ENCONTRO DE CAMBORIÚ DIA 17 DE JULHO

terça-feira, 30 de junho de 2015

O Encontro de Camboriú já está inserido no calendário anual de eventos dos aposentados e pensionistas do Banco do Brasil.


É patrocinado por cinco associações de aposentados da região sul. A AFABB RS, AFABB SC, AFA PR, AFABB Joinville e AFABB Itapema, e o local é a sede da AABB de Camboriú.

O nome certo da linda cidade catarinense é Balneário Camboriú e lá residem inúmeros colegas aposentados do BB, desfrutando das praias e das demais belezas naturais da região.

Este ano o Encontro promete. Confirmaram a presença os presidentes da Previ e da Cassi.  Os assuntos são palpitantes. Interessam à todos nós. A sobrevivência da Cassi é fundamental. O que vai acontecer ?  A Previ passa por dificuldades. Perdemos o BET. Retornaram as contribuições. As prestações do ES estão assustando. As reservas caindo. O que vai  acontecer ?

Muita gente reclama e critica pela internet, mas não participa de reuniões e de encontros onde os dirigentes comparecem, mesmo dispondo de recursos para viajar ou até morando na própria cidade , ocasião onde podem debater e expor suas ideias abertamente, de viva voz, olho no olho.

No ano passado o Encontro de Camboriú foi histórico. Lá foi anunciado pela primeira vez a situação financeira alarmante da Cassi, com o fim de suas reservas acumuladas. Também lá vazou pela primeira vez a notícia dos bônus para a diretoria da Previ concedido mediante voto de minerva.  Uma moção denúncia sobre as cobranças , consideradas abusivas pelos participantes, das liminares da cesta alimentação foi entregue oficialmente ao diretor de seguridade. E lá compareceu o senador Paulo Bauer para falar sobre a resolução 26 e seu projeto para impedir a expropriação do superávit por parte do patrocinador.

Então aqui fica meu convite para você participar do Encontro de Camboriú. O investimento vai valer a pena. Seu futuro está em jogo. Não se omita. Levante da poltrona e venha para a luta conosco. A hora é agora. A diretoria da AFABB Rs vai estar lá presente. Quem sabe conseguimos contar com a valorosa Leopoldina para falar em nome das pensionistas. Estaremos lutando por seus direitos e suas reivindicações, mas precisamos do seu apoio e do seu prestígio.

Vamos !  Mobilize se !  Temos encontro marcado em Balneário Camboriú no dia 17 de julho, uma sexta feira que pode ser decisiva para nosso futuro.

55 comentários:

Mariano Branquinho disse...

Obrigado Dr. Medeiros, contamos com sua insistente luta, para melhoria do ES ( juros exorbitantes, saldo devedor aumentando, etc). Continue lutando por menores juros e pelo ES-180x180. Sucesso no encontro em Camboriú. `uma pena a Rosalina não poder comparecer. Sds. Mariano Branquinho

Anônimo disse...

Bom dia , sugiro que nesse encontro se oferte uma passagem para a Dona Rosalina comparecer , será uma ótiima oportunidade de nos vermos ( pensionistas ) representadas , moro longe e não tenho ( operada ) condições de viajar .

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,
Entre os assuntos a serem abordados na reunião, uns o senhor cita em forma de interrogação, outros não. Por exemplo, "A previ passa por dificuldades". Que tipo de dificuldades? Financeira seguramente não é. Pois uma entidade que aprova no piscar de olhos distribuição de bônus de meio milhão de reais entre seus diretores não pode estar com problemas de caixa.
Portanto, não seria interessante colocar ali um pontinho de interrogação, ou especificar a natureza da dificuldade?

Respeitosamente

Medeiros disse...

A Previ passa por diversas dificuldades, sim. A bolsa de valores está instável e abaixo do índice de conforto para os investimentos de renda variável. A Vale está com problemas. A Sete Brasil também. Não é um mar de rosas nem céu de brigadeiro, a meu ver.

Anônimo disse...

