ISSO NÃO É TRANSPARENCIA

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Estou voltando do Nono Encontro Nacional dos Advogados das Entidades Fechadas de Previdência Complementar, realizado em São Paulo.

O dr. Adacir Reis, ex superintendente da SPC, no painel final, que tratou do futuro do sistema, afirmou que um dos principais problemas que devem ser resolvidos pelos fundos de pensão é a da falta de transparência.  Para ele transparência é a comunicação oportuna, completa e clara aos participantes, como aliás dispõe os normativos que regem o sistema.

Se levarmos bem em conta esse conceito, pode-se dizer que a nota da Previ sobre o pagamento dos bônus de remuneração variável não obedeceu esses ditames.

Ela não foi oportuna, chegou tardiamente. Ela não foi completa, deixou de mencionar que foi utilizado o voto de minerva. E com toda a certeza ela não foi clara, pois deixou muitas dúvidas e incertezas. 

Faz tempo que falo na necessidade de melhorar a comunicação da Previ, que deixa muito a desejar, e nesse episódio mais uma vez se robustece a minha convicção.

Torna-se necessário, a bem da transparência, que a nota da Previ seja complementada e que todos os dados referentes à remuneração variável sejam trazidos ao conhecimento dos participantes, de forma clara e completa, como exige o normativo específico que obriga ao fundo de pensão a prestar informação aos associados.

Se esses detalhes não forem informados a FAABB, acertadamente, vai exigir em Juízo a exibição dos documentos pertinentes, ficando dessa forma evidenciada a responsabilidade dos gestores da Previ com a falta de transparência.

Fica aqui o meu apelo aos dirigentes da Previ.  Emendem a nota, a bem da transparência, enquanto é tempo.

59 comentários:

Aposentado esperançoso disse...

Dr Medeiros que bom que a chapa 3 foi vencedora, pois se isto não tivesse acontecido, ninguem estaria sabendo de nada do que acontece na PREVI, como sempre aconteceu. Voces não tem maioria, pois o voto minerva decide para o BB, mas com certeza alguma coisa irá mudar depois de todo este movimento que se instalou acerca do Bônus para a diretoria. Continuem clamando, mesmo que seja no deserto. Estamos com voces.

Anônimo disse...

Muitos interessados (Vide blogs) já estão se manifestando CONTRA o "bônus", que 3 diretores atuais e 3 ex-diretores da PREVI JÁ receberam, retroativos aos exercícios de 2011 e 2012 (4 salários cada um) e 2013 (6 salários cada um) e chamam de "remuneração variável"e alcança uns R$ 400 ou R$ 500 mil para cada um, POR ANO!!!

Está vigendo a Lei nº 12.527/2011, chamada de "L.A.I."- Lei de Acesso à Informação", porém falta regulamentação e que os pedidos não sejam tão genéricos.

Nossas associações poderiam se utilizar das Leis e Decretos que tratam da TRANSPARÊNCIA, para obtermos todos os documentos e analisarmos detalhadamente, TUDO o que nos interessa dentro da PREVI.

Basta de informações truncadas, falhas, incompletas, escondidas e tardias!

TRANSPARÊNCIA JÁ !!!

(A FAABB e ANABB já estão se mexendo!)

Anônimo disse...

Aposentado esperançoso,


Não vamos clamar no deserto vamos ajuizar ações nos tribunais competentes.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, tudo na Previ emana mentiras, são rasteiros, é uma caixa preta pior do que a do avião que caiu no mar e até hoje não foi encontrado. O site é incompleto. O da Cooperforte poderia servir de exemplo. O atendimento por telefone é precário.Os diretores são dúbios nas suas atitudes... não estão nem aí para os participantes e agora vão entrar no lepo-lepo para explicar tanta coisa errada. Vamos pra cima!!! E tem que ser no período eleitoral pois é quando esse tipo de gente fica mais exposto. Soube por um colega do Rio, que eles estão nervosos!!!

Anônimo disse...


PARTE I


Fabiana Matheus diz que fim do voto de Minerva contribui para a democratização dos fundos de pensão no Brasil

11:21h 16.04.14

Fabiana Matheus diz que fim do voto de Minerva contribui para a democratização dos fundos de pensão no Brasil

Artigo diz que extinção do voto de qualidade é necessária para o estabelecimento de uma gestão que seja efetivamente compartilhada nas entidades fechadas de previdência complementar patrocinadas por empresas públicas

A diretora de Administração e Finanças da Fenae, Fabiana Matheus, escreveu artigo no qual defende o fim do voto de Minerva nas entidades fechadas de previdência complementar. Essa, segundo ela, é condição sine qua non para o estabelecimento de uma gestão que seja efetivamente compartilhada nos fundos de pensão patrocinados por empresas públicas.

No texto, Fabiana Matheus afirma que o voto de Minerva é um entulho autoritário que precisa ser removido pela mobilização dos trabalhadores, os verdadeiros prejudicados por decisões unilaterais das patrocinadoras dos fundos de pensão.

Hoje, no caso da Funcef, segundo a diretora de Administração e Finanças da Fenae, que já exerceu mandato de conselheira deliberativa eleita na Fundação, o voto de Minerva distorce o padrão de governança corporativa conquistado com muita luta ao longo dos anos, destacando-se no âmbito do sistema de previdência complementar brasileiro.

Para ela, inclusive, a luta pelo fim do voto de Minerva deve ser uma das prioridades do mandato de diretores executivos, conselheiros deliberativos e fiscais da Funcef para o próximo período.

Ocorre que, entre os dias 5 e 9 de maio, os associados da Fundação vão escolher os ocupantes das três vagas de diretores eleitos, além de duas das três vagas do Conselho Deliberativo e uma do Conselho Fiscal. Serão eleitos suplentes de cada vaga nos conselhos. A Fenae aprovou apoio à Chapa 1 – “Movimento pela Funcef”, que concorre ao pleito.

Confira a íntegra do artigo publicado abaixo.

SEGUE NA PARTE II

Anônimo disse...


