CARTA DE RENÚNCIA A PREVI ( última parte )

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018


Tendo em vista inúmeros pedidos, vou antecipar a publicação da parte final de minha carta de renúncia, que faria em duas etapas. Agora vai o texto integral, embora longo. Suprimi pequenos trechos, atendendo parecer de meus advogados. Tenho sofrido ameaças de ações judiciais e represálias. Mas não vou recuar. Volto a pedir a compreensão dos colegas, das pensionistas, dos aposentados e dos participantes da ativa da Previ, cujo futuro me preocupa, sendo que a minha carta de renúncia é minha contribuição para que se efetuem melhorias. Quando assumi, em meu primeiro dia, lá na Previ, afirmei que era pé quente e que o imenso déficit daquela época iria ser superado. Riram de mim. Graças ao desempenho da bolsa estamos de novo no azul. E´ preciso que este superávit seja destinado a quem de Direito, aos donos da Previ, os participantes, jamais ao patrocinador. Abaixo o texto final.

                                                      -o-o-o-o-o-o-o-
                                   
"Por último, preciso falar de governança, uma bandeira que a administração da Previ tem desfraldado para diferençar de outros fundos de pensão, tendo passado por esse motivo imune pela CPI.
Não acho que tenha havido boa governança no caso do complexo hoteleiro de Sauípe, recentemente vendido, com imenso prejuízo ocasionado à Previ, pelos aportes financeiros feitos ao longo de todos esses anos que, atualizados, superam a casa de um bilhão de reais. Gerentes e conselheiros da Previ participaram também do conselho de administração e fiscal da Sauípe, situação que denunciei por ocasião da novembrada. Lembro aqui que foi enfatizado, numa reunião do Delib, ocorrida no segundo semestre de 2014, ao justificar pedido de auxílio financeiro ao complexo hoteleiro, que a partir daquele momento Sauípe passaria a dar lucro e não necessitaria mais ser socorrida pela Previ. Li agora, na correspondência que encaminhou a venda do complexo, que a diretoria da Previ concedeu novos auxílios financeiros em 2015 e 2016, perfazendo cerca de quarenta milhões de reais, aumentando, assim, o prejuízo acumulado.
Por esse motivo, estou preocupado com o que está acontecendo com a INVEPAR, que, como todos sabem, vem enfrentando  problemas de ordem financeira, onde o diretor Renato Proença, justamente responsável pela área de governança da Previ, é conselheiro de administração.
Ninguém pode servir a dois senhores, ensina a Bíblia. Essa prática não dá certo quando acontecem operações financeiras entre ambos e os interesses se sobrepõem. Por isso defendo atualmente a tese de que diretor da Previ não pode e não deve fazer parte de conselho de administração de empresas participadas, até porque os afazeres de seu cargo são extremamente abrangentes e merecem atenção redobrada e dedicação exclusiva.

Um dos princípios de governança corporativa é promover a integração dos órgãos colegiados e dos conselheiros com os gestores executivos. A Previ promove encontros de governança para os conselheiros de empresas participadas e não promove encontros internos para a integração de seus conselheiros deliberativos, fiscais e consultivos com os diretores.
Na primeira reunião do Delib de que eu participei houve a constituição dos comitês de assessoramento. Eu me candidatei a todos eles e fui derrotado sistematicamente por cinco votos a um, tendo a meu favor apenas o voto de meu companheiro de chapa. Fui claramente discriminado por ser de oposição. Fiquei fora de todos os comitês. Isso é integração ? Isso é governança ? Trazia em minha bagagem uma larga experiência na área, como ex presidente do conselho fiscal da Previ, com livro publicado, um dos líderes de venda nos Congressos da Abrapp, presidente de associação,  contabilista e advogado atuante.
Além de experiência, trazia também conhecimentos avançados na área das probabilidades algorítmicas e de investimentos em renda variável. Prova de minha habilitação é que minha pontuação no ranking de conselheiros de empresas da Previ é elevada, 69 pontos, no 45°lugar.
Governança supõe trabalhar junto, tirar proveito de divergências de opinião e de ideias. A Previ infelizmente não tem mostrado nenhuma vocação para lidar com divergências e críticas. Quem diverge é tratado como inimigo, especialmente quem procura defender os participantes e resistir aos interesses e investidas do patrocinador Banco do Brasil, que historicamente vem se beneficiando da Previ e continua ganancioso em suas pretensões.
Como já foi dito, a Previ enfrenta problemas de transparência na comunicação com os participantes. Claro que existem assuntos sigilosos de ordem operacional, mas diversas deliberações, em meu entendimento, poderiam e deveriam ser divulgadas, para conhecimento dos participantes, que devem saber e acompanhar o que se passa em seu fundo de pensão, para poderem cobrar atitudes dos eleitos.
Na condição de conselheiro deliberativo tive problemas de obtenção de documentos e de informações. Foi necessário , através de correspondência protocolada, ameaçar de dar queixa policial de subtração ou de ajuizar mandado de segurança para conseguir obter o conteúdo do TAC, enfrentamento que durou todo o segundo semestre de 2014 e os primeiros meses de 2015, causando enorme desgaste. Precisava chegar a esse  ponto? Sabido que os conselheiros tem direito ao acesso de toda a documentação.
Tenho outras matérias que alimentam o meu desconforto, de igual ou até de mais relevo, como, por exemplo, a questionável seleção de conselheiros para empresas participadas,  o teto dos benefícios, a questão da sétima e oitava horas, as pendências com o Banco do Brasil sobre o BET, os controles internos sobre os investimentos, como o Fip Brasil,  mas essa carta de renúncia já vai longa, não comporta outras considerações, pois, creio, as alegações  aqui contidas já são suficientes para justificar  a minha renúncia.
                                                         