Meu Deus!!!!
Se não e um mar de rosas nem um ceu de brigadeiro, como estão pagando Bonus e salários milionários para funcionários do bb/previ?????
Por favor sr Medeiros, me explica isso, pois não consigo entender,peça ao Carvalho para fazer uma nota sobre o assunto JA!

Anônimo disse...

Emérito Mestre MEDEIROS:



Caro Mestre: por favor, informe o Ilustre Dr. ARISTOPHANES, que minha ÚNICA DISCORDÂNCIA dele é na PARTE FUTEBOLÍSTICA. No mais, CONCORDO PLENAMENTE COM TUDO QUE ELE DIZ OU FAZ. Peça ainda, QUE ELE JAMAIS DEIXE DE DAR SEUS PALPITES, pois prometo desde já, RECOLHER-ME A MINHA INSIGNIFICÂNCIA e ficar QUIETO e CALADO. Muito obrigado. Do anônimo que tem 68 anos de idade e fica bem pertinho dele na PARAÍBA.

Anônimo disse...

Aposentados,

Porque a Previ vive para turbar a vida dos aposentados do Banco do Brasil?

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,

Qual a possibilidade da extinção da CAPEC e a devolução das contribuições aos participantes com a condicionante de que os tomadores do empréstimo liquidem ou amortizem o saldo devedor com os valores devolvidos. E aos não devedores o valor apurado com crédito em conta corrente.

Analise a viabilidade e suas implicações, quais as instâncias para o caso, pois dificilmente a PREVIC vai aprovar a garantia do ES via CAPEC. Para nós a legislação tem que ser observada.

Eu, felizmente, não tenho ES e me solidarizo com aqueles que estão passando dificuldades financeiras para que haja uma solução para por fim essa situação, não apenas paliativa ou daquelas que só postergam as dívidas para mais tarde e em situação pior que a atual.

Chega de blá, blá, blá, as ações efetivas não podem ser postergadas. Não podemos ficar sujeitos com as embromações que é a principal política da PREVI. Sempre nas agências, pelo menos por ande andei, quando que não se queria resolver nada marcava-se reunião.

Não dá mais para aguentar essa situação de vamos lutar sem partir para o front, tomar providências adequadas, chutemos o balde de uma vez por todas.

O Dr. Medeiros tem se empenhado, esta se desgastando numa luta que eu considero homérica, se deslocando para onde for preciso, mas tenho a sensação de que ele luta sozinho.

É importante apoiar do Dr. Medeiros através do blog, mas é de substancial importância acompanha-lo, principalmente por aqueles que possuem condições para isso, tanto pelo saber, pelo conhecimento da causa e capacidade intelectual.

Uma andorinha só não faz o verão.

Desculpem o desabafo. Podem criticar a vontade, o pior é a omissão.

Boa sorte a todos.

Anônimo disse...

Medeiros,

Sabemos que as bolsas tem retraído, a vale é a concentração de ativos da Previ, que ganhou prazo até 2018 para adequação.

Já estamos quase no limite, sera que a Previ acredita em novo prazo, ao que parece as decisões na Previ a todo tempo são postergadas.

Veja o caso do Teto de Benefícios que se arrasta a anos, com julgamento da TAC e nenhuma solução é encontrada.

Agora vem o Bônus(remuneração variável), se a Previ não esta um mar de rosas ou um céu de brigadeiro, como justificar por parte do conselho estes gastos variáveis.

Sempre me fica a sensação que nunca sabemos da verdade, ela esta sempre maquiada, de alguma forma, com prorrogação que nunca tem fim.

Com a palavra o Senhor que sabe muito mais que nós, pois sempre esta NO OLHO DO FURACÃO.

Anônimo disse...

Medeiros,

Se tem credibilidade de sobra, para fazer o que acha correto, então vai aqui uma perola.

Vai ser ou não nosso candidato a DIRETOR DE SEGURIDADE EM 2016.

Já estão falando que o ES vai ser usado pelo Marcel J. Barros como arma na sua campanha a reeleição.

Se for mesmo fato verídico,poucos vão ter chances de combater o homem de Bragança.

