A COOPERFORTE CADA VEZ MAIS FORTE

terça-feira, 18 de abril de 2017

Acompanho a Cooperforte há muitos anos.  Sou cooperado e fã de carteirinha da instituição.


A Cooperforte sempre funcionou em Porto Alegre próxima da AFABB RS. Primeiramente foi no prédio da agência Centro do Banco do Brasil, lado a lado.  Quando a AFABB Rs adquiriu sede própria a Cooperforte foi parceira e comprou metade do terceiro andar, onde se localiza atualmente suas instalações , ao lado do auditório da AFABB Rs, na rua Uruguai, no centro de Porto Alegre.

O escritório regional é atendido com competência pela simpática Fabíola Goebel e é gerenciado atualmente pelo nosso  prezado  colega aposentado Pedro.Sulzbach, sendo delegado em Porto Alegre o estimado e diligente conselheiro deliberativo da AFABB Rs João Pompilio Pólvora.

Lembro quando parecia um sonho distante e inacessível a meta da Cooperforte de conseguir cem mil cooperados em seu quadro social. Hoje possui mais de 139 mil. 

A Cooperforte se notabiliza por apresentar rentabilidade superior ao do Banco do Brasil para as aplicações e também por cobrar juros menores em seus oportunos empréstimos. Como realiza esses pequenos milagres ?  Como faz isso se seus recursos giram em torno do Banco do Brasil ?  Esses resultados são produto de uma gestão financeira competente e enxuta que foi implantada pelo seu imutável presidente José Valdir dos Reis.

O último balanço da Cooperforte demonstra que ela continua sólida e cada vez mais forte, distribuindo, inclusive, expressivas sobras aos seus cooperados.

O que mais gostei foi ficar sabendo que agora foram eleitos para o Conselho Deliberativo o
 João Pompilio Pólvora e para o Conselho Fiscal o Francisco Scherer, dois gaúchos atuantes e operosos, extremamente dedicados a causa cooperativista. São escolhas acertadas.

Desejo a ambos parabéns e pleno êxito em seus mandatos.

Avante Cooperforte.

8 comentários:

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, o que acho absurdo é essa cobrança do IOF que o governo federal ampliou para as cooperativas. Onde já se viu cobrar IMPOSTO sobre emprestimo, os pobres realmente pagam por todos os desarranjos da economia. Cobrar imposto de quem está endividado é o maior absurdo que já vi na minha vida, imposto se cobra de quem produz e não de quem toma dinheiro emprestado.

Anônimo disse...

O João Pompílio é um cara estourado?

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,
Bom dia,

Com todo respeito que lhe tenho, mas não comungo da mesma ideia do Senhor e olhe que tem mais gente da mesma opinião da minha. Se lhe contar saberá que tenho razão.
Abs.

João Pompilio N. Pólvora disse...

dr.Medeiros,

Concordo com suas observações.

Sim, a Cooperforte com uma administração simplif
icada e eficiente, quadro de pessoal adequado e competente, operações e sistemas tecnológicos simples e acessíveis, sempre atenta aos anseios de seus associados, atinge um patamar de destaque e é modelo de organização voltada a seus associados.

E, obrigado, dr. Medeiros, por suas referências a minha pessoa.


Anônimo disse...

Dr. Medeiros, o colega acha certo um Presidente ate que dê certo na gestao, se perpetuar no poder? No meu modo de ver, e mais uma das figuras carimbadas. Acho que o colega não sabe tudo o que acontece nos bastidores. Saudações.

Aristophanes disse...

Prezado Medeiros.(Reenviando)
Pertinente e merecida a sua postagem sobre a Cooperforte. Muito curta, para o tamanho dela, mas reconheço que teria que exercitar grande poder de síntese. Lamento não ter sido um de seus briosos fundadores, pois fui contemporâneo de muitos, a quem renovo minhas homenagens, extensivas aos que estão sabendo continuar.
O saudoso colega e diretor de RH, Admon Ganem, dizia ser inatingível a unanimidade: “4% discordam, mesmo quando beneficiados por vantagens e benesses ilimitadas”. Ainda bem, pois “toda unanimidade é burra”, como advertia o mestre Nelson Rodrigues.
O antigo Banco do Brasil carregava a semente da solidariedade, de que são frutos a própria Cooperforte, a Previ, a Cassi, as AABBs e tantas outras iniciativas que superavam o corporativismo egoísta e se espalhavam pela sociedade. Os “modernos” deveriam reler a História do Homem, para não esquecer, ou desconhecer, que a cooperação e a solidariedade foram e são os maiores instrumentos de construção da Civilização.
Meus modestos aplausos aos que fazem a nossa Cooperforte, a começar pelo(a)s que nos atendem, no incansável 0800.701.3766.
PS.: Percebi, compreensivo, o seu “imutável”.
Cordialmente, Aristophanes Pereira

Anônimo disse...

Algum colega está conseguindo acessar o blog do Carvalho?

Anônimo disse...

Dr.Medeiros,
assinei agora mesmo petição pública
no sentido de NÃO criminalizar decisão
do Juiz. Considerado ainda o contexto
da chamada operação Lava-a-Jato.

https://secure.avaaz.org/po/petition/Aos_senadores_da_Republica_Nao_aprovem_o_texto_do_PLS_2802016/?pv=8
abr.