuíca vai fazer volume e atrapalhar, senão levava. Quem sabe arrumem uma por aí.


E o samba pra ser samba de verdade tem que ter mulata, tem que ter mulata. Nem que seja uma, de madrinha da bateria.

Rio de Janeiro sem samba não é Rio.

 E é na cadência do samba que vamos protestar, sim. Vamos levar os cartazes. Mas também queremos confraternizar, abraçar e nos alegrar.

A gauchada vai firme, delegação fantástica.

Sandyr Schuster, noventa anos, aderiu. Tirou passagem, não conseguiu mais reservar o nosso hotel, o Acce, que já está lotado. Reservou no Mercure, ao lado. Grande exemplo. Tá levando sua filmadora, ele é craque em computação e em fotografia.

O José Rodrigues Pereira também vai, como aconteceu no peladaço. E de lambuja conseguiu convencer o colega de Lajeado, Carlos Machado Sobrinho, para ir também. E tem mais oito na parada.

Portanto, preparem o mate pra nós. Coloquem, quem sabe, umas brahma pra gelar que o Rio é quente.  Agua mineral, com certeza.

A partir de hoje entramos em clima de protesto na frente do Mourisco. Tem que dar samba no pedaço, tem que haver congraçamento, alegria e descontração.  Vamos dar o nosso recado de forma ordeira, pacífica e unida.

Preparem e se preparem, colegas.  Tamos chegando !  Prá valer !

E você aí da poltrona, vai perder a festa ?  Vai perder o encontro ? Vai continuar só criticando que as associações não fazem nada ?

Depois vai se arrepender pro resto da vida ? Nos encontramos lá no Mourisco.

Vamos que vamos !

O PIZZOLATO SUMIU, SABIA DEMAIS

domingo, 17 de novembro de 2013

O Henrique Pizzolatto não foi para a prisão cumprir a pena de doze anos do mensalão. Fugiu. Foi para a Italia, sua segunda pátria, pois tinha dupla cidadania. Foi via Paraguai e espera não ser extraditado.

Sempre correu o boato de que ele era mafioso. Quem sabe não vai parar na Sicilia.

O que a história do Pizzolato nos ensina nesta hora em que questionamos alguns problemas no BB e na Previ ?  Várias coisas. Cada um de nós pode abordar um aspecto. Sempre vamos tirar uma lição.


Para mim a sumida do Pizzolato significa apenas que ele sabia demais. Pior do que isso, havia advertido de que não ficaria quieto se fosse preso. Então ... Mais ou menos como o PC Farias.

Já falei anteriormente sobre o Pizzolato e minha experiência com ele, que cortou as relações comigo durante um encontro promovido com as associações de aposentados e o presidente Tarquínio da Previ. Pizzolato era o diretor eleito de seguridade e eu era diretor da AFABB RS. Fui escolhido para ser o porta voz das associações e o Pizzolato quis que o meu discurso se subordinasse ao que ele achava apropriado. Claro que não aceitei. Isso foi em 1998. Isa Musa estava lá. Deve se lembrar.

Evidente nessa ocasião que ele já tinha caido no desvio, que seus objetivos passaram a ser pessoais e materiais, que não se importava mais com os colegas do BB, nem com os participantes da Previ, que a política partidária estava na frente de seu nariz empinado. E mesmo assim continuou a sua trajetória, assumiu novas e importantes funções no BB e foi presidente do conselho deliberativo da Previ.

Era arrogante e irritadiço. Na reunião mencionada agrediu verbalmente um colega aposentado do Espírito Santo. Depois, numa reunião no Paraná, quis fazer o mesmo com o Ruy Brito e levou o troco. Ruy revidou e entrou com uma ação contra ele, se não me engano.

A lição que eu falo acima é de que como uma figura como essa, comprometida com sujeiras e escândalos, conseguiu enganar ao funcionalismo do BB por tanto tempo. Como é que não detonamos esse personagem funesto de nossa história, inconfundível com sua gravatinha borboleta e seu cavanhaque ?  Temos que pensar no Pizzolato para saber se não estamos sendo concedentes com outras lideranças, eleitas por nós ou indicadas pelo BB.  Será que não é o caso de ir atrás da ocorrência que maculou o presidente anterior da Previ, o Flores, a respeito da aquisição do apartamento de Brasília ?

