AÇÃO E PREVENÇÃO - RELATÓRIO DA PREVI SAIRÁ DIA 24

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

A Previ marcou para o próximo dia 24, segunda feira, a apresentação do relatório e das contas do exercício de 2014, no pa´lácio Mourisco, no Rio de Janeiro, e vai transmitir pela internet. Vamos então ficar sabendo, se houver transparência, como andou o nosso fundo de pensão no ano passado e porque nos tiraram prematuramente o BET.

Nesta conjuntura que estamos vivendo venho pregando a necessidade de tomarmos atitudes para defendermos o patrimônio que conquistamos na PREVI ao longo de muitos anos de trabalho e de contribuição.

Tenho falado muito em ação e mobilização. Tenho insistido que é hora de levantar a bunda da cadeira, deixar de assistir o mundo passar pela tela da TV ou do computador, ir para as ruas e para as salas de reunião, reivindicar nossos direitos e criticar posturas subservientes ao governo e ao BB, bem como votar nas eleições contra a situação.


Tenho também falado que é hora de prevenção. Precisamos estar prevenidos, atentos aos sinais, o amarelo já passou e o vermelho já está aceso. Saber que o AERUS foi liquidado, que outros fundos passam por dificuldades, o PETROS, por exemplo.  Não podemos mais cair em canto de sereia como foi o caso do estelionato eleitoral da promessa da incorporação do BET.  Não podemos desconhecer, sobretudo, a má vontade com os velhinhos, com o chamado aumento da expectativa de vida, com a cogitação agora de uma redução dos benefícios por conta da idade, vejam só querem implantar um redutor de benefícios.

Acho que já não falo mais para poucos como anteriormente. O desastre do BET e o retorno das contribuições serviu para despertar alguns do sonho esplêndido em que se encontravam. O blog está bombando. Em janeiro bateu o recorde de acessos, mais de trezentos mil no mes, uma loucura. Gostaria que o número de seguidores alcançasse um mil (1.000), está em 540. Será utopia ?

O idoso ultimamente só tá levando ferro no pódio.


Portanto, colegas, é hora de ação e de prevenção, de agir e se prevenir.

Para ilustrar essas atitudes, permitam que conte uma pequena história envolvendo um casal idoso.

Arquimedes finalmente decidiu AGIR. Se a natureza não ajudava mais, resolveu procurar um médico para ajudar a fazer funcionar de novo sua virilidade. Anunciou para a mulher: -

- Vou ao médico urologista agora.
- Para que marido ?
- Quero que ele me receite o tal do Viagra. Quero recuperar a potência perdida. Estou cansado de esperar pela natureza.

A esposa ficou pasma com a decisão, tantas vezes ela insistira. E foi correndo se vestir.

- Mas o que que é isso Gertrudes ?  Estás te arrumando pra quê ?
- Vou sair, também vou procurar um médico.
- Mas pra quê vivente ?
- Pra tomar uma vacina anti tetânica.
- Por acaso tu te machucaste ou te feriste ?
- Não. E´ que se tu vais finalmente fazer essa coisa velha e enferrujada funcionar, eu tenho que me PREVENIR com uma anti tetânica.

Rir, colegas, às vezes é o melhor remédio.

25 comentários:

Anônimo disse...

Chegou a hora de a gente impedir ou boicotar a ida desses palhaços, divulgar o resultado pelo Brasil afora. Recursos não tem. Ou tem?

Anônimo disse...

Boa a anedota, dr. Medeiros. De vez em quando é bom descontrair. Temos mesmo que agir e nos prevenir senão tamos fritos, n´~ao é ?

Anônimo disse...

Dei boas risadas, doutor.

A vacina anti tetânica deve ser contra os dirigentes da Previ, segundo entendo.

recca disse...

Concordo com o anônimo da 20.36h. É preciso acabar com o turismo feito pelos dirigentes com a desculpa de divulgar o resultado da Previ. Vamos dar um basta nisso.

Antonio Carvalho disse...

