NÃO TÁ MORTO QUEM PELEIA

sábado, 2 de agosto de 2014

Apesar da descrença e do pessimismo de alguns, pertencentes a um grupo que tem visão negra das nossas coisas do BB, continuo peleando por melhorias na questão do ES, pois sou lá da fronteira, de Uruguaiana, onde os persistentes costumam proclamar que "não tá morto quem peleia".

Sempre me guiei por esse ditado, na vida, no esporte - ah ! quantas partidas de tênis fui buscar quando parecia que a derrota era certa - e nas demandas jurídicas de minha profissão de advogado. E não é agora, com 76 anos, na última quadra da existência, que vou mudar.  Pois, então, sigo nessa lida e nunca me entrego sem lutar até a última hora.


Na última quinta feira, dia 31, tive que retornar ao Rio de Janeiro para a reunião do Conselho Deliberativo, a primeira reunião presencial do novo Conselho, já que a do mês de junho foi por vídeo conferencia.  Reunião intensa, agenda pesada, iniciou às 8,00 horas da manhã, que, em se tratando do Rio, significa as 8,00 horas da madrugada.

Nessa reunião ocorreu uma apresentação do diretor Marcel a respeito da decisão sobre o ES, que foi ilustrada pela projeção de vários slides.  Todos os conselheiros participaram bastante.  Carvalho apresentou sua sugestão de alongamento do perfil da dívida e da suspensão temporária das prestações. Eu insisti pela exclusão transitória das contribuições da margem consignável e alongamento de prazo. 

A decisão a respeito do assunto é da alçada da diretoria, mas o CD se mostrou sensível a analisar com profundidade o assunto para ver da viabilidade de que sejam contemplados alguns segmentos que ficaram de fora.  Nesse sentido solicitou ao diretor Marcel que na próxima reunião apresentasse dados concretos a respeito das repercussões que as medidas sugeridas poderiam acarretar à Previ e sobre a viabilidade de serem adotadas as novas proposições.

Dessa forma, conforme se constata, os eleitos não estão omissos, mas estão fazendo a sua parte e continuam lutando por aqueles que foram marginalizados na decisão, bem como estão procurando aperfeiçoar o ES, não se sustentando as críticas sobre a inatividade ou inoperância vertidas na rede.

Mas o processo é dinâmico e não se esgota aí. E´ necessário que a pressão feita pela FAABB, ANAPLABB e pela AFABB RS, além de alguns colegas que individualmente escreveram para a PREVI, continue sendo feita, talvez até com mais intensidade, para demonstrar que esse é realmente o desejo dos participantes. Porque tem gente que acha que o ES é página virada e temos que mudar de foco urgente.

Uma ótima ocasião para essa empreitada é o encontro de Camboriú, que se realizará na próxima semana, no dia 8 de agosto, onde estará presente o diretor de seguridade, Marcel Barros, que é o responsável pela área.

Portanto, colegas, tenham a certeza de que nós estamos fazendo a nossa parte, com o máximo empenho, no meu caso até com problemas de risco de saúde, pelo agravamento do glaucoma.  Agora precisamos também do concurso e do apoio de vocês.  Em vez de reclamar na poltrona e criar desunião entre nós, quem sabe  esses arautos do derrotismo comparecem ao Encontro de Camboriú e debatem, olho no olho, com os diretores da Previ as melhorias que o ES necessita ?

De minha parte, como venho afirmando, ainda não considero o caso encerrado. Sempre tenho esperança. Não tá morto quem peleia !



38 comentários:

Anônimo disse...

Medeiros,
veja até onde vai a ousadia e ambição da turma da Contraf-CUT. No último dia 8 de julho, aconteceu, em São Paulo, o 25 congresso dos funcionários do BB, com o objetivo de aprovar a pauta de reivindicações para o próximo dissídio coletivo. Na pauta aprovada, consta uma resolução de apoio à REELEIÇÃO DA PRESIDENTE DILMA. Peço licença para reproduzir a seguir, a resolução aprovada:
" Delegados aprovam apoio à reeleição de Dilma

O 25º Congresso também aprovou resolução de apoio à reeleição da presidenta Dilma Roussef, por avaliar que ela representa a melhor opção para os trabalhadores dentre os dois projetos que estarão em disputa na eleição de outubro.

O outro projeto representa o retorno ao governo das forças conservadoras e neoliberais, as mesmas que na década de 1990 privatizaram empresas públicas, retiraram direitos, congelaram salários e fizeram demissões em massa no BB e na Caixa, enfraquecendo seu papel de bancos públicos voltados para o fomento do desenvolvimento econômico e social.

