UM POUCO DE TOLERANCIA

sábado, 31 de janeiro de 2015

Um pouco de tolerância não faz mal a ninguém, dizia o meu pai, advogado do Banco do Brasil na fronteira oeste do RS, com sede em Uruguaiana.


Meu pai, Dirceu Cachapuz de Medeiros, era um advogado consagrado, muito conhecido no BB.  Sabia exercer a profissão. Era um hábil solucionador de casos e de questões complicadas. Tinha paixão pelo BB e pelo Direito. Além disso, gratuitamente, dava aulas de História do Brasil e de Filosofia.

Procurava resolver tudo administrativamente, especialmente as questões envolvendo cobranças de empréstimos. Costumava afirmar que um acordo era muito melhor que uma demanda judicial. O banco transige mas se livra de um entrave em seus negócios.

A maioria dos devedores que faziam acordo se recuperavam e voltavam a operar com o BB. Todo mundo ganhava. O sentimento que vigorava não era de uma guerra, mas sim de um trabalho. Acima de tudo estava a valorização do ser humano. Meu pai já é falecido e seu aniversário era no dia 23 de janeiro, daí a lembrança.

Tem gente que considera o devedor como um criminoso, um sem-vergonha, um irresponsável, um indivíduo descumpridor de seus compromissos. Não entra no mérito das razões da inadimplência, nem das condições do devedor, se está doente, se teve um desastre, se é idoso, se está numa maré de azar, se o empréstimo era abusivo e impagável. Venceu, não pagou, tem que cobrar tudo da forma mais radical. Esse tipo de gente adorava os homens de vermelho, que cobravam humilhando o devedor e sua família. Lembram ? A Justiça em boa hora impediu essa atrocidade.

Tem gente, portanto, que tem tolerância zero com os devedores. Tem satisfação de serem durões. Gostam de cobrar as dívidas de forma agressiva, querem dar lição de educação financeira, são avessos a acordos, não transigem nunca, a não ser em ninharias, são mesquinhos.

A minha longa experiência me demonstrou que o caminho da intolerância não é o melhor. Os gestores, poucos, que trilham esse caminho terminam se dando mal, até pessoalmente.

O melhor caminho hoje é o da negociação, da conciliação, da arbitragem. Na semana passada o presidente do TJ de São Paulo fez um apelo nesse sentido, para que fossem encerrados milhões de processos de execução , que só servem para alimentar a sanha de advogados a serviço de gestores intolerantes.

E toda a negociação nao pode ser unilateral, só boa para um dos lados. Ambos têm que ganhar e perder, ambos tem que transigir. E para que tal aconteça é necessário uma boa dose de tolerância.

Para aqueles que só querem que eu trate aqui no blog de questões especificas, peço paciencia pela postagem de hoje, que não é simples filosofia ou blá blá blá.Tem direção certa e tem significado, razão de ser.

Sim, um pouco de tolerância não faz mal a ninguém. E a vida fica melhor pra todo mundo, com certeza.


37 comentários:

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,

Caro Colega,

Tudo o que o doutor falou nesse post é verdade. Conheci seu pai, Dr Cachapuz, grande advogado do BB e grande figura humana. Meus parabéns pela sua postura. O que seria de nós nas mãos de gestores intolerantes ? O fascismo prosperou justamente pela intolerância com raças impuras.
Grande abraço
Ruben

Anônimo disse...

Entendi a essência de sua postagem e lhe dou os meus sinceros cumprimentos pelo seu esforço, pela sua luta, pela sua dedicação a nossa causa, por uma sociedade mais justa e tolerante. Repito um comentário, se todos fossem iguais a você...

Caterina Sc

Anônimo disse...

Eu estava nessa formatura o colégio Santana. Foste o orador e primeiro lugar da turma. O Dr Cachapuz te colocou a medalha. Bons tempos. Quanta saudade.

Antônio Callegaro

Anônimo disse...