O que achas da ideia, já não é hora do seu pronunciamento oficial, a campanha já começou, o Sasseron já esta na área do pênalti.

Anônimo disse...

As redes Ponto Frio e Casas Bahia demitiram, de janeiro para cá, dois mil funcionários. E as lojas Marisa, Riachuelo, Renner e C&A fecharam 1,2 mil postos de trabalho só em São Paulo. Em todo o país, estima-se que as demissões dessas redes tenham alcançado quase três mil pessoas.

Anônimo disse...

Eu sou a favor da extinção da CAPEC e a devolução das contribuições aos participantes com a condicionante de que os tomadores do empréstimo liquidem ou amortizem o saldo devedor com os valores devolvidos. E aos não devedores o valor apurado com crédito em conta corrente.

Anônimo disse...

Dona Rosalina ou dona Leopoldina ?
Qual das duas seria a nossa voz.? Acho que a Rosalina seria a mais
adequada, pois ela é uma pensionista como nós.
E vive escrevendo direitinho o que atormenta a nós pensionistas
sem Capec.
Quem tem Capec não deixem mexer nesse seguro para suas viúvas. Naõ
sugiram nada que possa ser igual a formula 170 e o reajuste em janeiro. Eles aceitam e implantam e as viúvas que se lasquem.
Não deixa dr Medeiros.
Dona Rosalinda aceite o convite do Doutor e vá para Camboriú falar
tete a tete com os remunerados variavelmente embora eu não ache que vai virar nada pois o ano passado já teve esse encontro e só blá-blá-blá.

Jair Mário Bork disse...

Dr. Medeiros.
Só para informar aos que desconhecem: Há duas cidades vizinhas, uma é CAMBORIU e a outra BALNEÁRIO CAMBORIU.

Anônimo disse...

QUERIDA ROSALINA. , será que você poderia nos representar nesse encontro.Poderia ser a nossa voz, Pois tenho certeza que você sofre na pele, o que sentimos. FICA O APELO.Aguardo sua resposta.DESDE já sugiro ao Prezado prof. Ari que a nossa Associação arque com as despesas da ROSALINA, caso ela aceite, é muito importante para nós pensionista, ter uma represente que também seja pensionista, e que nos represente.ROSALINA você não ira ter nenhuma despesa nós pensionistas garantimos, por favor aceite.Desde já agradeço.

Anônimo disse...

Aposentados e pensionistas:

qual o perfil da maioria dos aposentados da Previ que moram no Balneário Camboriú? Com certeza não são os que pertencem aos estatutos mais recentes.

recca disse...

Dr Medeiros, sou totalmente contra o uso da Capec para obtenção do ES. Com a morte do titular, o beneficiário deve ficar com o seguro para suas despesas que são muitas, até porque a pensão é reduzida de acordo com o numero de beneficiários. Não é bom colocar aqui a extinção da CAPEC, são dessas idéias expostas no blog que muitas vezes saem as resoluções malignas da Previ contra nós.

Roberto Martines 8670089-8 disse...

Dr. Medeiros e os pós/24.12.97, quem nos representa pelo o que eu sei somos quase 30% dos aposentados e a maioria absoluta ou seja tirando os amigos do BB, estão em situação bem difícil. No momento estão sobrevivendo devido a idade menos avançada, mas em breve estarão piores que os atuais aposentados pre/97. Os pós/97 são a chave para ganharmos as futuras eleições porque eles como eu tem muito acesso ao pessoal da ativa tanto do plano 1 como do PREVI futuro (plano 2).

Rio Brilhante MS. 30.06.2015

Anônimo disse...

Estimados colegas,

Desculpem minha "ingnorência", mas devolver CAPEC significa o quê?

Alguém já calculou o quanto cada indivíduo contribuiu até o momento?

A devolução seria feita pelo valor das diversas faixas de seguro?

E quem tem seguro especial para o cônjuge?

Permitam-me dizer que o desespero financeiro que a maioria de nós se encontra, nos leva a pensar em propostas não factíveis à luz do possível.

