VERÃO CALIENTE

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Ontem em Porto Alegre aconteceu o dia mais quente desde 1916.  Quarenta e sete graus. Inaguentável, sufocante, infernal.

Além dessa temperatura bárbara, Porto Alegre convive há mais de quinze dias com greve terrível do transporte de ônibus, criando um verdadeiro caos urbano, agravado com apagão de luz e abastecimento precário de água em alguns bairros.  Morro de medo - sou claustrofóbico - de andar de elevador e ficar preso no cubículo lotado.

Mesmo nessas condições, a AFABB RS continua trabalhando para atender seus associados e cuidar dos problemas gerados pela CASSI e pela PREVI, como, por exemplo, essa gana da diretoria de ir buscar a restituição dos valores recebidos de boa fé na ação da cesta alimentação, não reconhecendo o caráter alimentar da verba. Custa-me acreditar que o serviço jurídico da Previ tenha dado parecer favorável a essa tese mesquinha e contrária à jurisprudência predominante dos tribunais.

Para agravar a situação temos tido problemas com o sistema do BB na questão da cobrança das mensalidades dos associados. Os erros do sistema não são solucionados a contento e nos deixam preocupados, vejam só não temos mais confiança no acompanhamento dos serviços de nosso próprio banco, aumentando o caos reinante nesse verão caliente.

Nessas circunstâncias sou obrigado a abandonar a praia e dar duro no batente. Hoje irei na CASSI tentar obter autorização para uma tomografia ocular, com justificativa médica, que a atendente já me disse ao telefone que a CASSI não dá.

Notícias boas, por enquanto, só a relativa à ação civil pública, que após atendimento de éxigências muito rigorosas na distribuição, entregues documentos solicitados, encontra-se agora perfeitamente regularizada e apta a seguir seu curso, que esperamos vitorioso, pois a petição inicial mostra-se convincente e difícil de ser rebatida. Só a leitura dela já é a certeza de que estamos no caminho certo. A afirmativa de que o CNPC não tem personalidade jurídica faz parte do jogo e será enfrentado pelo dr. Wagner Gusmão. E´ pente fino desde o início. Bom para nós. Vamos eliminando os percalços na base.

A outra notícia foi a detenção do Henrique Pizzolato na Itália com passaporte falso.  A extradição é outro problema. O essencial é que agora ele vai ver como a vaca tosse por lá. O que provocou a prisão dele ?  A notícia que o Pizzolato teria milhões de euros num banco suiço.  Vão incomodá-lo.

O que o Pizzolato nos deixa de lição é que ele é oriundo do movimento sindical da articulação e conseguiu ser eleito por nós, participantes da Previ, para cuidar de nossos interesses.  Em vez disso ele passou a cuidar dos interesses dele próprio e do Partido a que servia.

Vamos continuar votando nesses elementos ?  Ou chegou a hora de um basta, de uma tentativa de resistência, de uma virada no jogo ?  Depende só de vocês.  A lembrança do Pizzolato deve nos acompanhar nessas eleições para não deixar a gente errar o voto.

Verão caliente esse !

26 comentários:

Camilo - Jundiai disse...

Estrannhamente, neste mes, apareceram débito de ABM. Nao sei do que se trata, e um valor relativamente alto, em torno de R$ 400,0o. Alguem sabe me informar o que se trata?

0435840-6 - Alexandre França Filho disse...

Medeiros, o Pizzolato que votou pelo irmão falecido, tem dinheiro na Suiça, condenado pelo mensalão, não teria deixado algum "rabo" na Previ, onde foi diretor, que não sabemos? Um abraço e boa sorte junto à Cassi.

antonio americano do brasil borges disse...

Caro Dr. Medeiros,
A propósito da CASSI, recentemente aqui em Goiania perdemos um grande companheiro, Celso Fernando Galli, um dos fundadores da AFAGO-GO.
Ele havia passado por cirurgia de cancer e no mês passando, estava passando muito mal e a CASSI negou pedidos de alguns exames e também não autorizou uma cirurgia, o que o obrigou a voltar do Hospital para casa, posteriormente teve que fazer uma cirurgia de urgência e acabou falecendo.
Não entendo como a CASSI deixa de autorizar exames em associados que ingressaram no BB há mais de 50 anos, quando ainda era de responsabilidade do BB manter nosso plano de saúde, agora que pagamos e muito às vezes temos o dissabor de ver a CASSI negar alguns exames.
Espero que o Sr. consiga a autorização para seus exames e possa completar seu tratamento com êxito.
Atenciosamente
ANTONIO AMERICANO DO BRASIL BORGES
Goiânia (GO)

Anônimo disse...

