PRIVATIZAÇÃO DO BANCO DO BRASIL

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Um Congresso é feito de cenário e bastidores. Às vezes os bastidores superam os holofotes principais. Por isso é preciso ficar atento em tudo o que se passa.

No Congresso da Bolsa em Campos do Jordão me surpreendi com alguns comentários e rumores a respeito do nosso Banco do Brasil, que já julgava superados. Falou-se, de novo, deja vu, na privatização do BB.

Considerando o rombo nas contas públicas, de 40 bilhões, constante do orçamento ontem apresentado, voltaram as discussões a respeito do gigantismo do Estado e da necessidade de fazer caixa mediante a privatização de algumas estatais. Foram as mais citadas a ECT, os Correios, e o Banco do Brasil.

Disseram que não mais existe nenhuma razão para o BB ser estatal, uma empresa de economia mista. O banco não cumpre mais nenhuma função pública. E´ atualmente um banco de mercado. A última finalidade pública do BB era o crédito agrícola.  Agora até a Caixa Econômica Federal está entrando nessa área e superando o BB no atendimento ao pequeno produtor. Então, o Governo Federal estaria cogitando de vender sua participação no BB e assim privatizar o banco. Simples assim. Realizar uma venda a mercado de suas ações no BB.

Seguindo essa linha de raciocínio fica bem mais fácil entender o que está acontecendo com a CASSI. O BB estaria se vendo livre de um penduricalho que prejudicaria a transação.  Transfere os 5,8 bilhões e se vê livre do penduricalho. Quanto à PREVI ,  a tese de alguns a respeito do plano malévolo da retirada de patrocínio certamente ganharia vulto.  Tal tese foi considerada inconcebível há tempos, mas hoje, com a queda da bolsa e outras variáveis que prejudicam o futuro dos fundos de pensão,, começa a fazer sentido também.

Confesso que fui pegado de surpresa com esses rumores, vindos de pessoas bem informadas e gabaritadas, e fiquei estarrecido.  Será mesmo ?  Em 1995, na época do Ximenes e da hora da verdade, escrevi um livreto intitulado: Banco do Brasil, sobrevivência ou privatização ?  O PDV do Ximenes, a engenharia financeira do Caetano, a manobra maquiavélica da apropriação dos recursos da Previ em 1997 armada por João Octávio Noronha, e outras artimanhas, como a estipulação do PLR e mudança do quadro de carreira do BB, com a criação de 40 diretorias, alongaram a sobrevivencia do nosso BB, que virou BB guloso. E consequentemente deixou de ser nosso para ser deles.

E agora ?  Estaremos de novo na encruzilhada ? Verdade que há pouco tempo se falou na mídia de que o Governo pretendia diminuir sua participação no BB, vender um pouco de ações, pois estaria muito concentrado. Mas vender tudo e sair do banco ?  Vender para quem ?  Para o  Bradesco ? O Bradesco do Trabuco e também do Levy ?  E aí como ficam as boquinhas ?

Levanto esse assunto aqui no blog para a reflexão de vocês.  Será que está em marcha uma privatização do BB ?  O que isso nos afeta ?  Que tempos estamos vivendo !  Meu Deus !

48 comentários:

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,

Parabéns por ter levantado essa questão. Há tempos me preocupo com esse tema. Acho que está em marcha. Há muitos interesses em jogo. O BB virou banco de mercado. E da pior espécie. A clientela está desgostosa com o atendimento. O lucro é todo especulativo. Temos que nos preparar para o pior.

Cláudio Almeida disse...

Dr.

O rombo das contas públicas no orçamento de 2016 é uma peça teatral.

Trinta bi em 1 tri e duzentos bi (valor do orçamento/16) é merreca.

O orçamento é de 1,2 tri, 30,5 bi é 0,5% do orçamento.

O rombo deve ser muito maior que 30,5 bi.

Aliás, a política é um teatro.

Por outro lado, a Previ aprovou o ES 13.º, vamos falar disso?

O ES 13.º poderia ser implantado já, com vencimento da primeira

parcela para 20.04.2016.