PARTE II

Todo apoio à luta pelo fim do voto de Minerva nos fundos de pensão
Fabiana Matheus

“Está em curso no âmbito dos fundos de pensão patrocinados por empresas públicas e sociedades de economia mista, e também no Congresso Nacional, a luta pela extinção do voto de Minerva, instrumento herdado do passado autoritário do Estado brasileiro. A medida é vital para seguir, sem quaisquer resquícios, com o processo de democratização das entidades fechadas de previdência complementar, que ainda permanece como desafio para o movimento dos trabalhadores, apesar dos avanços conquistados nos últimos anos.

“A batalha pela extinção do voto de qualidade, o chamado voto de Minerva, requer iniciativas em diversas frentes. Uma das principais, no caso do movimento dos empregados da Caixa Econômica Federal, ocorre em relação aos órgãos de gestão da Funcef e se refere, sobretudo, à ampliação das restrições estatutárias ao uso de tal expediente. A outra está focada no Congresso Nacional, onde tramitam projetos de lei propondo mudanças na legislação de previdência complementar.

“Seja em que circunstância for, o objetivo é o de sempre: ampliar a democracia, a transparência e o controle social, de modo a assegurar aos trabalhadores participação em condições de igualdade nos órgãos de gestão dos fundos de pensão. Essa luta é antiga e os debates sobre o tema são recorrentes, envolvendo dirigentes e estudiosos em diversos fóruns, com destaque para o Fórum de Dirigentes de Entidades com Representantes Eleitos na Funcef e para o Congresso Nacional dos Empregados da Caixa (Conecef) e Conferência Nacional dos Bancários.

“Na Funcef, ao funcionar como forma de controle da gestão pelos patrocinadores, o voto de Minerva é um dos maiores empecilhos à efetiva democratização nas instâncias de decisão. Hoje, por exemplo, o voto de qualidade confere aos presidentes dessas instâncias o poder de decidir o assunto em caso de empate na votação entre os participantes do colegiado. A legislação em vigor prevê que os conselhos deliberativos sejam compostos por seis membros, três indicados pela patrocinadora e três eleitos pelos associados. Nesse caso, o presidente é sempre escolhido entre os integrantes indicados, o que faz aumentar a cada dia a exigência de participação de aposentados, pensionistas e empregados em atividade na Caixa na luta pelo fim desse entulho autoritário.

CONTINUA NA PARTE III

Anônimo disse...


PARTE III

“A Caixa, por outro lado, quando a situação lhe é conveniente, utiliza ostensivamente o voto de Minerva nas instâncias de decisão da Funcef. Em todos os momentos em que isso ocorreu, os principais prejudicados foram os participantes e assistidos. Foi assim quando o Conselho Deliberativo decidiu pelo aumento de contribuições para o REG/Replan, quando foi recusada a proposta dos conselheiros eleitos de mudança do método de custeio do REG/Replan como alternativa ao aumento de contribuições, depois revertida por pressão dos representantes eleitos, ou quando houve a apreciação de recursos dos participantes em pedidos de revisão de benefícios. Nessa época, inclusive, estivemos envolvidos diretamente nesses debates, na condição de integrante eleita do Conselho Deliberativo.

“O voto de Minerva é permanentemente questionado pelo movimento dos empregados da Caixa. Na esfera nacional, com o apoio das Apcefs, Fenacef, Contraf/CUT e sindicatos de bancários, a Fenae tem liderado o movimento pela extinção do voto de Minerva, adotando iniciativas em apoio a projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional para alterar disposições das leis complementares 108 e 109 (2001) sobre o regime de previdência complementar.

“É fundamental que todos os setores da sociedade se unam a essa luta, pois os avanços na democratização da gestão são resultado de longos anos de mobilização. Consolidá-los e ampliá-los, na perspectiva de assegurar eficiência nos investimentos e na melhoria dos benefícios, é uma tarefa que, certamente, será melhor cumprida com o fim do voto de Minerva na Funcef e nos demais fundos de pensão patrocinados por empresas públicas. A adoção dessa medida, com certeza, contribuirá para o processo de modernização da gestão e para a melhoria do relacionamento com os participantes e assistidos.

“Diante disso, o voto de Minerva é uma das formas mais cruéis e autoritárias a perdurar nas instâncias decisórias. É frio, sem argumentos, prevalecendo apenas com base na vontade do "mais forte". Ocorre, porém, que a disposição de combatê-lo é muito maior que a desilusão que ele causa. Fica então o compromisso do nosso movimento: vamos continuar lutando para extingui-lo.

"Essa luta precisa estar sintonizada com o desafio representado pelas eleições para as instâncias de decisão da Funcef, agendadas para o período de 5 a 9 de maio. Nesse sentido, é fundamental que sejam escolhidos representantes realmente comprometidos com a defesa dos interesses de participantes e assistidos da Fundação. Isto permitirá, sem dúvida, que o padrão de governança corporativa da Funcef, que se destaca no sistema de previdência complementar brasileiro, não seja picado pela cobra do retrocesso. É preciso, isto sim, avançar ainda mais rumo a uma gestão efetivamente compartilhada, uma conquista que tem relação direta com o fim do voto de Minerva. A responsabilidade, portanto, está em nossas mãos".

Fabiana Matheus, ex-conselheira deliberativa eleita da Funcef, é diretora de Administração e Finanças da Fenae.

Anônimo disse...


Dr. Medeiros,

Acredito que devemos verificar quais os fundos de pensões das estatais que conseguiram eleger conselheiros que não seguem a cartilha do patrocinador e entrar em contato com os mesmos.

Devemos criar uma frente ampla de combate ao voto minerva ou voto de qualidade ou de desempate quantitativo.

Unidos teremos mais força se juntarmos as associações do funcionários da CAIXA que comungam os nossos pensamentos e nossos objetivos.

Claro, aquelas que não estejam contaminadas.

Vamos constituir uma força tarefa para esse fim.


Vamos a luta.

Anônimo disse...