-o-o-o-o-o-


Lamento renunciar meu mandato. A renúncia sempre é uma atitude penosa e necessita de firmeza. Martha Medeiros, escritora gaúcha, minha sobrinha, escreveu que “ou a gente se acomoda e finge que está tudo bem, distribui sorrisos e desculpas esfarrapadas, se submetendo a uma farsa, ou encara a situação, mostra que é digno, autêntico, assume os riscos de sua decisão, demonstra sua independência e escreve sua história”. Eu tenho uma história a zelar. Não posso contraria-la nessa altura de minha existência, às vésperas de completar oitenta anos. Sigo o exemplo de meu pai, advogado do Banco do Brasil, que renunciou ao cargo de juiz em Uruguaiana por não aceitar interferência política. Procuro honrar sua memória.
Foi com sofrimento, acredite, não foi fácil, que resisti até aqui o exercício de meu mandato. Tenho testemunhas de meu permanente, desgastante e desigual esforço pela defesa dos direitos e interesses dos aposentados e pensionistas perante o patrocinador Banco do Brasil durante todos esses 44 meses intermináveis, bem como pela minha luta pelo fortalecimento da Previ como instituição que nos garanta um padrão de vida digno no ocaso de nossas vidas e não apenas uma mera pagadora de benefícios. E´ com pesar que me vejo obrigado a renunciar próximo do fim. Saio, entretanto, de consciência tranquila, cabeça erguida e com o senso do dever cumprido.
Faço votos de que as minhas ponderações, feitas com o melhor propósito, como sempre fiz, sejam objeto de reflexão e quem sabe de tomada de providências, bem como que respeitem minha atitude.
A propósito, como é ano eleitoral, para que não seja mal interpretado, declaro que não sou candidato a nada."

Atenciosamente

José Bernardo de Medeiros Neto

79 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns. Muito bem dito. O senhor é do bem. Lamentável a pressão que está sofrendo. Pisou nas canelas deles. Bravos.

Anônimo disse...

O doutor falou no xodó deles, na governança. Devem estar incomodados. Eu sempre desconfiei dessa governança que é toda comandada pelo patrocinador. Parabéns pelo texto cloro e lúcido. Vou guardar.

Ruben

Anônimo disse...

Parabéns Medeiros ! pela coragem de expor seus motivos (aliás suponho que provavelmente existem até mais) e suportar os dissabores que provavelmente hão de advir. Não esperava outra atitude deste que imagino seja um verdadeiro gaúcho. Abc. Cecília Estivallet.

Medeiros disse...

Obrigado Cecilia,

Sou gaúcho de Uruguaiana, tchê. Sabes que sou teu admirador, das tuas falas, dos teus escritos, e, se permitires, estavas linda na festa de fim de ano. Estou, sim, debaixo de mau tempo. Mas de consciência tranquila e com a certeza de que não decepcionei meus amigos e colegas.

José Flávio disse...

Parabéns, Dr. Medeiros!
Que Deus lhe dê forças para enfrentar essas pressões.

Anônimo disse...

