10 DE ABRIL DE 1957, ESTAMPILHA ? O QUE É ISSO ?

sexta-feira, 7 de abril de 2017

No dia 10 de abril de 1957, na cidade de Uruguaiana, na fronteira oeste do RS, eu tive que me acordar e me levantar as 6,30 horas da manhã. Estava frio e escuro ainda. Vontade de permanecer na cama quentinha. Minha vó Bibica não deixou. Eu era mimoso dela. Me fez o café com leite, pão com manteiga, e me botou pra fora de casa. Tinha que entrar no Banco do Brasil até às sete horas. Era o meu primeiro  dia de trabalho. Foi há sessenta anos atrás, mas lembro como se fosse hoje.







                               Naquele prédio da esquina, o menor, era a Agencia do BB
                                                         em Uruguaiana em 10-04-1957

Eu tinha dezoito anos de idade. O concurso público para auxiliar de escrita fora em dezembro. Passei sem dificuldade. Logo depois fiz o vestibular para Direito em fevereiro. Também passei. A Faculdade era em Porto Alegre mas a frequência naquela época era livre. Bons tempos.

Aí o BB me chamou para assumir. Tinha que começar a trabalhar. Dar duro na vida. Mas já ?

Da minha casa, que ficava defronte à praça principal da cidade, até ao banco , eu tinha que caminhar cerca de cem metros, de esquina a esquina da mesma quadra., da rua Duque de Caxias. A entrada ficava na rua Bento Martins., na parte de trás do edifício. Cheguei e entrei timidamente. Fui recebido pelo David Carvalho, chefe da portaria, com um sorriso amistoso.

-Assina aqui a folha de presença. Tem cinco minutos de tolerância. Se chegar atrasado vai assinar a folha suplementar. Cinco folhas suplementares equivale a uma falta.  Seja pontual, meu guri.

Fui encaminhado para o Contador, Walter Ennes, sisudo, de poucas palavras e quase nenhum riso, só fachada, por dentro era boa gente e depois ficou muito meu amigo.

- José Bernardo, vais começar pelo pior lugar. É a praxe. O setor de cobranças. É chamado de purgatório. Depois disso tudo melhora. É um teste de resistência.

- O que faço ?

- Vais atender a clientela no balcão. Quem paga no vencimento é barbada. Só tens que pegar o registro e o título, encaminhar ao caixa e pronto. Quem paga com atraso tens que pegar a FACIT , calcular os juros de mora, lançar no registro e mandar para a Caixa. Simples assim. Só complica nos dias 30 e 31, final do mês, quando o movimento aumenta e tens de dar conta do recado.

- Só isso ?

- Tem mais umas coisinhas. Por exemplo, ficarás responsável pela venda de estampilhas. No final do dia tens que prestar contas.

Fiquei pensando comigo o que era estampilha. Palavra esquisita. Depois fiquei sabendo que eram aqueles selos compridos que tinham que ser colados na fatura e datados.

Também me deram uma coleção de carimbos e uma carimbeira. Tinha que botar carimbo de data em tudo. E a carimbeira servia  também para botar o dedão dos analfabetos, que eram muitos na época.

O Contador, após esses esclarecimentos, me encaminhou para o Gerente da Agência, o inesquecível Aldo Ibanos, que me deu as boas vindas, me disse que esperava bastante de mim, e me passou para  o Departamento de Funcionalismo, que ia cuidar da minha carteira profissional, de meu contrato de trabalho, revelar quanto eu ia ganhar e me orientar sobre a Cassi. Fui  atendido lá pelo meu querido colega Glicério Midon, que está comigo nesta foto tirada há poucos dias.

                                     Sessenta anos depois, com o Glicério Midon (88 anos)

E foi assim que iniciei meu primeiro dia de trabalho no BB. Meu primeiro atendimento foi de um comerciante que chegou com quatro títulos para pagar, naturalmente todos com atraso, exigindo o uso de saída da máquina FACIT., que tinha que dar manivela para frente e para trás. Não foi fácil. O comerciante impaciente com o guri que estava iniciando. Eu nervoso querendo agir rápido. Pensei comigo: não vou durar nesse emprego.

