DIA DA AMARGURA

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Hoje, dia 20 de janeiro de 2014, devia ser decretado o dia da AMARGURA para os aposentados e pensionistas do BANCO DO BRASIL.

Nesta data estamos perdendo uma quarta parte de nossos proventos mensais, por conta de um déficit de cerca de quatro bilhões de reais nas contas da PREVI, no exercício de 2013.

Nossos espelhos emagreceram, nossa disponibilidade financeira diminuiu, nossa insegurança aumentou, nossa indignação é incomensurável.

Recebi na sexta feira, dia 17, correspondência da Previ avisando do desastre.  Diversos colegas foram surpreendidos com a notícia.  Há anos não procuravam nem queriam saber nada a respeito do que se passava no fundo de pensão.

A gestão dos recursos do malfadado exercício merece uma análise cuidadosa.  Há quem fale em gestão temerária.  Outros condenam a fragilidade de dirigentes oriundos da Contraf/Cut, que integram a base do atual governo petista e se curvam aos interesses do patrocinador BB. Gestores que talvez perderam tempo e o foco em se dedicar à aprovação do teto de 45.000 para os dirigentes estatutários em vez de procurar rendimentos melhores para os investimentos.

Henrique Pizzolato era oriundo da ala sindical.  Está foragido.  Noticia-se que teria sido descoberto na Suiça uma conta de quase dois milhões de euros. Como amealhou essa fortuna ?

A Contraf/Cut acaba de dar emprego a Delubio Soares, ex tesoureiro, igualmente condenado no mensalão.

Uma vez assisti os dois jantando num restaurante de São Paulo.

Da Contraf/Cut são os diretores Paulo Assunção e Marcel Barros, cuja gestão na PREVI tem sido muito criticada.

Agora se comenta que para as eleições deste ano a Contraf/Cut está, de novo, se articulando para continuar exercendo seu poder na CASSI e na PREVI.

E nesse contexto a oposição não consegue se unir, muito pelo contrário.  Os caprichos e os interesses escusos são superiores a qualquer providência de aglutinação. As críticas e as desinformações são frequentes e maldosas. Eu já estou quase desistindo. A bordoada que dói não é a frontal, mas a que vem pelo lado e por trás.

O dia de hoje, o dia da amargura, pode ser também o dia da reação, o dia da indignação, o dia do nojo.

Mas pode ser também um aviso. Pode ser o dia do início do fim.  Para mudar essa história é preciso mudar também a nossa mentalidade,  o rancor,  as diferenças, as invejas, o desamor, as críticas, as mentiras.

O blog hoje está de luto e amargo. Consequencia das perdas.

66 comentários:

Anônimo disse...

Pois é!

No ano passado recebemos em torno de 3% apenas. Agora recebemos um percentual de 5,56% - 25% = (-)19,44.

Isso significa que em 24 meses recebemos: 3% + (-)19,44= -16,44%

Como podemos ver, nos últimos 24 meses tivemos um percentual de redução de 16,44% em nossos proventos proventos. Inédito!

Dá pra sobreviver?

Os atuais diretores da Previ já fizeram história (NEGATIVA).

José Humberto disse...

Prezado Medeiros. Por favor, mantenha-se firme como você sempre o foi. Haveremos de conseguir a união dos que trabalham honestamente. Milhares de aposentados dependem da sua liderança. Até hoje, muitos se mantiveram alheios aos acontecimentos na Previ pois acreditavam que esta nossa Instituição era inatacável. Era...., até que chegaram os que estão aí, trabalhando em causa própria e tutelados por um partido político. Vejam os jornais de ontem e conheçam o que este partido está fazendo com cerca de 70 fundos de pensão. Medeiros, reitero, não desistas. Que Deus nos ajude.

Anônimo disse...

Colegas, vejam o que o PT está fazendo com os fundos de pensão do país! Eles descobriram o mapa da da mina! O Pizolatto fez escola!


Anônimo disse...

"Mais de 70 fundos de pensão de empresas estatais e de prefeituras de todo o país correm o risco de perder a maior parte dos R$ 2,7 bilhões que investiram na compra de papéis lastreados por empréstimos originados no Banco BVA, em processo de liquidação desde agosto.

O investimento dessas entidades nesse tipo de papel é o dobro do que era conhecido até agora, segundo levantamentos feitos depois que a instituição passou à tutela do Banco Central e aos quais a Folha teve acesso.