Amei, Medeiros. Chorei de emoção. Ainda existem homens assim de princípios e de coragem ? Parabéns para a tua esposa ANA. Deve ser tua inspiração. Avante, guerreiro.

Medeiros disse...

Obrigado José Flavio. Estou sob proteção Dele.

Anônimo disse...

Dr Medeiros,

Estou estarrecido. Para obter um documento o senhor precisou ameaçar dar queixa policial ou entrar com mandado de segurança. Justamente o tac. mAS QUE COISA ! o DOUTOR MOSTROU QUE SUA LUTA FOI DURISSIMA.

Medeiros disse...

Foi dura, sim. Do princípio ao fim. Está sendo dura agora. Mas conto com apoio de vocês. Só isso vale.

Anônimo disse...

Tá ai o documento que faltava para ser publicado em jornal, na mídia.
A população deve tomar conhecimento - pois é publico - e em boa hora.

Anônimo disse...

O que fica evidente é que o Dr Medeiros foi discriminado e judiado na Previ. Também fica evidente que ele combateu como pode. Sai de cabeça erguida. Sua biografia fica enriquecida. Gostaria de escrever como o Marco Cordeiro quando escreveu sobre o peladaco no Mourisco para louvar esse gesto do Dr Medeiros. Só sei que me sentiorgulhoso de conhece lo. Honrou nossa amizade

Adherbal

Anônimo disse...

Dr. Medeiros

Só tenho que parabenizá-lo pela sua atitude. Uma consciência tranquila e limpa vale mais que uma montanha de ouro, aliás daqui não levaremos nada mais do que fizermos de bom ou de ruim, como já disse: DEUS não castiga ninguém, mas temos que prestar contas ao CRIADOR do que fizemos com o nosso livre arbítrio.

PELO LÍCITO E CORRETO, RESTA-NOS SE HOUVER CULPADOS QUE PAGUEM PELOS SEUS ERROS, INCLUSIVE PECUNIARIAMENTE, POIS UM FUNDO QUE PREGA O QUE PREGA, TAMBÉM TEM QUE RESPONSABILIZAR OS CULPADOS, E O SENHOR COMO UM EXCELENTE CAUSÍDICO QUE O DIGA!
Abs.
Mineiro

Anônimo disse...

Bravos Medeirao. Lição como essa estava fazendo falta noomento em que o país passa. Era tão fácil você concluir o mandato. Passar mais quatro meses lá recebendo honorários. No final ia ganhar a costumeira placa de reconhecimento. Ia afirmar que foi parte de uma gestão vitoriosa. Zeraram o déficit. Um mar de rosas. E ao contrário você renúncia e vem se incomodar, vai ter que responder ataques, vai sofrer, aliás está sofrendo ameaças de ações, vai ser ofendido e agredido. Mas você teveuma imensa coragem. Mostrou que tem origem, educacaode casa. Conta comigo, colega. Valeu.

Ademir PR

Anônimo disse...

E agora José ? A carta está aí. Publicada. Cadê as associações ? Cadê o grupo Meia Dúzia ? Cadê o MSU ? A Anabb ? A AAFBB ?FAABB ? Vão deixar o Medeiros sozinho? Já vi esse filme antes. Assim não dá.

Anônimo disse...

Coragem não te falta, Medeiros. Sealguem duvidou de ti agora está tendo que lavar a boca.

Maria Marli Tomasoni-Bal.bal.camboriu SC disse...

Parabéns Dr.Medeiros!pela imensa coragem e dignidade!é de sua índole ser honesto e justo consigo e com o próximo!com certeza teve momentos amargos !foi uma prova de fogo e quem sobrevive a esta prova se torna mais forte e destemido porque não existe mais os espinhos em sua mente e Espírito que impediam de seguir em frente firme e forte! é uma honra te-lo como colega e bravo Guerreiro em favor de nossas causas!um grande abraço!

Medeiros disse...

Obrigado pela força Maria Marli. Vou ter liberdade agora . Estava sufocado.

Anônimo disse...

Este é o Dr. Medeiros. Uma carta bonita, bem escrita, digna, sem ofensas. No Miño, elegante. Como é o Dr. Medeiros. Mas ao mesmo tempo objetiva, concludente, foçada nos pontos principais. Critica a tão afamada governança da Previ. A transparência. A comunicação falha e sempre cheia de sofismas. Valeu doutor. Parabéns.