Além de dar o apoio, os bancários vão cobrar da presidenta Dilma Roussef que mude a gestão do Banco do Brasil, hoje mais voltado para o mercado tal qual o Itaú e o Bradesco, distante do seu papel de banco público, e fortaleça o seu papel de banco público. Também vão exigir da presidenta que o BB melhore as condições de trabalho e respeite mais seus trabalhadores".

Tá tudo dominado !

Francisco


Anônimo disse...

Esse o Medeiros que eu conheço e nunca me decepcionou. Luta sempre até o fim. Não se entrega nunca.

Marco Orlando disse...

Medeiros,
Gostaria que fosse discutido na reunião de Camboriú, a reportagem abaixo, publicada no Valor Econômico.
Pelo visto a rentabilidade da PREVI no período deve ter sido excelente.

29/07/2014 às 05h00
Renda fixa garante meta de fundos de pensão no semestre



A maior parte dos fundos de pensão conseguiu bater suas metas de rentabilidade no primeiro semestre deste ano graças ao bom desempenho da renda fixa, que foi a vilã do setor em 2013. Cerca de 60% do patrimônio de R$ 640 bilhões das fundações estão aplicados em renda fixa, a maior parte em títulos do governo de prazos longos e indexados à inflação.


Leia mais em:
http://www.valor.com.br/financas/3629596/renda-fixa-garante-meta-de-fundos-de-pensao-no-semestre#ixzz39FZEDUsc

Anônimo disse...

Obrigado Dr. Medeiros, obrigado, pois como o Sr. comentou, temos que unir-nos em torno da nossa chapa 3 e de nossas associações. Abraços e Paz e Bem. Rogério Luiz Carvalho Pelotas .RS.

Cláudio Almeida disse...


Dr.

A revisão do ES, em 15.07.2014, foi feita de última hora, para atender aos reclamos pela volta da cobrança das prestações.

De afogadilho, mal feita.

Deixou sem resposta:

1) A partir de 01.11.2014, quais os parâmetros? Os anteriores não podem ser porque a revisão em novembro/14, por si só, traria parâmetros corrigidos pelo INPC.

2) Se foi uma antecipação da revisão de novembro/14, quando será a próxima?

3) Mutuários com saldo devedor de R$ 140.000,00 com margem negativa, não puderam renovar. Vai ficar assim?

Os parâmetros atuais valem até 29.10.2014. A partir de 01.11.2014 novos parâmetros com aumento do limite e dos prazos é o que se espera.

180x180, 160x160, 150x150.

O ES não é página virada. É o único benefício imediato ao alcance da Diretoria Executiva.

Mais uma vez o Dr. está com a razão. A luta continua.

Os novos integrantes da Diretoria Executiva não podem se render e precisam mostrar a que vieram.

Como vai ser o Natal sem ES?

Abraços

Anônimo disse...

Tá Certo Doutor.

Tenho a impressão que realmente é isto, que esperamos dos eleitos,ou ao menos dos Suplentes no sentido de melhorar conosco a Comunicação.
Uma coisa que fico também a pensar é que os Conselheiros se sentem um pouco constrangidos de falar mais do que devem, poderiam dizer mais,mas não devem(repito são pensamentos meus). Como dizer por exemplo que o BB que é "Guloso" e mais do que nós pequenos endividados, precisa dos JUROS,até mesmo de novas RENOVAÇÕES DE EMPRESTIMOS,para atravessar o que seria a "marolinha". O BB se expandiu dentro e Fora do BRASIL, com grandes "FUSÕES" ou Incorporações BESC,e outros aquisições PATAGÔNIA e outros, no limiar da Crise de 2008. De ,outro Lado estamos nós,que motivados pelo CRESCIMENTO através do ENDIVIDAMENTO, quando também no limiar da crise de 2008 já vínhamos praticando as tomadas de EMPRESTIMOS incentivados pelo próprio Governo. Pra não ficar só no achismo ou só no pensar, quero crer que a FLEXIBILIZAÇÃO que ocorrerá até 29.10. deste ano, que contribuiu para minorizar o endividamento - afinal foram 56 Milhões - não pare por aí e que GRADUALMENTE os Nossos Conselheiros consigam convencer a Diretoria de que precisamos ir pagando nossos empréstimos com melhorias nos Benefícios como PARCELA PREVI, Aumento INSS/PREVI - JANEIRO/2015 e um possível REALINHAMENTO dos BENEFÍCIOS quando poderem ser NIVELADOS POR CIMA, numa possível melhora dos Índices Econômicos e o IBOVESPA...Ou a queda da Resolução 26.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, que post maravilhoso.