Entre os bancos pequenos e médios, o BVA foi um dos que mais atraiu os fundos de pensão. As entidades o ajudaram a ter um crescimento relâmpago. Em seis anos, seus ativos aumentaram 17 vezes: de R$ 430 milhões, em junho de 2006, para R$ 8 bilhões, em junho de 2012."

Ari, será que estaria em operações desse tipo a dificuldade da PREVI fechar 2013? Precisamos nos precaver, precisamos fazer alguma coisa. Precisamos botar gente de confiança lá dentro. Celio
19/01/14 15:12

Anônimo disse...

Acho que a questão do edividamento é a mais preemente. As consequências, que poderão ser até desastrosas, começaram a partir de hoje, que realmente caiu a ficha.
As nossas associações precisam ajudar seus filiados.

Anônimo disse...

Vi na resenha funcionários de hoje que a Sra Isa Musa é contra a desfiliação em massa tanto de Anabb como de Aafbb. Logo, defende ambas associações. Da Anabb não espero nada desde o famigerado episódio do dos 30% do IGP-DI, quando ela ficou convenientemente sobre o muro e da Aafbb também não vejo nada muito claro. Certamente ela também defende a candidatura de quem sempre esteve no poder e nunca fez nada pelos aposentados, tipo Cecília. Francamente! Estamos ferrados, melhor ir pescar até que nos tiram tudo. Melhor só do que mal representado!!!

Anônimo disse...

LUTO geral , eqto os maarajas estão com os bolsos cheios. affff.
Cuidado com os rolezinhos no Mourisco. Hoje estão de folga.Canalhas

Anônimo disse...

Estamos pagando o prêço de nossa indiferença e falta de engajamento na luta pelos nossos direitos. Infelizmente o funcionário do BB se achava (talvez ainda se ache) detentor de um pseudo estato, visto que nunca se intitulou BANCÁRIO e sim FUNCIONÁRIO DO BANCO DO BRASIL. Para completar, fazemos parte de uma Associação (ANABB) que nunca se dignou entrar com qualquer Ação contra o BB e PREVI. O que os seus diretores fazem por nós? Nada. E com a montanha de dinheiro das nossas contribuições? As eleições se aproximam (Cassi e Previ)e os mesmos carreiristas se apresentarão com suas mirabolantes promessas de campanha e continuarão merecendo os votos dos indiferentes. Que pena.ILTON GOMES NATAL-RN

djpga disse...

Eu acho que já passou da hora de reclamar, xingar e ficar relembrando o que perdemos. Todos sabemos o que perdemos e o que ainda podemos perder. Então, o que nos resta agora é lutar, lutar netas eleições, eleger quem realmente se preocupa com nosso patrimônio. Eu apoio o Medeiros e quem ele apoiar, se for mais uma decepção, veremos no futuro. O que não podemos e fazer o que eles(atual diretoria)querem: ficar lamentando e brigando entre nós para ver quem vai ser o candidato. Por favor né, já estamos bem grandinhos, e este tipo de "picuinha" é coisa de "gentinha". Temos que nos unir e não desunir. Mais uma vez digo ao nosso amigo Dr Medeiros: Você tem capacidade e conhece bem a política deles, vamos encará-los com firmeza e união, estamos com você.

Anônimo disse...

A estratégia do PT para os fundos de pensão de empresas públicas é altamente suicida e totalmente temerária.
Direcionam parte do patrimônio do fundo para investimentos de alto risco a fim de gerar recursos excedentes que são desviados para abastecer o caixa do Partido. Ou seja, calculam o que é necessário para manter as reserva matemática e o que sobra vai para financiar campanhas petistas.
Só esquecem da regra fundamental de todo investimento: Quanto maior o lucro, maior o risco.
E eis que várias "apostas" da Diretoria da Previ simplesmente ruíram em 2013, caso das empresas X de Eike Batista, não por acaso "afilhado financeiro" de Lula.
Feito o estrago, calaram-se durante um tempo, deixando vazar aqui e ali boatos do fim do BET, mas sem confirmação oficial, que se deu apenas na virada do ano de forma fulminante, pois pegou a todos com despesas de fim de ano(natal, etc) que agora se juntam com as do início de ano(Iptu, IPVA, material escolar, etc).
Escolheram a pior época para anunciar o fim do benefício, e fizeram de propósito, para deixar todos com baixa estima e prostados diante da triste realidade.
Foram desonestos e cruéis. Mas o deles está garantido. O que se perdeu nessas aventuras desvairadas da Previ foi a nossa parte. E apenas para não correr o risco de intervenção, devem maquiar o balanço para "mostrar" que as reservas estão "intactas".
Mas o fato é que a PREVI perdeu muito, mas muito dinheiro em 2013.