Os participantes, excluídos do ES normal por falta de margem, têm

acesso ao ES 13.º que não depende de margem.

Solicitei ao Diretor de Seguridade e ao Presidente da Previ a

implantação imediata uma vez que já foi aprovado.

O Dr. pode ajudar.

Abraços

Anônimo disse...

SALVO ENGANO, MAS ACHO QUE AS POSTAGENS RECENTES COM OS SEUS RESPECTIVOS COMENTÁRIOS ESTÃO SAINDO DO FOCO, ACHO QUE ESTÃO ESQUECENDO DOS REAIS PROBLEMAS DOS APOSENTADOS DA PREVI COM ASSUNTOS ALHEIOS QUE NÃO NOS DIZ RESPEITO, VAMOS DESPERTAR GENTE OU MORREREMOS DE INANIÇÃO.

Natal disse...

Em idos longínquos muitos se orgulhavamos do BB e da PREVI. Pessoas bem empregadas e super inteligentes. Gente de conduta ilibada. Também de falava muito dos empregados do Bradesco. Ah! o Bradesco. Sinônimo de exploração e mal remunerar seus "empregados". E HOJE? Quem é Quem ? Ficamos surpreendidos com tais conjecturas. Mas, quem sabe se não seria uma saída para todos os velhinhos trambiqueiros. Somente assim, rapidamente, levantaríamos a bunda do sofá e do Oiapoque ao Chuí teríamos unidade. E pagar pra ver.

João Rossi Neto disse...

Amigo Medeiros,

Sempre com visão de futuro e na vanguarda dos fatos econômicos e sociais. Excelente o seu editorial. Acho que a privatização do BB, mais cedo ou mais tarde, vai acabar acontecendo.

Hoje, realmente o banco está voltado para o mercado e há muito perdeu a sua exclusividade no crédito agrícola, finalidade que servia de sustentá-lo para justificar a sua condição de instituição estatal e, em face disso, o Governo Central poderá, sem prejuízo algum, vender parte ou os 51% das ações do seu portfólio para fazer caixa.

Por ser uma das últimas joias da coroa, bem valorizada e atraente, compradores estarão de prontidão para a aquisição. Sem dúvida alguma, o Bradesco e o Itaú deverão ser os primeiros da fila, especialmente para assumirem a hegemonia no ranking do sistema bancário nacional.

O próprio Ministro da Fazenda antecipou, ontem, que o Governo vai alienar ativos para reequilibrar as suas finanças, partir para as concessões de portos, aeroportos, estradas, etc., políticas que são recomendadas para acelerar o desenvolvimento, cada vez que o Estado se afasta de atividades que não lhe interessam mais, passando-as para o setor privado, parceria que sempre surtiu efeitos altamente positivos, mundo afora, isto é, deixar prevalecer à economia de mercado.

O Governo deve reservar para si as funções reguladoras para conter os abusos e deixar fluir a livre concorrência, a qual, na maioria das vezes, traz benefícios para a população como a melhoria no atendimento, estruturas modernas e adequadas devido ao maior volume de investimentos, geração de empregos e, enfim, o desejado crescimento.

Obviamente, liberando-se de atividades alheias ao seu papel institucional, o Governo, se tiver vontade política, poderá prestar serviços de melhor qualidade em Saúde, Educação e Segurança, segmentos que são da sua exclusiva responsabilidade.

Voltando ao ponto principal, realmente corremos o risco de que havendo a privatização, nós, assistidos pela PREVI, poderemos perder a contribuição patronal de 4,8% que o BB recolhe para os pós-laboral (aposentados), além de deixar de participar da cobertura de eventual déficit do Fundo de Pensão.

Por outro lado, a privatização tem efeito deletério em relação à Resolução 26/2008, pois elimina automaticamente a Reversão de Valores e, por consequência, a meação dos 50% sobre a Reserva Especial.

Anônimo disse...

Medeiros, bom dia!
Este país virou uma piada!INSTABILIDADE em tudo! O que é que se pode esperar de uma nação cognominada pela presidente como "pátria educadora" que não valoriza professores, que não garante aos cidadãos saúde e educação públicas e que não respeita idosos e aposentados?
Que esperança temos de viver uma velhice tranquila. E o que é pior, recorrer a quem? Votar em quem?