Colegas:
Está circulando nos grupos e redes sociais um artigo do Ex-Diretor de Benefícios da PREVI, Ricardo Sasseron, tratando das negociações e acordos feitos entre a PREVI e o Banco.
É no mínimo ridículo o comentário feito sobre as relações do Banco com a PREVI envolvendo os participantes. Vejamos:
1 – Ele fala em uso de superávits para melhoria de benefícios: A verdade é que melhora para algum grupamento. Via de regra beneficia os que recebem mais. Ao tentar corrigir injustiça, acabam criando outras injustiças, num ciclo injusto e vicioso.
2 – O cálculo pelo novo estatuto é melhor, diz Sasseron: A verdade é que todos foram prejudicados, em especial pela criação da Parcela Previ. Foi menos prejudicial para as comissões mais elevadas. Para os Postos Efetivos e Caixas, por exemplo, o novo estatuto foi altamente prejudicial. O benefício médio corrigido em 1999 é cerca de R$ 13.000,00. Em 2013 o benefício médio é cerca de R$ 7.500,00. O teto de 75%, elevado para 90% não interferiu nos benefícios da grande maioria que ganha menos. Registro que existem descasamentos entre reajustes dos ativos e dos aposentados. No período de 1999 a 2004 os benefícios foram reajustados em percentuais bem maiores do que os salários dos ativos. Quem se aposentou neste período teve benefícios achatados. De forma inversa, no período de 2005 a 2013 os ativos tiveram reajustes de 54% maior que os aposentados. Estes fenômenos trazem distorções dos benefícios e injustiças, a depender da época em que cada colega se aposenta. No estatuto anterior os reajustes dos benefícios eram iguais ao dos salários dos funcionários da ativa.
4 – O Sasseron diz que em 2000 os sindicatos na Justiça impediram repasse de recursos para o Banco. Realmente houve ações judiciais, mas, em 2006 os sindicatos fizeram acordo, extinguiram o processo e o Banco levou R$ 2,3 bilhões. O Sasseron não comenta.
5 – Destaco que em 2010 o O Banco não assumiu o BET dos pré-67, descumprindo o acordo de 1997. Desta forma levou cerca de R$ 2 bilhões das reservas da PREVI. O Colega Sasseron nada comenta a este respeito.
Finalmente, a grande verdade é que se fosse cumprida a Lei não seriam necessárias negociações e nem acordo que ilusoriamente nos são apresentados como vantajosos. Muito menos seriam necessárias tantas ações judiciais que oneram bastante a PREVI.
Abraço,
Carvalho

Anônimo disse...

Pelo jeito e pela anedota o teu bom humor está de volta Medeiros. Que bom "!

Anônimo disse...

Hoje vi meu contracheque novamente, no site da Previ... Dá uma revolta ver o contracheque... Vamos para um mês com a aposentadoria cortada, ou melhor, dois meses contando de Dezembro de 2012, que foi a última vez que recebemos o BET. Tive pena de mim, quando fiquei olhando a folha e fazendo cálculos mínimos, ou seja, somando ali os descontos da ANABB e o seguro que para nada serve, a não ser para termos dentista, coisa que já deveríamos ter pela CASSI. Nem para nos defender eles prestam na ANABB. Somei a CAPEC também, tive vontade de pedir exclusão de tudo, mas aí que me dei conta quanto somos pobres infelizes, pois tudo somado dá nada e estamos suplicando por isso, suplicando moedas, mendigando, esta é a verdade, desculpe o desabafo, mas estamos todos assim...Tive pena de todos nós. Somos pobres coitados, suplicando ampliação e prorrogação de dívidas, na verdade suplicando miudezas, nem miudezas, implorando para nos endividar mais ainda, fazendo o que os diabos querem, isto mesmo, estão rindo e adorando e dando tapinhas nas costas dos dirigentes ordinários. Deveríamos era estar lá na porta da PREVI todo o tempo, mas todo o tempo mesmo... com vontade, sem arredar pé... Não estou apregoando escândalo, nem vandalismos... mas pelo menos uma dignidade! DIGNIDADE!!!! Essa é a palavra. Que dignidade temos quando nos encolhemos e fazemos exatamente o que esse pessoal quer?