Aliás uma constante no seu blog.

Só faltou o brado de guerra.

Para fechar com chave de ouro

Vamos que vamos.

Não pode faltar, never, nunca, de jeito maneira.

Anônimo disse...

É isso ai Medeiros, bom de peleia.
O problema que eu acho é que estamos focando no ES, que deve ser tratado como medida emergencial, tipo o acidentado que chega com hemorragia: necessita de transfusão de sangue.
Precisamos de medidas mais sociais para atender os de menor valor.
Como o realinhamento custa muito, quanto custaria estender a cesta alimentação a todos? Digamos que seja no valor de R$ 500. Quem recebe R$ 10.000 teria um aumento de 5% e quem recebe R$ 2.000 teria um aumento de 25%, todos recebendo a mais R$ 500.
Temos que buscar novos horizontes.
E rogo a Deus que o mantenha com saúde e peleando por muitos anos.
Celio

Anônimo disse...

Sugeri no blog do colega Ari o pagamento do nosso DÉCIMO TERCEIRO em parcelas mensais, com o objetivo de aumentar nossas márgens consignáveis. Ao invés de 2 parcelas anuais receberíamos em 12 parcelas mensais.

Valim disse...

Medeiros,

Julgo que você não é homem de ficar em cima do muro. Desculpe-me por não ser criança. E conheceremos o homem quando dermos dinheiro e poder a ele.

Na minha "intuição" que não é pouca, com toda humildade, confio em ti não porque confio, mas através de suas entrelinhas, julgo eu. Mais tarde ratificarei essa minha "intuição".

Medeiros, parabéns a todos, mas a hora é essa. Gostaria de uma resposta sua," sem cama de gato".

Caso não possa, tudo bem. Já estou cansado mesmo de não receber respostas não de minhas reclamações, pois elas ainda não existem,estou gostando do trabalho de divulgação, mas sobre minhas proposições...

Trate de sua saúde em primeiro lugar, há tempo para tudo e o seu já possui crédito para conosco.

Medeiros, aperte eles.

Quanto ao comentário da Contraf- CUT... inha, os da Ativa vão dar a resposta a eles. Essa moçada não é como alguns de nós. Cairam num grande erro. Substimaram o pessoal da ATIVA, eles que nos colocaram lá, e vão nos dar a CASSI, se trabalharmos desde já, e a ANABB vai acabar, como ROMA acabou.

Medeiros, para mim, se me permiti, lhe dou nota 10, igual a Márcia de Windson. Lembra?

Não poderei estar em Camboriú.

Valim,

Anônimo disse...

Uma dica: Li na internet, que 240 mg por dia de Ginko Biloba durante dois meses (pode ser em duas tomadas), depois 60 mg por dia pelo resto da vida; preserva o nervo óptico. O glaucoma acontece por causa da falta de circulação de sangue nos olhos o que ocasiona a morte do nervo.

Rosalina de Souza disse...

Prezado Colega Conselheiro Carvalho,

Esclarecimento:

Tradicionalmente a Previ sempre manteve suas taxa de juros abaixo das taxas de mercado, diga-se Bancos, o que muitas vezes não é percebido pelo aposentado e pensionista devido ao tipo de capitalização feita em seus produtos e seguros embutidos para preservar a liquidez da Previ. Deve-se levar em conta que a Previ não produz lucro, mas o atuarial , que é a diferença liquida para compor os ativos da Previ.

NOTA: O Emprestimo Simples aumentou muito em termos de teto, hoje em 145.000 e limitou o prazo final em 120 meses, 10 anos com limitação dentro da formula 170.

Veja meu exemplo:

Devo de ES 86.547.67 atualizado em 03/08/2014.

Se for renovar nas novas condições minha margem é de 1.307,08, abrindo um novo credito de 88.000.00 ( Flexibilização) hoje posso renovar em 108 meses, estou com 68 anos de idade.

Ficarei com 108 prestações de 1307,08 e receberei de troco da Previ 1.337,08.

A Previ recebe todas as prestações a vista que fiquei sem pagar entre janeiro e junho de 2014, acerta o caixa e capitaliza ainda mais juros e correções em cima da minha dramatica situação financeira.

Tenho margem que suporta a renovação, mas eu pergunto ao colega conselheiro, iguais a mim, são muitos, que renovando recebe migalhas da Previ entre 1.000 e 3.000 reais.

Ilustração real, com autorização para usar meu espelho como prova.