E segunda feira, dia 10 de abril de 2017,  está fazendo sessenta anos !  Uma verdadeira epopeia. Obrigado meu Deus e a todos os colegas que me ajudaram em minha carreira. Que ainda não se encerrou !





30 comentários:

joao trindade disse...

Parabéns, dr. Medeiros
Felicitações pelo evento e pela memória (só não veio a foto do seu colega Glicério Midon, como citado no texto).
Deus lhe dê longa vida, com saúde, e felicidade junto aos seus.
Abraço dos colegas de Maringá-PR

Édulo Santana disse...

Parabéns Medeiros, é uma vida, longa vida, de dedicação a um Banco que não existe mais. Continue com sua luta em favor dos colegas sem voz, e que Deus te mantenha saudável, dentro de suas limitações, é claro. Tem minha admiração como lutador que é. Vida longa ao lutador!!!

Milton Bassani disse...

Parabéns Doutor!!! Brilhante carreira!!! Cadê a foto???

caos e ordem disse...

Belas lembrnças, muito bem contado.

caos e ordem disse...

Recebi em 7 de abril, convite impresso da previ para a apresentação do resultado 2016, em São Paulo, QUE JÁ OCORREU em 29 de março. O CONVITE foi postado no Rio de Janeiro em 27 de março. Detalhe e contrasenso maior ainda é que no final do convite uma nota: para participar do evento há (havia) necessidade de fazer um cadastramento por email até 27.03, ou seja: o prazo de cadastramento era a data da remessa.

sss disse...

Belíssima histórias de vida, Dr. Medeiros. Mas, o mais belo é ouvir a história contada pelo próprio personagem, passados sessenta anos.
Vida longa e com muita saúde.
Manoel Sales.

Padilha disse...

Grande Dr.Medeiros, tudo isso, que explica acima, foi feito com muito sacrifício, mas resultou em grandes feitos efetuados em sua vida, parabens por ter chegado até aqui, tudo de bom, colega do Norte do Paraná.

Anônimo disse...

Dr.Medeiros,

Hoje é dia 10?


Ah! entendi ...

Medeiros disse...

Caros colegas,

O que aconteceu foi que eu estava escrevendo o post como rascunho para publicar na segunda, dia 19, aíquando ia apertar o salvar sem querer apertei o publicar. Na segunda eu arrumo e público a foto. Desculpem .

Anônimo disse...

Muito bom, Medeiros, gostei do relato.
Boa memória a sua, indica que você ainda tem muito gás pra continuar na luta.
Valeu, parabéns.
Lydio

Anônimo disse...

Os colegas não fizeram nenhuma brincadeira quando o senhor assumiu? Aqui na minha Agência era normal passar a lista dos candidatos a "levar o lucro da Agência para Porto Alegre", ou buscar a "máquina de procurar diferença", lavar os carbonos para "serem reutilizados", entre muitos outros.
Grande abraço, saúde e paz.

Medeiros disse...

A brincadeira comigo foi a de guardar a chave do balanço

Anônimo disse...

Emocionante e fiel relato, Medeiros. Como é bom ler o teu blog.

Eduardo AM

Anônimo disse...

Teu relato me deu uma imensa saudade daquele nosso banco do Brasil.

Santos M. - ES

Ademir Martins disse...

caro Dr., realmente sua FACIT era até bem fácil de calcular, mas quando assumi no Banco na cidade de Chapecó(SC), me mandaram para a CREAI e, também, no atendimento de balcão e cobrança de juros/mora dos empréstimos rurais, tinham uns 4 atendentes, alguns com FACIT e eu, provavelmente por ser o mais novo (20 anos em 1969), me colocaram à frente de uma máquininha parente do "capeta", pois era toda com alavanquinhas que deslizavam para cima e para baixo e que me machucavam os dedos de tão "ruim" para calcular.