Anônimo disse...

Medeiros, força, amigo, quem trabalha e faz está sujeito a essas intempéries do caminho.

Vamos firmes em frente, apesar das amarguras.

Entre em qualquer chapa,meu voto é seu.
Lydio

Anônimo disse...

Grande parte dos aposentados irá viver até março por conta da suspensão do ES e da dilatação do prazo de 60 para 72 parcelas da Cooperforte, e depois...como vamos viver com reajuste negativo é que não dá, cfe. colega das 12:29 comentou.

As sugestões que a Sra Isa Musa pediu, como estão? Nem para quem já verteu mais de 360 contribuições para Previ, nem para estes as contribuições vão ser suspensas.

Anônimo disse...

Medeiros, realmente o dia D é hoje, dia do tsunami, dia que muitos que estavam "deitados em berço esplêndido" sentiram que não é bem assim. Falando de tsunami, podemos citar 2 tipos: um mais leve, que deixa desabrigados e causa uma gritaria geral. O outro mais forte, que deixa feridos. Neste segundo caso há um silêncio sombrio, só se houve a sirene das ambulâncias.
Trazendo para nossa situação, há um mutismo no ar, poucos reclamam, sombras pairam sobre o futuro dos aposentados, há muitas dúvidas. Será que podemos ser enquadrados no segundo tipo? E a pergunta que fica: o que podemos fazer para que um novo tsunami não venha a ocorrer? E olha que, no meu entendimento, a verdadeira paulada ocorrerá em maio, com o retorno das prestações do ES. Ou seja, 2014 poderá se tornar um dos piores anos da vida de muitos. Mais do nunca, é mister que algo seja feito. Celio

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, os desafios são grandes, os inimigos e falsos amigos são difíceis, mas as grandes batalhas da visa são assim mesmo.
Sabes que tem muitos seguidores dispostos a apoia-lo.
Não desista, vamos que vamos...

Grande abraço.

Anônimo disse...

Dr.Medeiros, é verdade que existe um video do Marcel,afirmando mais redução para quem requereu Renda Média Inicial e pgto. das custas?É pra acabar!!!.Informe alguma coisa.Não recebi a carta do dia 17 da previ sobre o fim do Bet.Também eu tenho café do bule! edmílson em januária mg.

Anônimo disse...

E depois desse tsumani todo, a PREVI irá continuar com as notinhas no site, de como evitar endividamento, ensinar a se planejar financeiramente. Isto tudo é muito bom Dr. Medeiros, planejamento, mas para quem vai ganhar R$ 45.000,00 e não para quem recebeu um líquido de R$ 1.900,00 como eu. Dr. o Sr. me desculpa, eu quero que a PREVI exploda e a camarilha junta, ainda bem que dei estudo para os três filhos, e qualquer coisa que aconteça, não ficarei desamparado. Abraços e não desista das eleições.

Anônimo disse...

Foram dadas inúmeras sugestões para a continuação do pagamento do Bet, mas não sabemos se acatadas, por ex.: as liminares tanto sugeridas, entretanto nenhuma noticia tivemos sobre isso. Assim não adianta muito lamentar as amarguras.

Anônimo disse...

Dr.
Antigamente o governo utilizou o INSS para construir Itaipu, mas o INSS é garantido pelo governo.
Agora este governo que aí está utiliza os fundos de pensão para fazer infraestrutura, mas a garantia e a remuneração como é que ficam?
Abraços

Anônimo disse...

Buenas!
Como em todo o nosso país, onde tem algum dinheiro, a petralhada se instalou, como erva de passarinho e vai sugando tudo.
Vão quebrar a PREVI.....
Agora, esta tua notícia de que não se consegue aglutinar forças, por disputada vaidades, e de cair os butiás do bolso.
Velho sim, mas burro não...
Oooooo Medeiros.
Larga de mão esta turma de encostados, e vai cuidar da tua vida, de teus afazeres e principalmente de tua saúde.
Esta situação nem aquela ovelha no meio de cinquenta cachorros, que dizia, "não ta morto quem peleia", segurava.
"Consummatum est"!
"Ordo ab Chao" ficou impossível

Rovere


Anônimo disse...