Se este teatro do absurdo que a PREVI está montando, em conluio com o BB, não tiver uma resposta imediata e contundente de todos nós, nada mais irá parar essa turma.
Há muito que a dupla BB/PREVI se sente acima do bem e do mal. Não cumpre a TAC da PREVIC do teto de benefícios e agora aprova essa pérola de presentear com R$ 500 mil de bônus quem nos retirou o BET e justamente por estratégias equivocadas de investimentos que levaram a reserva de contingência a níveis inferiores a 25%.
Esse paradoxo de presentear quem nos prejudicou, além de soar provocador, é a prova cabal e definitiva de que a PREVI serve a interesses escusos e que se afastou por completo de sua missão de garantir uma vida digna a seus associados.
Vamos deixar que meia dúzia de aloprados subvertam os direitos de milhares de famílias?

Cláudio

Jair Mário Bork - Itajai-SC disse...

Quanto à situação crítica da CASSI, com probabilidade de quebrar já no próximo ano, foi sugerido que algum outro Plano de Saude absorva o nosso. Agora pergunto, qual o Plano que se interessaria na CASSI, se ela quebrar? Além do mais, o Banco contribui com 4,5% sobre o total dos proventos do funcionalismo e, se a CASSI fosse absorvida, será que ele continuaria contribuindo?
No meu modesto modo de pensar, creio que a solução seria aumentar nossa contribuição, talvez para 5%. Pesaria um pouco em nosso orçamento, mas ainda seria melhor do que ficarmos órfãos, sem amparo em nossa velhice.

Marco Antonio disse...

Caro Medeiros,

Falando em transparência, de onde surgiu essa conversa de que a CASSI está na iminência de encerrar suas atividades até 2015, assunto que ferveu nos comentários publicados em sua última postagem? Será mera boataria ou existe mesmo tal receio? Aguardo a gentileza de suas considerações a respeito que, espero, sejam tranquilizadoras.

Anônimo disse...

Isso ai, Dr Medeiros! Estamos com voces! Pensionista

Medeiros disse...

Sobre a Cassi, a diretora Miriam Focchi respondeu em Camboriú uma pergunta, informando que o Plano de Associados só teria condições de se manter até maio de 2015. O plano Cassi Família está em melhores condições. Portanto não é a Cassi que vai quebrar conforme estão falando, mas sim o plano de associados, cujas reservas estão se acabando, o que é também desesperador pois atinge um enorme contingente

Anônimo disse...

E so devolver o Bet retroagindo a Janeiro/2014 e nos dar um reajuste decente que resolvera o problema dos associados e também do plano de associados da Cassi.
Já deram sugestão ridícula de aumentar para 5% o desconto para a Cassi, assim não da.......

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Penso que o post de 08.08, denunciando a aprovação de bônus para a diretoria, foi determinante para que a Previ emitisse a nota mambembe que foi colocada no site, somente onze dias após terem “passado o trator” na reunião do conselho deliberativo de 31.07.14. Se não fosse isso, repito, é bem possível que até hoje não saberíamos de absolutamente nada sobre o assunto. Essa tal transparência não segue uma linha de conduta. No “PB-1” ela é utilizada ao bel prazer de quem tem a responsabilidade de manter a comunicação com os associados. Logo nos primeiros dias de 2014, mais precisamente no dia 03, como autêntico presente de grego, fomos informados sobre o fim do BET e a consequente volta das contribuições. Pelo descaramento de que se reveste esse bônus - que responde pela “alcunha” de remuneração variável da diretoria executiva -, não só pelos valores absurdos e totalmente fora de propósitos, mas também pela sua criação, num momento em que a grande maioria é prejudicada por uma decisão que determinou o corte de 25 % dos seus benefícios, a Previ ficou com vergonha de publicar mais uma aberração como essa que é frontalmente contra aos interesses de seus legítimos donos. No caso específico do “PB-1”, de há muito que o público alvo da EFPC Previ deixou de ser os seus aposentados, as pensionistas e, em menor escala, os bravos e valorosos colegas da ativa.

Anônimo disse...

Parabéns dr. Medeiros, os jornais já publicaram o escândalo. Ontem foi o Correio Brasiliense e hoje foi o Valor Econômico. Com destaque. Os conselheiros eleitos merecem nossos aplausos. Todas as grandes associações vão se unir. Foi preciso mesmo muita coragem. O doutor honrou o nosso voto. Estou orgulhoso.

Vasco

fernando disse...

DR. Medeiros, como diz o ditado - "Pretiou o olho da gateada". Em tres dias da notícia veiculada em seu blog e outros, associações se voltam contra esse absurdo, uma afronta aos aposentados, pensionistas e diretamente ao pessoal da ativa, que acho que com suas associações(sindicatos, contraft,cut) terão grande em setembro ,chance na mesa de negociações com o BB, E não bastasse a PREVI, vem agora essa notícia que a CASSI está mal. Não é o que mostra o último balanço de 2013. Em seis meses, seria tempo suficiente para ter essa virada?. Mas VAMOS QUE VAMOS.

Aristophanes disse...

Prezado Dr. Medeiros. Pela pertinência como sua oportuna postagem, repito o que disse, hoje, em outro blog:

Em matéria de enganação, os comunicadores da Previ são mestres, nos mínimos detalhes. O comunicado, no seu site, “PREVI ESCLARECE REMUNERAÇÃO VARIAVEL DA DIRETORIA EXECUTIVA”, foi composto, ardilosamente, na primeira pessoa de um plural genérico, para esconder a (ir)responsabilidade dos que deveriam, corajosamente, assiná-lo. Entretanto, a notável matreirice do comunicado está no fato de alinhavar 10 parágrafos, ora complementares, ora desconexos, para, de um lado, desfazer “a utilização inadequada de informações” e, de outro “esclarecer” a política de remuneração variável de sua Diretoria Executiva. Em síntese, justificam-se, querendo dizer que praticaram essa benesse porque já estava “acertada” há muito tempo; porque “copiaram” a política de remuneração dos executivos do Banco do Brasil e porque “seguiram” os mandamentos da Resolução CMN 3921/2010, como o fez o BB, em 2011.
São justificativas cavilosas e falaciosas. A pior mentira é a meia-verdade. A Previ, na sua personalidade jurídica, nos seus objetivos, e em tantos outros aspectos institucionais, é totalmente distinta da instituição financeira Banco do Brasil. A Diretoria Executiva do BB deve resultados aos seus acionistas, sendo, no caso, o maior deles o Governo. A Diretoria Executiva da Previ deve resultados aos seus PARTICIPANTES(entes ativos), que ela, debochadamente, chama de seus assistidos(entes passivos). Portanto, não é com o Banco, mesmo sendo Patrocinador, que ela deve alinhar suas políticas e diretrizes de governança, mas com os sentimentos e anseios de seu corpo social, os PARTICIPANTES. E, num momento, como o de agora, de extremos sacrifícios, por eles mesmos cobrados dos seus participantes, por alegados motivos de preservação e recomposição patrimoniais, é, no mínimo, inoportuno e impróprio – para não dizer aético e imoral – que legislem em causa própria, para auferir benefícios pecuniários exagerados. Ainda é tempo de voltar atrás, e tirem do plural os nobres companheiros que não aceitaram a maracutaia

rafael campagnoli disse...

Cassi: nós do Plano 1 fomos apartados para o matadouro, naquela Emenda Constitucional de 1997/8. Tudo bem detalhado pelo Collor/FHC na consultoria daquela empresa americana do mal: Boos Allen, se não me engano. Ficando velhos, sem discernimento e sem sindicatos, somos prezas fáceis demais. E ainda sem plano de saúde ... Uma eutanásia corporativa, tipo extermínios étnicos que temos visto mundo afora. Talvez o nosso plano de associados tenha alguma sobrevida por conta de estar também incluído nele o pessoal do Previ Futuro, que tem ajuda dos sindicatos. Pelo que sei, nos estatutos da Previ tem cláusula de que ela é responsável por ajudar a Cassi. Seria briga de afogados?? Como está, o atual governo do PT ( que não suspendeu o voto de minerva ) com imensa alegria apenas fechará a tampa do caixão! Simples assim. Resta-nos confrontá-los com a inteligência e atuação de gente que nos defenda. Já pensou se a ANABB também estivesse do nosso lado?

Jair Mario Bork - Itajai-SC disse...

Gostaria que o anônimo das 09:11 me informasse porque considera ridícula a sugestão de aumentar a contribuição para a CASSI para 5%. Por oportuno, ridícula acho a sugestão que ele apresentou, ou será que ele ainda acredita bem Papai Noel?

fernando disse...

Dr. Medeiros, sobre a CASSI, COMEÇOU a contribuição em 1%,passou provisoriamente para 1,5, depois 2,00, está em 3%, veio a co-participação em procedimentos de exames e ambulatoriais. Veio para nós, os medicamentos genéricos, criação de unidades cassi, com prédios vultuosos, uns alugados outros construidos com recursos da Cassi. Debandada de credenciados,exceto capitais. OU seja, já de anos, vem os problemas. Está na hora, de acharmos uma solução ou uma renovação de procedimentos ou de gestão.

Anônimo disse...

Como já venho comentando de longo data a privatização do BB corre através da entrega da CASSI aos associados (repare bem que a cassi nunca foi dos associados - o BB é que quer nos dá esse abacaxi em troca de se livrar do compromisso trabalhista assumido) e a PREVI que era nossa está sendo transformada em uma empresa do conglomerado (a PREVI nunca foi do BB e agora ele quer por que quer se declarar proprietario da mesma.

Anônimo disse...

Gostaria de saber o que está sendo escondido por trás desta questão do BONUS que parece ser mais um chamativo para não se prestar atenção a outras coisas (como por exemplo a bolsa chegando ao patamar que justifica o retorno do BET)

Anônimo disse...

“Esta é a razão de termos um bom colchão de liquidez.”

- Provavelmente, o parágrafo acima, externado ao público por um dirigente do Previ seria a justificativa para o pleito do bônus. Em outros termos, a diretoria mostrou serviço... Portanto, mereceria melhorias salariais...

Entretanto, tal declaração nos parece muitíssimas vezes bem mais prejudicial aos direitos e interesses dos associados do Previ, do que o anunciado bônus retroativo.

Chegamos a tal conclusão pelo simples fato da referida declaração não encontrar nenhum respaldo a nível técnico. Pelo contrário, tais palavras, podem mesmo, serem equiparadas a aquela figura conhecida como “colocar obstáculo na frente de cego”. Mas quem sabe existe uma nova teoria que justifique a opção pelo chamado colchão de liquidez? Se existe tal tese com certeza é novidade... As inscrições para o Nobel de economia estão abertas...

Por outro lado, um acampamento BEM ORGANIZADO na frente do Previ poderia alcançar efeitos políticos, pela exposição midiática, a nível global. Assim, as atrocidades praticadas contra os associados do fundo Previ poderiam vir à tona; entretanto, um acampamento nas redondezas do Palácio do Planalto teria efeitos apenas politiqueiros, pois o foco principal são sistemas políticos sociais, não pessoas. Fundo de pensão não é fim; é meio...

Unknown disse...

Caro Medeiros,

A respeito do comentário da diretora Miriam Focchi em Camboriu, pelo qual o Plano Associados da CASSI só se sustenta até maio/2015, indago-lhe se aquela dirigente não apresentou, quando de sua exposição sobre o tema, nenhuma alternativa para se evitar tal quebra (aumento das contribuições, corte de despesas etc) ou realmente a situação já é irreversível? Novamente peço-lhe a gentileza de nos esclarecer acerca do assunto que, aliado às questões envolvendo a PREVI, só vem aumentando a desesperança de todos nós. Agradeço-lhe antecipadamente pela gentileza de suas explicações.

Medeiros disse...