Anônimo disse...

Emérito Mestre MEDEIROS:


Caro Mestre: embora ESTEJA INCONDICIONALMENTE com o Sr., para o QUE DER e VIER, pelo BB-GULOSO e pela PREVI, não sei não... Por quê lutar por um banco que. ENGENDROU o TRAUMÁTICO PDV? Por que lutar por um FUNDO que, principalmente nos ÚLTIMOS TEMPOS, só faz PROMESSAS VAZIAS e só PIORA minha SUBSISTÊNCIA, TOLHENDO meus ES? PODEM QUEBRAR! Eu CONSEGUIREI VIVER com os R$ 2.500,00 do INSS e BENDINE, como viverá sem R$ 62.000,00?

Anônimo disse...

Será que o Levy comentaria, em off, alguma coisa sobre esse assunto? Se tiver outro encontro com ele, não perca esta oportunidade!

rafael campagnoli disse...

Privatizar o BB tem tudo a ver! Na verdade o mercado não quer o BB; aliás, esse "bebê" está velho demais! Todos querem mesmo é a PREVI e todas as suas participações! E ela, a Previ, não é como a Nossa Caixa que o BB pagou uma fortuna e recebeu a maior bomba relógio de que se tem notícia em negócios da espécie: O PASSIVO TRABALHISTA! Não tem funcionário da Nossa Caixa que não leva menos que R$400 mil de indenização em ações trabalhistas ... É mamão com açúcar! Para quem comprar a PREVI é justamente o contrário: daqui a alguns anos NÃO TERÁ MAIS NENHUM VELHINHO NO PB1! E o Previ Futuro é uma Brasilprev da vida ... A Cassi? Ora, a Cassi ...

Anônimo disse...

nao vai sobrar nada nem a petrobras, nem o BB nem a caixa.enterraram o pais.

Anônimo disse...

Quem pode me informar ??? Com a privatização do BB com fica o pessoal do PRE-67 ???? Alguém pode informar?????

Jose Roberto Eiras Henriques disse...

Medeiros,

Sua preocupação quanto ao destino da CASSI e a informação de que estão preparando o BB para privatização tem sentido. Vejamos:

Em 2013, através da Resolução MPS/CNPC nº 11 de 13/05/2015 que: Dispõe sobre retirada de patrocínio no âmbito do regime de previdência complementar operado pelas entidades fechadas de previdência complementar e dá outras providências, Diz: Art. 6º A retirada de patrocínio ocorrerá por iniciativa:
I - do patrocinador, o qual deverá notificar a entidade fechada, na pessoa de seu representante legal, apresentando a cor-respondente exposição de motivos".

O BB praticamente já se livrou de suas responsabilidades sobre o Plano de Benefícios 1, da Previ, sem a necessidade de aprovação dos assistidos.

O único entreve que realmente pode dificultar as negociações é o passivo referente à CASSI.

Daí, a intransigência do BB em não abrir mão de repassar os risco atuarial para os associados do CASSI, com o repasse dos R$ 5,83 bilhões provisionados conforme manda a CVM 695.






Anônimo disse...

Na verdade, não me surpreende nem um pouco essa noticia de privatizar o BB. Na gestão do Andrea Calabi, ainda nos tempos de FHC, foi elaborado o projeto com as diretrizes básicas. Aliás, comentava-se no banco na época, que ele só foi para o BB justamente com a finalidade de elaborar esse projeto. Saiu seis meses depois.
Não por acaso, Calabi foi o sucessor de Paulo César Ximenes.
A cama está armada faz tempo, só esperando um Governo que queira deitar nela.

Anônimo disse...

Esse terrorismo que o Governo plantou ontem foi para que o Congresso não derrube o veto do reajuste do judiciário no dia 02.09.
Não vamos sofrer antes do tempo.

Anônimo disse...