Devemos propugnar pelo aumento dos recebíveis mensais, POR TERMOS DIREITO.

NÃO DA FORMA tal qual fazem os diretores AQUELES que se auto proporcionam BONUS E/OU REMUNERAÇÃO VARIÁVEL, DE FORMA ESCANDALOSAMENTE IMORAL.

Precisamos de benefícios PERENES enquanto duramos nesta, hoje, amarga vida de aposentados pela Previ.

Já calcularam o quanto custa MORRER.

QUEM VAI PAGAR A CONTA das exéquias?

A Previ?

Seus familiares?

O governo sindicalista que nos afunda dia após dia?

Desculpem, já velho, pois estou p da cara com toda essa ronha!

Anônimo disse...

O site da Previ tá dando conta do relatório da consultoria Accenture
que foi apreciado pelo CD dia 26.06.2015 .
Parece que as sugestões no relatório afetam a estrutura organizacional da Previ bem como a governança.
Não é só na área de tecnologia as mudanças sugeridas. O sr Carvalho conselheiro poderia explicar melhor para que ficássemos cientes.
Ou não podem se manifestar ? Só a Previ com suas notinhas curtas ?
Esse relatório é o motivo da troca de farpas entre o diretor e a diretora.
Será que vai sobrar para os "donos do fundo" ?
Transparência completa. Pleno acesso a informações.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,

Aos colegas endividados que são contra a utilização da Capec para renovação do ES, pergunto; Se a Anabb propor a devolução de todas as contribuições relativas ao seguro de vida que todos tem naquela entidade, para serem utilizadas na liquidação do ES, vocês aceitariam?
Se o BB propor devolução de todas as contribuições relativas ao seguro Ouro vida que todos tem naquela instituição financeira, para serem utilizados na liquidação do ES, vocês aceitariam?

CAPEC, SEGURO DE VIDA DA ANABB E OURO VIDA DO BB TUDO É A MESMA COISA, SEU CAPITAL SÓ É UTILIZADO QUANDO O RESPONSÁVEL FINANCEIRO MORRE. PORTANTO, VAMOS ACEITAR O ES CAPEC ANTES QUE O ZÉ PIMENTEL ASSINE UMA NOVA RESOLUÇÃO NOS TIRANDO ESSE FUNDO.

Anônimo disse...

Considerando o contido no art. 4º do regulamento da CAPEC, vigente desde 06/01/2010, não vejo como seria possível a devolução de contribuições.

A saber:

"Artigo 4º - O regime financeiro utilizado pela CAPEC é o de repartição simples, com orçamentos anuais, não havendo a constituição de provisões matemáticas de qualquer tipo, razão pela qual são
inaplicáveis os institutos do benefício proporcional diferido, do resgate e da portabilidade."

Ou seja, exceto pela renovação anual que é automática -- e onde não se exige declaração de saúde, os planos da CAPEC não são muito diferentes daqueles implementados pelas seguradoras no ramo "vida".

Nestas os contratantes são obrigados à renovação anual, com declaração das condições de saúde, oportunidade em que os prêmios são revistos com base no índice de risco.

Vejam, a propósito, o que diz o Art. 59 do mesmo regulamento:

"Artigo 59 - Para efeito deste Regulamento, entende-se por:
...
"XX – Resgate - instituto previsto em lei que assegura ao participante, em razão da cessação do seu vínculo associativo com o Plano de Benefícios e empregatício com o patrocinador, o direito de resgate da reserva formada por suas contribuições pessoais vertidas ao Plano de Benefícios. Este instituto não se aplica à CAPEC.
..."

O Artigo 59 - inciso XX firma claramente a inexistência de reservas que possam amparar eventual devolução de contribuições.

Por tudo isto, acredito que não prosperarão as ideias sobre ES-CAPEC, devolução de contribuições, extinção da CAPEC com distribuição do saldo existente, e outras semelhantes.

Anônimo disse...