Ademir Martins disse...

pois é, infelizmente os bons se afastam e ficamos sem representante, sem essa pessoa de fácil acesso e que teve que ficar amordaçada por longo período mas que agora poderá voltar ao seu blog e nos esclarecer tudo que necessitar de esclarecimentos por conta da "lei da mordaça" e..........outras matérias que alimentam o meu desconforto, de igual ou até de mais relevo, como, por exemplo, a questionável seleção de conselheiros para empresas participadas, o teto dos benefícios, a questão da sétima e oitava horas, as pendências com o Banco do Brasil sobre o BET, os controles internos sobre os investimentos, como o Fip Brasil, mas essa carta de renúncia já vai longa, não comporta outras considerações".......
portanto, como sempre, conte conosco.

Anônimo disse...

Prezado Medeiros, parabéns pela coragem de nos mostrar parte do submundo da PREVI. O MSU endereçou mensagem hoje aos órgãos dirigentes daquela Caixa, onde solicita manifestação e esclarecimentos/justificativas sobre os graves relatos que você faz. Tenha certeza que cerraremos fileiras com você. Macilene Oliveira (Goiânia)

Anônimo disse...

Não tem jeito,cada pena que puxa vem uma galinha. Só uma auditoria externa e independente conseguiria esclarecer aos associados o que se passa dentro da NOSSA Previ, afinal quem não tem esqueletos no armário não tem o que temer. Não consigo entender as pressões e ameaças de processos por parte de dirigentes que propagam aos quatro ventos a boa governança e transparência da entidade.

Medeiros disse...

Obrigado Marilene. O apoio do MSU é muito mportante. Você sabe que estamos alinhados em busca de uma Previ melhor e mais transparente.

Anônimo disse...

Mexeram com o cara errado. Achavam que estava Velho demais para o combate. Quererá carta fora do baralho. Um idoso imprestavel. E agora estão se virando para amenizar o estrago. O melhor carnaval deste ano quem fez foi o Dr. Medeiros. O enredo é sobre um homem de caráter que não deixou sujarem sua biografia. Isso aí.

Nei Vaucher disse...

Dr. Medeiros, ao ler a segunda postagem de sua carta de demissão,fiquei deveras nauseado por tomar conhecimento de tanta falta de respeito e consideração com a sua pessoa.Se tiveram a petulância de agirem desta forma com o Sr.imagine o que restou aos demais eleitos da chapa
3.Conte com o nosso apoio.Lembre-se que "cachorro que muito late não morde".
Vamos que vamos.

Anônimo disse...

Caro Dr Medeiros,

Começa a circular no watapp a resposta da Previ a sua carta. Puro blábláblábláblá. O que o doutor acha ?

Medeiros disse...

Já me informaram. Acho ótimo. Vai enriquecer o debate. Teremos réplica e quem sabe tréplica. Da minha parte acho que conseguiremos avançar na transparência, um dos objetivos de minha carta, e também na comunicação, outro dos objetivos. Maravilha. Vou dormir. Amanhã será outro dia. Beleza.

Anônimo disse...

Boa noite doutor. Um bom descanso. Merece. Sua réplica vai ser igual a que deu ao Sergio Rosa ? Aquela achei genial. Ele nem teve como responder. Vamos que vamos.

caos e ordem disse...

Esse é o Medeirão que conheço, admiro e reverencio. Uma carta de renúncia chutando o balde, como tem mesmo de ser chutado. Abração, seja feliz. Sou José Citeli do blog CAOS E ORDEM.

Anônimo disse...

Dr.Mwdeiros , o Sr. também recebeu a carta ? Queremos ter conhecimento

Medeiros disse...

Obrigado José Citeli do blog Caos e Ordem.

Anônimo disse...

O que tiro de lição desta carta renúncia do Medeiros é que ele , como sempre foi, não aceita se esconder atrás de um computador e ficar passivo. Ele dá a cara ao tapa. É protagonista. Se expõe. Sabe que terá opiniões a favor e contra. Ninguém é unanimidade. Tem interesses em jogo, ainda mais com as eleições. Mas ele faz o que sua consciência manda. Consulta alguns amigos , tem a solidariedade de sua AFABB RS e toca pra frente. Acho que é de pessoas assim quero Brasil precisa. O que me apavora e o silêncio dos bons. Valeu Medeiros.

Medeiros disse...

Recebi a carta resposta da Previ ontem à noite quando cheguei em casa. Vai ter réplica, sim. Aguardem. A Previ segue a sua linha atual e optou pela polêmica. Melhor para nós, participantes.

Anônimo disse...