Reforçando, 30 bi é o rombo no orçamento. O governo alega que o reajuste do judiciário ficará em 25 bi.
Portanto, o terrorismo do governo é contra os servidores do judiciário e MPU.
Mas quem gosta de sofrer por antecipação...

Anônimo disse...

Temos que sofrer no tempo exato.
Como está sendo a proposta do Banco para a Cassi?
Quer ficar ou quer sair?
E a regulamentação da Retirada de Patrocinio já está implementada.
Pelos relatos e comentários, o tempo de sofrimento de muitos assistidos na Previ já começou.
Esse é o tempo certo para pensar na Retirada de Patrocinio, na saída da Cassi e o que fazer.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros

Saude!

Juntando os CACOS de pensamentos novos e antigos|

Teremos a união total de ativos e aposentados ? Acho
que sim
O governo permitiria a venda total para o capital estrangeiro?

Acho que nao

Seria a Previ uma poderosa compradora ? Sem trairas, acho que

sim

Poderia assim , a própria Previ abrir o capital e concorrer
no mercado com igual forca? Afinal como se procederia o seu
fim depois do ultimo ASSISTIDO?
Poderia a Previ no futuro acolher a Cassi, comprar hospitais
quebrados e investir neles? Afinal quem quebrou foi o SUS,
os hospitais são vitimas do governo.
Os chineses sempre falam de crise vinculadas a oportunidades.

AO FIM E CABO ! PENSAR NAO DOI. EH SO PENSAR!

Abrs.

Mario D.

Anônimo disse...

Muito oportuno, como sempre, o artigo do Dr. Medeiros.
Cabe lembrar que é princípio de administração de empresas de que estas sucumbem quando deixam de atender os anseios e interesses da comunidade a que servem.
E o Banco do Brasil faz muito tempo que não serve a um de seus propósitos basilares: desenvolver a economia das regiões, principalmente as mais distantes.
Por mim ele já deveria ter sido privatizado na época de FHC, desde que sem compra obrigatória de ações pela PREVI.

Anônimo disse...

Pensando bem quem diz que não há mais razão para o BB ser controlado pelo governo está coberto de razão. Há muito as funções de Estado deixaram de fazer parte do cardápio do Banco. A questão toda é quem vai querer pagar o que ele vale? Quem sabe a PREVI passe a controlar o Banco e se devolva aos funcionários o controle da Previ? Talvez aí existisse uma luz no fim do túnel para nós.

Jair Mário Bork disse...

AO ANÔNIMO DAS 14:27

Também sou pré/67. No meu entender , em caso de privatização do BB quem adquirir o controle acionário será também responsável pelo passivo trabalhista, ou seja, arcará com a aposentadoria dos pré/67, s.m.j.

Anônimo disse...

1 de setembro de 2015 19:18

Recursos para comprar o controle do BB nos temos.
Falta é saber se conseguiremos dirigi-lo por profissionais competentes contratados no mercado, sem a interferência do PT e/ou do (des)governo federal.
De outro lado não nos esqueçamos que muitos ovos seriam colocados em uma mesma cesta.
E, se der zebra, estaremos definitivamente "ferrados".

Anônimo disse...

A Previ comprando o Banco ?
Fundo de pensão abrindo capital ?
Privatizando o Banco, vem a retirada de patrocínio e a retirada da Cassi.
Para poder ser privatizado, abriria o Banco mão de sua meação (res. 26) ?
Se "ficarmos" (a Previ) com 100% do patrimônio e reduzirmos as despesas administrativas, principalmente a mão de obra de altíssimo custo, que tal ?
Para as duas primeiras perguntas : Meu Deus ! como diria Dr. Medeiros.

Anônimo disse...

Colegas,

Quando se está na m...a tem-se alucinações quanto ao destino a ser dado aos nossos capitais, poupados em contribuições por décadas, anos a fio.
Temos que ser sensatos e não jogar ideias mirabolantes, repentinas, que vem ao nosso pensamento.
A situação tem que ser estudada, amadurecida, muito mais porque estamos IDOSOS, não mortos para a vida.
Estudemos as alternativas e com muita seriedade, sem desespero, apesar da dramática situação em que vivemos, à mercê de administradores comprometidos com OS DESMANDOS correntes, SALVO MELHOR JUÍZO.
Vamos lá mentes privilegiadas, que fizeram o BB grandioso em outros tempos, sugiram situações realistas.