Meu pai era Auditor fiscal do INSS e o seguro foi pagando em vida uma quantia que não cancelava o seguro, mas reduzia o valor do seguro. Então quando ele faleceu em 2005 minha irmã que era a unica beneficiaria recebeu um valor que não era muito significativo, mas recebeu.

Anônimo disse...


Ao anônimo das 12:37

O prezado colega faz uma interrogação e da a resposta correta.
Balneário Camboriú é um dos m² mais caros do Brasil. Totalmente inacessível
aos Pós-97. Só o valor do condomínio neste lugar maravilhoso já acabaria com
nosso miserável salário. Quem tem residencia nesta belíssima praia catarinense são aqueles colegas que estão aposentados a 20,25 anos e cujos proventos nem é bom falar aqui. Aí sim é bom desfrutar daquele paraíso que a muitos anos conheci. Lugar maravilhoso sim, com ótimos e caros restaurantes para quem pode desfrutar não para nós aposentados com parcela previ, fator previdenciário, enforcados pelo empréstimo simples. Pergunto: será que esses colegas se farão presentes? Vamos aguardar.

Rubens disse...

ATENÇAO COLEGAS APOSENTADOS E PENSIONISTAS, por favor, para lutar por nossos interesses, queiram comparecer na Reunião das Afaabbs, no Bal. Camboriu (SC), a ser realizada no dia 17 de julho de 2015, o convite foi extensivo a todos aPOSENTADOS E PENSIONISTAS, e principalmente os colegas que moram em Bal. Camboriu ou na região, pois seria mais econômico. É POR UMA BOA CAUSA COLEGAS...aposentado do Paraná, Rubens, na esperança de saia um resultado bom para nós todos,desta reunião. Obrigado aos que se concientizarem...Vai estar presente o Presidente da Previ, Sr. Guetiro Genço e o Diretor Securidade Marcel...

Anônimo disse...

Caro anônimo 30 de junho de 2015 19:16

Acredito que o tipo de seguro então contratado por seu pai teria sido o "dotal" (seguro dotalício = seguro correspondente a um dote), muito em voga nos anos 80 e que foi abandonado pelas seguradoras em face da falta de interesse do grande público.

Esse tipo de seguro parece que é prevalecente nos EEUU, sendo que muitos efetuam saques parciais com base no valor de indenização, pagando um deságio relativamente elevado.

Então, quando do óbito, o saldo porventura existente é pago aos beneficiários.

Mas tudo depende do contrato inicial.

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,
O Sr. tocou no ponto G da Previ. Os que tem condições financeiras para participar dos eventos não tão nem aí. Os desesperados, que somos a imensa maioria, o dinheiro não cobre o básico.
É por isso que admiro sua postura! Situação financeira tranquila, mas assim mesmo continua nessa luta pelos menos favorecidos.

Zé Furtado

Anônimo disse...

A 7 BRASIL ESTÁ IMPEDINDO A SOLTURA DE EXECUTIVO DE EMPREITEIRA.

FALA AÍ PREVI ...

Anônimo disse...

E a tal consultoria Cicatricure, aquela de 1 milhão ?
O que o conselho analisou ^Foi dia 26 p.p. a reunião.
Não vão divulgar nenhuma nota explicando ?
Quem é que está com a razão é o dr. Marcel ou a dra. Cecília ? Vão por uma pedra em cima em nome da governabilidade .

Anônimo disse...

a ste brasil eh fantasma........

Marco Orlando disse...

Caro Medeiros,
Reproduzo abaixo, postagem minha que publiquei no Blog do Ari.
Peço sua opinião sobre o assunto e que o mesmo seja discutido na reunião em Balneário Camboriú no próximo dia 17.

