A UNIÃO DA OPOSIÇÃO NA ELEIÇÃO DA PREVI

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Na última eleição, 2014, a oposição veio dividida em tres chapas e a situação apenas com uma.  Durante a campanha e a votação ficou uma pendenga a respeito de qual das chapas era a mais representativa da oposição. Lembram ?  Isso causa um desgaste desnecessário.  Passamos a maior parte do tempo brigando entre nós. 

Todos sabemos que o ideal é a unidade da oposição.  Tarefa difícil, sem dúvida.  E´ preciso diálogo, composição, transigir, abrir mão de cargos, focar na vitória, nos objetivos que se pretendem, nos princípios que são defendidos, nos programas de ação, etc, etc.. Sabido que existem algumas diferenças a ser superadas. E que a fogueira das vaidades também atrapalha.

Nesse cenário, tão turbulento como a tempestade que enfrentei no avião na chegada em Porto Alegre, é preciso discernimento, bom senso e idealismo, pois os tempos atuais estão bicudos, o momento é grave, para não dizer gravíssimo, e não se pode ser leviano nem imprudente nesta hora.

Eu decidi entrar no processo por constatar que os rumos da oposição estavam marchando , mais uma vez, para a divisão de forças, que a busca da unidade e do consenso estava sendo deixada de lado, que os grupos e as lideranças estavam fechados, que de novo estariam em disputa várias chapas ditas de oposição.  E me coloquei a disposição para encontrar um outro caminho, de uma chapa vencedora, composta de todas as forças que querem uma mudança na gestão da Previ, mais voltada para seus verdadeiros donos, que são os participantes.

Estou nessa luta. Procurando conversar com quem está disposto ao diálogo.  Dando e recebendo telefonemas.  Pensando em nomes.  Não descartando o meu próprio, embora reconheça que não tenho o cacife necessário, para que não se diga que não quero participar diretamente dos acontecimentos, já que, reconheço, a suplência foi uma má idéia. Mas a idéia é compor uma chapa realmente vitoriosa, pois só podemos pensar em vencer e vencer. E, se necessário, para esse desiderato, abrirei mão do meu nome em favor de quem tiver mais condições.

O que tenho reparado é que a situação vem forte, liderada, com certeza, pelo atual diretor de seguridade, Marcel Barros, que, segundo dizem, vai tentar a re-eleição, apoiado pela Contraf Cut.  Ao que consta, estão costurando vários apoios e alianças, afora os sindicatos, com as principais entidades e associações do funcionalismo. 

Contra essa chapa poderosa é que a oposição tem que lutar para vencer as eleições, que, em meu entendimento, são as mais importantes de nossa história. E´ agora ou nunca.  E´ questão de vida e morte. O nosso futuro depende desta eleição.

Algumas reuniões estão acontecendo, mas nada está muito claro do lado da oposição, a não ser a declaração do MSU que virá com chapa própria, do Marcos Cordeiro propondo um cadastro positivo de candidatos e da ANAPLABB, do caro amigo Zanella, me dando força em seu blog, o mesmo acontecendo com outro querido amigo, o Adaí, em seu prestigiado blog.  Tudo está sendo feito em surdina, o que não é de estranhar. Faz parte do jogo.

Rezo para que as principais lideranças nossas cheguem a um consenso e que a gente consiga compor uma chapa de oposição unida e poderosa.  Vou continuar me esforçando nesse sentido até o último momento. Faço o que posso. Faço a minha parte. Conto com vocês. Agradeço do fundo do coração todo o apoio que tenho recebido, no blog, por email, por telefonemas, e pessoalmente.

A união é a nossa força.

Vamos que vamos.

28 comentários:

Anônimo disse...

Prezado dr. Medeiros,

Você realmente faz o que tem que ser feito. E´ nosso líder. Esperamos que os outros façam também o papel que esperamos deles.

Mário

Anônimo disse...

Vamos que vamos. Unidos.

Anônimo disse...

Bravos, velho Medeiros. Velho no bom sentido, porque tem garra de menino.

Adelaide

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,

Desculpe a ignorância. Não tenho claro quem é oposição de verdade. Estou fazendo referência aos lobos na pele de cordeiro. São tantos...
Na verdade votamos junto com sua pessoa. Onde direcionar nós iremos

Goulart disse...