Anônimo disse...

Só para corrigir meu comentário anterior: estamos sem o BET há dois meses, desde dezembro de 2013, e não 2012, como escrevi.

Cláudio Almeida disse...


Dr.

Recebi resposta da Previ sobre minha solicitação de suspensão das parcelas do ES em abril, maio e junho/14.

"Não há previsão", responderam.

É claro que AINDA não há previsão, pois se houvesse não precisaríamos solicitar.

Vamos insistir.

Abraços ,

Anônimo disse...

Acredito que as pessoas estejam cada vez mais conscientes do seu papel de protagonistas nas eleições deste ano. A porrada foi grande no lombo dos aposentados e das pensionistas neste início de 2014. Está difícil de aguentar o tranco sem que sejam adotadas medidas com vistas à diminuição dos encargos nos contracheques de todos nós. Imagino que os frequentadores dos diversos espaços voltados para os interesses dos participantes votarão naqueles sobre os quais são depositados os anseios e esperanças de dias melhores daqui pra frente. E os candidatos a cargos eletivos estão fazendo a sua parte, qual seja, a de construírem alianças objetivando a apresentação de apenas uma chapa de oposição para brigar com os interesses da situação?

Anônimo disse...

Preclaro Dr. MEDEIROS:


Por favor, há alguma diferença entre quem "acessa" o blog e quem o segue? "Acessar" é o mesmo que "seguir"? Para ser "seguidor" tem de ser aposentado ou pensionista? Mesmo o blog sendo ótimo, não dá para colocar aquele "globo terrestre giratório" que existe em alguns blogs?

Anônimo disse...

Li e gostei, recebi por email
Serve para a PREVI e BB
Primeiro dia de aula, o professor de 'Introdução ao Direito' entrou na sala e a primeira coisa que fez foi perguntar o nome a um aluno que estava sentado na primeira fila:
- Qual é o seu nome?
- Chamo-me Nelson, Senhor.
- Saia de minha aula e não volte nunca mais! - gritou o desagradável professor.
Nelson estava desconcertado. Quando voltou a si, levantou-se rapidamente, recolheu suas coisas e saiu da sala.
Todos estavam assustados e indignados, porém ninguém falou nada.
- Agora sim! - vamos começar .
- Para que servem as leis? Perguntou o professor - Seguiam assustados ainda os alunos, porém pouco a pouco começaram a responder à sua pergunta:
- Para que haja uma ordem em nossa sociedade.
- Não! - respondia o professor.
- Para cumpri-las.
- Não!
- Para que as pessoas erradas paguem por seus atos.
- Não!
- Será que ninguém sabe responder a esta pergunta?!
- Para que haja justiça - falou timidamente uma garota.
- Até que enfim! É isso, para que haja justiça.
E agora, para que serve a justiça?
Todos começaram a ficar incomodados pela atitude tão grosseira.
Porém, seguíamos respondendo:
- Para salvaguardar os direitos humanos...
- Bem, que mais? - perguntava o professor .
- Para diferençar o certo do errado, para premiar a quem faz o bem...
- Ok, não está mal porém respondam a esta pergunta:
"Agi corretamente ao expulsar Nelson da sala de aula?"
Todos ficaram calados, ninguém respondia.
- Quero uma resposta decidida e unânime!
- Não! - responderam todos a uma só voz.
- Poderia dizer-se que cometi uma injustiça?
- Sim!
- E por que ninguém fez nada a respeito? Para que queremos leis e regras se não dispomos da vontade necessária para praticá-las? Cada um de vocês tem a obrigação de reclamar quando presenciar uma injustiça. Todos. Não voltem a ficar calados, nunca mais!

Vá buscar o Nelson - Disse. Afinal, ele é o professor, eu sou aluno de outro período.

Aprenda: Quando não defendemos nossos direitos, perdemos a dignidade e a dignidade não se negocia.

Anônimo disse...

