2014 FOI UM ANO DIFÍCIL

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Acho que 2014 foi um ano terrível para nós.


De saída amargamos uma perda de uma quarta parte de nossos proventos de aposentadoria, com a supressão do BET e o retorno das contribuições. Para muitos foi um golpe terrível em suas finanças, desequilibrando o orçamento doméstico. Para tentar compensar recorreram a empréstimos, que, por falta de margem, alguns não conseguiram na Previ.

Ao mesmo tempo aqueles que haviam conseguido liminares na ação da cesta alimentação, com a derrota inesperada no STJ, passaram a ser cobrados de uma vez só pelos escritórios de advocacia terceirizados da Previ, sem nenhuma explicação por parte da diretoria. Os autores das ações receberam parceladamente, meS a mes, e tinham que devolver tudo de uma única vez. Evidente a desproporção e o despropósito.

Esses fatores, mais o pagamento de bônus exagerado ã diretoria, foram determinantes, no meu entender, para a derrota da chapa situacionista nas eleições de maio. Os participantes da Previ escolheram a chapa três, de oposição, porque a mesma tinha quatro candidatos com blogs e forte presença nas redes sociais.

Logo depois da posse ficou perfeitamente claro que os novos componentes do quadro diretivo da Previ não tinham a adesão dos demais eleitos, os quais na campanha eleitoral haviam apoiado explicitamente a chapa da situação.

Com isso ficou difícil obter as melhorias que os participantes reivindicavam, eis que as decisões na Previ são tomadas em colegiados por maioria de votos.

Paralelamente a economia brasileira andou de lado em 2014, com a bolsa de valores sofrendo seguidos revezes, especialmente com relação a Petrobras, envolvida em corrupção e desvio de recursos, e a Vale pela queda do preço do minério de ferro, impactando negativamente a aplicação em renda variável.

A bolsa quase chegou ao fundo do poço, batendo nos 45.000 pontos, se recuperou um pouco e retornou ao patamar dos 50.000. Mas faltam apenas três pregões para o final do exercício. Pouco tempo para um rali espetacular, que teria até sido possível se a Presidenta tivesse anunciado toda a equipe econômica.

Assim sendo, o ano de 2014 não vai deixar saudades. Já vai tarde.

26 comentários:

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Endosso integralmente suas colocações e acrescento que o patrocinador, neste ano de 2014, passou dos limites em termos de fazer o que bem entende com os recursos existentes no “PB-1”. Considero acintoso, além de vergonhoso e imoral, o bônus pago no início do ano para alguns diretores, mediante utilização de algo autoritário e truculento que responde pelo nome de voto de minerva. Totalmente na contramão dos acontecimentos, como foi dito, já que os associados, sem exceção, foram tungados em 25% dos vencimentos logo do limiar do ano em curso. Lembro-me bem da incômoda situação vivenciada, no dia 03.01.14, ao ler uma das primeiras ou quiçá a primeira mensagem no site da Previ que dizia: “Período de distribuição de superávits chega ao fim”. Autêntico presente de grego. Sei que é difícil mas, com a firmeza, a determinação e a transparência dos membros eleitos da chapa “3”, vamos conseguir dar o troco nessa gente. Se Deus quiser – e ELE haverá de querer porque o motivo é justo – expulsaremos de vez do nosso convívio, quando das próximas eleições Previ, toda essa gente que hoje nos prejudica e se locupleta subtraindo recursos existentes no nosso fundo de pensão.

Anônimo disse...

2016 ainda está muito longe,a situação requer urgência,e sinto dizer que, apesar, de termos eleito a Chapa 3, formada por pessoas de reputação ilibada, cheios de boas intenções sem vínculos com políticos,de nada adiantou; a situação só piora para os aposentados do PB1.Ou seja, não estão conseguindo fazer a diferença, é como se a Chapa 4 tivesse vencido as eleições. E percebo também um certo conformismo através dos textos publicados por eles. Nós precisamos preparar uma grande manifestação em frente ao prédio da PREVI para mostrar nossa indignação e dependemos que qualquer uma dessas associações que nos representam liderem este movimento. Somos nós que precisamos fazer alguma coisa, tendo em vista que os diretores que elegemos estão acuados e nada podem diante da atual diretoria que nos negam tudo.
Tenho muito respeito pela chapa que elegemos, mas está na hora de nos mobilizarmos, como fazíamos nas greves e exigir nossos direitos.
Ano Novo, vida nova! Vamos fazer um 2015 diferente,vamos á luta!