Prezado Ari,

Gostaria que o Gilvan consultasse os advogados que cuidam das ações jurídicas movidas pela ANAPLAB sobre a possibilidade de serem questionados juridicamente os juros cobrados pela PREVI no Empréstimo simples. Tem alguma coisa errada, senão vejamos:
A grande maioria dos beneficiários da PREVI se utiliza dos empréstimos há décadas e nunca se verificou o que ocorre agora, mesmo quando a inflação era galopante (100%, 200% 300%.... ao ano) nós conseguíamos renovar os empréstimos após 6 meses sempre com um bom "troco:
Agora o que se vê é que a cada prestação paga nada se abate do CAPITAL, é legal isto? o saldo devedor fica praticamente o mesmo ao vencer a parcela seguinte;
Veja o exemplo do meu caso.
Em agosto do ano passado contratei o empréstimo de R$ 145.000,00 para pagamento em 120 parcelas de R$ 2,032,51.
Se verifica que neste caso as parcelas já possuem juros embutidos, pois o total soma 2.032,51 X 120 = 243.901,12.
Efetuei desde então o pagamento de 10 parcelas de 2.032,51 o que totaliza R$ 20.325,10.
Meu saldo devedor corrigido hoje (30.06.2015) é de 143.830,60
Se eu considerar que devo 110 parcelas de 2.032,51 (que também serão corrigidas monetariamente/atuarialmente na 13 parcela) obtenho um total devedor de R$ 223.576,10.
Vamos supor então que eu pague parcela 11 e a parcela 12 e se mantenha os atuais critérios - eu teria então um saldo devedor de +- R$ 219.511,00 que seria corrigido pelo INPC mais 5% que daria R$ 251.230,00 que dividido por 108 parcelas daria uma prestação/parcela de R$ 2.326,20.
Dessa forma o saldo devedor (sem juros) que apareceria no extrato de empréstimos seria de R$ 165.952,50 e a partir daí não haveria mais condições de se renovar o empréstimo mesmo que o teto fosse reajustado pelo INPC anual.
Fiz os cálculos de forma bem simples, pois da forma como a PREVI age fica impossível de seu utilizar qualquer matemática para se chegar a um critério.
Não encontro em nenhum banco condições tão danosas aos tomadores como as que a PREVI vem praticando.
Solicito, caro Gilvan, levar ao conhecimento dos advogados da ANAPLAB tal fato para que se vislumbre uma forma de se protestar contra tal afronto aos participantes da PREVI que são os DONOS desse dinheiro que nós é emprestado de forma tão cruel, injusta e desonesta.

Marco Antonio Orlando

Anônimo disse...

Dr. Medeiros,

Como ficaremos nós, as pensionistas que não temos Capec e estamos com margem negativa para renovação?

Um abraço de agradecimento pela sua luta pelos aposentados e pensionistas.
Deus tenha misericórdia de nós!

João Lopes Rodrigues disse...

Colegas anônimos 12:37 e 19:21

Discordo de seus comentários. De fato, Balneário Camboriú é uma cidade com um alto custo de vida. Mas em qual cidade o custo de vida não está alto hoje em dia, não é mesmo?

A cidade, como qualquer grande metrópole, tem lugar "para todo mundo". Acredito que conta mais o estilo de vida que cada um leva. Há alqueles "mais liberais ($)" e há também outros "mais modestos". Enquanto há restaurantes de alto padrão na Av Atlântica, também há outros "menos ostentação" na Av Brasil e arredores. Enfim... vive-se como se quer e pode viver.

Esclareço que sou aposentado há cerca de 4 anos, e moro em Balneário Camboriú há 7. Optei pela cidade por razões pessoais.

A cidade acolhe bem o visitante, e como falei, há lugar para todo mundo.

Era isso!



Anônimo disse...

Faço a mesma pergunta do colega, Dr Medeiros,
Se não e um mar de rosas nem um ceu de brigadeiro, como estão pagando Bonus e salários milionários para funcionários do bb/previ????? Essa não entendi!

Anônimo disse...

O Banco do Brasil debitou da conta da ANABB,na condição de avalista, R$ 265 mil reais por conta de parcelas não honradas pela COOP-ANABB. Segue o link da matéria:

http://www.anabb.org.br/mostraPagina.asp?codServico=4&codPagina=48933

Jorge Nascimento

Anônimo disse...