É Dr. Medeiros, desde 2008 que eu encontro alguns colegas aposentados e nos pequenos minutos de papo falava que eu temia o destino da PREVI. Todos, não estou exagerando: TODOS, me diziam que eu estava vendo pelo em casca de ovo. Desde que saiu a extinção do BET e a volta da contribuição no início de janeiro não encontrei nenhum deles. Mas logo vou encontrar. Quero ver o que eles vão dizer. Acho que devem ter sentindo a diferença no que vão ter para passar do dia 20 de janeiro a 19 de fevereiro.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,

Diz um ditado antigo que contra a força não há resistência. Penso que nossos apelos às associações, à própria Previ e ao Banco de nada vão adiantar para nós, o atual partido político no Governo montou estruturas difíceis de combater, nós realmente estamos imobilizados por medidas que foram tomadas para dificultar ao máximo qualquer tentativa de resistência. Resta-nos apenas as leis, elas existem e os especialistas como você devem procurar as brechas existentes para a recuperação dos nossos direitos cerceados pela cúpula governamental. A nossa Previ e o BB estão sendo utilizados como massa de manobra política para obter vantagens de mando, vantagens estas que colidem com os nossos direitos e causam prejuízos para os nossos interesses. Não falo só dos últimos acontecimentos, como a interrupção do BET e a volta das contribuições, mas do risco que correm as nossas aposentadorias, a permanecer a situação atual, em que o corpo social não tem nenhum poder, desde a mudança dos estatutos pelo interventor. A nossa luta deve ser direcionada para a recuperação dos nossos direitos, a Previ não pode ser utilizada politicamente e administrada por interesses que não se coadunam com os nossos direitos. Peço encarecidamente que não desista, que utilize toda a sua experiência, conhecimento jurídico e contatos pessoais, a fim de que se encontrem caminhos para a defesa dos nossos interesses. Tenho 72 anos e sei perfeitamente que a sua idade também pesa e, em alguns momentos, bate aquele desânimo, mas rogo a DEUS que o abençoe e ilumine nesta luta. Abraços.

Anônimo disse...

Dilma vai a Davos pela primeira vez para atrair investidores. O país tá voltando ao status de 10 anos atrás(exportando commodities e mão-de-obra).
A economia americana já está se recuperando e européia deve seguir o mesmo caminho.
Por isso começo a concordar com o fim do BET e a volta das contribuições.
Pra manter garantido o que temos (até quando eu não sei).
A Dilma e o Mantega fracassaram.
O Brasil tá ladeira abaixo.
Haja Copa!!!

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, quem sabe faz a hora. Entre em contato com Ari Zanella Cecilia Garcez, Isa Musa, João Rossi e façam a chapa vocês. Não esperem nada. Multidão nos leva de um lado para o outro. Foquem na meta e vão em frente. Com as pessoas que apoiam todos vocês chegamos lá. A hora é essa doutor. Eu acredito.

abraços

claudia do rio

Anônimo disse...

Grande lutador Medeiros, sei muito bem como te sentes, porque dia destes pensando em toda esta sacanagem que estão fazendo conosco desde o dia que deram metade do BET não mãos do Banco e resolveram nos dar o resto a conta-gotas e ainda por cima suspendem este extra em pleno começo de ano, quando estamos lotados de todas as contas possíveis. Infelizmente temo que o pior ainda esta por vir, pois no mês de maio é que veremos a grande realidade dos nossos proventos há muito devasados, e a inflação esta de volta, os juros estão novamente altíssimos.
Se tem colegas tranquilos, que vivem bem, sem empréstimos, fico muito feliz, que continuem assim, mas não tentem se colocar no lugar dos que não conseguiram por qualquer situação de vida estar com esta tranquilidade.
Porque do jeito que a coisa vai indo na Previ e neste Pais, em breve os endividados serão a grande maioria.
MAIO esta logo ALI, vai ser o ESTOURO DA BOIADA, como dizia meu saudoso avo.

Viana

Anônimo disse...