Nei Vaucher disse...

nei. vaucher -Dr. Medeiros gostaria de saber se as ações impetradas na justiça visando a suspensão do pagamento de bonus aos diretores da Previ, nao obtiveram exito. O que ainda pode ser feitos para acabar com essa imoralidade,

Medeiros disse...

Caro Nei,

Os bônus foram pagos, conforme declarou o Sasseron.

A ação não obteve liminar para sustar o pagamento. Continua tramitando .

Anônimo disse...

Chapa 3 encabeçando movimento na porta da Previ?????
Que piada!!!!!
Faabb? Alguem sabe da Isa Musa?
NAO TEMOS SOLUÇAO!!!!!!!!!

Medeiros disse...

Realmente, esse tipo de movimento só pode ser liderado ou mobilizado por quem está do lado de fora. Existe uma sensação de que são necessárias medidas concretas de resistência em 2015. Na Cassi e na Previ. Podem ter certeza que a AFaBb RS vai fazer a sua parte. Alguns contatos já estão sendo mantidos e breve daremos notícias. É necessário, porém, apoio dos participantes. Assim como há reclamações sobre atuação da chapa três, também houve muito pouca mobilização dos participantes e quase que nenhum apoio. Os abaixo assinados foram de meia dúzia. Assim fica difícil.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Ao que parece as únicas “armas”, mesmo que frágeis, que se tem hoje para tentar algum tipo de resistência contra as manobras ardilosas do patrocinador com vistas à constante retirada de recursos do “PB-1” estão nas mãos dos membros da chapa “3”. A justiça tem, constantemente, fechado as portas para os nossos pleitos, sejam eles objetivando à derrubada da resolução CGPC-26 como também, mais recentemente, à devolução dos valores recebidos a títulos de bônus por alguns integrantes da diretoria. Além disso, o órgão criado para fiscalizar as EFPC foi totalmente desmoralizado pelo patrocinador quando do episódio da fixação do teto de benefícios para dirigentes estatutários do “PB-1”. Bem no popular pode-se dizer que a Previc não fede e nem cheira. Dito isso, entendo como democrática, mas inoportuna, qualquer manifestação no sentido de tentar desqualificar os integrantes da chapa “3” já que, repito, são as únicas pessoas na atual diretoria da Previ que realmente ainda representam os interesses dos aposentados e das pensionistas.

Anônimo disse...

"Caminhando e cantando e seguindo a canção, somos todos iguais braços dados ou não...
...Vem vamos embora, que esperar não é saber,
quem sabe faz a hora, não espera acontecer..."

Bora! Vamos fazer acontecer!

Nei Vaucher disse...

Nei Vaucher - Caro Jorge Teixeira, se me permite, torno minha as tuas palavras. Vamos participar mais e cobrar menos, de nossos verdadeiros defensores.
26 de dezembro de 2014.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com o colega Jorge Teixeira, acho que estão pensando que os colegas da chapa 3 são mágicos. Acredito fielmente que temos que comer o mingau pela beirada, até o ano de 2016, e apoiar mais os colegas diretores da chapa 3 e aguardarmos para estudar o que se pode fazer.

A Previ, na pessoa do ilustre diretor Marcel, nos deram um baita presente de Natal, que foram: As modificações no ES, em termos de prazo, mas com o negócio de computar as consignações de outros consignados na MC foi maldade das piores que eu já tinha visto em termos de Previ.

Mas ainda espero que o nosso diretor, reflita e tenha um pouco mais de bom senso, acertando da melhor maneira possível.

Abraço Jorge, Dr. Medeiros e colegas do blog, um bom 2015 para todos nós, com saúde e muita Paz.


Rogério Luiz Carvalho, Pelotas .RS.

Anônimo disse...