Concordo totalmente com o que diz Marco Antonio Orlando (30 de junho 2015 às 23,27) apenas gostaria se fosse dada a resposta necessária, o que quase sempre não acontece. Concordo também com a pergunta: Se não é um mar de rosas nem um ceu de brigadeiro, como estão pagando Bonus e salários milionários para funcionários do bb/previ????? Não estamos também tendo resposta sobre isso. Será porque?

Ademar disse...

Salvo melhor juízo, acho que o sr. Marcos Orlando equivocou-se no seu comentário de 30.06 à 23:57 quanto a correção do dos empréstimos simples vida Previ. As parcelas do ES são reajustadas pelo INPC partir da 13 parcela e não o saldo devedor do empréstimo, pois a sua correção já vem sendo feito mês a mês, pois caso contrario estariam aplicando o INPC em duplicidade. Gostaria de conhecer mais opino~es a respeito. [´

Anônimo disse...

Concordar com o resgate das contribuições da Capec ou de outro seguro é uma coisa.Outra bem diferente é concordar com a penhora para liquidação de empréstimo tendo em vista que a Capec não tem vínculo com o ES.

Anônimo disse...

Quando fizemos o contrato de mútuo com a previ (E.S.) está estipulado parcelas iguais e consecutivas , agora fazem uma alteração e atinge contrato já firmado ? agora é assim ? os novos paramêtros tem que vigir a partir do seu aceite por nova contratação , mais no Brasil se rasga o contrato firmado para atender ao capricho de uma das partes !!! Dr. Medeiros se existir abuso leonino da previ , coloque isso na pauta do encontro .

Medeiros disse...

Quanto ao cálculo das prestações do ES eu entendo como uma questão técnica. As dúvidas existentes devem ser levadas ao corpo funcional da Previ que tem a obrigação de esclarecer com clareza tudo. Aqui na AFABB Rs poucos têm questionado os cálculos, apenas se impressionam com os números.Mesmo assim vou pedir a vinda de um técnico da Previ para prestar esclarecimentos em nossa sede a quem estiver interessado. Depois farei uma postagem a respeito e emitirei minha opinião sobre possíveis melhorias ou correções. No blog tem muitos entendidos no assunto que tem prestado informações uteis.

Quanto à pergunta sobre o pagamento da remuneração variavel a dirigentes na difícil conjuntura atual, todos os que participam do blog sabem da minha opinião contraria.As perguntas a respeito devem ser encaminhadas ao Carvalho em seu blog, que coordenou o comitê que tratou da questão. Um postou a pergunta ao Carvalho aqui no meu blog equivocadamente. O Carvalho tem blog e postou sobre essa matéria lá e está apto e disposto a esclarecer dúvidas sobre a decisão do CD a respeito. Cada coisa em seu lugar. Não provoquem mais confusão, por favor.

Anônimo disse...

Pelo andar da carruagem, para os participantes tudo será difícil de conseguir, ou seja, a situação da Previ não é das melhores. Entretanto, para seus diretores ( com letra minúscula) haja o que houver, o passado, o presente e o futuro serão sempre um mar de rosas. Seja, a Previ, deficitária ou não, qualquer que seja a situação, não haverá empecilho para pagamento dos bônus. Não sei podem encostar a cabeça no travesseiro e dormir, sabendo que milhares de colegas, que ajudaram a construir a instituição BB, estão passando por dificuldades.

Jair Mário Bork disse...

Impressionante a explanação do colega Marco Orlando, das 23:27. Quando eu via reclamações nesse blog sobre o ES, cujo saldo aumentava ao invés de diminuir, achava que era erro de cálculo ou conversa fiada. Mas pelo jeito, é o que realmente está ocorrendo. O meu empréstimo é antigo e não ocorre isso, e eu ia renová-lo, mas não vou mais. É um absurdo o que está ocorrendo. E a PREVI tem alardeado que seus empréstimos são os mais vantajosos do mercado. Algo precisa ser feito. Não podemos ser explorados por um Fundo que a nós pertence.
Lembro-me que situação parecida ocorria com os antigos empréstimos da CARIM, que após 20 anos, restava um "resíduo" enorme, que deveria ser pago em mais 5 anos, com aumento estratosférico da prestação. Após inúmeras ações judiciais, a PREVI resolveu repactuar os empréstimos, lembram? O empréstimo era prorrogado por 5 anos, sem aumento das prestações, e findo o prazo o eventual resíduo seria quitado automaticamente.Talvez, no caso presente dos ES, a solução seja entrar na justiça, pois espontaneamente certamente a PREVI não recuará.