Será que não temos que averiguar melhor essa questão do teto dos benefícios ?  Essa possível maracutaia dos altos benefícios na PREVI ? E os privilegiados da renda certa ?

Será que não existem outros Pizzolatos em nosso meio ?  O Henrique fugiu.  Mas era só ele mesmo ?

Que vergonha para nós do BB.  Estamos na página policial dos jornais do mundo afora. Ex diretor do Banco do Brasil condenado foge para a Itália. Que vergonha !









O BET VAI OU NÃO VAI CONTINUAR EM 2014 ?

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Tem colega assustado com a queda da Bolsa de Valores.

Ela estava em 56.000 e agora baixou para 51.000.  Faltam 20% para alcançar 60.000 até o final do ano e só faltam 45 dias. O pessimismo aumenta barbaramente. O BET vai acabar.

Colega, o BET só vai acabar se você permitir.  O BET em 2014 depende só de você, não da Bolsa.


Se você continuar omisso, acomodado, conformado, sentado no sofá da sala assistindo TV ou lendo jornal, comendo pipoca, o BET vai realmente acabar e você ficará com seus proventos diminuídos em um quarto do seu valor, se considerar também a volta da contribuição à Previ. Você ganha dez mil, que bom ! Passará a ganhar sete mil e quinhentos.  Você ganha cinco mil, que pena ! Passará a ganhar apenas tres mil setecentos e cinquenta, aproximadamente.

E a culpa é só sua.  Você não participa, não se mobiliza, não se faz presente, não pressiona, não demonstra seu inconformismo. Terá o que merece.

Olha só a estatística publicada ontem pelo professor Ary Zanella a respeito dos inscritos para a novembrada na porta da PREVI, cuja principal finalidade é gritar contra a suspensão do BET.

De São Paulo, ali ao lado do Rio, pertinho de ônibus, automóvel, avião, baratinho de se deslocar, só 19 inscritos.  Pode ?  De milhares e milhares de aposentados e pensionistas do BB, só 19 se animaram a ir no protesto.

E do Rio de Janeiro, da cidade maravilhosa, cheia de encantos mil, somente 177.  Muito pouco, muito pouco mesmo. Quase inacreditável !  Dá até vontade de desistir. Mas já tirei a passagem aérea e reservei o hotel. Sou teimoso e idoso, rimou. E ando com dor na coluna. Mas vou. Com sacrifício, mas vou porque tenho absoluta crença de que é necessário.

Posso garantir para vocês que a continuidade ou não do BET está dependendo do sucesso ou não da novembrada, de maneira que se você não participar, achar que é besteira, que não vale a pena, que é arriscado, depois não venha se lamentar da perda do BET.  Vai ouvir da PREVI que a maioria aceitou tacitamente a perda. Os reclamantes foram poucos, só uma meia dúzia de descontentes.Fazer o quê?

Já tinha decidido não escrever mais a respeito da novembrada, deixar essa missão para os seus organizadores, já que sou apenas um humilde apoiador e incentivador, mas não consegui evitar de faze-lo após a divulgação da listagem dos inscritos.

O BET vai ou não continuar em 2014 única e exclusivamente dependendo de você ir ou não ir na novembrada.  Tenha certeza disso.

Aguardo vocês lá e espero que, por favor, vocês aí do Rio, de São Paulo, da Bahia, de Minas, participem no maior número possível.  A PREVI está contabilizando o número, se chegar a mil, o BET continua, se for menos, bay bay.

Pensem nisso que lhes escrevo de todo o coração. Deixem eventuais diferenças ou ressentimentos de lado, vamos pensar apenas no foco de nosso movimento. Vamos no Mourisco em 25 de Novembro ou não teremos BET em 2014.

E´ o que eu sinceramente acho. Falei e disse pela última vez. VAMOS QUE VAMOS ?

ALÔ ALÔ RIO DE JANEIRO ...

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

ALÔ ALÔ RIO DE JANEIRO, aquele abraço.

Alô alô torcida do Flamengo, do Botafogo, do Vasco e do Fluminense, aquele abraço.

Alô alô colegas aposentados, especialmente os idosos, que moram em Botafogo,Copacabana, Ipanema, Leblon, Tijuca, Lagoa, Centro, aquele abraço.

Alô alô pensionistas guerreiras  de sessenta e tantos anos que tornam o Rio ainda mais bonito, aquele abraço.