Anônimo disse...

Nós bancários colocamos o PT no Governo e estamos hoje colhendo os frutos cada dia pior na vida de todo Brasileiro e imaginem os aposentados que nem sindicato tem e muita gente que era considerado muito importante para as empresas. Quando agente vê isso em nossas vidas do dia a dia e do outro lado sindicalistas tudo rico cada vez mais viajando pra lá e pra cá fazendo tantas promessas e ainda tem muitos coitados acreditando.
Minha gente não esperem por milagres, porque para tirar nosso otimismo eles sempre inventam uma nova crise e o que não falta é cabo eleitoral.

Anônimo disse...

Acho que os nobres colegas, estão nadando na maionese, isso tudo não passa de "bode na sala", vamos nos focar no que precisamos, 7% de antecipação, ES 180 x180, ou outra variante. Portanto vamos nos preocupar quando for acontecer. Desculpem se estou errado. O assunto da Cassi é outro tema, que já ia esquecendo.

Anônimo disse...

Medeiros,
Se acontecer isto, nao seria viável a Previ assumir a administraçao da Cassi?

Medeiros disse...

Colega,

Tem assuntos e assuntos. Eu não me desligo dos imediatos, daqueles do cotidiano, daqueles que nos afetam no dia a dia, e, se obtidos, poderiam melhorar nossa vida, como o ES, a CAssi, o adiantamento, etc. Mas a raiz das nossas preocupações e soluções está no BB, patrocinador e empregador nosso. De acordo com o andor do BB andam as nossas demandas. Se não atacarmos na base, não faremos gol. O máximo que conseguiremos é atirar a lateral. Desculpem a franqueza. Esse tema da privatização é por demais importante. Creiam. Por causa dele é que me candidatei nas eleições da ANABB para o CD.

Anônimo disse...

O assunto Cassi é pertinente.
Mas o assunto que rolou nesse congresso da bolsa de valores é redundante. Papagaiada.
E os 7%?
Quais as melhorias para o ES?
Isso interessa.

Anônimo disse...

Creio que não há clima político no momento para se falar em privatização do BB. Seria mais um desgaste para Dilma, além do que também colocaria o pessoal da CEF de orelha em pé. Lembre-se que no início do 2º mandato, Dilma sinalizou abertura de capital da CEF e foi duramente criticada e a ideia acabou abortada.
Além disso, há a questão do passivo trabalhista do BB, que é muito alto. Ainda correm pelos tribunais Brasil afora ações de equiparação com o Bacen, ajuizadas por vários sindicatos regionais. Creio que elas teriam que ser extintas antes de se dar início ao processo de privatização.
Por outro lado, a privatização do BB não é uma lenda e pode acontecer no futuro.
Analisando o momento atual, estamos em época de CPI dos fundos de pensão. Há muitas reivindicações vindas dos associados por melhorias no ES, adiantamento de reajuste, demandas judicias da cesta alimentação, Cassi, etc. E também não podemos esquecer que os funcionários da ativa estão em campanha salarial da data-base da categoria. Por tudo isso faz sentido pensar que esta discussão de privatização tenha surgido como cortina de fumaça.
O Governo Dilma está muito desnorteado, atira para todos os lados, corre risco de rejeição das contas de campanha, pedaladas fiscais, queda de popularidade, em crise econômica e política.
Enfim, tudo pode acontecer.
O Dr. Medeiros coloca o tema na mesa justamente para ser debatido e analisado.
Ninguém pode afirmar que haverá privatização ou que não haverá privatização.
O momento é delicado e totalmente fora do nosso controle. Há muitos agentes e variáveis externas atuando.
Daí a necessidade refletirmos sobre tudo o que acontece, tanto no nosso quintal, como fora dele.

Fernando disse...