O brazil esta um CAOS!!!!!!!
E uma fartura....farta luz, farta agua, farta trem, farta ônibus, farta segurança, farta escola, farta hospital,farta vergonha nas caras.
SO NAO FARTA LADRAO!!!!!!

fernando disse...

Dr Medeiros, e dizer que o Pizzolatto era o nosso homem GAREF, nosso representante junto ao BB. Como podemos ser tão cegos e sermos ludibriados por meia duzia de cabeças(sempre as mesmas,só mudam de lugar). Até quando. Ah e para completar o ministro da Previdencia ja se adiantou que esse ano não cai o Fator Previdenciario.

Anônimo disse...

Medeiros,
você diz que a lembrança do Pizzolato deve nos acompanhar nessas eleições para não deixar a gente errar o voto.
Não só isso, mas também o BET, o retorno das contribuições, a postura dos diretores e conselheiros por nós eleitos, principalmente do Marcel, o descaso com relação a Novembrada, a busca do aumento do teto para R$ 45 mil, a falta de transparência, etc. etc.
Ou seja, existem vários motivos para os aposentados saírem da toca e votarem em massa e certo nas próximas eleições da Cassi e Previ.
Celio

Anônimo disse...

A justiça italiana negou pedido de habeas corpus de Henrique Pizzolato, por perigo de fuga. Vai permanecer preso.

Roberto Martines 8670089-8 disse...

Alexandre ele deixou sim, ele e mais alguns diretores da época, fizeram algumas coisas sem as documentações necessárias não causaram prejuízos foram arquivadas na época mas parece que um juiz pediu a reabertura do processo.

Antonio Carvalho disse...

Prezado Medeiros:
O calorão também impera aqui em Balneário Camboriú.
Também esquenta o calor político. Possivelmente existem filhotes de Pizzolato mandando no Brasil e em particular em nossas instituições.
Precisamos mudar.
Reproduzo mensagem que recebi com pedido para divulgação, intitulada: "ALGURAS DE PAI E FILHO". Veja:

"De logo quero pedir que esse e-mail seja distribuído para o Brasil.
Victor Muhana, aposentado, 88 anos, PREVI-Plano I e Rubens Viana Muhana, PDVista, sentimos pelos e-mail´s que recebemos, que a situação é realmente caótica com alguma certeza de agravar-se.
Diante disto julgamos que se tornam indispensáveis providências bem antecipadas com o objetivo de que nas próximas eleições todos estejamos unidos em torno de um Nome sabidamente honesto, capaz e integrado a todos os problemas da PREVI, que tenha acuidade para formar uma chapa que lhe auxilie efetivamente na nova administração.
Agruras de pai e filho.
- Victor Muhana
9.522.680-X
- Rubens Viana Muhana
8.853.910-5”.
Acredito que este é o sentimento e o desejo de muitos dos nossos colegas. MUDANÇA.
Vamos nessa, Medeiros!
Abraço,
Carvalho

Anônimo disse...

Você tem toda razão quando afirma que não podemos entregar novamente de bandeja, nas mãos do partido que hoje comanda os destinos da Previ, os cargos postos à disposição nas eleições Previ-2014. Mas entendo que essa tarefa não depende somente dos associados. Os candidatos aos cargos também têm sua parcela de responsabilidade. Podem e devem se unir em torno de apenas uma chapa de oposição. Ainda há tempo para se costurar essas alianças. Ou será que isso é utopia? Aqueles sobre os quais depositamos as nossas esperanças de dias melhores têm também a obrigação de colocarem os seus nomes em disputa apenas para cargos na categoria de membros efetivos. Jamais como suplentes.

João Rossi Neto disse...

Caro Medeiros,

Com o intuito de contribuir:

DIREITO ADMINISTRATIVO: TEORIA DO ÓRGÃO, DA IMPUTAÇÃO VOLITIVA.

O CNPC por ser órgão público da Administração Direta, vinculado ao MPS, não tem personalidade jurídica e, em consequência, não tem capacidade para ser parte, ou seja, capacidade processual, artigo 82 do CDC.