Colegas APOSENTADOS E PENSIONISTAS, precisamos nos concientisar que é preciso somente uma chapa para combater a situação pois se tiver mais que duas chapas, os VOTOS FICARÃO DIVIDIDOS E PERDEREMOS NOVAMENTE A ELEIÇAO, e saibam que a situação tem o poder do dinheiro, ou seja, vão enviar malas diretas e papelada para cada um votante... PENSEM NISTO.

Ana Miranda disse...

É isso aí Dr. Medeiros, estamos na luta com o senhor pois nos transmite segurança e confiabilidade, virtudes difíceis de encontrar nos tempos atuais. Como comentou o colega das 10:37 onde direcionar nós iremos.

Anônimo disse...

Estou com quem o Senhor indicar, Dr. Medeiros. Espero que consigamos fazer uma unica chapa para combater a situação.

Ademir Martins disse...

prontos, como sempre, apenas aguardando seu comando e, inclusive, esperando que as oposições
(as verdadeiras) se conscientizem e vejam, que sem união, mais uma vez ficaremos na mesma.
Ademir Medeiros Martins
Bal.Camboriú(SC)

Marcelino Maus disse...

Goulart disse...

ME PREOCUPA AS MENTIRAS que o BB-guloso vai disseminar nos Associados do PREVI FUTURO, que não estão nem um pouco preocupados com o destino da PREVI, muito menos do PB1.

Afinal, os benefícios do PREVI FUTURO é uma enorme incerteza quanto ao zelo dos atuais MARAJÁS PETRALHAS.

As associações de Aposentados precisam conscientizar os ATIVOS a votarem CONTRA os SINICALISTAS, ou seja, os CANDIDATOS do BANCO.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,

Acho difícil, pra não dizer impossível que haja união no nosso meio. A julgar pelo racha que já está acontecendo em um dos movimentos, o que já deve ser do seu conhecimento.
E no meio desse racha, encontra-se um velho conhecido nosso, desagregador de outros carnavais. Aposta sempre no caos. Impressionante a capacidade que algumas pessoas tem de sempre se meter em confusão, seja com quem for. Aliados de ontem viram inimigos de amanhã.
Diante disso, chego a triste conclusão de que é mais fácil os americanos entrarem em acordo com os russos ou Israel se entender com os palestinos do que a nossa categoria marchar unida para uma eleição.

Saudações

tarcisio augusto bulhoes martins disse...

Dr. Medeiros, como dizem aqui por Minas; o mineiro trabalha em silêncio, lambendo o prato pelas beiradas, para chegar com segurança na sustância principal. Assim será com o senhor. VAMOS QUE VAMOS. Aqui em UBERABA/MG, JÁ ESTAMOS TRABALHANDO. Tarcísio.

Marco Orlando disse...

Prezado Medeiros,
Estou também com o você e também com os colegas que forem indicados pela sua pessoa, assim como fiz em relação a chapa 3 e eleições ANABB.
Farei aqui em BH o trabalho de formiguinha nas agencias e contatando administradores de hoje que foram meus subordinados quando eu estava na ativa.
Sugiro a formação de COMITÊS ELEITORAIS nas principais capitais do país para apoio a Chapa do Medeiros. Tais comitês ficariam responsáveis pelas ações de distribuição de panfletos, faixas e visitas as agencias.
Vamos que Vamos!
Marco Antonio Orlando

Anônimo disse...

Prezado Dr. Medeiros,

Trabalhei 32 anos no Banco. Me aposentei em 2005. Tenho acompanhado suas atividades em defesa de nossos interesses, principalmente, quanto aos aspectos jurídicos, já que somos colegas (faço alguns trabalhos nos JECs, Defesa do Consumidor, administração de condomínios etc etc).
Espero que o Sr. me conheça melhor. Não tenho interesse em exercer nenhuma atividade nas associações, apesar de ter sido candidato para o Conselho da ANABB,sem nenhuma pretensão, mas me coloco à disposição para continuar ajudando no que for preciso, já que tenho um grande rol de colegas/amigos.
Precisamos salvar as nossas instituições e o nosso País.
Conte com minha, pequena, mas sincera ajuda !
Forte abraço,
CARLOS GASPARI
Matr. BB 1.823.940-4
OAB-SP 108.950

Obs.: estou utilizando o acesso como Anônimo, porque, ainda, não consegui me inscrever como seguidor de seu blog.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, por favor publique esse comentário.