Pretendo fazer uma postarem especial sobre a Cassi, pois o assunto merece uma abordagem ampla. Só estou esperando a poeira baixar nessa questão do bônus que está fervendo.

Medeiros disse...

Falei postagem.

NIVALDO ELIAS DOS SANTOS disse...

PESSOAL, DOENTE E MUITO CANSADO,REPASSO PARA O CONHECIMENTO DE TODOS 1 DAS 2 MENSAGENS ENVIADAS A PREVI. ESPERO QUE PUBLIQUEM:
"Senhor(a) NIVALDO ELIAS DOS SANTOS

A PREVI confirma o recebimento da mensagem abaixo.
Aguarde nosso retorno em breve.

Gerência de Atendimento
PREVI

Esta mensagem é automática e seu retorno não é monitorado.

__________________________________________________________

Data: 13/8/2014
Tipo: Elogio

Mensagem: DONA VERA DE SOUZA, SUA RESPOSTA AO MEU E-MAIL EH RIDICULA, COM MEIAS VERDADES. OS QUE VERDADEIRAMENTE DEVERIAM SER BENEFICIADOS COM O PATRIMONIO DO FUNDO, SE ESTE FOSSE ADMINISTRADO POR PESSOAS DECENTES QUE NAO ESTIVESSEM AFIM DE SE ENRIQUECER FACIL E RAPIDAMENTE, SERIAM OS APOSENTADOS E PENSIONISTAS QUE ESTAO DE CHAPEU NA MAO PEDINDO ESMOLAS PARA PODEREM SOBREVIVER. PEDINDO EMPRESTIMOS A AGIOTAS E ATE AO FUNDO (VIDE EMPRESTIMO SIMPLES), ENQUANTO OS SEUS DIRIGENTES RECEBEM SALARIOS ESTRATOSFERICOS E BONUS AMPARADOS "LEGALMENTE" POR 'LEI COMPLEMENTAR" QUE TRADUZINDO QUER DIZER "ACERTOS DE COMPADRES" QUE TORNAM "LEGAIS" OS "FESTINS DIABOLICOS" ONDE A JUGULAR DA PREVI TEM SIDO SUGADA NOS ULTIMOS 12 ANOS. IGUALMENTE PERVERSO E IGNOMINEO EH O TAL "VOTO DE MINERVA" QUE REPRESENTA A
ROUBALHEIRA COM "MAO UNICA DE DIRECAO". NAO ADIANTA NOS OS IDOSOS TERMOS 3 REPRESENTANTES QUE LUTEM POR NOSSOS DIREITOS QUANDO A MALDITA DIRETORIA DA PEVI TEM 3 + 1 QUE SOH VISAM OS INTERESSES ESPURIOS E ASSIM LOGICAMENTE "LEGALMENTE" OS "EXCELENTES PROFISSIONAIS E DIRETORES" DA PREVI VAO METENDO A MAO NO NOSSO DINHEIRO ENQUANTO ESTAMOS MENDINGANDO DINHEIRO PARA SOBREVIVER. SIM, SOBREVIVER.
POREM, NAO ESTAMOS MORTOS AINDA. ESTAMOS ARRECADANDO FUNDOS PARA PROMOVERMOS GRANDES CARAVANAS DE OPRIMIDOS, ANTES DAS ELEICOES DE 5 DE OUTUBRO, ATEH A PREVI NO RIO DE JANEIRO, ONDE ACAMPAREMOS COM CARTAZES, DISTRIBUICAO DE PANFLETOS E TRIO ELETRICO PARA CHAMARMOS A ATENCAO PUBLICA PARA O QUE VERDADEIRAMENTE OCORRE "LEGALMENTE" NA PREVI. QUEREMOS RETOMAR O QUE EH NOSSO.
ESTAMOS NOS ORGANIZANDO PARA ALEM DE RECORRER AO JUDICIARIO, PROMOVER PUBLICACOES EM REVISTAS E JORNAIS BRASILEIROS SOBRE O QUE OCORRE. O GRITO DOS VELHINHOS NAS RUAS SERAH O "BASTA" A TANTO ACINTE.
E POR FAVOR, PAREM DE NOS CHAMAR DE "ASSISTIDOS". NOS SOMOS OS DONOS DA PREVI. A PREVI NAO EH UMA ASSOCIACAO FILANTROPICA QUE ASSISTE IDOSOS. PAREM COM ISSO POIS EH MAIS UMA PROVOCACAO POR PARTE DE VOCES.
NIVALDO ELIAS DOS SANTOS - MATR. 7.578.360-6

Matrícula: 7578360
Nome: NIVALDO ELIAS DOS SANTOS
E-mail: craureli@uol.com.br

NIVALDO ELIAS DOS SANTOS disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Excelente postagem. Para aqueles que criticavam o dr. Medeiros, que resposta maravilhosa ele deu. Sempre confiei nele e agora ainda mais o admiro.

Ruben

Anônimo disse...



O bônus não quebrará a Previ, quem disse isto é um mentiroso. Quem vai quebrar a Previ somos nós aposentados e pensionistas. Sabe por quê? Porque incomodamos os ladrões e saqueadores de plantão, e bem sabemos onde se escondem os mandantes e os paus mandados. O prêmio para estes é cumprir pena em casa. Mas o fim deles está próximo! O nosso clamor chegou aos ouvidos do Criador, igualmente chegou o dos hebreus, aos ouvidos, do mesmo DEUS.
Pela primeira vez na vida, olhei para o líquido de meu contracheque da Previ e tive vontade de chorar e pensei: O que vou fazer? Trilhei o caminho que me restou, mas isto eles nunca precisarão fazer porque, certamente acumularão, E gozarão e esquecer-se-ão de que terão que prestar contas a Deus, que tudo vê, e a quem ninguém engana, talvez mais cedo do que pensam, só Deus sabe!!!

ricardo o.c. albuquerque disse...