Portanto, não é possível ajuizar uma Ação Civil Pública diretamente contra o CNPC. Esta deverá sobre o Presidente deste órgão, a pessoa física, agente público responsável pelos atos públicos praticados, o qual irá defender o Estado, em juízo, das imputações que lhe forem atribuídas.

Havendo previsão legal, o órgão pode ser acionado judicialmente, isto é, quando essa condição estiver prescrita em lei, o que não é o caso do CNPC.

A propósito, o Ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, que também é o Presidente do CNPC, posto que por lei acumula as duas funções, vai ser o alvo da nossa Ação Civil Pública, uma vez que o ex-presidente, José Pimentel, do antigo CGPM-MPS e atual CNPC-MPS, foi quem assinou a Resolução CGPC-MPS-26/2008, entretanto, a responsabilidade é do cargo e, assim sendo, é acionado o Presidente de plantão.

Anônimo disse...

alem da luta p afastar os ladroes, precisamos lutar p melhorar nossos proventos, tah muito dificil, a previ comeu tudo nesse inicio de ano.

Medeiros disse...

Obrigado pela colaboração João Rossi Neto, já repassei para a Isa.

Anônimo disse...

Obrigado Dr Medeiros e Obrigado João Rossi! A grandeza se faz com gestos assim! Medeiros e Rossi na Previ.

Anônimo disse...

Dr Medeiros um medico aqui na cidade onde resido pediu para denunciarmos a ANVISA esses tipos de exames que estão sendo negados .

Anônimo disse...

Alguém acessou o site da ANABB e leu sobre a resposta da PREVIC com relação ao TAC? Vejam: http://www.anabb.org.br/mostraPagina.asp?codServico=4&codPagina=47574
Parece piada. A PREVIC informa que não consultará os beneficiários porque é apenas cumprimento do regulamento. Alias, para cumprir regulamento precisa de TAC? Alguém acredita nisso? Estão nos enrolando e depois trazem o manjar, da diretoria do BB e da Previ, pronto.
Mas, não deram prazo para a Previ? Depois não aceitaram a prorrogação do prazo? Agora nem consultados seremos? É uma vergonha. Nos tratam como velhos imprestáveis, um verdadeiro absurdo. Será que esse pessoal da PREVIC não tem vergonha na cara? E a ANABB, parece que aceitou a resposta caladinha. Estamos mal mesmo. Celio

Anônimo disse...

Amigos, será que se fizermos uma vaquinha pela NET, conseguimos dinheiro para bancarmos o que devemos? Afinal este é um país generoso. Conheço pelo menos 2 casos de pessoas que conseguiram.
E eu ia esquecendo: VIVA A ITÁLIA!!!

Anônimo disse...

Vejam a foto do Pizolatto depois de preso, foto esta distribuída pela polícia de Modena e estampada nos principais jornais do país no dia de ontem, e comparem-na com as que viamos nos tempos em que êle dirigia a Previ e o BB. Penso que seria bom analisarmos melhor esta nossa pequena trajetória nesta vida terrena.

Anônimo disse...

Antes da queda o Pizzolato teve muitos amigos.
Foi "nosso" Garef e deve ter deixado herdeiros.
Tem muita gente que já esteve lá e não era do partido.
Ainda estão por aí e querem voltar.

João Rossi Neto disse...

Caro Medeiros,

Veja abaixo o que a Cecília Garcez fala a respeito do Pizzolato. Se ele era Presidente do Conselho Deliberativo da PREVI, efetivo ou substituto, é porque foi indicado para o cargo de Conselheiro pelo patrocinador BB, ou melhor, pelo Lula-PT.

Em face disso, acho que o colega se enganou quando afirmou que ele foi eleito por nós para cargo na PREVI, visto que o Presidente do CD da PREVI é escolhido entre os três Conselheiros indicado pelo BB, conforme prevê a LC 108/2001.




"Caro colega Wilson Luiz,
Eu tive o desprazer de ser conselheira junto com esse senhor. Ele era Presidente do Conselho Deliberativo da Previ e sua prepotência e arrogância era difícil de engolir, tanto que houve uma reunião que nós quase nos atracamos em função de sua postura totalmente irônica e agressiva, era uma pessoa sem caráter e não entendo como vários colegas gostavam muito dele e o respeitavam, inclusive o PT, que o renegou depois que descobriu que ele desviou recursos que seriam do partido para o seu bolso. Se vocês notarem, ele não teve quase nenhum apoio do PT no julgamento e, segundo ele jogou na mídia, ele tem um dossiê contra vários "capas" do partido".