Melhorias urgentes no Emprestimo Simples.

1) O dinheiro que a Previ utiliza provem dos donos da Previ ou assistidos, a vista, a custo “zero”, fora a taxa de administração recebida em todas as renovações ou contratações.

2) Temos condições de resolver este problema, com soluções do ponto de vista humano e do atendimento aos colegas em situação de penuria total e grande desespero, sua proposta de alongamento dos prazos é o remedio na doze certa, não queremos dinheiro novo, meu limite de emprestimo disponivel hoje é de 57 mil reais.

3) As taxas dos bancos atualmente divulgadas não são reais, isto é, não valem para todos os casos. As taxas mais baixas indicadas seriam aplicadas em financiamentos de bens (automóveis p.ex) se ocorrer o pagamento de mais de 50% do seu valor e o prazo de pagamento do financiamento for de até 6 meses. E assim segue uma escala de taxas variáveis conforme o perfil do correntista e o prazo de liquidação. A taxa sobe a medida que o prazo se alonga, mas a Previ a gestão dos recursos são feitas a longo prazo, estudos são eleborados e resultados apresentados, o limite legal a modalidade de emprestimo ao participante 15% dos recursos é usado muito abaixo, desta realidade.

Creio que um pouco de boa vontade, aliado ao real problema de muitos colegas, faz sentido uma revisão do produto Emprestimo Simples, acredito que o Conselho Deliberativo tem meios internos de si fazer intender que os participantes do PB-1, busca uma solução para esse problema que é antigo, vem de varias gestões e que com boa vontade, pode sanar de vez com esta situação de pedintes todos os anos.

Todos nós queremos é melhores condições de pagar, não somos caloteiros, mas temos o direito de ser respeitados e para isso é necessário o alongamento do perfil das nossas dividas, restando infrutifera esta revisão, não faz sentido repetila nos proximos anos, esta questão tem que ter fim, até mesmo para que os Senhores possa debruçar sobre outros assuntos também de igual importancia, as despesas administrativas deve ser o próximo alvo chave.

Não concordo e não aceito que essa flexibilização tenha sido uma revisão, porque não houve fato novo, apenas foi feito um acerto para recebimento das parcelas não pagas, e mais uma vez a Previ usa de Malandragem ou Maquiagem ou Contabilidade Criativa para receber dos mutuários suspensos, e pior ainda foi que não se observou que a margem consignável também diminui com a volta das contribuições, neste aspecto para as pensionistas não se altera em nada vista que nós não contribuímos mais para a Previ, em compensação recebemos apenas 60% de complemento da Previ.

Anônimo disse...


Colegas Associados, bom dia.

Vi hoje na matéria do Ari...
"Lemos nesta semana que os fundos intermediários tiveram ganhos acima do atuarial neste semestre, com o Real Grandeza chegando a obter 8%, graças à renda fixa. Imaginemos a PREVI com maior percentual em renda fixa, ficando somente na média de 6% como foi na maior parte dos fundos de até 30 bilhões de patrimônio"
Pergunto:
Porque a PREVI nos cobra no ES Juros de 5%a.a. mais INPC (5,6) que somam quase 12% a.a. SE a PREVI RECEBE na Renda Fixa apenas 6%?
SENHORES da Previ, cabe SIM uma alteração do ES com juros de 4%a.a. MAIS INPC debitado apenas em JANEIRO pela média do saldo devedor (+juros mensais - PMA), quando se corrigirá o SALDO do ES, inclusive podendo a PMA ser corrigida da mesma forma, COM BOA REDUÇÃO DO VALOR INICIAL DA MESMA EM COMPARAÇÃO à PMA atual.
CABE, SIM, PMA de 1,15% do Capital Liberado, taxa de juros de 4% a.a., INPC só em JANEIRO, com PARIDADE da correção dos Benefícios:
ES 160/140,130,120:
R$160.000,00 x 1,15% = 1.725,00
O ES da Previ é dinheiro dos ASSOCIADOS!!! Representa apenas 4% dos Investimentos da PREVI.
Os encargos atuais nada mais são que RETALIAÇÃO do BB, da PREVI, e uma BRINCADEIRA de algum Diretor que BRINCA de Banqueiro com dinheiro NOSSO, a exemplo dos Sobrinhos do SILVIO(Panamericano) e do ERMIRIO(BV)...

Marcelino Maus
F6752890

Anônimo disse...