Alô alô gente querida do Rio de Janeiro, venham nos dar aquele abraço em 25 de novembro na frente da Previ, em Botafogo, no Mourisco, a partir das 9,00 horas.



Com certeza vocês, do Rio, fazem a diferença na manifestação de protesto.  Vocês estão aí, no palco dos acontecimentos, não precisam se deslocar nem viajar. Contamos com vocês.  Não se omitam, por favor.

Tem quem ache que vocês, do Rio, só se movimente no calçadão de Copacabana, nas passarelas de samba, nas praias candentes,  no ritmo das baladas, nas conversas dos botequins.

Eu não. Sei do valor da gente carioca quando quer se mobilizar, quando quer  respeito e dignidade, quando não quer fazer papel de palhaço.

Entendo que o sucesso dessa empreitada de 25 de novembro depende de vocês, cariocas da gema. Se vocês nos apoiarem, o êxito do movimento está garantido.

Venham dizer aos dirigentes da Previ que precisamos de teto nos benefícios de nosso fundo de pensão, que não queremos marajás do BB com benefícios irreais para os quais não contribuiram.

Venham dizer que em 2014 não pode haver a suspensão do BET, pois ele foi aprovado com recursos suficientes para suportar até o final desse ano.

Venham dizer que não estamos de acordo com as normas do empréstimo simples que penalizam aos mais idosos.

Venham dizer que não achamos legal o presidente se ausentar da audiência do Senado que tratou da dignidade do participante da Previ.

Venham dizer que desejamos que os investimentos sejam voltados aos nossos interesses e não aos do Governo ou do BB.

Tanta coisa para protestar, tanto para reclamar.

Queremos afirmar nossa cidadania, queremos mostrar nossa indignação, queremos evitar que a Previ se transforme numa AERUS.

Colegas do Rio venham conosco, venham para a frente da Previ no dia 25 de novembro.

Alô alô Rio de Janeiro, AQUELE ABRAÇO ! Até o dia 25 de novembro !

MULHER DE SETENTA !

sábado, 9 de novembro de 2013

Muito se tem falado em velhice ultimamente.  Afinal o número de idosos tem aumentado e começa a fazer diferença.

O que caracteriza um idoso ?  Idade acima de 60 anos ?  De 65 anos ?  De 70 anos ?

Em meu ponto de vista, acho que setenta anos é o patamar mais confiável para as mulheres e setenta e cinco anos para os homens.

Neste ano de 2013 eu alcancei a provecta idade dos 75 e a minha esposa Ana acaba de ingressar nos 70, dia 7 de novembro.


E´ para festejar ou para deplorar ?  Certamente para festejar, principalmente para agradecer por chegar até aqui.

Um novo desafio de vida se apresenta pela frente para esse último quarto da existência, por sinal o definitivo. Existem várias perspectivas, tanto positivas como negativas.  Vamos apostar nas positivas. O principal no caso é a disposição por encarar de frente essa fase.

Temos que conviver com algumas peculiaridades, sim.

Ontem me queixei para um médico de uma dor. Ele me deu os parabéns, sinal de que estou vivo e na idade condor. Terei que aprender a conviver com elas. Minha esposa também.  Fazer o quê ?

Ana não se preocupa em esconder a idade. Pra quê ? Está de bem com ela. Sua mãe completou este ano noventa anos.~

A Previ tem grande preocupação com os idosos.  Tem receio que a nossa longevidade possa afetar o equilíbrio do plano. Vê com maus olhos os velhinhos. Refaz as tábuas atuariais e nos penaliza com o empréstimo simples.  União estável e casamento após os setenta anos é visto com muita desconfiança. O amor e a paixão ficam restritos apenas aos mais jovens, o que não é verdade.


A Ana merece os parabéns pelo seu aniversário.  Chegou até os setenta anos com uma bela trajetória de vida, onde sempre deu muita importância à família, que ela considera, acertadamente, como a base de tudo. Está sempre ligadona nos filhos, noras e genros, que considera filhos, nos netos, irmãos , parentes e agregados.

Aproveito para também cumprimentar a todas as mulheres que chegaram nesse patamar, pensionistas e ex funcionárias do BB, e que enfrentam essa fase com bravura, com discernimento, com alegria. Desejo a todos muita saúde, que é o principal, muita paz, muita felicidade e muito amor.

A elas, as de setenta, dedico uma parte da canção do Roberto Carlos para as de quarenta:

Sorriso bonito,
olhos de quem sabe
um pouco da vida
conhece o amor e quem sabe uma dor
guardada escondida.