Notícias da Previdência
O Estado de S.Paulo-19.01 (20/01/2014)
Fundos de pensão terão de reavaliar as reservas

Informou-se, na semana passada, que em 2013 as entidades abertas de previdência privada enfrentaram graves dificuldades para gerir o patrimônio dos participantes dos seus planos. Na última sexta-feira, um balanço dos fundos de pensão - ou seja, das entidades fechadas de previdência privada, patrocinadas, em geral, pelas grandes empresas instaladas no Brasil - mostrou situação bastante semelhante.
Entre dezembro de 2012 e junho de 2013, segundo a Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Privada (Abrapp), de uma mostra de 233 fundos de pensão, quase triplicou (de 33 para 98) o número dos que registraram déficit atuarial.
E, segundo a Secretaria de Previdência Complementar (Previc), em setembro o saldo negativo dos fundos, nos primeiros nove meses de 2013, já atingia R$ 24 bilhões, 167% mais do que o apurado em dezembro de 2012, de R$ 9 bilhões.
Como o desequilíbrio representa 3,6% do patrimônio dos fundos, da ordem de R$ 670 bilhões, segundo o jornal Valor, os dirigentes das fundações entendem que a situação não é alarmante. Mas exige providências.
Os fundos de pensão administram recursos de mais de 3 milhões de famílias. Pouco mais de 20% dos participantes já recebem benefícios. Os administradores dos fundos têm metas atuariais a cumprir - as carteiras devem ter rentabilidade mínima suficiente para que o fundo possa pagar todos os compromissos assumidos com todos os participantes. Em 2010 e 2012, a meta atuarial foi, em média, atingida, mas em 2011 isso não ocorreu e, em 2013, até junho, a rentabilidade foi negativa.
Motivo: títulos públicos e ações perderam valor, provocando redução do patrimônio dos fundos. O prejuízo provocado pelos títulos públicos nos fundos foi da ordem de R$ 62 bilhões, calcula a Abrapp. É um valor contábil, mas se torna efetivo se o participante de um fundo de contribuição definida se aposentar.
As regras determinam que, se as reservas atuariais forem negativas em 10%, a empresa e os participantes têm de colocar mais dinheiro para equilibrar o patrimônio. Isso é essencial. Em fundos de estatais, as responsabilidades podem recair sobre o Estado - e, em tese, sobre a população. No maior dos fundos (Previ, do Banco do Brasil), as regras mudaram, há sete anos, e novamente agora. A rentabilidade permitiu, então, que os funcionários nada recolhessem entre 2007 e 2013. Neste mês, eles voltaram a recolher.

Anônimo disse...

Caro Dr. Medeiros,

Hoje, no início da tarde, tentei acessar seu blog e um virus travou o computador. Sorte que o anti-virus que tenho, conseguiu bloquear. Agora acessei novamente e deu certo. Mas fiquei receoso.

Pedro - Goiânia

Anônimo disse...

Dr. Medeiros o senhor faz a diferença. Vá em frente. Nós vamos atrás. Vá !

Anônimo disse...

Mederão Cabra Sujeito Homi, Sapeca logo essa chapa com seu nome encabeçando e deixa o resto com nóis e com sua história. Tu tem sangue de nordestino! Tu é cabra macho pra mais de metro! Vamu ki vamu!

Anônimo disse...

Dr. Medeiros
Em um momento como este que estamos vivendo, muitas pessoas se manifestam, algumas (ainda bem que poucas) com o intuito de desanima-lo, para que não continue com força e garra necessárias para trabalhar em benefício dos aposentados e pensionistas da previ. Eu quero acreditar que essas pessoas são infiltradas que estão trabalhando para aqueles que querem acabar conosco. Mas nós não vamos aceitar e votaremos na chapa que o senhor apoiar e fizer parte. Que Deus nos abençoe.

Anônimo disse...

Recebi no meu e-mail um vídeo com Paulo Assunção respondendo perguntas a um sindicalista. Claro que foi tudo combinado, perguntas e respostas. Nada se perguntou sobre o estelionato eleitoral, nem sobre o teto de 45.000 defendido pelo PA. Deu nojo!!!!, só serviu prá estragar meu dia.

Paulo Sérgio Quintanilha disse...

Dr. Medeiros continue com a gente.

Anônimo disse...

O momento atual é preocupante, com certeza, mas o futuro da Previ é o que mais me amedronta.
Isto pode ser só a pontinha do iceberg.
A maioria dos aposentados nem sabe o que está acontecendo. Os da ativa não tem tempo nem cabeça pra pensar no assunto.
Resta apenas pessoas de boa vontade como o Dr.Medeiros e alguns outros pra fazer alguma coisa por todos nós.
Desculpe, com todo respeito que merecem mas é pouco diante DESSE MONSTRO QUE TRANSFORMARAM NOSSA PREVI. O importante é nossa união, esclarecer aos colegas menos informados o que realmente está se passando. Cada um de nós tem um amigo honesto, inteligente, de boas intenções que poderia entrar ativamente nesta luta pra formar com o Dr Medeiros uma chapa forte, responsável, que vai cuidar da Previ como todos nós gostaríamos de cuidar. Vamos indicá-los ao Medeiros, é claro, com o devido consentimento dessas pessoas.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, não desanime, procure formar uma chapa e conte conosco.Aqui em João Pessoa, serei seu cabo eleitoral9 NO BOM SENTIDO).Pedirei votos para sua chapa. Abs. Mariano Branquinho

antonia disse...