O silêncio dos bons
O Estado de S. Paulo,
Eliane Cantanhede, 17 Fevereiro 2016 | 03h 00

Na Bancoop, os dirigentes pintaram e bordaram, deixando centenas de famílias a ver navios e tríplex no Guarujá. No Petros (Petrobrás), no Postalis (Correios), na Previ (BB) e na Funcef (CEF), os presidentes e diretores também fizeram a maior farra, deixando milhares de funcionários com uma aposentadoria incerta e uma dívida já estimada em R$ 46 bilhões.
O que uma cooperativa de bancários de São Paulo tem a ver com os fundos de pensão das principais estatais brasileiras? Todas viveram o mesmo aparelhamento, com o mesmo modo de fazer as coisas e personagens que têm origens parecidas: os presidentes da Bancoop e dos fundos de pensão eram do PT, ou indicados pelo partido de Lula, e fizeram carreira em sindicatos. Exemplo: João Vaccari Neto, da Bancoop, ex-tesoureiro do PT e hoje preso na Lava Jato.
É preciso reconstituir essa história e mostrar o que há de tão intrigantemente igual na escolha dos dirigentes, na origem sindical e partidária de cada um, na ausência de limites entre público e privado, na forma invertida de tirar da maioria para favorecer a minoria do poder. Como lembrou o chefe da Casa Civil, o também petista Jaques Wagner, “quem nunca comeu melado, quando come...” A turma encheu a pança.
Há muitos detalhes cruéis nessa trama, mas o principal deles é que os governos passam, os partidos passam, os presidentes dos fundos de pensão passam, mas as vítimas ficam e se tornam vítimas para sempre. Aí, entra uma curiosidade, resvalando para uma cobrança: como tudo isso pôde acontecer, durante tanto tempo, atingindo tanta gente, prejudicando tantas instituições, e ninguém meteu a boca no trombone?

Funcionários do Banco do Brasil, da Petrobrás, dos Correios, da Caixa Econômica Federal são historicamente reconhecidos e admirados por vestirem a camisa e defenderem suas instituições. Por que, depois da posse de Luiz Inácio Lula da Silva, eles passaram a também não ver, não ouvir, não saber e não falar? Um mistério.
Vejamos a Petrobrás. O desastre e o escândalo que marcaram para sempre a história da maior empresa brasileira refletiram diretamente sobre a gestão do fundo de pensão dos funcionários, desenrolando-se dia após dia, semana após semana, anos após anos, à luz do sol, envolvendo bilhões de reais, dólares, euros. E não havia um só diretor, gerente, engenheiro, secretária, telefonista, garçom, servente, motorista, para defender a companhia e impedir que o Titanic afundasse?
A bem da verdade, registro aqui que, em outubro de 2011, dois anos e meio antes do início da Lava Jato, recebi o e-mail de um engenheiro da Petrobrás que, obviamente, assinava com um pseudônimo, “Miamoto Kojuro”: “Causa espanto o que vem acontecendo nas obras de expansão das refinarias e de construção das novas, na verdade, em praticamente todos os empreendimentos que levam o nome Petrobrás”.
Segundo esse engenheiro, “se a corrupção no Ministério dos Transportes chocou a opinião pública, levando a uma pseudo faxina do governo, motivada por denúncias da imprensa, o que acontece na Petrobrás excede em muito as irregularidades dos Transportes”. E acrescentava algo que o juiz Sérgio Moro agora diz claramente: “Notadamente empresas doadoras de campanha para o PT são bem aquinhoadas na Petrobrás. (...) Mesmo que orcem as obras baixo, elas nunca perdem dinheiro mediante os mais diversos expedientes”.

“Kojuro”, se você estiver me lendo, entre em contato, por favor! Aliás, senhores funcionários da Petrobrás e da Petros, do BB e da Previ, da ECT e do Postalis, da CEF e da Funcef, é hora de falar. Além das suas instituições, os atingidos são o País e cada um de vocês. Como ensinou Martin Luther King Jr. (1929-1968), o pior não é o grito dos violentos, corruptos, desonestos e sem caráter. “O que preocupa é o silêncio dos bons.”

jurandir waltrich disse...