Medeiros, tens razão. Aquela estória que "tiraram o bode da sala", pra nós não serve. São vários bodes juntos. Teremos que torcer para sair o pior. (o mais maléfico para nós). Força Medeirão.

Anônimo disse...

Sobre a mensagem do Dr. Medeiros das 14:29, gostaria de saber qual seria sua força como membro do CD da ANABB, para chegar a evitar/influenciar uma possível privatização do BB?

Wanderley

Medeiros disse...

Colegas,

A ANABB é nossa maior entidade. Tem força. Acreditem. Esse assunto mexeu numa ferida profunda. Está dando o que falar. Vamos examina-lo com calma.

Anônimo disse...

Amanhã é o depoimento do Gueitiro na CPI. O pessoal de Brtasilia está se organizando para municiar os deputados. Mas o Presidente vai sair pela tangente. Vai dizer que recém assumiu. Voces vão ver. Vai dizer que não sabe nada, não viu nada, não ouviu nada.

Newton

Anônimo disse...

Que decepção com o Gueitiro. Falou que a gente era dono da Previ e parou por aí.

Terezinha - RS

Aristophanes disse...

Prezados Medeiros e demais colegas
Muito oportuna e necessária a discussão dessa matéria. Entendo que o processo de privatização do Banco do Brasil já vem de muito tempo atrás, naquele ritmo “lento e gradual”, em movimentos de “sístole e diástole”, com algumas arritmias.
As raízes técnicas e teóricas do processo remontam à reforma do Sistema Financeiro Nacional, embasada na Lei 4.595/65 e na opção do Brasil de se inserir na Economia de Mercado. O processo adquiriu mais consistência e determinação no Governo FHC... mas, aí, veio o PT, para zerar tudo e reforçar e ampliar a máquina do Estado centralista e aparelhado. Para tanto se valeu de renomadas e ousadas inteligências e de versáteis instrumentos e técnicas modernas de manipulação do Poder, de que são mais nítidos exemplos o “Mensalão” e o “Petrolão”.
Felizmente, a operação petista deu com os burros n´agua e está padecendo as dores do próprio veneno, além de legar-nos um Brasil de terra arrasada, cuja reconstrução já começa a ser alinhavada, democraticamente. Espero que nos cobrando, somente, “suor e lágrimas”, sem “os exércitos” e “as armas”, nas ruas.
O Banco do Brasil – como já falaram, acima, atentos colegas, com muito conhecimento e consciência – será, naturalmente, a “bola 7” de um amplo processo de desmonte do megalômano e hipertrofiado Estado Brasileiro, fonte natural da corrupção, ineficiência e politicagem.
Seremos, necessariamente, PARTE INTERESSADA nesse negócio(qualquer que seja o formato), que afeta, sensivelmente, a Previ e a Cassi. TEMOS QUE NOS UNIR E NOS ESTRUTURAR, COM MUITA COMPETÊNCIA E DESPRENDIMENTO, PARA PARTICIPAR, ATIVAMENTE, DESSA ALIENAÇÃO, POIS UMA PARTE DESSE PATRIMÔNIO É, LEGITIMA E LEGALMENTE, NOSSA, NA DIMENSÃO NECESSÁRIA E SUFICIENTE PARA A SUSTENTAÇÃO, COM DIGNIDADE, DE NOSSOS RESTOS DE VIDA E DOS DEPENDENTES.
No plano, não menos importante, dos INTERESSES NACIONAIS, trata-se de uma ALIENAÇÃO PERIGOSA, porquanto, em nosso país, onde se desenvolveu um dos sistemas bancários mais modernos do mundo, de alta eficiência operacional e exuberante lucratividade, registram-se, todavia, graves e perniciosas distorções, que PODEM SER AGRAVADAS: oligopólio, concentração espacial e hipertrofia. Menos de 10 organizações(públicas, privadas e estrangeiras), sediadas com seus centros de decisões no Sudeste, controlam 80% do mercado!
É bronca! Quem viver verá. Parabéns, Dr. Medeiros, pela oportuna "delação". Aristophanes Pereira

Anônimo disse...