Essa sua postagem Dr Medeiros é brilhante e carregada de humanismo , é um belo texto que mereçe ser compartilhado pois sintetiza o respeito e a humildade que devem moldar toda pessoa , parabenizo a ambos pai e filho por terem feito e fazem o bom combate.

Anônimo disse...

Essa foto é do tempo que o Pão de Açúcar era um cupim

Anônimo disse...

Espero que , com seu post e apelo, melhore a tolerância na Previ. Nunca vi tanta arrogância. Não querem ceder nada ao participante, estão dando deficit, comendo o superávit acumulado, e querem ganhar bônus milionarios. Precisam voltar à razão.

Nei Vaucher disse...

Dr. Medeiros, como dizia o famoso Rolando Lero,da Escolinha do Professor Raimundo, ''CAPITEI VOSSA MENSAGEM HONORÁVEL GURU'', Bom domingo para o Sr. e seus familiares. Nei Vaucher

Anônimo disse...

Caro Dr. Medeiros

Se os diretores da. previ fossem mais tolerantes com os aposentados e pensionistas mais da metade das ações judiciais seriam encerradas. É preciso saber a quem interessa essa arrogância.

O diálogo e a boa vontade com o funcionalismo desapareceu dos dirigentes do BB desde que elespassaram a ganhar salários milionarios.

Anônimo disse...

Medeiros,

Excelente postagem e veio em boa hora.

Vivi esse drama da intolerância numa negociação com o banco, nada de bom resultou disso, então o único caminho foi o Judiciário, pior prá todos, prá mim e prá ele, banco.

Tamos com você sempre.
Lydio

Anônimo disse...

Emérito Mestre MEDEIROS:


Desculpe a insistência, o Nobre mestre ainda vai falar do MALFADADO ES? Ainda não dei o caso por encerrado. Acho que vou partir para DANOS MATERIAIS e MORAIS!

Medeiros disse...

Já estou falando há tempo. Você que não está se dando conta. Estou reunindo os casos que o ES não atendeu e as reclamações mais concretas para me manifestar de forma mais específica. Por enquanto aqui na Afabb Rs as queixas são timidas e algumas inconsistentes.

Aguardo também esclarecimentos que a Previ deve dar em breve.

Falar só sobre o óbvio não vai adiantar. É chover no molhado.

Anônimo disse...

Leiam e vejam a Veja de hoje, domingo!!! Afffff

Medeiros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Vai sair a reunião sobre a Cassi na Afabb Rs no dia 4 ? A ANABB marcou reunião para o dia 9.

Medeiros disse...

A reunião na Afabb Rs sai. É uma reuniao restrita e nada tem a ver com a reunião nacional marcada pela ANABB.

Anônimo disse...

Amanhã é dia de Nossa Senhora dos Navegantes, dia de Iemanja. Vamos pedir por nossa Cassi e pela Previ.

Anônimo disse...

Conheci o Dr. Cachapuz. Foi um grande advogado e um grande cidadão. Deixou grandes recordações.

Dilmar Rs

Anônimo disse...

Colega anônimo,

O que é que tem na Veja de interessante ?

Anônimo disse...

Percebe-se que o desespero pelo ES continua.
Uns pegam carona, por conveniência. Outros, porque querem ver o circo pegar fogo. Outros, porque estão desesperados mesmo.
Separar o joio do trigo é o maior desafio......

Anônimo disse...

Um pouco de tolerância não faz mal a ninguém. No caso específico dos aposentados e das pensionistas do “PB-1”, tendo em vista o que hoje estamos vivenciando, talvez um pouco de intolerância também não fizesse mal a ninguém. Concorda?

Anônimo disse...

Medeiros. Olha aí alguem que pode ser contatado: Deputado Sergio Reis
Já o novato Sérgio Reis (PRB-SP) tomou posse nesta manhã defendendo a melhora da imagem da Casa frente à opinião pública. O cantor disse que vai se dedicar às funções legislativas de terças, quartas e quintas-feiras, sendo sextas, sábados e domingos voltados para os shows.