Do blog do Ari vem uma notícia nada animadora, sobre a PDS 275, que trata da suspensão da res.26. Parece que o Senador Paulo Bauer deu pra trás e se aliou ao Pimentel para arquivar a PDS.
Se isto se confirmar, adeus mudanças na PREVI.
A Res.26 é a grande responsável pela maioria dos nossos males atuais e pelo visto, continuará sendo......

Anônimo disse...

Rosalina está certa, não adianta renovar só para ficar legal com a PREVI e continuar afundado em dívidas, receber em torno de 3 mil reais não vai cobrir perdas de um semestre, eu mesma , como exemplo, desde janeiro estou dependurada em empréstimos informais de parentes, amigos, supermercado e farmácia que estão sendo solidários aguardando solução que só encontrarei nesse ES. Agradeço ao Carvalho e ao Medeiros por acreditarem que o Es é a saída emergencial.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, voce é um homem corajoso e humano, que luta pelo seu semelhante mais necessitado sem arrogância e sem desprezo pela nossa situação.
Que voce e sua família sejam eternamente abençoados,tudo que voce fizer de bem para os pobres aposentados fragilizados pela penuria em que vivemos, volte multiplicados por 1000 em bençãos para voce.

Anônimo disse...

Colegas Associados, Dr. Medeiros, boa tarde.

REPITO pela 3a. vez:

O Superávit de 25 BI verificado pela PREVI em 2013, hoje 20 BI, são fruto da SUPRESSÃO de 25% a 33% dos Benefícios calculados aos POS-97!
Apesar dos 40 BI já apropriados pelo BB: 7,5BI do BET, compensação dos VARIOS BI não recolhidos em face dos 67, 80, Cotas Patronais não recolhidas, etc.

ANTES DO REALINHAMENTO do PB1, é preciso resgatar a ISONOMIA entre os PRE/POS 67, 80, 97, em face da SUMULA 288 do TST.

Por favor, algum membro da Chapa 3 me explique por ninguém comenta isso:
ISONOMIA no PB1 X SUMULA 288 do TST!!!

Quanto a PREVI acumulou de EXCEDENTE pela garfada de 24/12/1997?

Cálculo simples:
Beneficio medio R$7.000,00 x 25% = 1.750,00 x 13 x 90.000 associados na Ativa em 1997:
R$2.047.500.000,00 (2BI por ano)... somem 15 anos passados e mais 15 a 25 anos futuros...
R$2BI x 30 anos... 60 BI...

Marcelino Maus
F6752890

Valim disse...

Medeiros,

Costumo também entrar no blog para verificar se minhas postagens foram publicadas.

Já estou recebendo o silêncio da Cecília Garcez também, tudo bem, não preciso de carinho, apenas meus direitos. Tudo bem com ela, por enquanto, sinceramente, só não pode vir com a estória de não possuir tempo.

Esse ditado não tem nada a haver com ela, mas sei que já pode ter chegado a ela. " uma, duas, três mentiras de um mesmo fato torna-se verdadeiro".

Dê para aquele que faz muito, que ele será capaz de fazer mais um pouco. Base de sustentação de aprendizado, ela possui. Se todos tivessem nesse país, que maravilha viver.

Você gosta realmente da peleja, e que ela sinta esse comentário, como de um amigo que sou dentro de critérios políticos, na boa acepção da palavra, igual no Japão. Neste, quando o corrupto é pego, ele chora, pois sabe o que irá acontecer. Penso assim e se fosse Presidente da República mudaria as leis para tal. Feroz ? Não. Justiça.
Feliz daquele que sofre por justiça, acho que não sofreria não...

" A glória da amizade não é a mão estendida, nem o sorriso carinhoso, nem mesmo a delícia da companhia. É a inspiração espiritual que vem quando você descobre que alguém acredita e confia em você".

Valim.

Anônimo disse...

Estou com a Rosalina . A previ esta danda corda para nos enforcar ainda mais. Concordo com a Rosalina. Não quermos mais dinheiro, para nos afundar mais ainda. Queremos ALONGAMENTO DO PRAZO das prestações.Isso iria fazer com que as prestações fossem reduzidas, acho que esse entendimento iria alcançar todos os ASSOCIADOS.

Aristophanes disse...

Prezado Medeiros.
Parabéns, pela mensagem de estímulo e pela infomação clara e coerente. Espero, um dia, ler as ATAS de reuniões, no site da Previ! Pelejar sempre! Cordialmente, Aristophanes.

Everton disse...