Mali a carta resposta. A mesmice de sempre. A tropa de choque do BB se movimentou ontem para tentar minimizar a carta e renúncia. Não conseguiu. O que eles vão terminar fazendo é o contrário. A leitura dos dois documentos é favoravelmente Dr Medeiros. Estão atirando no pé. Vai ter reação. A Isa Musa está com o Medeiros. Ela é boa de debate. O MSU também.o Macilene também é bom. O Zanella idem. A Rosalina idem. Está faltando sóo Marcos Cordeiro.

Anônimo disse...

O clima ontem aqui na Previ era péssimo. A resposta não caiu bem.

Anônimo disse...

Bravos Medeiros. É isto aí. Se cuida. Vamos que vamos.

Anônimo disse...

Parabéns. Parabéns.Parabens.

Anônimo disse...

Mas que oitis-da-praia. Aquilo é resposta ? Estão loucos.

Anônimo disse...

Força doutor. Estamos contigo.

Grupo de colegas de SC

Anônimo disse...

Dr Medeiros

Pisou no calo. No dodói deles que é a tal de governança corporativa. Sempre desconfiei queisso é só discurso, só balela para inglesver e tapear a tal de Previ. Agora o doutor está mostrando que não é bem assim. Vão enlouquecer.

Anônimo disse...

Ainda bem que saiu a parte final da carta. Estavam apostando que o doutor não ia mais publicar. Muita pressão. Muita ameaça. Mas terminou saindo. Agora eles querem desqualificar com a resposta. Mas a linguagem é a mesma. Puro blá-blá-blá.

Anônimo disse...

Medeiros você és a tua parte. Mas o que me espanta é o que os outros estão fazendo. Cadê as entidades ? É tudo só fantasia.

Anônimo disse...

Temos que continuar acreditando que vale a pena ser honesto, que vale a pena ter caráter, que temos que ter ideais. Senão tudo será perdido. Valeu Medeiros

Adair

Anônimo disse...

Caros,

Olhe gente eu achei que a resposta da Previ não vai amedrontar o Medeiros. Ao contrário vai botar fogo na fogueira. Foi muitainfeliz. Sinal de que os nossos diretores estão tontos ou com a soberba em alta. Melhor teria sido abafar o caso. Agora o quebrai ser julgado e analisado não ê a carta do Medeiros, é a carta da Previ, que está cheia de falhas, de enrolação, até de insinuações maldosas. Não vai ser aprovada. Peça atépela falta de elegância. Não sei quem redigiu, mas certamente não estava num momento inspirado. Deixa uma má impressão.nota reprovada.


Fagundes

Anônimo disse...

O que salta aosolhos na resposta da Previ é uma total falta de diálogo e transparência. É a minha modesta opinião. Vamos que vamos Medeiros.

Anônimo disse...

A Previ não tem que noticiar no seu site a renúncia do Dr Medeiros ? Não é fato relevante ?

Anônimo disse...

Prezado Medeiros,

Algo está acontecendo com seu blog. Tive muita dificuldade para postar. Agora consegui. Já soube que algumas entidades tomaram providencias. A FAABB, da presidente Isa Musa, e o MSU, de Macilene. O senhor já fez a sua parte. E de forma brilhante. A resposta da Previ não convenceu. Usa a mesma redação de sempre. Procura enrolar. Pensa que todos somos despreparados. Idosos caducos. Não gostei. Nada se aproveita. Vai dar futebol. Não gosto que me tratem como imbecil. O estilo é o de sempre me engana que eu gosto. Pois eu não gosto. Fique em paz, doutor. Fez o seu dever.

Anônimo disse...

E´ verdade . O blog está com acesso difícil. Acho que estão fazendo coisas.

Anônimo disse...

Dr Medeiros,

Fico pensando. Como eles não imaginaram que o doutor iria se rebelar com tudo o que fizeram para restringir sua atuação na Previ. Não lhe colocaram em comitês, fizeram um processo interno na auditoria contra o senhor, proibiram de registrar suas inconformidades, lhe discriminaram. Só se o doutor tivesse sangue de barata. Será que acharam que estava velho demais para reagir. E´ muita insensatez, muita falta de respeito.

Anônimo disse...

Em nome das pensionistas nosso muito obrigado, dr. Medeiros

Eva

Anônimo disse...

Prezado Medeiros

Toda a minha admiração pela sua dignidade, coragem e retidão de caráter.

Terezinha RS

Medeiros disse...