E´jovem bastante
mas não como antes
mas é tão bonita
ela é uma mulher
que sabe o que quer
e no amor acredita.

Viva as mulheres de setenta  !


PROTESTO DE 25 DE NOVEMBRO NA PREVI

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Eu irei no protesto de 25 de novembro. Já confirmei. Outros me telefonaram dizendo que também iriam, para apoiar a manifestação. Ótimo.

Compreendo os riscos que corremos, mas faz parte do processo.  Os infiltrados estão por toda a parte. Mas, segundo consta, estão sendo tomadas as providências preventivas cabíveis.

Lembro do peladaço na Previ.  Evento memorável e que teve, sim, sua repercussão positiva e resultados concretos imediatos comprovados.  Na ocasião, Marcos Cordeiro escreveu uma crônica épica e inolvidável, os heróis do Mourisco, que guardo até hoje.  Agora vou no novembraço organizado pelo Ary Zanella e pela Leopoldina, da Anaplab, que tem o aval de várias lideranças dos aposentados e pensionistas do BB.


Existem outras formas menos arriscadas e menos onerosas de protestar ?  Existem e, se concretizadas, estou dentro delas, O que acontece é que a diretoria da Previ, especialmente seu presidente Dan Conrado, não tornam mais fácil o contato com os participantes.

Houve um encontro no princípio do ano, dia 24 de janeiro, no qual o presidente Dan Conrado se comportou muito mal. Saiu no meio dos debates, antes da minha fala, voltou no encerramento, e no almoço preferiu sentar com os conselheiros fiscais da Previ em vez de sentar com seus convidados, os presidentes das associações e a presidente da FAABB. Que anfitrião é esse ?

Agora ele deu nova demonstração de desprezo e desinteresse com a pessoa do aposentado e da pensionista participantes da PREVI, ao não comparecer na audiência pública do Senado nem mandar representante, sendo criticado pela sua postura. Alegou ter outros compromissos. Que feio !

A mobilização é necessária, sim. E´ um ato de coragem e de afirmação. E´ como dizer, olhem nós estamos vivos, estamos presentes, estamos aqui. Nos respeitem.  Respeitem a nossa dignidade. Conversem conosco. Saiam do pedestal.

Falando nisso, começam a surgir iniciativas tentando diminuir o impacto do movimento de protesto. Além de fórmulas e sugestões, começam a aparecer iniciativas de palestras e debates, entre os quais uma com o diretor Marcel Barros, a convite do Sindicato dos Bancários, em Porto Alegre, no dia 4 de dezembro.

O diretor Marcel sempre tem se colocado à disposição, não posso negar.  Apresentei aqui , várias vezes, proposta para convidá-lo a palestrar sobre o BET.  Não tive boa acolhida.  O pessoal aqui do Sul, especialmente de Porto Alegre, não gostou da postura  crítica nem das colocações feitas pelo diretor Marcel quando veio fazer a apresentação das contas do exercício 2012, e muito menos do discurso do diretor Paulo Assunção.  Em vez de se fixarem em informações e ouvirem as ponderações, preferiram criticar os participantes e as associações que entram com ações judiciais, cujas vitórias são, na opinião do Marcel, um tiro no pé, pois o pagamento recai sobre todos. Pegou muito mal. Depois em Camboriú repetiram a mesma ladainha. Eu fiquei pasmo. Afinal de que lado estão os nossos eleitos ? Dessa forma, para ouvir esse discurso, não consegui que apoiassem minha idéia de convidar esses eleitos. Quanto ao outro eleito, Vitor Paulo, eu o convidei há tres anos, prometeu vir, nunca veio, nem disse porque não veio. E já esta saindo tarde da Previ, onde não deixará marca nenhuma de sua passagem.

Além de tudo a renovação do ES novamente frustrou as expectativas. Poderia ter sido uma ótima ocasião de mostrar discernimento. Afinal tem sido o melhor investimento da PREVI, segundo parece. Tinha tudo pra ser melhor.

Por tudo isso eu vou no protesto e convido aos colegas, especialmente, os do Rio de Janeiro para comparecerem também. Se for igual ao peladaço, tenham a certeza, só o encontro, a solidariedade, a participação e o senso do dever cumprido, já valerão a pena. A gente sai de alma lavada.