Olha o que devemos esperar da relatoria do decreto legislativo sobre os fundos de pensão
Farsa na CPI: oposição pede anulação de depoimentos e promete acionar PGR

Segundo lideranças dos partidos de oposição ouvidas pelo site de VEJA, os parlamentares envolvidos podem responder por quebra de decoro – especialmente os senadores José Pimentel (PT-CE) e Delcídio Amaral (PT-MS). No caso de Pimentel, a oposição exige que ele seja destituído imediatamente da relatoria da CPI.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,

É assim que se faz! Nada de desistência!
Nessa sua postagem, o distinto colega não nos revela mais uma vez o homem de caráter altruísta que é, como também dá um puxão de orelha nos que não pensam assim de sua pessoa, convidando-os para a reunião em Camburiu, a fim de fortalecer a luta em nossa defesa. Parabéns e muito obrigado.

edsomn disse...

Faz tempo fala-se somente em credito consignado, aumento de salários com toda ladainha de sindicalistas e partidos políticos o resultado foi perto de % 0 vide equiparação com bacen. Não acredito em aumento real para aposentados e pensionistas, penso no momento é aumentar o prazo do ES diminuindo as prestações e a partir daí o associado ficar um longo tempo sem direito a renovação. O Fim precoce o BET atrapalhou muita gente e ainda com a volta das contribuições a situação piorou, tem jeito sim gestão política em favor do associado.

Valim disse...

Medeiros,

Boa noite,

Texto I

Se o senador Paulo Bauer desistir da peleja não fico nem um pouco triste, ficaria sim da Senadora Ana Amélia, esta lutará até o final.

Gente o importante nem sempre é a vitória momentânea e sim ganhar o campeonato de uma vez por todas. MUDANÇA DO ESTATUTO DA PREVI,com fim do voto de Minerva, extinção da Parcela Previ, fim da divisão do superavit com o patrocinador.

O Senador Paulo Bauer levantou uma questão crucial para mim, o fato do Banco, creio, do Brasil lançar como despesa as suas contribuições e querer o seu superavit. Já havia levantado isso neste blog, que é um grande canal de comunicação, que inicialmente discordo do que virá com o blog da CHAPA 3 LIVRE, FORTE E DE TODOS, se não substituir este, tudo bem. Seguro morreu de velho. Prefiro aguardar para dar mais uma concessão de uma nova ANABB, não que prefira, melhor, devo aguardar.

Não sei se é verdadeiro, mas talvez José Pimentel não avisou que os funcionários da ATIVA estão juntos com os sempre funcionários aposentados e pensionistas a partir das últimas eleições.

Futuro Governador, ou não, pense nisso, sabemos como os votos são preciosos. A Cecília Garcez nossa representante na Diretoria, pela CHAPA 3 LIVRE, FORTE E DE TODOS, perdeu na eleição passada por 400 votos, ou algo em torno.

Valim disse...

Texto II

Somos obrigados a comermos pastéis com óleo de caminhão para ganharmos votos, reflita, reflita e muito. Hoje a família BB está unida, acredite quem quiser. Eu torço para meus menores adentrantes da casa BB, e acabaria com o PREVI FUTURINHO. Quem fizer isso, ganha para sempre, perpetua-se no poder. Chegar ao poder é fácil, difícil é perpetuar-se nele.

Falam que perpetuação no poder é ruim, ninguém é perfeito, mas se O MEDEIRÃO, publicar está, digo, nem sempre é ruim.
COPIADO:

Nos quinze anos de seus primeiros mandatos como presidente provisório, presidente constitucional e ditador, Getúlio Vargas estabeleceu as leis trabalhistas, desde a jornada de oito horas, o salário mínimo, o descanso semanal, as férias remuneradas, as pensões e aposentadorias, a proteção ao trabalho do menor e da gestante, o pagamento de horas extraordinárias, o tratamento médico gratuito através dos institutos, a livre sindicalização e, entre outros direitos, a estabilidade no emprego. Quem trabalhasse por dez anos ou mais na mesma empresa não poderia ser mandado embora sem justa causa.

Ninguém faliu, a economia brasileira não despencou, muito pelo contrário. Até as multinacionais aqui funcionando acataram a lei como justa e necessária. É claro que contra a Consolidação das Leis do Trabalho levantaram-se os mesmos reacionários de sempre, sem sucesso, mas, através da imprensa, inoculando na opinião pública o germe de uma falsa modernidade.

Valim disse...

Texto 3

O tempo passou, Vargas retornou ao poder através de eleições, despertando reações variadas diante da possibilidade de ampliar as prerrogativas do trabalho. Intensa campanha desencadeou-se sobre o velho presidente por conta, também, da industrialização por ele promovida, do monopólio do petróleo e outras ações nacionalizantes.