O novo deputado disse que as bandeiras de seu mandato serão a saúde e as políticas para os aposentados. "Eu sou aposentado e se não fosse cantor, não teria dinheiro para comprar os dez remédios que tomo por dia", justificou.

Anônimo disse...

Caro Colega,
Peço sua ajuda em divulgar aos colegas aposentados/pensionistas, assinarem abaixo assinado, eletronicamente, dirigido à Previ, solicitando retorno do ES à forma antiga, e na renovação, desconsiderarem contribuião pessoal/patronal. Fiz igual pedido a ANABB, AFABB, para que coordenem sal solicitação.
Júlio Cesar Magalhaes - 6.015.178-1 - de sp/sp.

Marcelino Maus disse...

"Separar o joio do trigo é o maior desafio......
1 de fevereiro de 2015 21:43"

Em se falando de Previ e das Estatais:
- para os Diretores e seus cumpanheros PeTralhas, o TRIGO;
- para os Assistidos da Previ (todos os fundos) e para os Acionistas da PeTroubrás, o JOIO.

Urge Ação Reparatória dos Danos causados pela Diretoria da PeTroubrás à Previ desde 2008... com pedido de Prisão dos responsáveis.

Anônimo disse...

Colega Medeiros,

Como o ilustre colega está juntando material, a fim de se manifestar sobre o ES, transcrevo, a seguir, mensagem da PREVI sobre correspondência por mim endereçada àquele Fundo de Pensão a respeito do Cálculo da Margem Consignável, mensagem, por sinal, já postada nos comentários desse blog:
atend@previ.com.br

09:11 (Há 1 hora)

para mim
e-mail: filoedenna@oi.com.br

Senhor Filomento,

Recebemos sua manifestação e enviamos para a área responsável pelas operações com participantes.

Permanecemos ÿ disposição

ALESSANDRA DA CRUZ
Gerência de Atendimento
PREVI

O retorno desta mensagem não é monitorado. Caso necessite respondê-la, encaminhe sua mensagem por meio da seção Fale Conosco, opção Participante.

----------------------------------------------------------------------------------------------



Data: 29/01/2015 17:43:10
Assunto: Empréstimo Simples
Tipo: Reclamação

Mensagem:
Senhor Diretor de Seguridade,
MARGEM CONSIGNÿVEL ¿ Nova Metodologia ¿ Analisando a nova metodologia de cálculo da Margem Consignável implantada pela PREVI em janeiro/2015 e comparando-a com a Lei 10.820, de 17.12.2003, que regulamenta a matéria, encontrei as seguintes disparidades:
a) a PREVI não vem considerando os benefÿcios do INSS dos aposentados e pensionistas que não o recebem através de Convênio na base de cálculo para efeito da apuração da Margem Consignável, o que deveria ser feito através de simples trânsito em folha de pagamento e tão somente para essa finalidade, já que os valores são informados por aquela autarquia, para fins de cálculo do benefÿcio complementar¿PREVI, além de já computado na base de cálculo CASSI;
b) de acordo com o Art. 2º § 2-II, da lei supramencionada, o percentual a ser obedecido no cálculo da Margem Consignável seria de 40% e não de 30%, como vem sendo feito por esse Fundo de Pensão, haja vista que estão sendo consideradas como dedutÿveis as consignações voluntárias tais como: as contribuições para PREVI e CASSI, além de Seguros de outras entidades;
2. Diante do exposto e s. m. j., espero que as falhas constatadas sejam de pronto corrigidas já para a fopag de fevereiro/2015, o que beneficiará milhares de aposentados e pensionistas que atualmente se encontram impossibilitados de renovar o Empréstimo Simples, em razão de falta de Margem Consignável.
3. Esperando ter contribuÿdo para o aprimoramento dos serviços executados por essa Entidade de Previdência Privada, além de procurar, com isso, minorar o sofrimento de milhares de aposentados e pensionistas que, como eu, a renovação do Empréstimo Simples é de fundamental importância para as próprias sobrevivências e de seus dependentes, aproveito o ensejo para renovar protestos de estima e consideração.
O original da correspondência seguirá via correio

Matrÿcula: 3288840
Nome: FILOMENO JOSE LINARD COSTA

Anônimo disse...