PARABÉNS DR. MEDEIROS,
Suas entrevistas denunciando o corte do BET, estão sendo publicadas na coluna de Cláudio Humberto no Jornal do Comercio daqui do Recife.

Anônimo disse...

Caro Medeiros,

É agora ou nunca, ou montamos a chapa com gente que tem capacidade aglutinar votos.
Voce, a Cecília e a Isa, tem a experiência necessária no comando de associações e formação de chapas, e voces decidem quem os acompanhará na composição.
Pois corremos o risco de ter um tal de Delúbio S. quem sabe um Zé D. no comando da Previ em breve, não dá prá dar mole prá CUT, já foi buscar mensaleiro para trabalhar com eles. A coisa está perigosa mesmo.
Aos chatinhos, que com seu nheco nheco só desagregam, vão andar prá dar calo.
VAMO QUE VAMO com Medeiros na Previ.

Anônimo disse...

Buenas.

Queremos realmente apoiar o Medeiros?
Vamos começar então dando nome aos bois e deixando de lado o anonimato.
Mostrem a cara e deixem de lado esta desculpa esfarrapada de não posso por este ou aquele motivo colocar meu nome em meus comentários.
Na realidade esta atitude tem diversos nomes e são ranços da ditadura.
Desculpa e bunda todo mundo tem.

Rovere

Medeiros disse...

colegas,

não estou conseguindo postar comentários.

Medeiros disse...

Colegas,

Parece que o meu técnico em informática finalmente conseguiu resolver o problema que esta me impedindo de fazer comentários no blog e responder alguns questionamentos. Vamos ver se agora vai funcionar. Acho que recebi um ataque virulento, pois devo estar incomodando.

Anônimo disse...

Vamos deixar o anonimato dando nome completo e pelo menos uma identificação(matrícula, RG, e-mail, entre outras)

eunice bernadete disse...

Défict de 4 bilhões só em 2013. Se continuar nessa tendência que essa diretoria que o BB controla, inclusive os que votamos em poucos anos não teremos complemento de aposentadoria ou então em um curto espaço nos tornaremos um Aerus. Essa democracia brasileira corrupta é pior que um ditaduta militar

Roberto Martines 8670089-8 disse...

Dr. Medeiros aqui na região de Dourados MS, farei campanha pra você e meu voto é seu, nos vamos votar em você e quem mais você indicar.

Anônimo disse...

Esse negócio de chapa é complicado.Confio totalmente no Sr. e no Rossi mas não nos que estão querendo compor chapa com vocês.

jose welto disse...

Dr. Medeiros,
Insisto em afirmar que não há déficit.
Não ocorreu foi superávit acima das reservas matemáticas - 25% -.
Estou no aguardo do email que enviei para o Sr. Sei que vem enfrentando problema de saúde e talvez não encontrou tempo de me responder.
Caso responda negativamente, tb vale.

Felipe Osório da Silveira disse...

PREVI não me creditou o valor do ES, o que será que aconteceu?

Jair Mário Bork disse...

Ao anônimo das 10:12.
Teu lema deve ser: faça o que eu digo mas não faça o que eu faço. Estas pregando o abandono do anonimato, e te escondes nele?

Anônimo disse...

Anônimo 10:12

Você poderia dar o exemplo, puxando a fila.
Quem sabe os outros vão atrás?

Anônimo disse...

Trabalhei com colegas no BB que mais pareciam donos do Banco. Hoje uma frustação geral, agora querem entrar na justiça contra o BB/PREVI criando associações as mais diversas. Já era meu amigo quem não fez seu pé de meia e depende hoje da PREVI e MPAS ESTÁ FRITO, digo com raríssimas situações. É a lei da reciprocidade.

Felipe Osório da Silveira disse...

Tem algo de errado no blog, toda vez que entro acusa virus.

Anônimo disse...

Confirmamos a solicitação da suspensão da cobrança das prestações de janeiro, fevereiro e março de 2014. Esta assim na minha pagina mas descontaram o ES . O que é isso, PREVI? Estão fazendo a gente de bobo?Castigo para quem recebe por orpag?