Colegas,
Vou insistir mas, infelizmente, as minhas postagens são solenemente ignoradas. Dias antes da reunião em Camboriú sugeri que apenas uma pergunta se fizesses ao sr. marcel e, ele, seria obrigado a responder ou entrar numa saia justa "o que a previ está fazendo, neste momento, agora, em prol dos seus assistidos?" Postei no sr. Ari Zanella e no Medeiros. Repercussão nenhuma. E aí deu no que deu, nada. Outro assunto. Esses dirigentes atuais tomam medidas que provavelmente só terão repercussão vários anos depois e eles saiem, lisinhos sem nehuma punição. Vide Maison x 40% do BACEN. Perdemos na justiça e a única coisa que eu sei é que teria direito e até hoje não vi a cor do dinheiro. Desculpem, mas de agora em diante vou evitar emitir opiniões. ricardo

Anônimo disse...

Falando em transparência, o ônus da fl. de pagto. dos diretores é rateado entre a Previ Plano I e a Previ Futuro? Qual o percentual?

Anônimo disse...

Para o BEM, o MAUS diz:

Boa tarde Dr. Medeiros e Colegas.

Muito bom o nível e conteúdo das postagens de hoje, preocupando-se com o que a PREVI ainda esconde em relação aos planos do BB.

Porém, se o BB e a PREVI mentem o tempo todo, descumprem determinações judiciais (PREVIC), desviaram R$40bi desde 2002, só tem uma solução:
Denúncia ao MPF, exigir CPI no Senado, contra a Diretoria do BB e da PREVI nas 2 últimas décadas (chamem todos para depor), para resolver os assuntos da Res.26, Leis 108 e 109 x Súmula 288 TST, etc.

Marcelino Maus
F6752890

Anônimo disse...

Sugestão para instaurar a CPI:

Senador Álvaro Dias:

(Vejam reportagem da Folha em 09/08/2010)

http://www1.folha.uol.com.br/poder/780231-oposicao-quer-ouvir-ex-gerente-executivo-da-previ-sobre-dossies.shtml

"Essa prática de fabricar dossiês se repete desde 2002. Como a impunidade vem prevalecendo, há reincidência", disse o senador Alvaro Dias (PSDB-PR).
A revista "Veja" desta semana publicou uma entrevista com o ex-gerente executivo da Previ,
na qual afirma que o fundo é "um bunker" de petistas e "está a serviço de um determinado
grupo muito poderoso, comandado por Ricardo Berzoini [ex-presidente do PT], Sérgio Rosa
[à frente do fundo até este ano] Luiz Gushiken [ex-ministro de Lula] e João Vaccari Neto
[tesoureiro do PT]".

Marcelino MAUS
F6752890

Anônimo disse...


Plano de saúde submete idoso a consulta médica antes de aceitá-lo


CLÁUDIA COLLUCCI
DE SÃO PAULO
13/08/2014 02h00


Ao menos 5 das 20 maiores operadoras que atuam na cidade de São Paulo submetem idosos a consulta médica prévia –uma delas exige também exames– antes de aceitá-lo como cliente, aponta pesquisa do Idec (Instituto de Defesa do Consumidor).

As empresas chamam isso de "entrevista qualificada" e dizem que ela não é obrigatória.

Para o Idec, a avaliação médica prévia acaba sendo um condicionante para a contratação do plano e é ilegal.

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) não faz a exigência. Segundo a agência, a entrevista é um direito do beneficiário, caso ela precise de orientação médica no preenchimento da Declaração de Saúde.

No momento da contratação de um plano de saúde, o consumidor deve informar à operadora se tem alguma doença ou lesão preexistente. Essa informação é passada por meio do preenchimento da Declaração de Saúde.

Dois corretores de planos de saúde, na condição de anonimato, disseram à Folha que, na prática, a consulta prévia é uma condição imposta pelos planos. Se o idoso se recusa a fazê-la, simplesmente não é aceito.

Segundo a ANS, ninguém pode ser impedido de ingressar em planos de saúde nem ter o acesso dificultado em razão da idade, condição de saúde ou deficiência.

"Caso a operadora esteja dificultando ou restringindo o atendimento de idosos, ela estará desobedecendo o Estatuto do Idoso, o Código de Defesa do Consumidor, a Lei dos Planos de Saúde", diz a ANS, em nota. Nesses casos, a operadora poderá ser multada em R$ 50 mil por infração verificada.

"É uma prática ilegal. O artigo 5º da Constituição diz que a intimidade das pessoas é inviolável", afirma Joana Cruz, advogada do Idec.

A consulta prévia é só mais um dos obstáculos que os idosos enfrentam hoje na corrida para adquirir um plano.

O primeiro é conseguir um plano individual. Das 20 maiores operadoras consultadas pelo Idec, apenas oito comercializam a modalidade.

O segundo obstáculo são os preços dos planos. A média hoje é de R$ 999,20.

Considerando que 72,4% dos idosos moram em domicílios cujo renda mensal é de dois salários mínimos (R$ 1.448), segundo o IBGE, o preço médio dos planos abocanharia 70% dos rendimentos.

O caso de Iraci Pasqueta Lodo, 80, é exemplar. Como pensionista, ela ganha R$ 1.800 e paga uma mensalidade do plano de R$ 1.783. "Ela só consegue ter porque eu e meu irmão nos cotizamos para pagar", diz a filha Cidenei Lodo.

O valor era para ser o dobro, se a família não tivesse ingressado na Justiça e conseguido reduzi-lo.

Segundo a advogada Renata Vilhena, reajustes abusivos são uma das principais causas de judicialização. "Os idosos são os mais vulneráveis na saúde suplementar."

Anônimo disse...

PETIÇÃO CONTRA O BÔNUS R$ 500.000 - Quem estiver contra poderá assinar online no endereço abaixo, conforme informações do blog do Ari Zanella:

https://secure.avaaz.org/po/petition/Previc_e_ao_Congresso_Nacional_Barrem_o_bonus_de_R50000000_a_cada_diretor_da_Previ_por_semestre/?dLnlDab

Wanderley

Anônimo disse...