Anônimo disse...

Valeu Medeiros



Adherbal RS

Anônimo disse...

Cada um devia revelar sua história no BB. Assim os mais novos iam saber o que passamos para construir esse banco.

Anônimo disse...

Colegas,

Publicado na Revista Veja, hoje 12.04.2017:


" ALDEMIR BENDINE, EX-PRESIDENTE DA PETROBRAS – ex-presidente do BB e da Petrobras, recebeu dinheiro para ajudar a Odebrecht (leia mais)"

E agora como ficam os 7.5 Bilhões da Res. 26, tem algo que ver com a suspeita acima?

E os estatutários tem algo que ver com a suspeição imputada ao Ex-presidente?

Onde está a verdade?


Anônimo disse...

Parabéns Dr. Medeiros! Não sou dessa época, mas lembrei do meu pai e chorei.

Medeiros disse...

Saiu mesmo essa notícia na Veja abre o Dida ?

Anônimo disse...

Parabéns Dr.Medeiros!

Saudosos tempos aqueles, dia da Posse no BB, e dias seguintes, as "pegadinhas", os colegas de "República", etc..!
Minha Posse no Banco foi em Júlio de Castilhos-RS, em 1957.

Abraço a todos!

Janone

Anônimo disse...

Caro Doutor,

Agora está em todos os jornais de maior circulação no Brasil, e em alguns do exterior...
É só acessar as mídias, para comprovar.

Anônimo disse...

Estimado Dr. José Bernardo,


A notícia referente ao Sr. Bendine, Ex-presidente do BB e da Petrobrás, está nos jornais, agora na televisão, Antagonista, entre outros meios de comunicação.
A notícia se alastra como rastilho de pólvora seca.
infelizmente estamos a espera de outras informações envolvendo mais gente do BB.
Dizem que está implicado o Sr. PAULO ex-ministro e ex-fuincionário do BB, Marido Sra., GLEISI, uma senadora.
Falam em um considerável numero de ex-funcionários envolvidos, inclusive na compra de imóveis junto a Odebrecht, com negócios dentro da Previ.
MEU DEUS!
Por favor, esclareçam logo toda esta barafunda e punam os culpados se assim for preciso.
Não podemos, nós aposentados, viver com essa MANCHA em nossa entidade provedora.
Saudações


Anônimo disse...

Bendine, ex-BB e ex-Petrobrás, se dizia ‘interlocutor da Presidente da República’, afirmam delatoresPor ordem do ministro Edson Fachin, do STF, Aldemir Bendine vai cair nas mãos do juiz Sérgio Moro

Aldemir Bendine. Foto: Wilton Junior/Estadão
Os empreiteiros Marcelo Odebrecht e Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos, delatores da Operação Lava Jato, afirmaram à Procuradoria-Geral da República que, entre 2014 e 2015, ‘foram procurados pelo ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobrás S/A, Aldemir Bendine, solicitando vantagem indevida para atuar em nome da Odebrecht Ambiental’.
As informações foram enviadas pelo Ministério Público Federal ao ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal.
Bendine foi presidente da estatal petrolífera entre fevereiro de 2015 e maio de 2016, substituindo Graça Foster. Entre 2009 e 2015, Bendine presidiu o Banco do Brasil.
“Em outra ocasião, por intermédio de André Gustavo Vieira da Silva, pediu-se o valor equivalente a 1% da dívida alongada da Odebrecht Ambiental perante o Banco do Brasil, a fim de permitir a renegociação do débito. Ainda se cita que Aldemir Bendine apresentou-se como um ‘interlocutor da Presidente da República’, demonstrando poder agir em busca de atenuar os avanços da Operação Lava Jato e que, diante da insistência de André Gustavo pelo pagamento referido, a soma foi paga em três parcelas de R$ 1 milhão, via equipe de Hilberto Silva (Setor de Operações Estruturadas)”, narrou Fachin.
Segundo o ministro, ‘fatos semelhantes são previamente apurados no contexto da Justiça Federal do Paraná, o que recomendaria, na sua visão, investigação conjunta’.
“Defiro o pedido de levantamento do sigilo dos autos; (ii) defiro o pedido do procurador-geral da República para o envio de cópia das declarações prestadas pelos colaboradores Marcelo Bahia Odebrecht e Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis, além dos documentos apresentados, à Seção Judiciária do Estado do Paraná, ficando autorizada, por parte do requerente, a remessa de cópia de idêntico material à Procuradoria da República naquela Estado”, determinou Fachin.