Alguns colegas ainda não entenderam que a Previ está limitando a MC não por decisão própria mas por força da lei 10820/03. Entendam que não é vontade da Previ.

Anônimo disse...

Suspender por 6 meses o desconto do ES. JA!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Dr
Este sobrenome Cachapuz me fez lembrar o memorável Alfeu Cachapuz Baptista, grande figura humana e grande
zagueiro do Internacional da década de 1940, época do famoso Rôlo Compressor
Abraços

Anônimo disse...

Sr. Doutor,,

Desculpa mas com o diretor de seguridade e os indicados pelo bb é tolerância ZERO.

Marcelino Maus disse...

"Anônimo disse...
Alguns colegas ainda não entenderam que a Previ está limitando a MC não por decisão própria mas por força da lei 10820/03. Entendam que não é vontade da Previ.
2 de fevereiro de 2015 12:01"

Anônimo assessor do Dan Marcel:

Se a Previ decidiu adequar-se à Lei 10820/03, TODAS as parcelas de ES de Cooperativas que excederem a MC 30% devem ser excluídas da sua FOPAG.

As Cooperativas que cobrem da forma que conseguirem, por débito em conta, etc.

MESMO que qualquer Assistido queira, a PREVI não pode aceitar EXTRAPOLAÇÃO DA MC 30% COM CONSIGNAÇÃO em Folha de ES que não seja o da PREVI.

Essa é a exigência da Lei 10820/2003, INDEPENDE da vontade do Assistido/Pensionista que queira autorizar essa extrapolação.

Os Benefícios têm caráter ALIMENTAR - que não se altera por seu livre arbítrio.

Alguém, querendo, pode contestar essa imposição da Lei (seria útil).

Rebato desde já:
- o INSS não permite extrapolar a MC 30%.
- porque a Previ poderia ?

Abs.

Anônimo disse...

Quem fizer comentário recomendando consultar alguma publicação, como a Veja, poderia fazer um breve resumo do assunto, para vermos se é de nosso interesse.

Anônimo disse...


Concordo com o colega acima, das 12:01, é assunto morto e enterrado.
Por força dessa "onda" de ações contra a Previ/BB/demais não teve outra saída a não ser andar na Lei.
Está fazendo o que o INSS sempre fez.
Uma vez me disseram que no caso da Cesta Alimentação, quando entrou uma Associação com uma ação coletiva para beneficiar seus milhares de associados,a Previ resolveu agir.
Parece que agora em relação ao ES a estória se repetiu.
Já nem conto mais com esses empréstimos da Previ. É passado.

Valim disse...

Medeiros,

O fisiologismo está entranhado em nossas raízes, devemos sim colocar pessoas capacitadas no cargo, mas principalmente fiéis aos seus compromissos.

Getúlio Vargas foi Ministro da Fazenda sem possuir a expertise para tal e é um exemplo mesmo a balança possuindo dois pratos.

Devemos sim possuir liderança para comandar um país como se comanda uma casa, não achando que o dinheiro é só nosso, e sim da nossa família, ou seja da nossa Pátria comparativamente.

Eu da Chapa 3 neste momento tão particular não aceitaria mais o bônus.

Medeiros, gostaria de público colocar-me à disposição para fazer parte da Cassi contigo. Espero que não me venham disser que eu também queira cargos, pois do contrário vou dizer que querem bônus.

Salvemos a Cassi, quem me garante que não esteja faltando, não vou falar nem em Gestão, fica muito pomposo, vou dizer vigilância, como é o caso das próteses de milhões saindo pelo ralo no SUS.