Para encurtar a conversa, quando iam depô-lo outra vez ele deu a volta por cima, com um tiro no peito. Saiu da vida para entrar na História. Mesmo assim, nos governos que se seguiram os direitos trabalhistas foram sendo erodidos, direta ou indiretamente. O salário mínimo acabou reduzido à sua expressão mais vil, como acontece ainda hoje. Qual o trabalhador que com 724 reais conseguirá, junto com sua família, enfrentar despesas de alimentação, habitação, vestuário, transporte, educação e até lazer, como diz a Constituição?

A jornada de oito horas virou peça de ficção, só não trabalha em dois empregos quem não consegue. As férias remuneradas passaram a objeto de compra e venda, a saúde e a educação públicas encontram-se em petição de miséria. Explora-se o trabalho do menor, mulher grávida não arranja emprego, garfaram até as aposentadorias, reduzidas e niveladas por baixo.

Foi no primeiro governo militar, do marechal Castello Branco, que mais um ataque viu-se praticado por exigência das multinacionais e da quase totalidade das empresas nacionais: extinguiram a estabilidade no emprego. Instituíram a rotatividade cruel e forçada, junto com um ilusório e nebuloso Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, que apenas garantiu o direito de o patrão livrar-se do empregado a qualquer tempo e hora, tanto por estar ficando velho e doente quanto por torcer por um time de futebol adverso.

Por que se lembram tais fatos? Porque mesmo estando no poder o Partido dos Trabalhadores, nenhuma iniciativa foi adotada pelo Lula e por Dilma no sentido de restabelecer direitos sociais suprimidos ao longo das décadas. Acomodaram-se os companheiros, com base no canhestro raciocínio de que o mundo mudou com o avanço praticado pelo computador nas relações de trabalho. Mudou para quem, cara pálida? As empresas continuam onde sempre estiveram, voltadas para o lucro a qualquer preço, enquanto o trabalhador vive cada vez mais envolto com o assistencialismo do poder público, forma humilhante de mantê-lo atrelado às esmolas e aos interesses dos donos do poder.

Agora que se aproximam as eleições, procure o leitor e o eleitor saber qual dos candidatos se apresenta disposto a restabelecer, por exemplo, a estabilidade no emprego. Nem eles nem ela. Muito menos pensam atualizar o salário mínimo em patamares de dignidade. E quantas outras prerrogativas tornadas letra morta?
CARLOS CHAGAS.

Cadê a colocação na pauta do fator previdenciário aprovado no Congresso e vetado por LULA.

Porque não a correção de todos os aposentados pelo INSS que contribuíram, com um índice que cobre a inflação e dê um aumento real a todos ?

Já sei !!! Porque o deficit da previdência é para dar a quem nunca contribuiu através do Bolsa Família e seguro- desemprego. Criem o Bolsa Emprego vendendo compotas de bananas para exportação. Sei que dá trabalho, mas é rentável e ensina a pescar e não precisa dar os peixes ainda mais dos outros, usurpando-os.

Valim.

OBS: Não deixe este blog acabar Medeiros, espero que assim o faça, confiamos em ti, pode ter a certeza, esta é minha "intuição", dita mais uma vez.

Anônimo disse...

Valeu, Medeiros!!

Anônimo disse...

Empréstimo Simples não é página virada, é necessidade EMERGENCIAL e é também direito dos associados , obrigada Medeiros pela perseverança nesta luta ! Deus há de lhe iluminar sempre!

Anônimo disse...

Depois da famigerada Resolução n. 26, surge mais uma do Pimentel: A farsa da CPI da Petrobras abre todos os jornais dessa primeira segunda- feira de agosto. Esse cara ainda tem muita coisa pra mostrar. Se fosse na China ele iria pro paredão e a familia dele ainda teria que pagar a bala.

Pedro disse...

Cecília, Carvalho e Medeiros,

Sugestão SOS/PREVI - Sem incidência na Margem Consignável.

CONCESSÃO DE ADIANTAMENTO EMERGENCIAL (CAE),

Teto: Somatório dos valores da suspensão das prestações do ES de janeiro a junho, arredondas (Ex. 1.200,00 X 6 = 7.200,00, valor do CAE 7.000.00),

Prazo: O mesmo do ES, para todas faixas de idade,

Encargos financeiros e demais condições: idênticos aos do ES.
Tudo seria aplicação de recursos da Previ, com retorno garantido.
É só uma questão de solidariedade e boa vontade.

JOSÉ BENEDITO MONTEIRO disse...