Fonte:http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/bendine-ex-bb-e-ex-petrobras-se-dizia-interlocutor-da-presidente-da-republica-afirmam-delatores/

Anônimo disse...

Prezado Doutor,


Feito o comentário sobre a Estampilha, o Doutor poderia fazer um comentário sobre o ESTAMPIDO PROPORCIONADO POR SEU COLEGA DOUTOR FACHIN.
Feliz Páscoa para todos!

MARCELINO MAUS disse...

Em 10/04/1957, eu não era nascido.
Começastes BEM, já pelo pior lugar, para ir melhorando. Parabéns e obrigado por compartilhar suas lembranças.
Os tempos mudaram e o BB também.
Eu assumi em Rio do Sul SC, em 13/12/1982.
Sentaram-me na segunda mesa próxima ao Balcão da RURAL, arrumando não lembro o que e lendo a CIC-FUNCI e outras mais.
Na segunda semana, levantei-me e fui cordialmente atender os Colonos como eu, afinal já tinha 2 anos de experiência no BESC.
O Chefe de Supervisores, Maximiliano Probst, agindo no rigor da CIC, foi lépido e advertiu meu Assistente que disse-me: o senhor tem que limitar-se a APENAS LER A CIC durante 60 dias !!!
Com más ou boas experiências, nossas lembranças dos idos tempos do BB sempre nos fazem bem.

Abraço a todos.

Anônimo disse...

Doutor,

Está lá no blog " O Antagonista", agora pela tarde, 13 04 2017.



"Com quem Mantega "azeitou" e "destravou" na Previ?
Brasil 13.04.17 16:11

Marcelo Odebrecht contou à PGR que acionou Guido Mantega para "destravar" e "azeitar" a liberação da compra, pela Previ, de parte do conjunto de torres Parque da Cidade, em São Paulo, construído pela Odebrecht Realizações Imobiliárias. Pelo serviço, Marcelo creditou 27 milhões de reais na conta da propina do PT.

A pergunta é: Mantega, por sua vez, "destravou" e "azeitou" o negócio com quem? Com Aldemir Bendine, então presidente do Banco do Brasil, ou com Dan Conrado, então presidente da Previ?

Aldemir Bendine já é alvo de um inquérito em Curitiba, por ter levado 3 milhões de reais da Odebrecht Ambiental, a fim de "atenuar a Lava Jato"."

Caro Doutor,
Tenho muito medo de tudo isto.
Perto dos 75 não tenho mais como trabalhar.


Medeiros disse...

Certamente a Previ vai dar uma nota a respeito. Vamos procurar saber informações sobre a transação.

Elmo Ximendes Peres disse...

Caro Medeiros,
Depois de muito tempo li hj teu blog e me transportei para esses lides e tempos felizes de amizades sinceras e solidariedade no BB. Acho que as histórias de todos nós antigos funcis, são semelhantes.

Anônimo disse...


Parabéns Dr. Medeiros, começamos no BB na
mesma época eu em 2/3/57 portanto também há
60 anos. Fiz uma boa carreira encerrando co-
mo gerente geral por 13 anos. Bons tempos
aqueles de muito trabalho mas que valeu a pe-
na, hoje temos uma aposentadoria a qual nos
proporciona uma vida financeiramente equili-
brada.Que Deus nos abençoe para que continue-
mos a trilhar nosso caminho com muita saúde e
paz.
Grande Abraço

Rui Vasco Gonçalves