E´ o blog está esquisito. Vou falar com o técnico.

Anônimo disse...

Esquisita está a bolsa que atingiu 86 000 pontos. Acho que está inflada. Não sai mais a reforma da previdência. Intervenção no Rio. Não sei não. O que o doutor Medeiros acha ?

Medeiros disse...

Finalmente o blog começou a bombar. Antes a visualização diaria era de menos de 500. Agora entre ontem e hoje já foram registradas quase 15.000 visualizações. O blog voltou. O campeão voltou. Que bom !

Anônimo disse...

Olha dr MEDEIROS a carta da Previ é muito ruim. Lendo ela dá para chegar à conclusão de que o doutor fez muito bem em renunciar. Trata se de uma resposta prepotente, procura fazer pouco caso das suas justificativas. Achei que foram desrespeitosos e procuraram mais uma vez nos enrolar. Será que não se dão conta de que já somos grandinhos. Depois de ler a carta da Previ fiquei ainda mais seuadmirador.

Anônimo disse...

Mas que carta resposta é essa , pensam que somos bobos. Pisaram na bola. Parabéns pela tua atitude MEDEIROS.


Ary

Medeiros disse...

Mas afinal porque direito de resposta. Publiquem no site da Previ. E façam o dever de casa. Noticiem a renúncia do conselheiro Medeiros e as razões por ele invocadas. Isso é ser transparente. Cadê a Previc ?

Anônimo disse...

Muito bem Medeiros. Eles estão ligando para todo mundo cobrando direito de resposta. Mas o que é isso ? Para que serve o site da Previ ? Para desaconselhar ações judiciais ? Para noticiar abobrinhas ?

Anônimo disse...

Onde se vê essa tal carta da Previ? No site não encontrei nada.

Anônimo disse...

A CARTA DA PREVI JAH COMEÇOU MUITO MAL (para o próprio DELIB e para TODA a Diretoria):

"as funções... devem ser exercidas em proveito da Entidade dos Planos de Benefícios... independentemente de serem (os Conselheiros e Diretores) eleitos ou indicados pelo BB Guloso (VOTO MINERVA da PREVI, Conselheiros indicados pelo BB nas Participadas com
MEGA HONORARIOS por serviço algum, etc.)

Pergunto: SE as funções/atos devem ser em prol da Entidade, COMO FICAM os Atos praticados pelo CD em prol dos ILEGAIS BENEFICIOS SEM TETO?

Anônimo disse...

Colegas e
Dr. Medeiros

Sou de opinião que mesmo que a Previ vá empurrar tudo para debaixo do tapete, entendo que o nobre Dr. Medeiros não deverá permitir isto.
Entendo que para o bem de todos, dever-se-á apurar tudo, inclusive sob o conhecimento e tramite do judiciário.
Suponho que usando de sua SOPA DE LETRINHAS a Previ deverá evitar o embate jurídico, pois agora os seu administradores acharam o que procuravam e a cobra vai fumar, ainda mais que o nobre Dr. tem as provas para mostrar.
E aí eu digo para a Diretoria da Previ: quero ver com quantos paus se faz uma canoa. E é bom que arrumem muita lenha!
Força Dr. Medeiros.
Abs.

Anônimo disse...


Prezados colegas,

Urge agora uma auditoria independente para fazer uma devassa na Previ.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,

Soube que a Isa Musa enviou para a PREVI em nome da FAABB, da qual é presidente, uma correspondência sensacional pedindo esclarecimentos e contestando alguns pontos da carta do presidente do Delib. Seria interessante conseguir uma cópia e obter autorização para publicar.

Anônimo disse...

Também soube que o Bezerra e o grupo Meia dúzia estão lhe apoiando. Seria oportuno que publicassem algo. A sua carta vai dar um impulso na ação judicial que movem contra a Previ sobe a altas remunerações dos diretores.

Anônimo disse...

Caro Medeiros,

Sexta feira tem reunião do conselho deliberativo da PREVI. Dizem que o clima está péssimo. Falam que tem quem discorde da carta de resposta e acham uma loucura polemizar com você, que é sabidamente um grande advogado e um excelente escritor, ainda mais agora que seu blog está bombando de novo. O que se escuta é algo assim. Pra que mexeram com o Medeiros ? Querem intervenção na Previ ? Você vai responder a resposta deles ? Estou ansioso. Lembro da tua resposta ao Sergio Rosa. Foi contundente.

Aristophanes disse...