Fernando Henrique Cardoso, que de Santo não tem nada, como diz Hélio Fernandez, também vendeu a VALE e como o jornalista foi um crime de lesa - pátria.

Vendeu 1000 por um real. O povo amorfo não faz as transformações. Fernando Henrique não quis ensinar ao povo SOCIOLOGIA.
É bom filosofia com NOVEMBRADA com verdadeiro estudo da vida nua e crua, como dizia Nelson Rodrigues.

Como dizia Getúlio: Possuo amigos que não possam ser transformados em inimigos; inimigos que não possam ser transformados em amigos. Linda Filosofia.

Sei que você não gosta de inimigos e sim adversários, não creio que eu seja um homem de índole ruim, mas quem não dá aos "velhos" para mim não é meu adversário. Adversários é meu FLA X FLU de antigamente que se podia ir ao Maracanã com minha irmã e colegas. Até isso nos tiraram, a paz de vermos as estrelas de madrugada.

Lei do desarmamento é velha na História para ficarmos seus reféns. Querem tirar armas até de guardas, é mole ?

Vamos, meu amigo Medeiros, fazer o povo do BB possuir saúde, comida e lazer, possuímos muito dinheiro. Sugiro um cálculo atuarial, se com essas garantias não possuiríamos por 50 anos ou mais o bem estar social e até lá todos já não estaríamos numa melhor, e ainda sobraria dinheiro.

Só vendo e publicado este estudo, daria para uma Banca analisar nem se vendesse meu biscoito maizena..., sem superfaturamento pela expertise.

Valim.


Anônimo disse...

Ao anonimo das 12:01 hs de 02.02: Caro anonimo, a PREVI deveria ter cumprido a lei antes do endividamento dos colegas e não agora com esta ação dos 30%.

Anônimo disse...

Eu concordo com os colegas após salários milionários para os diretores da previ, também penso que não existe interesse em dialogar com aposentados e muito menos pensionistas. Quanto a lei da MC 30% porque deixou endividar os aposentados e num espaço de 1 ano tanto arrocho como fins do bônus, volta das contribuições e agora passando a régua nas margens consignáveis.
Todas considero mudanças radicais porque a maioria dos colegas estão fora do mercado de trabalho e pra que nossas associações com tantas ações na justiça quando todos nós sabemos que muito morrerão bem ações da palavra da justiça e quando é contra a previ ou ao governo eles recorrem. Logo nunca vai existir palavra final.

Medeiros disse...

O Alfeu Cachapuz era nosso parente por adoção. Grande zagueiro, talvez o melhor que o Inter já teve. Tenho gratas recordações dele. Quando técnico do Uruguaiana queria me levar para goleiro do Internacional para substituir o La Paz. Terminei quebrando a mão. E tive que encerrar minha carreira de jogador de futebol precocemente.

Valim disse...

Medeiros,

Até minha ida ao Banco era tricolor roxo juntamente com meu pai. Máquina era o time tricolor, Rivelino, Pintinho, Gerson, Manfrini, Carlos Alberto Torres, Búfalo Gil, Durval,etc.

O saudades de meu pai. O meu e o seu estão numa bem melhor. Com certeza.

Valim.

Alcides Maurício disse...

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Humberto de Luna Freire Filho

Comentários bem fundamentados dão conta de que Henrique Pizzolato foi visto em um restaurante de Montreal (Canadá). A noticia fez com que procuradores entrassem em contato com a Interpol (International Criminal Police Organization).

Porém, oficialmente, a Procuradoria-Geral da República (PGR) tratou o assunto como simples boato. A verdade é que o governo e o Partido dos Trabalhadores (PT) querem Pizzolato longe do Brasil.

Afinal deu muito trabalho e custou muito dinheiro mandá-lo para fora do país, e ainda não será dessa vez que a caixa preta do Banco do Brasil (BB) será aberta, com o retorno do ex-diretor de Marketing do BB, condenado à prisão no processo do Mensalão.


Humberto de Luna Freire Filho é Médico.L