Buenas.
Gente.
Eu em meus 64 anos, nunca tinha visto, tantas perguntas impertinentes, tanta bobagem escrita, e tanta preocupação com o próprio umbigo, e os outros que se explodam...
Ora, vão plantar batatas, bando de egoístas que só pedem e desejam coisas na maioria das vezes impossíveis e em proveito próprio, como se o Medeiros fosse o salvador da situação.
Pelo menos um mínimo alguém tem que fazer por sí mesmo.
Acho que o Medeiros não tem saco, e sim útero para aguentar tudo isto, pois num saco a encheção não caberia.
Rovere

Anônimo disse...

As viagens agora é que se tornam interessantes.
Teremos o prazer de ouvir a competente diretoria explicar o porque do resultado.
Antes quando anunciavam "ótimos" resultados pareciam que haviam descido do Olimpo.
Nem perguntas aceitavam.
Duvido que saiam do Olimpo, quer dizer, do Mourisco, agora que a "coisa apertou".
Mas se vierem seria ótimo que tivéssemos as perguntas pertinentes ( não impertinentes ) e exigíssemos as explicações com transparência, provando que não estamos mortos ainda.
Para refletir: " Tu te tornas responsável por aquilo que cativas"!
Tenho certeza que o caro Dr. Medeiros é um homem compreensivo e reconhece que às vezes as pessoas precisam de um pouco de atenção. Feliz daquele que pode disso dispor.
Nas circunstancias da vida, pode ser que o mais forte, o mais prático, o mais valente também se fragilize.
Obrigado, Dr. por nos suportar.

Anônimo disse...

Gente, adorei a tal de vacina anti tetânica.

Graças a Deus que não preciso usar ainda.

Vamos dar Viagra para os eleitos terem mais vigor para resistir ao BB. Eles se mostram tão impotentes...

Anônimo disse...

Por favor, o dr. Medeiros tenta fazer o seu blog variado e divertido, para todos os gostos. Não é só técnico e informativo. E´também humorístico e um divâ oara a gente derramar as nossas aflições. Somos muitos gratos por isso e pelo espaço que ele nos propicia.

antonio americano do brasil borges disse...

Caro Dr. Medeiros,
Circulou em jornais que o Grupo da Friboi estaria com pedido de investimentos junto à PREVI da ordem de 1 bilhão de reais.
Jornal de hoje de Goiania publicou reportagem que o grupo estaria sendo investigado por participação em falcatruas junto com o grupo do cachoeira.
Dizem que o Lulinha tem grande participação no grupo friboi. Assim, saindo o "investimento"a PREVI com certeza nunca mais vai ver a côr desse dinheiro. O que devemos fazer?
Abraços
Antonio Americano
Goiania (GO)

Medeiros disse...

Antonio Americano,

Acho que o negócio melou na PREVI, segundo notícia do Valor Econômico, entrevistando Rene Sanda. Mas devemos escrever para lá questionando o investimento e se possível indagar do presidente Dan Conrado na próxima segunda feira, dia 24, quando da apresentação do relatório 2014.

Anônimo disse...

Li uma matéria que diz que um Frigorifico da JBS aí no RS foi interditado pelo MP do Trabalho por falta de segurança dos trabalhadores, que corriam o risco até de amputação nas máquinas da empresa.

Anônimo disse...

Para alegrar, li e gostei, gostaria de repassar...

PARA DISTRAIR... (A fábula das eleiçoes da PREVU)

Um dia, o telefone da CUT - Confederação Unida dos Troladores (não confundir com outra confederação) - toca e acontece o seguinte diálogo:

Alô, Central Únida dos Troladores, boa noite.
Boa noite, Quem está falando aqui representa o governo da Conchinchina, e temos algumas órdens para repassar...
Sim, por favor pode falar que estamos prontos para obedecer.
O negócio é sobre a eleiçao da PREVU (Caixa de previdência do Banco da Conchinchina). Vocês sabem que este ano tem eleiçao da nossa Chefe, e a órdem é clara, nossa confederaçao tem que continuar dominando todas as diretorias da PREVU.
Mas chefe, a coisa tá dificil, tiramos o BET dos velhinhos e das viuvas, voltamos a cobrar contribuiçao de todo mundo, o dinheirinho do pessoal mais novo não tá rendendo nada, acho que este ano não vai dar certo não. Chefe, tem muita velhinha que não tem nem dinheiro para pagar o aluguel, nós estamos acabando com eles.
Não importa, prometa que vocês vão voltar com o BET, agora permanente, vão parar de cobrar contribuição e vão implantar o tão sonhado TETO.
Chefe, desculpa mas nem nós temos coragem de falar isto, estamos falando a mesma coisa nas últimas eleições, mas nossos companheiros que estão mamand.(digo recebendo) não querem isto não, e já provamos que não temos competência para administrar a PREVU. Chefe, só dava certo quando a bolsa dava 80% ao ano, aí era fácil esconder nossa INCOMPETÊNCIA.
É pra falar e pronto. Diga que a culpa é do governo, falem mal de nós, falem que não concordam com a diretoria do Banco da Conchinchina, que vão entrar na justiça contra nós...falem qualquer coisa, mas temos que ganhar.
Chefe, todo mundo sabe que estamos do mesmo lado, isto não está colando mais.
Olha, queremos que Articulem uma chapa que mostre " Unidade"
, peguem um presidente de um sindicato de um estado grande, uma mulher que infiltramos em uma Associação de Antigos Funcionários, um ou outro traidor e mais alguns pelegos e vamos pra rua.
Sei não chefe... mas de que estado vamos tirar o tal presidente de sindicato, se ninguem mais confia neles?
Uai, escolha vocês mesmos sô.
E o que vamos falar na campanha chefe?
A mesma coisa que sempre falamos, utilizem todos os sindicatos aliados, façam muitos jornais e panfletos, falem mal de quem estiver mais forte, inventem, criem factoides, criem dossiês... E lembrem-se, só precisamos do voto de uns trinta mil desinformados, isto é fácil, afinal nós sempre conseguimos.
(ATENÇAO - Qualquer semelhança com a vida real é mera coincidência..Ou não )

Anônimo disse...

Para desopilar.
Outro dia estava obrando e sempre tenho boas idéias quando estou obrando. Estava esbravejando contra o grande Pizza, o que está na Itália, mas pensando melhor acho que deveríamos não crucificá-lo e sim segui-lo,toma-lo como mestre. Poderíamos por exemplo arrumar uma certidão (falsa) de óbito para sacar o dinheiro da Capec, poderíamos nos separar(de mentirinha) de nossas esposas e/ou(saudade de datilografar este e/ou) esposos e casarmos entre nós pois assim, quando um for para o além, seríamos aposentados e pensionistas, tendo assim um acréscimo no valor do benefício.
Pois como já nos foi ensinado devemos tirar lição de tudo nesta vida.

Anônimo disse...

Ferruccio,

Realmente, passei batido no tocante as aposentadorias. Seu texto é claro, quando diz: “Agora, se, nesse período de vinte anos, você viveu unicamente de aposentadoria, então você é um vencedor, por ainda estar vivo.” Portanto, peco-lhe que desconsidere esta parte de meu comentário.

“Quanto ao terceiro item abordado em seu comentário, a vulnerabilidade da economia brasileira, devido a muitas dívidas escondidas, consequência da corrupção institucionalizada, eu diria o seguinte.”

“Não sei quais são as dívidas escondidas, o que eu conheço são os números oficiais, dívida bruta, dívida líquida do setor público (DLSP), etc. Você está questionando a veracidade dos números oficiais? Baseado em números oficiais, o País não está tão mal, como alguns analistas querem fazer parecer.”