Monteirinho disse:

Gente é época de eleição. A Dilma já deu mostras que não irá nos ajudar. Vamos reunir uma comissão, certamente liderado pelo Dr. Medeiros e falar com o Aécio Neves a respeitos de nosso fundo de pensão e pedir o apoio dele no caso de vitória.

Anônimo disse...

Anônimo 17:13 : ... não só nos revela o homem de caráter altruísta que é, como também ...

Um abraço.

Anônimo disse...

ESSE SENADORZINHO CEARENSE, ZEPIMENTEL, CUJA CABEÇA MAIS PARECE A CABEÇA DE UM P..., SE SUPEROU NA SAFADEZA. DESTA VEZ, SE PRESTOU AS ORDENS DO GOVERNO DE DILMA, DO QUAL ELE É SERVIÇAL, PARA TORNAR A CPI DA PETROBRAS UMA VERDADEIRA FARSA.

FORA ZEPIMENTEL!!!

mariano branquinho disse...

Dra. Medeiros, Cecilia, Carvalho, Decio, e demais colegas, vamos lutar pela sugestão do colega Pedro às 11,14h e também por essa do colega Monteirinho, às 12,29hs.Continuamos lutando, e certos de não desanimarmos. Abs. Mariano Branquinho

Anônimo disse...

Concordo com José Benedito Monteiro, a hora é agora! ou nunca mais! Vai ser bom prá nós e para o Aécio Neves afinal, votos não nos falta, multiplica-nos por 6 no mínimo, são nossos filhos, genros, noras e netos, depois acham que aposentado não tem Voz? Tem sim, VEZ e VOZ!

Anônimo disse...

Colega Dr. Medeiros

Para seu conhecimento e dos demais leitores do blog, transcrevo, abaixo sugestão por mim encaminhada à PREVI sobre o Empréstimo Simples:
Data: 18/07/2014 12:24:41
Assunto: Empréstimo Simples
Tipo: Sugestão

Mensagem:
Sr. Diretor de Seguridade,

Solidário com os colegas aposentados e pensionistas que, como eu, se encontram em situação financeira vexatória, peço venia para apresentar as sugestões abaixo que submeto ÿ apreciação dessa Diretoria para, se aprovadas, serem implementadas a partir da contratação do Empréstimo Simples prevista para o dia 22 do mês em curso:

a) exclusão das verbas relativas a contribuição para a PREVI, seguro de vida junto a outras entidades e contribuição para a CASSI quando da apuração da margem consignável para efeito de contratação do Empréstimo Simples;

b) pagamento do valor correspondente às parcelas do Empréstimo Simples suspensas em 12 parcelas mensais a partir de Novembro/2014 ou metade por ocasião da contratação do Empréstimo Simples e o restante dividido em duas parcelas com vencimentos para os meses de Novembro/2014 e Abril/2015, respectivamente.

2. As sugestões ora apresentadas visam atenuar a difícil situação financeira por que passam os colegas aposentados e pensionistas, muito deles sem condição sequer de renovar o Empréstimo Simples por falta de margem consignável. Outrossim, o não pagamento do valor correspondente às parcelas suspensas do Empréstimo Simples de uma só vez, se aprovada, permitirá aos associados e assistidos solucionar pendências junto a Bancos e terceiros e reorganizar suas finanças.

3. Na certeza de que as sugestões apresentadas merecerão estudo e possível aprovação por parte da Diretoria Executiva dessa Associação, sempre sensível aos problemas dos associados e assistidos e à procura de soluções para amenizá-los, desde já agradeço e aproveito o ensejo para renovar protestos de estima e consideração.

Atenciosamente,
Filomeno José Linard Costa
Funci Aposentado Matr. 3288840-6

Anônimo disse...

Medeiros,
Penso que o encontro de Balneário Camboriú é aberto a todo e qualquer interessado que queira participar do evento. Assim, entendo que não procede a afirmação de que se aguarda convite “especial” dos organizadores para confirmar presença. Ou será que eu estou errado.

Anônimo disse...

Caro colega Filomeno José Linard, maravilhosa iniciativa,Parabéns!, fico pensando , do dia 18 de julho a 04 de agosto, passaram-se 17 dias, a PREVI normalmente se compromete a responder em 10 dias.Pelos acontecimentos o Diretor não leu nem a sua, nem as demais correspondências, pois até o momento nenhum blog divulgou resposta oficial da PREVI e sabemos que vários colegas contribuiram, como voce, com ótimas sugestões.Ainda assim vamos aguardar quem sabe no encontro do dia 08 alguém faça essa cobrança.