Anônimo disse...

Obrigado por assinar minha petição: PREVI- CAIXA DE PREVIDÊNCIA DOS FUNCIONÁRIOS DO BANCO DO BRASIL: Providenciem o cancelamento da contribuição mensal C800, dos Aposentados!

Toda pessoa que se junta a esta campanha aumenta nossa força de ação. Por favor, separe um minuto para compartilhar este link com todos que você conhece:

http://www.avaaz.org/po/petition/PREVI_CAIXA_DE_PREVIDENCIA_DOS_FUNCIONARIOS_DO_BANCO_DO_BRASIL_Providenciem_o_cancelamento_da_contribuicao_mensal_C800_d/?tGdYBdb

Vamos fazer a mudança juntos,
Gustavo

Anônimo disse...

Chegou o dia 20 e quem ainda não sabia ou não acreditava já sentiu na carne a punhalada pelas costas que nos foi dada pela PREVI, com a participação de "nossos" representantes lá.

Enquanto nós somos forçados a uma política doméstica de austeridade, a mesma coisa não ocorre para os dirigentes de nosso fundo de pensão. No caso dos seis diretores executivos da PREVI, listo abaixo algumas das vantagens de que eles usufruem, tudo devidamente pago por nós, otários, digo, participantes.

Salários: cerca de R$ 50 mi/mês o presidente e cerca de R$ 40 mil/mês os diretores. Isto, sem somar os ganhos nas empresas participadas...

Carro com motorista à disposição. Custo aproximado: R$ 130 mil/mês, por baixo.

Cartão corporativo: cerca de R$ 8 mil o presidente e cerca de R$ 4 mil os diretores.

Auxílio moradia: cerca de R$ 4 mil/mês, por baixo. Detalhe: só recebe o diretor que não tenha imóvel próprio no Rio. Já teve representante "nosso" vendendo o seu imóvel para receber.

Já estaria de bom tamanho, mas não é só. A imaginação criadora de quem cria sinecuras para que nós paguemos parece não ter limite. Vocês acham que "diretor estatutário" da PREVI precisa de CASSI ? Que nada, eles tem direito a fazer um check up anual no hospital de livre escolha deles, tudo pago pela PREVI. Um representante "nosso" escolheu o Sírio Libanês em São Paulo, deve ter saído baratinho para nós, desta vez sem aspas.

Anônimo disse...

Bela Iniciativa a petição no AVAAZ. Parabéns Gustavo. Vamos todos divulgar e assinar.

Anônimo disse...

A Previ só me creditou o ES de um contrato. Do outro nada.

Medeiros disse...

Colegas,

Vamos ver se o problema com o meu blog foi regularizado.

Sobre o ES ele será acertado amanhã, dia 22, conforme informações da PREVI.

Sobre a margem consignável, estamos pleiteando melhorias.

Sobre Orpag estamos conseguindo solucionar várias pendências.

Sobre as eleições, começam a se definir algumas posições.

Incrível como existem colegas que não abriram os olhos ainda para o que está acontecendo.

Anônimo disse...

Sou o anon 10:12 e quero explicar que o meu comentário não teve a intenção de criticar o anonimato pois não tenho nada contra mas sim de querer dizer que para não ser anônimo é preciso se identificar de verdade e não como alguns fazem assinando um simples nome e acham que assim não são anônimos.Se for assim qualquer um pode colocar qualquer nome.Seria muita cara de pau criticar o anonimato e não se identificar.

Anônimo disse...

Enquanto isso a FIFA vai à loucura com o cronograma dos estádio para a copa no Brasil. Depois disto, vamos ver como ficam os aeroportos, a mobilidade urbana, a inflação e o pib pós-copa. Segurem-se no pincel que a escada foi tirada, faz tempo.

Anônimo disse...

Medeiros,
Sobre a petição da exclusão da verba C800 PREVI. a Mesma é de autoria do Gustavo, porém fui eu que copiei o link e mandei para o seu blog, após assinar a mesma.
Acredito que o Gustavo está satisfeito com a divulgação em seu blog.

Julita disse...

Dr Medeiros as pensionistas choram e eles não acordam.Obrigada pela sua luta por nó pensionistas e aposentados!! Abraços!!!

Anônimo disse...

Obras dos estádios ATRASADAS!!!!!!
Não tem dinheiro para termina-las.
Advinhem quem vai botar dinheiro la.......