Colegas,

Concordo com o Jorge Teixeira, a chapa 3 é nossa única esperança.

Quem mais está do nosso lado?

PREVI, banco, PREVIC, governo..., tudo isso prá nós nada representa como caminho de luta ou de defesa da nossa causa, antes, bem ao contrário, são aqueles a quem devemos combater.

União, colegas, apoio aos nossos eleitos da chapa 3 acima de tudo. A vaca já está com um pé no brejo..., se não os apoiarmos, vai também o outro pé, e aí tudo se f. de vez.
Lydio

Anônimo disse...

Dr. Medeiros e Colegas,

Se 2014 foi um ano difícil 2015 será pior.

A administração ideológica do PT esta levando o Brasil a bancarrota.

A Petrobras esta falida.

Já falam em abrir o capital da Caixa Econômica. Para que? Para cobrir o rombo existente na Caixa que deve vir ai com um balanço maquiado para apresentar lucro.

O balanço da Caixa não é obrigatório, é uma empresa pública, sem ações na bolsa, com um dono só: governo federal.

Não há mudanças radicais nas novas nomeações. A merda vai ser a mesma alguns mosquitos é que vão mudar.

Os partidos estão em busca, dentro de seus quadros, de políticos que ainda não estão na lista do LAVA JATO. Mas não sabem quem pode estar livre.

A Dilma esta esperando a lista dos "nada consta" dos partidos para nomear o restante dos ministros. Esta difícil, por isso a demora. De onde eles vão tirar políticos honestos. Da cartola?

Os que não estiverem na atual lista possivelmente estarão em listas futuras em outra operação.

Nomear um Ministro da Fazenda que seja confiável é muito pouco. Ninguém sabe o quanto poderá durar.

O Tombini sempre foi um pau mandado. Vejam a atuação do Banco Central no Governo Dilma. Mostrar outra faceta agora não traz confiança junto. Fara o que a Dilma julgar conveniente ou volta para o lugar como apenas funcionário do BC ou aposentadoria.

Se alguém puder ter um feliz ano novo que o tenha.

Boa sorte a todos.

Valim disse...

Medeiros,

Feliz Ano Novo.


Tenho certeza de que este movimento se faz necessário para o dia 01/01/2015.

Já pesquisei um aluguel de carro de som, R$ 1.000,00 (mil reais no máximo).
Já possuo algumas músicas que sensibilizarão todos, da velha guarda e os "jovens".

Já postei aqui várias vezes este RECLAMO que se faria na frente da PREVI, nomearíamos o Presidente da Previ. É o tal "Conselho Popular que Dilma queria impor".

Medeiros meu amigo, a culpa será sua se não fizermos isto. Julgaria meu amigo infelizmente tendo ficado em cima do muro. Gaúcho não é disso.


Tenho certeza que na posse da Presidência da República faríamos um diferencial enorme. A Previ com todos nós na frente e o Senador Romário (PSB) nos apoiando para que a polícia proteja a todos nós "velhinhos", estarei onde determinar, farei o possível e o impossível, para realização desse FATO MARCANTE agora em tão curto espaço de tempo. Mas para guerreiros como todos nós o que é o tempo...

Vem bomba aí na PREVI, não acredito que fosse a única blindada de falcatruas. O povo é o único que escutam. O POVO na rua assusta.

OBS: Para não ficar parecendo que queremos cargos, mesmo porque somos aposentados. Ruy Brito, PRESIDENTE DA PREVI, posterior a um cargo de comissão no Banco do Brasil, indicado pelo Presidente do Banco do Brasil e este pelo Ministro Joaquim Levy.

Caso Ruy Brito não aceite, você estaria presente com todo nosso apoio e credibilidade.

Valim
SIM.

Everton disse...

Correspondência enviada à Previ
Estamos vendo vários investidores entrando com ação contra a Petrobrás, inclusive contra os seus diretores para resguardar os seus interesses como investidores e recuperarem o prejuizo por conta da má administração e corrupção instalada dentro dela.
Além disso, temos visto que a Petrobrás continua pagando as empresas envolvidas.
O que a Previ está fazendo para se resguardar dos seus prejuizos como participantes da Petrobrás?
Quando ela vai entrar com ação como os demais investidores?
E em relação aos conselheiros que ela possui e que passou pela Petrobrás indicados pela Previ e que não apontaram para a Previ toda essa situação? Eles não estão lá para resguardar os interesses da Previ?
Favor me darem uma posição o mais rápido possível.