Colegas,

A trágica morte do candidato Eduardo Campos pode trazer mudanças significativas no cenário político das eleições presidenciais.
Muita coisa pode acontecer a partir de agora.



Anônimo disse...

Nenhum comentário sobre a morte de Roberto Campos, incrível!!!!!!

3 NOVOS GERENTES EXEC. disse...

As diretorias DIRAD, da Cecília e DIPLA, do Décio e da nossa (PB1) PREVI, brevemente terão tres (3) novos Gerentes Executivos,(GESAD, GETHO e GECOP) escolhidos pela VP da Filial RJ da "Fellipelli Consultorias", Sra. Chris Melchides (Vide google).

Salário Mensal de R$ 26.148,17, inclusos os R$ 7.066,63 do ABF até agosto/2014 (para cada gerente e são muito mais que 6 Diretores) que também podem receber Bônus de Remuneração Variável, caso atinjam 100% das metas - igual aos do BB-)

As atribuições dos novos gerentes escolhidos estão no site da PREVI ("notícias" e "estrutura organizacional".
Por enquanto divulgam 12 + 12 nomes de candidatos em "noticias".

Anônimo disse...

Sobre o comentário:

Jair Mario Bork - Itajai-SC disse...
Gostaria que o anônimo das 09:11 me informasse porque considera ridícula a sugestão de aumentar a contribuição para a CASSI para 5%. Por oportuno, ridícula acho a sugestão que ele apresentou, ou será que ele ainda acredita bem Papai Noel?

Se já pagamos 3% de contribuição e o BB 4,5%, porque a CASSI está quebrando?
Resposta: se tem raposas na Diretoria do BB e da PREVI, que só pensam neles mesmos, porque não haveriam raposas na CASSI?
Quanto gastaram com a construção de Clínicas-CASSI? Qual o custo-benefício em gastar com obras se a CASSI já estava em dificuldades há mais de 10 anos?

MAUS
F6752890

Medeiros disse...

Lamentável a. Morte de Eduardo Campos.. Gostava dele e do recado que ele procurava dar de que era possível uma mudança na política brasileira. O Brasil tem jeito, acreditem. Perdemos um idealista. Estou de luto, o blog também.

Valim disse...

Medeiros,


Faço de suas palavras as minhas. Acredito que o povo brasileiro saberá honrar e acreditar nas palavras do falecido Eduardo Campos, como consequência apoiar o PSB seja lá quem for, indo para o segundo turno o PSB, com o PSDB . Para minha intuição não haverá segundo turno, esta será a homenagem do povo brasileiro, seguindo o propósito de Eduardo Campos.

Que Marina ou quem esteja em seu lugar nesse momento difícil, faça cumprir os seus ideais programáticos.

Valim.

OBS: Respeito o momento de luto do povo brasileiro e que aprendamos a coragem de Eduardo Campos. Que Deus os receba e desenlace logo os seus fios materiais, e nos ajudem o que for o melhor para o país, e assim será.

Anônimo disse...

Realinhamento já e o problema da CASSI tá resolvido, simples assim.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,
Hoje estou triste recebi uma carta incluindo meu nome no serasa infelizmente não consegue arcar com as despesas mesmo fazendo economia. Por favor , ajude-me com uma palavra amiga . Grata Sandra fone 03134677612

Camilo - Judiai disse...

Parece que com a morte do EDUARDO CAMPOS, o PT ja perde no primeiro turno. Vamos torcer pra isso.

Anônimo disse...

Deu problema nas "contas" ?
Tem um "furo" no balanço ?
Aumenta o valor das contribuições.
De aumento em aumento, vão se encobrindo os desmandos e as incapacidades de administrar tanto Cassi quanto Previ.
Os administradores são os mesmos desde os primórdios dos tempos.
Simples assim. Não ao aumento para 5%. Abram as caixas pretas.
Salvo engano ROBERTO CAMPOS (economista) morreu a muito tempo.
Daí não se comentar.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, é grande a agonia de quem esta aqui fora, passando necessidade, recebendo um bombardeio de péssimas notícias e ao mesmo tempo leigo, no que diz respeito às leis deste país. Existem várias perguntas em nossas cabeças a serem respondidas que, as vezes por sermos leigos, não conseguimos nem ao menos formula-las. Mas, mesmo assim, vou tomar a liberdade de perguntar.
- Existem meios legais para evitarmos/revertermos essas aberrações?
- Existem meios legais para exigirmos uma auditoria externa autônoma(não sei se o termo é correto)na Previ?
- Essa auditoria seri boa para nós?
- Como nós, donos da Previ, não temos nenhum domínio sobre ela?
- Temos a quem recorrer?
- Os culpados por esses atos podem vir a serem punidos pelos seus atos?
Agora, com eleição da chapa 3, começo a sentir firmeza, e tenho a certeza que estamos incomodando, mas ainda é muito pouco. Se o sr. puder nos elucidar estas questões, ficarei muito agradecido. Um abraço.

Anônimo disse...

Sandra, eu também, assim como você, "dizem" que somos minoria e nada fazem por nós, só que a fila tá andandando, o "bolo" de endividados vai crescer, a crise vem aí, como eu já estava no buraco afundei mais um pouco, mas tem gente achando que está de fora e quando desabar... tem gente aí até sugerindo aumento no percentual da CASSI assumindo culpa, a questão da CASSI é com o BB e a PREVI eu lutarei com unhas e dentes por esse direito, quero investigar a CASSI também , tem coisa aí, tá tudo combinado de passar a perna em nós.ACORDA INOCENTES! Vamos nos unir , Sandra a iniciativa tem que partir de baixo, lá de cima não vem nada a nosso favor.

Fernando Lamas disse...

Saudações cordiais a todos.