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, estou a sua disposição para o serviço que precisar se o Dr. participar de eleições para CASSI/PREVI, acho que do modo que a coisa está indo, irá ficar muito difícil, a hora é agora. Moro em Pelotas e tenho tempo para juntamente com outros colegas ficar a disposição do Sr. Abraços, saúde, bastante Paz e Bem. Rogério Luiz Carvalho, 8.718.127-4.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros , faça por gentileza uma postagem sobre nós q não abrimos os olhos. Alguns, recém aposentados, de repente nos deparamos com uma nova realidade onde tudo é meio camuflado. Difícil saber quem é quem nesse jogo de interesses, e, os que sabem não dão nome aos bois acho q para não se indispor. Exemplo, cito a anabb, é por nós?

Anônimo disse...

Notícias da Previdência
O Estado de S.Paulo-19.01 (20/01/2014)
Fundos de pensão terão de reavaliar as reservas

Informou-se, na semana passada, que em 2013 as entidades abertas de previdência privada enfrentaram graves dificuldades para gerir o patrimônio dos participantes dos seus planos. Na última sexta-feira, um balanço dos fundos de pensão - ou seja, das entidades fechadas de previdência privada, patrocinadas, em geral, pelas grandes empresas instaladas no Brasil - mostrou situação bastante semelhante.
Entre dezembro de 2012 e junho de 2013, segundo a Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Privada (Abrapp), de uma mostra de 233 fundos de pensão, quase triplicou (de 33 para 98) o número dos que registraram déficit atuarial.
E, segundo a Secretaria de Previdência Complementar (Previc), em setembro o saldo negativo dos fundos, nos primeiros nove meses de 2013, já atingia R$ 24 bilhões, 167% mais do que o apurado em dezembro de 2012, de R$ 9 bilhões.
Como o desequilíbrio representa 3,6% do patrimônio dos fundos, da ordem de R$ 670 bilhões, segundo o jornal Valor, os dirigentes das fundações entendem que a situação não é alarmante. Mas exige providências.
Os fundos de pensão administram recursos de mais de 3 milhões de famílias. Pouco mais de 20% dos participantes já recebem benefícios. Os administradores dos fundos têm metas atuariais a cumprir - as carteiras devem ter rentabilidade mínima suficiente para que o fundo possa pagar todos os compromissos assumidos com todos os participantes. Em 2010 e 2012, a meta atuarial foi, em média, atingida, mas em 2011 isso não ocorreu e, em 2013, até junho, a rentabilidade foi negativa.
Motivo: títulos públicos e ações perderam valor, provocando redução do patrimônio dos fundos. O prejuízo provocado pelos títulos públicos nos fundos foi da ordem de R$ 62 bilhões, calcula a Abrapp. É um valor contábil, mas se torna efetivo se o participante de um fundo de contribuição definida se aposentar.
As regras determinam que, se as reservas atuariais forem negativas em 10%, a empresa e os participantes têm de colocar mais dinheiro para equilibrar o patrimônio. Isso é essencial. Em fundos de estatais, as responsabilidades podem recair sobre o Estado - e, em tese, sobre a população. No maior dos fundos (Previ, do Banco do Brasil), as regras mudaram, há sete anos, e novamente agora. A rentabilidade permitiu, então, que os funcionários nada recolhessem entre 2007 e 2013. Neste mês, eles voltaram a recolher.

Anônimo disse...

Medeiros só sei que o tal Marcel e seu bando prometeram, não cumpriram, nos prejudicaram e agora estão gozando das merecidas férias...

Anônimo disse...

Quem não é por nós é contra nós.
Por nós, poucos!

Julita disse...

Faltou um s no nós, desculpem!

Anônimo disse...

De onde terá saído o dinheiro que bancou as obras para o sorteio da copa? Será que foi mais uma patifaria desta tchurma com o dinheiro da PREVI?
Dr. Medeiros monte a sua chapa e estaremos todos contigo.
Um abraço, amigo!

Anônimo disse...

Dr. Medeiros, recebo por ORPAG desde 2009, a Previ me confirmou que receberia no dia 21, telefonei a atendente disse que seria durante o dia, não veio nada até hoje 22.01., estou meio alarmado, mas a PREVI não cumpre mais nada que promete. Já não sei se é terrorismo, ou falta de grana mesmo. O que o Dr. me diria, pois lhe falaram que no dia 22.01, estaria resolvido. SOCORRO PREVI E BB, acho que vou enfartar...