REEMBOLSO DE DESPESAS CIRÚRGICAS PELA CASSI

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Fui ingênuo e displicente com relação às despesas de minha cirurgia com relação ao reembolso pela CASSI e estou pagando caro por isso.

Utilizo pouco a CASSI.  Não sou expert nessa área. Na AFABB RS outros cuidam da CASSI, como o Ricardo Maeda e o Claudio Lahorgue.  Fiquei com a Previ.

Não sabia que poderia ter reembolso de 100% da anestesia.  Essa notícia já havia sido divulgada pela AAFBB em julho de 2016.  Eu li e pensei que era restrita ao Rio de Janeiro. Não, não é. Vale para todo o país.

A base é a resolução normativa 259 da ANS, de 2011. Como a CASSI não possui anestesistas credenciados, o participante do plano de saúde pode pedir o ressarcimento integral do valor pago.

Para isso, porém, precisa entrar em contato previamente com a CASSI e comunicar que irá realizar a cirurgia com a utilização de qual tipo de anestesia, nome do anestesista e valor dos honorários. A CASSI toma conhecimento e aprova o procedimento antecipadamente.

No meu caso não informei previamente. O anestesista cobrou dois mil reais, eu apresentei a nota fiscal e o relatório da anestesia para a CASSI posteriormente. A CASSI vai ressarcir cerca de R$ 1.100,00, praticamente a metade. Uma perda de um mil reais. Bem significativa.

Ninguém me alertou para que tomasse as providencias com antecedência.

Portanto, fica aqui esse alerta para que não ocorra o mesmo caso algum de vocês venha a precisar.

Quanto as despesas com o cirurgião, ele não era credenciado na CASSI. Fiz particular. A CASSI vai reembolsar cerca de trinta por cento (30%).

Respondo a várias perguntas que me tem sido feitas sobre os custos e despesas da minha cirurgia.

Informo que no tocante ao hospital, no meu caso o Moinhos de Vento, um hospital de primeira grandeza, a CASSI foi ótima, me forneceu um quarto individual com direito a acompanhante e pagou todas as despesas.  Nesse tocante, nota dez.

9 comentários:

Anônimo disse...

Passei pelo mesmo susto......Em Outubro passado(dia 27) acordei aos gritos com uma crise de calculo renal, fiquei internada e fiz o procedimento Duplo J, o medico eo anestesista não eram da Cassi, o anestesista me cobrou 2.500,00 mais 250,00 do instrumentador. Fui operada dia 01/11 e sai no dia 02/11, dias depois dei entrada na Cassi para ressarcimento. Ligando para a Cassi pra saber qto tempo levava para eu receber, a atendente disse que eu não tinha que pagar instrumentador que os 250,00 eu não teria de volta. Um mês depois de dar entrada ( a Cassi so me ressarciu 30 dias depois) e dos 2.500,00 que paguei so recebi 1.400,00 ou seja, preju de 1.100,00 mais os 250,00. Também não sabia que tinha que avisar.

Adaí Rosembak disse...

Caro Amigo Medeiros,

Parabéns pela sua volta.
Sua ausência foi muito sentida.
Você é um guia experiente.
Gostei muito desse artigo sobre a CASSI. Muito esclarecedor.
Continue a nos brindar com suas notas.

Osempre amigo

Adaí Rosembak

Paulo Beno e Leda Goellner disse...

Obrigado pela informação.
Também não sabíamos do reembolso integral das anestesias, quando informado ANTECIPADAMENTE à CASSI do valor orçado, nome do profissional, e tipo de anestesia.

Valeu a dica. Sempre nos ressarciram pela tabela de anestesias da CASSI, muito inferior ao valor que pagamos efetivamente,

Desde 2011, com a resolução normativa 259 da ANS mudou-se para melhor os ressarcimentos.

Anônimo disse...

boa tarde amigo Medeiros gostaria de sabe se o amigo sabe nos informa se esse ano vai ter BET pra nòs?

Nildete disse...


Bom dia, doutor Medeiros,


É lamentável que o senhor e outros colegas tenham passado por isso.Seu relato é importante para nós. Eu também não sabia desse detalhe do anestesista.

Desejo melhoras para o senhor e muita paz em sua vida.

Um abraço

Anônimo disse...

Boa noite, ligando para a ANS a Cassi deposita rapidinho a diferença.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros. Peço a gentileza de comentar sobre a viabilidade da AÇÃO PRÉ-87. Um escritório de advocacia de Santos vem oferecendo seus serviços, mas pediu antecipadamente R$3.000,00 para despesas iniciais, além dos 20 % de honorários, que serão deduzidos dos valores eventualmente recebidos pelo contratante.

WILSON LUIZ disse...


PEQUENO ALÍVIO

Passou relativamente desapercebida medida tomada pelo governo para aliviar a situação dos endividados que caíram na armadilha de utilizar o rotativo do cartão de crédito, cujos juros andam nas alturas de 15% ao mês, ou mais.


Transcrevo matéria de conhecido jornal de economia





O governo anunciou novas regras para o uso do rotativo do cartão de crédito. A mudança deve trazer alívio ao consumidor que costuma pagar apenas o valor mínimo da fatura e acaba entrando na bola de neve dos juros (que hoje passam de 15% ao mês, ou 450% ao ano).A
expectativa do governo é que o custo do cartão de crédito caia pela metade com a mudança. A partir de 3 de abril, o rotativo só poderá ser usado por, no máximo, 30 dias. Depois desse prazo, ou o cliente quita a fatura vencida acrescida dos juros do rotativo, ou o banco terá que oferecer uma alternativa, que pode ser o parcelamento da dívida. Hoje, não há limite de tempo para uso dessa linha de crédito.

Anônimo disse...

Nossa ! A AAFBB Rs não lhe avisou sobre esses procedimentos prévios ?
Falha imperdoável.