Anônimo disse...

- Muito bem Jorge Teixeira concordo com você em gênero. número e grau(que expressão antiga mas vale)

JORGE MARIN disse...

"Sêo" Medeiros, é assim que o chamamos aqui em Minas Gerais, contamos com a sua inteligência e coragem para, em 2015, continuar defendendo nossos interesses.

Deu na Folha de São Paulo hoje: "Luiz Inácio Lula da Silva decidiu assumir papel mais ativo na interlocução do PT com os movimentos sociais e promete ajudá-los a pressionar a presidente Dilma Roussef para que atenda suas demandas". Descontada a retórica, quem sabe essa não é uma porta para o intrépido Medeiros questionar a famigerada Resolução 26 e seus efeitos perversos aos aposentados?

Abraço e FELIZ 2015!

JORGE MARIN disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JORGE MARIN disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Pessoal quem esta no governo é o PT partido dos trabalhadores e não PA partidos dos aposentados.
ELES NÃO TEM AMOR PELA PRINCIPAL EMPRESA DO PAÍS PETROBRÁS, VÃO RESPEITAR APOSENTADO.

FELIZ ANO NOVO!!!

Valim disse...

Medeiros,

Feliz Natal e um próspero Ano Novo.

Você é uma pessoa que eu gosto.

Tive um amigo que gostava muito de mim e eu dele. Ele sempre discordava de mim, quando pequeno e eu brigava por pipa, aí vai, ele não queria saber quem estava errado e brigava junto a meu favor. Faria isso por você se fosse criança. Hoje precisa estar dentro da lei, o que não seria o caso de impedimento de estarmos juntos na briga, pois respeitamos as LEIS, elas irão melhorar para acabar com a impunidade.

Estou ansioso para ver a posse PRESIDENCIAL, só não gostaria de ver camisas vermelhas compradas na última hora. Estou com saudades da PRESIDENTE, não festeja mais com o povo...

Medeiros votamos para um mandato de 02/06/2014 à 31/05/2018.

Vou dar um exemplo do Conselho Deliberativo no qual elegemos apenas uma pessoa nesta votação para fazer a composição de 6 membros.

Pesquisando acho que os outros 2 eleitos por aposentados e pensionistas não foi desta votação, já estavam presentes lá na Administração anterior. Exemplo:

ELEITOS PELO BANCO.

Robson Rocha (com voto de MINERVA)- BB
Alexandre Corrêa Abreu - BB
Paulo Roberto Lopes Ricci - BB

ELEITOS NESTA ELEIÇÃO PELOS APOSENTADOS.

Rafael Zanon Guerra de Araújo - ELEITO * (não)
Haroldo do Rosário Vieira - ELEITO* (não)
Antônio José de Carvalho - ELEITO ( nesta eleição)

Tão mais moço do que você, talvez não conseguiria pular daquele jeitão na posse e já estou precisando de ajuda. Começo a me inteirar e diante disto você poderia me recordar a votação da RETIRADA DO BET.

O Sr. Rafael e o Sr. Haroldo como votaram...

OBS: Favor Medeiros explique para a gente o meu raciocínio. Ele está errado ?

Anônimo: A estorinha tem tudo a ver,menos para o Medeiros, claro, não me fale mais nada anônimo. Deixe de sê-lo. Pesquise e estude, ninguém é melhor do que ninguém é só vontade e oportunidade como essa que solicito ao Medeiros.

Valim.
SIM

Anônimo disse...

[...] Paralelamente à economia brasileira andou de lado em 2014, com a bolsa de valores sofrendo seguidos revezes, especialmente com relação à Petrobras, envolvida em corrupção e desvio de recursos, e a Vale pela queda do preço do minério de ferro, impactando negativamente a aplicação em renda variável.