7 de fevereiro de 2014 20:43

Medeiros disse...

Não, colega anônimo, eu não errei. O Pizzolato primeiro foi eleito por nós para diretor de seguridade da Previ, de 1998 a 2.002 quando ele perdeu o cargo pela intervenção na PREVI. Depois, quando o Lula assumiu em 2003 ele foi nomeado diretor de marketing do BB e indicado pelo BB para presidente do conselho deliberativo da Previ. Não, ele não fez parte da minha chapa. Ele não se dava comigo. Cortou as relações em 1999, felizmente, e nunca mais falou comigo até quase a data em que aconteceu o desastre do mensalão, quando me pediu apoio para seu projeto de trocar a diretoria do BB pela presidência da diretoria da Previ. Recusei na hora. Essa a história real. O fogo amigo continua e eu vou denunciando as acusações infundadas.

Anônimo disse...

Mederão Cabra Liso feito Quiabo,

Esses cabras da peste tentam te pegar na curva, mas você é que dá a volta neles!
Seus otários! Enquanto ceis tavam colhendo o milho o Mederão já tinha cagado a pamonha

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,

Desculpa-me mas não sabia que a Previ já sofreu intervenção.

Poderia dizer por qual motivo e por quem nossa previ passo por uma intervençao?


Muito obrigado


Sobre o Pizzolato, estou torcendo para que ele continui namídia só asssim o povo saberá quem o Pt dá apoioo para governar o BB e a Previ.

Anônimo disse...

A honra do poderoso Pizzolato.
Parece nome de filme sobre a máfia. E não é que ele é poderoso?
Vai continuar assombrando o partido e os ex-amigos.
Dr. Medeiros, uma intromissão: o comentário ao qual o sr. responde não foi feito por anônimo.

Antonio Carvalho disse...

Prezado Medeiros:

Abaixo, comentário que fiz sobre a publicação de Anchieta Dantas:
Muito bem colocado o seu comentário divulgado na REDE SOS com o título - PREVI e OS APOSENTADPS ?- tratando sobre a falta de alternativas em relação ao BET e as discriminações e descaso da PREVI. Neste sentido, entendo que:

- De fato a PREVI poderia e deveria buscar alternativas para amenizar o desespero da maioria dos aposentados, diante da extinção antecipada do BET, pois, o previsto era durar até o final de 2014;

- O simples adiamento dos empréstimos por 60 dias não ameniza em nada. Ademais, nem todos tem empréstimos na PREVI;

- Foram feitas mais de 10 mil solicitações para a PREVI buscar alternativas, mas esta, até o momento, sequer tomou conhecimento das demandas;

- De outro lado, circularam informações de que a PREVI discorda que os ativos usem suas poupanças formadas com recursos do BET para pagamento de contribuições;

- Diferentemente, o Banco usa os valores depositados a seu favor, quando e como desejar. Já se comenta que o Banco vai usar para ajuste do Teto dos estatutários, aprovado em 2008, ainda não implantado;

Fica evidente, mais uma vez que, eleitos e indicados pelo Banco estão do mesmo lado, ou seja, advogando em causa própria com relação ao Teto e virando as costas para os participantes quando se trata do BET.

Para começar a mudar esta situação temos uma importante arma: O VOTO. Acredito que, ativos e aposentados, saberão usar o VOTO na próxima eleição.

Abraço,

Carvalho


Anônimo disse...

O VOTO - Será que temos realmente O VOTO. Acredito que a maioria dos aposentados já compreenderam que na realidade não tem é nada e, por isso, se abstem de votar. Por que não temos nada, simnples, nós não temos nenhum compromisso daqueles que serão eleitos para que possamos destitui-los e/ou substitui-los. Então é evidente que quem conseguiu lograr exito em ser eleito vai querer as benesses do cargo e não terá nenhum compromisso com as dificuldades.
Aliás isso não acontece só na PREVI a nossa democracia funciona assim, depois de eleitos, adeus aos trouxas, digo, eleitores.