REAÇÃO!
Ilustre Doutor Medeiros, quero-me solidarizar com a colega Sandra, não apenas pelo seu apelo, mas, também, porque experimento a negativação.
Mesmo com o abalo emocional, é preciso reagir, dentro da Lei, protegendo os seus proventos, para a segurança da sua família.
Consulte pessoas próximas ou um advogado, se for possível ou mesmo a Anaplab, a única, que eu conheço que pode avaliar a possibilidade de ingresso de Ação disciplinadora dos empréstimos consignados.
Mas reaja, para prevenir, inclusive, piora do sofrimento emocional!
Todos, daqui, esperamos boas notícias suas. Tudo de bom!!

Grato por tudo e PAZ E BEM!

"Agradeço àquele que me deu força, a Jesus Cristo, nosso Senhor."
1Tm 1,12a

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, por ser leigo no assunto passo as informações, para que até o Dr. como Conselheiro da Previ e ilustre advogado possa dar uma olhada.

A ação julgada procedente, estava com recurso especial no Superior Tribunal, é as tais ações dos abonos. Algumas semanas atrás foi julgada e criou-se jurisprudência contra os aposentados terem direito ao abono. Tudo ok, mas vai os dados para o Dr. dar uma olhada, pois não entendi e me causou surpresa:

Proc.: 001/1.09.0184952-2 - Aguarda julgamento do processo apenso.

Processo apenso: 11402059451:
Bothomé Adv. Associados
Credora
adv.: Fabrício Zir Bothomé

Caixa de Previdência dos Funcs. Bco. do Brasil
Devedora
adv.: Fabrício Zir Bothomé

Valor da causa: R$ 9.405,19
Movimentações
28.07. Processo cadastrado
28.07. Processo apensado

Fica a pergunta por ser leigo no
assunto a Previ não paga, ou está com problemas com o tal escritório de advogacia, que é tão implacável contra os associados na ação cesta alimentação? Ou a coisa por lá está complicada mesmo. Não sei se o Dr. poderá publicar? Mas, tudo bem, é mais para analisar o caso da Previ, pois em relação a ação eu sabia que embora julgada procedente nós iríamos perder. Abraços, um anônimo que trabalhou na campanha pela chapa 3.

Valim disse...

Medeiros,

Esta gostaria de sua resposta imediata se possível.

As empresas OAS, JBS (Friboi) e a AMBEV possuem quanto em termos de porcentagem do Capital Social adquiridos pela PREVI.

Pois as mesmas estão servindo de facas de dois legumes.

Ajudando a campanha do PSDB e do PT. A política é assim mesmo:" a rasteira ", a Política com letra maiúscula há de perpetuar-se mesmo com o PSDB ou PSB.

Conhecemos um bom dirigente, nos seus primeiros dias, como dizia EDUARDO CAMPOS. Você está seguindo o seu caminho como ele dissera, desculpe-me, que mesmo lhe dando 10 em nota (Márcia de Windsor), pode acreditar que partindo mais para dentro da própria CHAPA 3, LIVRE, FORTE E DE TODOS, para conversar com os presidenciáveis, ganhariam o apoio, talvez até mesmo de Dilma fragilizada ainda mais agora,com o nosso povo sentimental por natureza. E caso contrário, de AÉCIO e outro que substituirá EDUARDO CAMPOS.
Substituir é impossível pois mais determinado do que ele só pagando para ver.

Para mim Dilma perdeu muitos votos, vamos ver, o futuro nos dirá.

OBS: Duvido se EDUARDO CAMPOS não sairia de lá para cá, em tempo chuvoso caindo canivete para arregimentar uns três milhões de votos certos, para resolver esta pequena peleja. Só não faz quem não quer. O VOTO DE MINERVA estaria acabado. Veja também, digo isso a qualquer presidenciável, pois o dinheiro é nosso e eles não se furtaria nesse momento tão delicado.

De um repórter:

Lamento a morte, a perda, o desespero do desaparecimento. Mas lamento o fato da eleição ficar ainda mais vazia. Na mente e no coração, da família, da população e do eleitor. Numa das raras vezes, como repórter, não sei o que dizer, o que esperar, o que interpretar. Em mim profissional e emocional, nada a dizer. Ou então repetindo Aristóteles, quando seus alunos lhe perguntaram se ele sabia todas as coisas: “Meus filhos, só sei que nada sei”.

Valim.

Anônimo disse...

É dr. Medeiros, enquanto isso o BB diminui o seu lucro em mais de 60%, em relação ao trimestre anterior. Quebraram a Petrobras e vão quebrar o BB é lamentável, mas é para se ver com os irresponsáveis que estamos lidando.

Marco Orlando disse...

Medeiros,
Li na revista época desta semana que o senador Aécio Neves conseguiu o apoio do Presidente do partido dos aposentados, sr JOÃO FEIO. Poderíamos tentar contato com esse senhor para denunciar a PREVI e apoiar nossa luta.

Anônimo disse...

Anônimo de 13:01, os 60% a maior do lucro no 1º semestre de 2013, foi devido à BB Seguridade
abrir seu capital em abril de 2013, com oferta pública de ações.

O ENCURRALADO disse...

- Ôxente! Não veiu 1/2 do 13º referente ao INSS. Que coisa. UUUUUUUUUUUUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAALA-ME DEUS

caos e ordem disse...

Entendo que o que está acontecendo na PREVI, com envolvimento do BB e da PREVIC, é caso para o Ministério Público do Rio de Janeiro investigar e acabar com essa farra que tirou de nós 7 bilhões só numa garfada. Imagino que êsse blogueiro, fazendo parte da Diretoria não poderia tomar essa iniciativa (da denúncia), mas sugiro que outros interessados se unam a mim pra em grupo fazermos uma denúncia. Sou José Citeli do blog CAOS E ORDEM.

Anônimo disse...

Agradeço ao anônimo 10:08 e ao sr. Fernando Lamas leio e releio as mensagens de coragem. Esta difícil mas vou superar. Abraços !! Sandra.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, bom dia!!
Gostaria, se possível, pedir orientação ao sr. Fernando Lamas se a limitacao dos 30% no contra cheque demora muito tempo. E como faço para conseguir os contratos de ES ,Cooperforte,Poupex e BB.Grata Sandra