Somos mais de 200.000 participantes e assistidos do maior fundo de pensão da América Latina, a Previ, um dos maiores do mundo, com patrimônio acima dos 190 bilhões de reais(em torno de US$60 bi. É, também, portador de uma cultura secular e patrocinado por uma instituição de peso, no cenário sócio econômico do Brasil. Isso é motivo de orgulho? É, sim! Mas, também, de responsabilidades e zelo.

Prezados Colegas.
Defrontamo-nos, por esses dias, com um episódio singular ao qual, com momentâneo e passageiro interesse poderíamos dar o nome minimizado de “Caso Medeiros-Previ”. Não é bem assim, trata-se de um incidente atual e grave. É a renúncia-denuncia de um conselheiro eleito do DELIB-Previ. Nome de relevante currículo, um ícone de grande valor dentro de nossa comunidade e, também, no ambiente externo. Portanto, não se trata, simplesmente, da renúncia do Dr. José Berardo de Medeiros Neto. Trata-se da “nossa renúncia” e, pela retumbante aceitação das suas razões, “nossa denúncia”, também.
A Previ, pelo seu DELIB, pretendeu fazer uma reparação a cada falha apontada pelo Dr. Medeiros, que são muitas. Tentaram explicar, item por item, “mas explicar não justifica”, como disse Clarice Lispector.
Pior: A aversão da Previ à transparência, agregou mais um erro ao lamentável episódio. A carta do Dr. Medeiros é datada de 1/2/2018 e a resposta do DELIB ocorreu no dia seguinte, 2/2/2018. Em vez de ficarem procurando veículos, para divulgarem um pretenso “direito de resposta”, o certo – por se tratar de um fato relevante, renúncia e resposta – seria a pronta publicação, no frequentado e autorizado “site” da própria Previ, dos dois textos correlatos. Para ajuizamento pleno e democrático.
Quando digo que o episódio não deve ser minimizado, chamo a atenção e quero dizer que ele deve ser entendido dentro de um novo contexto de mudanças, e se associar a outros eventos que estão modificando comportamentos e repudiando traquinagens e viciadas práticas administrativas. Vejamos:
• O Superintendente da PREVIC, Fabio Coelho, mostrou, em entrevista recente, que a entidade, saindo de um lamentável passado de inércia institucional e aparelhamento peleguista, prega novas e rigorosas diretrizes saneadoras que começam a ser praticadas.(Instrução PREVIC nº6,29/5/17, Portaria 1142/11-12-17).
• Em carta de 4/12/2017, ao MINIPLAN, o combativo Presidente da AFABB-PR, denuncia a prática imoral dos salários avantajados e a pretensão de correspondentes aposentadorias, sem base contributiva, com severo ônus para o fundo de pensão.
• Na linha desse despertar contra práticas irregulares, gastos despropositados e altas remunerações, que se autoconcedem espertos executivos das estatais, a CGPAR e a SEST estão apertando o torniquete com limites, parâmetros e novos marcos regulatórios.
• A grande Imprensa vem dando espaço a esses reparos e, em recente reportagem, a Folha de São Paulo destaca os salários elevados nas instituições financeiras do setor público, revelando que “no Banco do Brasil, incluindo o pagamento de bônus baseados em ações e remuneração variável, os ganhos nas faixas de diretoria atingem R$ 87,4 mil mensais”. É com i$$o que eles querem ir pra casa...
É tempo de a Previ sair de suas “certezas viciadas”, acatar as críticas corretivas e enxergar as mudanças benfazejas, e nesse novo caminho executar projetos que amenizem as grandes perdas sofridas por seus participantes e assistidos, nos últimos anos da rigorosa política do “nem mais, nem menos.” Pra nóis!

Nei Vaucher disse...

Dr. Medeiros,
Nesta hora da matina,1,30 h, estou curtindo a conquista do Gremio, sofrida barbaridade, ai me ocorreu o seguinte:
Quem sabe o nosso glorioso João Rossi Neto, abre uma exceção e comenta algo a respeito de suas colocações a respeito do que ocorre na Previ,
Vamos que vamos.
nei.vaucher@terra.com.br

Anônimo disse...

Dr Medeiros

Estou. Ansioso para ler sua réplica a carta da Previ. O doutor não vai ficar calado, não é ? O mestre Aristophanes escreveu acima. Com brilhantismo de sempre.

Anônimo disse...

Bom dia Medeiros. É HOJE O DIA !