A bolsa quase chegou ao fundo do poço, batendo nos 45.000 pontos, se recuperou um pouco e retornou ao patamar dos 50.000. Mas faltam apenas três pregões para o final do exercício. Pouco tempo para um rali espetacular, que teria até sido possível se a Presidenta tivesse anunciado toda a equipe econômica.

- Dr. Medeiros (com todo respeito): o Senhor realmente pensa que Bolsa de Valores tem alguma relação com o acima mencionado?

Marcelino Maus disse...

Sobre:

"Considero acintoso, além de vergonhoso e imoral, o bônus pago no início do ano para alguns diretores, mediante utilização de algo autoritário e truculento que responde pelo nome de voto de minerva."

... bônus de R$500.000,00 pagos a Diretores do BB e Previ.

Pergunto: bônus ou Propina ?

Se você remunera atos ilícitos, é Propina. Em qualquer País do mundo.

Na Máfia Russa, Chinesa, CUB-BOL-COL-VEN-BRA, são Honorários.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros e Colegas, a título de informação.

Levy e Barbosa fazem uma 'comissão da verdade' nas contas públicas

O Estado de S. Paulo

28 Dezembro 2014 | 05h 00

Nova equipe econômica se assustou quando teve acesso total aos dados contábeis do governo; futuros ministros ficaram negativamente surpresos, por exemplo, com a dependência do setor elétrico dos recursos do Tesouro Nacional
BRASÍLIA - Nas últimas duas semanas, os futuros ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Barbosa, se dedicaram a escarafunchar a contabilidade do governo federal para descobrir e medir os gastos que foram “pedalados” ou escondidos na tentativa de melhorar o resultado fiscal. Nessa espécie de comissão da verdade das contas públicas, eles têm contado com a ajuda de técnicos da atual equipe – e até esses se dizem surpreendidos com as revelações dos números.

Herança. Joaquim Levy e nova equipe se assustam com números do Governo Federal.

A nova equipe econômica se assustou quando teve pleno acesso aos dados do setor elétrico, fornecidos por técnicos do Tesouro Nacional, da Eletrobrás, da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e também da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Segundo uma fonte que trabalha na transição interna do governo, os futuros ministros ficaram surpresos, negativamente, com a chamada de “Tesouro dependência” no setor elétrico.

As empresas dizem ter a receber cerca de R$ 5 bilhões, entre recursos retidos e pagamentos adiados para 2015. Elas reclamam ainda outros R$ 4 bilhões para cobrir desequilíbrios decorrentes da correção das tarifas de Itaipu e outros R$ 3 bilhões referentes à aquisição de energia no mercado de curto prazo em novembro e dezembro. Mas esses dois itens podem ser transferidos para a tarifa.

Uma definição, atribuída a Levy, é que o setor elétrico, a partir de 2015, passará a viver com uma Aneel de “carta branca”. Isto é, o que for definido como descompasso pela agência será imediatamente transferido para a tarifa de energia ao consumidor. O Tesouro “não tem mais as condições mínimas” para realizar novos aportes às empresas, para segurar tarifas, segundo afirmou a fonte.

Os reajustes na conta de luz que estão no horizonte certamente pressionarão a inflação. Na visão da nova equipe, já está claro que os índices de preço vão piorar antes de melhorar. A palavra mais repetida no Planalto é “racionalidade”.

Outro ponto problemático é a Caixa, que nos últimos anos foi o principal instrumento do governo para “bombar” o crédito, escolhido como motor do crescimento na chamada nova matriz macroeconômica. O ritmo acelerado da concessão de empréstimos, cuja taxa de crescimento já esteve em 50% e em 2014 ficou em 20% a 25%, deixou o banco enfraquecido. A situação se agravou com os sucessivos pagamentos de dividendos ao Tesouro. Especialistas dão como certo que será necessário aportar recursos na Caixa e também no Banco do Brasil.