- (...) o papel da Bolsa não é, tal como aquele sugerido pela abordagem da reflexão, o de estimar passivamente uma realidade pré-existente, mas, pelo contrário, aquele de fazer surgir uma visão de futuro coerente, capaz de ajudar os investidores a tomarem suas decisões. Esta visão do futuro, embora organize as opções de investimento de toda a economia, não tem nenhum outro aspecto do que aquele de uma conjectura ou de uma aposta. No tempo “t”, nunca podemos dizer com certeza que o mercado está errado.

http://www.parisschoolofeconomics.com/orlean-andre/depot/publi/RAP2004tBOUR.pdf

No caso específico da posse de ações, Orléan explica: "Trata-se de transformar o que é uma aposta pessoal em dividendos futuros em uma riqueza imediata hic et nunc. Para fazer isso, devemos transformar as avaliações individuais e subjetivas em um preço aceito por todos. Em outras palavras, a liquidez que é produzida exige uma avaliação de referência que diga a todos aqueles ligados as finanças os preços pelos quais os títulos podem ser negociados. A estrutura social que permite a obtenção de tal resultado é o mercado financeiro." Para os investidores, é fundamental que o preço das ações cuja venda lhes permitirá recuperar a plena liquidez sob a forma de dinheiro, seja determinada por meio de um mecanismo "objetivo", que tenha o status de uma instância exterior a cada investidor individualmente e cujas decisões num serão jamais discutidas. Esta é a função da cotação. "Anunciada publicamente a cotação tem valor de norma: este é o preço que o mercado vai comprar e vender o título em questão, no momento considerado. Assim, o título se torna líquido. O mercado financeiro, devido estabelecer a opinião coletiva como norma de referência, produz uma avaliação do título reconhecida unanimemente pela comunidade financeira."

http://webcom.upmf-grenoble.fr/regulation/Annee_regulation/AR4-2000-09NDL.pdf

(...)

Agora você pergunta para os aplicadores financeiros brasileiros se o acima especificado é aquilo que acontece na prática. Em outros termos, num é raro ocorrer “leilões” de títulos sem nenhuma liquidez, em que aparece um único comprador, geralmente um investidor institucional. A nosso ver, isto é corrupção institucionalizada. Consequentemente, como sustentamos “dívidas escondidas”. Algumas, com o agravante de somente virem a serem descobertas daqui a vinte anos. Em síntese:
papel aceita tudo...

Anônimo disse...

Assim, como acima mencionamos as reservas constituídas pelos investidores institucionais para o pagamento das aposentadorias e pensões frequentemente são utilizadas para a aquisição de ações no mercado secundário. Entretanto, tais operações são completamente ilegítimas, conforme as regras acima transcritas. Ademais, algumas vezes, existe determinação escrita de que tais reservas podem ser usadas exclusivamente para o pagamento de pensões e aposentadorias no longo prazo. A Bolsa brasileira ao permitir a realização em suas dependências de tais operações poderia ser considerada uma Bolsa zelosa dos interesses dos aplicadores financeiros, mormente daqueles hipossuficientes, como os proprietários formais da poupança concentrada coletiva? O que dizer do silencio obsequioso do órgão regulador do mercado ao não impugnar tais operações?

Everton disse...

Com essa ingerência do governo em cima dos fundos de pensão não está longe de virarmos um aerus - mais uma do governo:
"...Oi deve ter dinheiro do BNDES e
Fundos"
E vamos que vamos

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,

A questão do FRIBOI para a PREVI, na atual conjuntura, vai ser bastante complicado.

O investimento da PREVI seria a aquisição de ações sem direito a voto.
Sem ingerência em um grupo cujo aporte chega ao máximo em 20% do capital.
Apesar do aporte menor de capital a FRIBOI teria o controle acionário, direito a voto, e a PREVI nada, isto é, só entra com o dinheiro.

Entretanto a PREVI para adquirir ações de grupo J&F (FRIBOI) atualmente ela teria que vender ações desvalorizadas na Bolsa de Valores e adquirir ações caras desse grupo, já de cara tomando um baita prejuízo.

Esse grupo tem bilhões do BNDES, não na forma de financiamentos ou empréstimo, mas como acionista sem direito a voto.

É o que vai acontecer com a PREVI.

Como a PREVI vai justificar em vender ações na superbaixa e comprar ações supervalorizadas.

Tomara que ocorra porque ai caberia uma ação na PREVI por gestão fraudulenta colocando em risco a perenidade do fundo e a suspeita de algo desonesto na transação.

Ai sim colocaríamos esses pelegos na cadeia.