Anônimo disse...

Vamos que vamos doutor. Cartinha padrão essa da Previ. O blá-blá-blá de sempre. Não convenceu.

Medeiros disse...

Prezado Nei


Sabes que soucolorado, mas contra os de fora eu torço pelo Grêmio. Estava cansado, dormi na prorrogação e acordei com a defesa do Marcelo Grohe. Aquele goleiro que o Paulo Santana condenou, e a comemoração. Mas antes me alegrei com a vitória do Inter.
Gostaria, sim, de uma manifestação do Rossi, de quem souadmirador. O Rossi acertou quando me criticou por ter aceito a condição de suplente. Ele me queria como titular. Acho que ele se aborreceu com razão, mas já deve estar passando o aborrecimento. Volta João Rossi Neto !

Medeiros disse...

Mestre Aristophanes,

Seu comentário lúcido e inteligente está bom demais. Na mesmo linha da Isa Musa. Parabéns. Merece maior divulgação.

Anônimo disse...

Urge apurar o caso com todas as letras pelos meios judiciais e sem delongas.

Abs.
Mineiro

Humberto Caxias do Sul disse...

Prezado colega Medeiros, mais uma vez mostrastes tua garra, tua coragem e teu destemor no enfrentamento desses todo poderosos (por breve tempo) diretores da Previ. Eles que contestem, com clareza e precisão, todos os questionamentos feitos, item por item, mas, por favor, parem de enrolação e respostas prontas nos formulários e meios eletrônicos da Previ. Não dá mais pra aguentar tanta basofia, tanta autopromoção, somente para justificar os imorais e irregulares bônus de produtividade.

Ainda estamos amargando prejuízos dos anos 2014, 2015 e 2016, segundo eles, causados pela crise que se abateu no país, porém, com os ótimos resultados das aplicações em Rendas Variáveis em 2017, o mérito, ainda segundo eles, pertence exclusivamente aos competentes administradores da Previ. Ora, quando da prejuízo a culpa é dos outros, mas, ao apresentar rentabilidade positiva, dai cabe a eles, pela sua eficiência, conhecimentos do mercado e competência, os frutos a serem colhidos.

Mais una vez meus agradecimentos ao Medeiros, por seu posicionamento forte, consistente e elucidativo, sobre as questões de nossa Previ.

Humberto

Humberto Stumpf disse...

Ops uma correção gramatical ao meu comentário anterior: leia-se BAZÓFIA ao invés de basofia . Obrigado

Elenita disse...

Estamos pagando caro prá ter "colegas talentos trabalhando na Previ". Na carta o Presidente Deliberativo escreveu: "Também é do conhecimento de V.Sa. que a Política de Remuneração da PREVI procura garantir índices mínimos de atração e retenção de talentos e é adequada ao porte da entidade e à responsabilidade de seus dirigentes. Essa política é atrelada a resultados mensurados com base em indicadores de gestão próprios de um fundo de pensão e é extremamente conservadora, se comparada à remuneração variável praticada pelas
Instituições financeiras. " -.
Incrível ele escrever que a remuneração é extremamente conservadora!!!

Anônimo disse...

Prezado Medeiros - irretocável sua contra resposta - pela FAABB eu já me manifestei e não ficará por isso mesmo - iremos buscar a comprovação de tudo na certeza de cumprir com o nosso dever e de lutar o bom combate - receba meu abraço
Isa Musa de Noronha

Roberto Dantas disse...

Prezado Dr. Medeiros, em tempo de lava-jato, que quer passar esse país a limpo, é inadmissível conviver com o obscurantismo da Previ nos dias de hoje!! Precisamos de TRANSPARÊNCIA JÁ NA PREVI!!!
Por isso, Dr. Medeiros, pergunto como podemos, nós associados, os VERDADEIROS DONOS dessa instituição, apoiar formalmente os questionamentos levantados em sua carta-renúncia e transformar também em uma ação de associados junto à Previ? Poderia ser por meio de manifesto ou abaixo-assinado?
Um forte abraço,
Roberto Dantas

Roberto Dantas disse...

Em tempos de lava-jato, é inadmissível conviver com o obscurantismo da Previ nos dias de hoje!!! Mexeram com a pessoa errada! Transparência já na Previ!!!
Conte conosco, Dr. Medeiros.
Um forte abraço,
Roberto Dantas

Anônimo disse...

Parabéns Dr. Medeiros, são funcionários do seu naipe que fizeram o BB grande.