A minha preocupação Dr. Medeiros é o baixo quórum de aposentados nas eleições, todos sabemos que os mais idosos nem conseguem operar sozinhos nos caixas eletrônicos, pedem auxilio a parentes, e também existem os que não estão nem ai para o que vai acontecer, precisa uma grande mobilização, porque o pessoal da ativa vem forte com a presença dos sindicalistas.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros

Saude

Pronto ! Já tem inimigo na trincheira. Pode crer!
Questão de estilo! Eh prudente não citar nomes.
Quem não eh visto não eh lembrado
Oposição? Chapa branca? So se for na Franca

Abrs.

Mario D.

Medeiros disse...

Caro Mario D,

Inimigo na trincheira ? Qual ?

Obséquio responder no meu email jbmmedeiros@terra.com.br

Forte abraço

Ademar disse...

Dr.Medeiros,

Conte com o meu apoio. Só estou esperando a confirmação oficial de sua candidatura para intensificar o meu contato com colegas aposentados, embora já esteja alertando-os da importância de sua vitória.

Zé Luiz Castro disse...

Caro Medeiros,
Desde já conte com meu voto, porém acho que a única forma de vencermos, será com a união da oposição. Nesse momento, o essencial é expulsarmos o cordeiro do BB, Marcel e sua turma da Previ, para sempre.

Goulart disse...

Caro e combativo colega Dr. Medeiros, venho solicitar o apoio que o Dr. tem junto a muitos componentes da PREVI, e pedir a PRORROGAÇÃO do ES referente aos meses de MARÇO e ABRIL /2016, uma vez que ira ajudar na recomposição dos salários de grande parte dos aposentados e pensionistas, agradeço o que for possível fazer, agradeço desde já o seu empenho, apesar das grandes barreiras existentes. Conte comigo nesta votação para a Diretoria de Securidade da PREVI, pois a renovação é sempre necessária.

Medeiros disse...

Caro Ademar,

Muito obrigado pelo seu importante apoio, que sempre me desvanece. Conto com teu prestígio aí na região.

Medeiros disse...

Caro Zamprogna

Que bom que você se manifestou. Saudades do querido colega, grande lutador, grande guerreiro, grande papo.

Forte abraço e saúde

Anônimo disse...

Voto pra você e já estou trabalhando por sua candidatura. Vamos que vamos!

Mariano Branquinho disse...

Alô Medeiros, grande baluarte, a chapa do SMU lhe apoia, voto com voce em qualquer circustancia. Abs. Mariano Branquinho J. Pessoa PB

WILSON LUIZ disse...

ELEIÇÕES PREVI – O tempo ruge, o prazo para inscrição de chapas termina no próximo dia 29, falta apenas 11 dias corridos. A situação, como sempre, vem com seus golpes baixos. Primeiro se organiza toda, faz seus conchavos para a eleição, e depois que está preparada, divulga um prazo exíguo para inscrição de chapas. Em se confirmando a candidatura do diretor-traidor Marcel, acho que isto será um grande reforço para a nossa campanha.

Precisamos nos organizar rapidamente, para não perder o trem da história.

Adaí Rosembak disse...

Amigo Medeiros,

Grato pela citação de meu nome em seu comentário.
Tenho recebido vários comentários de apoio a você.
Deixe-me dar-lhe uma sugestão.
Aumente o tamanho dos tipos das palavras. Estão muito pequenas. Podem ensejar a erros de interpretação.
Veja o blog do Ari Zanella. Tipos grandes. Chamam a atenção. As cores também são importantes mas se não quiser chegar a esse ponto tudo bem. Mas aumentar os tipos é fundamental.

Um abração

Adaí Rosembak

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,


Haveria algum inconveniente se comentasse a resposta da Previ à jornalista Catanhêde?

TADEU LUIS O VALENTIM disse...

Sei que as coisas precisam ser feitas de forma silenciosa para não municiar o adversário. Mas as inscrições das chapas às eleições da Previ terminam dia 29/02. Nós, que pretendemos e precisamos de mudanças urgentes na Diretoria de Seguridade, já temos uma chapa unânime e forte o suficiente para ganhar estas eleições? Queremos ir à luta e ditarmos nossos destinos. Podemos ter esperança? Tá tudo muito quieto e indefinido. VAMOS QUE VAMOS, ou não?