Não acredito da privatização do BB. Essa conversa vai e volta a mais de 40 anos, é muito difícil que se concretize, mas para nós , só iria piorar o que já está péssimo.

Anônimo disse...

vai defender o dele meu..... Anônimo disse...
Que decepção com o Gueitiro. Falou que a gente era dono da Previ e parou por aí.

Terezinha - RS

2 de setembro de 2015 17:23

Anônimo disse...

tb acho q eh bode mas dilma jah estah vendendo a mae p conseguir dinheiro.o Brasil estah afundadinho da silva................

Anônimo disse...

Parabéns Dr. CLÁUDIO BALDINI MACIEL, pelo seu brilhante e ético pronunciamento na Audiência Pública (https://www.youtube.com/watch?v=UFND2lZW1v4). Vale muito a pena ouvir, mais de uma vez.

Anônimo disse...

Emérito Mestre MEDEIROS:


Nesse PAÍS VARONIL, de TURBULÊNCIAS MIL, a MÍDIA a todo o momento está trombeteando que o Ministro JOAQUIM LEVY está DESPRESTIGIADO. A QUEM INTERESSA O SEU ENFRAQUECIMENTO? Para o país, É MELHOR ou PIOR A SUA SAÍDA?

Anônimo disse...

Se o banco for privatizado, isso será mais uma facada nas costas do funcionalismo do BB. O PT foi eleito pelos funcis das empresas estatais, contando com a garantia de que o PT nunca privatizaria as empresas estatais.

Como não acredito mais no ser humano, não fico chocada com mais nada.

Anônimo disse...

Nunca houve ditado mais certo do que este: casa onde f alta pão, todo mundo grita e ninguém tem razão.

Anônimo disse...

Nada dura para sempre. Hoje, o papel do Banco do Brasil como empresa com maioria acionária do governo é desnecessária, e, mais, ruim para o País. O BB cumpriu seu papel e não há mais porque ser um banco do governo. É uma das causas do rombo das contas públicas, devido aos salários acima do mercado. O custo é enorme e deveria, de pronto, ser passado inteiramente para a iniciativa privada.

Anônimo disse...


Cada um de nós tem seu pensamento. Eu não sou mais funcionário desse Banco desfigurado. Mais cedo ou mais tarde será vendido para fazer caixa.
Do jeito que administram esse País vai tudo pro saco. Isso é que nem filho que vai botando fora o que herdou dos pais para sustentar sua farra.

Unknown disse...

A maioria dos empregados do BB ainda continua OBINUBILADA. Acredita que esse governo é mais ético e "mais" ESTADO que os outros. Bobos! Acordem-se dessa letargia eterna porque o buraco é mais embaixo. Alguns alegam que é um governo em DISPUTA. Prefiro dizer que esse governo é apenas o sufixo. Se a real intenção não for entregar o BB para o Bradesco de Levy é Trabucco, existe uma segunda intenção: entregar o BB para outro qualquer para permitir que os PRIVADOS voem eternamente em céu de brigadeiro desse, sim, Sistema Financeiro em disputa. Bobo também será quem acreditar que Levy deixará o Ministério. Levy só sairá desse governo entreguista quando tiver a certeza de que a cartilha LIBERAL esteja em pleno vigor e sem possibilidades para o "retrocesso". Viva o PT e toda a sua trupe (#sqn) que neoliberalizou o Brasil muito mais que se leberalizou lá pelas terras da Rainha Elizabeth pelas vias das mãos e ideias da madame de ferro, Margareth Thatcher.

Anônimo disse...

Acho muito difícil o bb ser privatizado, lembro de várias campanhas que o Pt ganhou insinuando que os adversários iriam privatizalo. Até mesmo o psdb nega veemente que isso nao É verdade, botem uma coisa na cabeça, nenhum político tem coragem de vendê-lo, independente de ter um apelo social ou não.

Unknown disse...

Me parece que as coisas estão indo para esse caminho.

Anônimo disse...

Estou me preparando para o concurso do Banco do Brasil. Com uma possível privatização, quais seriam as consequências para os empregados e para os que cogitam trabalhar no banco?