Dívida. Em seu único discurso desde que foi confirmado no cargo, Levy se comprometeu com o superávit primário de 1,2% do PIB em 2015 e de pelo menos 2% em 2016 e 2017 e com a queda do estoque da dívida bruta medida como proporção do PIB. A dívida bruta – diferente do conceito que vinha sendo usado no Brasil, a dívida líquida – reflete operações de crédito como as realizadas pelo Tesouro para fortalecer os bancos oficiais. Ao mirar nesse conceito, ele reforçou a linha que esses repasses serão encerrados.
Essa, porém, não é uma decisão trivial. Ninguém no Planalto jura de pé junto que não haverá novos aportes. O próprio Levy já comentou, em conversas internas, que a dívida bruta vai subir um pouco, estabilizar-se e só depois cair.
Além do sinal político, a escolha da dívida bruta teve algo de estratégico, segundo notam economistas do mercado. É nela que aparecerão, primeiro e com mais intensidade, os reflexos do ajuste nas contas públicas.

Anônimo disse...

E eu quero saber de 2014? vamos conversar sobre economia e política? pois é.
Cid Gomes, Kassab, Igreja Universal...eis que a Dilma governará como sempre...na base do toma-lá-dá-cá. Com uma aliança muito ampla(e nem por isso completamente fiel, segundo o blog do Camarotti) terá um segundo mandato com uma oposição mais forte e o seu partido com apenas 70 deputados(eram 88 no atual mandato). Ex-Presidente do Conselho de Administração da Petrobrás por muitos anos, pode ser encontrada alguma ligação dela com o escândalo, alguma prova. E aí, com a economia sob o espanto dos olhos esbugalhados de Joaquim Levy e do gordinho Barbosa(com a questão perigosa dos bancos publicos, aportes serão necessários para a sobrevivência de Banco do Brasil e Caixa, esta até com possivel capital aberto). E haja reajustes de energia com o assombro que Levy teve com os números do setor elétrico...pra mais de 9 bi de rombo. Com os 15 a 20 de rombo no bancos públicos, e perigo do sinal vermelho americano para a Petrobrás(nem precisava do belo e grande Moro) eis que o Brasil inicia 2015 com governo fraco. O país talvez suporte...instituições funcionam, mas o que de fato ocorrerá com o BANCO DO BRASIL e SEU FUNDO DE PENSÃO? não estaria o sorumbático e branquelo Arminio Fraga com o receio do futuro destes bancos? e o BNDESÃO? O governo abusou da irresponsabilidade...terá quebrado o País? veremos. Ou não veremos, se morrermos.
Não, não desejo sua morte...muito menos a minha. Mas, dadas as atuais situações de temperatura e pressão, acho bom rezar/orar muito. Porque talvez não haja ano mais imprevisível do que 2015. A pergunta final é a mesma de ARMINIO FRAGA...O QUE FAZER COM OS BANCOS PÚBLICOS? O QUE RESTARÁ DO BANCO DO BRASIL NO FUTURO? O branquelo e sorumbático Arminio, em seu bate-papo cruelmente gravado, talvez tenha cravado a maior verdade de todas no interesse do pessoal do BB: O GOVERNO SOB O COMANDO DE LULA/DILMA ABUSOU DOS BANCOS PÚBLICOS. A CONTA CHEGARÁ.
Enquanto isso, o "lider" metalurgico ganhava 500 mil reais por palestra de cada uma das empreiteiras do Petrolão...PARA FAZER LOOBY DAS MESMAS NO EXTERIOR...Na África, com dinheiro do BNDES DADO, um aeroporto enorme foi construído...o Brasil rico de Lula/Dilma cuidava de Cuba, da Africa e do mundo, enquanto o bolsa do "lider" era devidamente recheado.
Que você sobreviva em 2015 Medeiros...aí, em janeiro...vamos falar de bolsa de valores? fui.

Anônimo disse...

Um grupo de pessoas receber ... bônus de R$500.000,00 pago a Diretores do BB e Previ e os demais associados receber uma ninharia de dinheiro em 60 parcela é ter a certeza que o Brasil mudou para pior!

FELIZ ANO NOVO!

Anônimo disse...

os diretores ganharam bonus pelo EXCELENTEinvestimento em BELO MONTE!...sairam noticias fresquinhas hoje......pessimas!tb, nenhuma novidade....