Raimundo Nonato de Oliveira disse...

Dr. Medeiros,

Boa Tarde.

Nesse encontro, onde o Sr. certamente levará inúmeras sujestões,
fineza incorporar mais uma: Extinção da verba C0800 - PREVI - Contribuição Pessoal Mensal e incorporar ao tempo de contribuição os recolhimentos feitos da dita verba para efeito de recálculo da aposentadoria.Essa contribuição não passa de uma aberração. Se fosse legal o INSS cobraria de seus aposentados também, tornando essa classe de aposentados na verdade em semi-aposentados.

Atenciosamente,

Raimundo

edsomn disse...


"Nunca supervalorize e nem subestime alguém, o mundo da voltas e as situações podem se inverter e você pode ser ver do lado errado neste momento."

Vamos ser solidários aos nossos colegas aposentados e pensionistas, parabéns Dr. Medeiros e outros colegas que mesmo aposentados continuam lutando por direitos.

O amor nasce de pequenas coisas, vive delas e por elas às vezes morre.
George Lord Byron

ADEMAR disse...

Quero alertar os colegas que a prestação do ES na data de seu aniversário poderá ser superior ao INPC, pois a Previ levará em conta a projeção para o INPO e saldo devedor atualizado, vejam com esta no site da Previ:

O recálculo da prestação acontece no mês de aniversário do contrato, considerando o saldo devedor e a projeção do INPC. A prestação recalculada pela nova metodologia passa a vigorar a partir do mês seguinte.

Anônimo disse...

Concordo com o João Lopes Rodrigues, o padrão de vida em Balneario Camboriu depende do modo de vida de cada um, estive no mes de maio passado e verifiquei isso mesmo, lá tem imoveis de todo preço desde 8 milhoes a 250 mil reais, depende de cada e de suas condições, quanto a alimentação encontrei isso mesmo que ele disse desde valores um pouco alto na av. atlantica e valores baixos na av Brasil e transversais.

Anônimo disse...

Caro colega ADEMAR, o emprestimo simples tem regulamento e consta la no site da PREVI que no art. 16 - Incidirão mensalmente sobre os saldos devedores dos Empréstimos Simples os seguintes encargos financeiros:
a) Juro - percentual não inferior à taxa de juros atuariais ou índice de referência do respectivo Plano de Benefícios ao qual o participante/assistido esteja vinculado;
b) Atualização monetária - percentual mensal medido pelo indexador previsto no Regulamento do Plano de Benefícios ao qual o participante esteja vinculado, e aplicado com defasagem de 2 (dois) meses;
c) Taxa para o Fundo de Quitação por Morte (FQM). d) Taxa para o Fundo de Liquidez/Inadimplência (FL). Acontece que a PREVI esta aplicando sobre o saldo devedor a correção monetaria sobre o saldo devedor e só apos atualizado este saldo devedor é que ela aplica os juros , em nenhum parte do regulamento diz que é para ser calculado desta maneira.No meu entender os juros, a correção monetaria e o FQM eram para serem calculados sobre os saldos devedores individualmente e a eles acrescentados mensalmente.

Medeiros disse...

Como eu falei anteriormente tem muitos colegas entendidos aqui no blog que podem dar esclarecimentos. Obrigado. O blog ultimamente anda bombando. Mais de vinte mil acessos diários.

Pedro disse...

Cálculo das prestações do ES.
1. Como sabemos, os encargos financeiros do ES são 5% de juros + FQM + INPC;2. Como o INPC é variável a Previ adota, na formatação da prestação inicial do mútuo, um valor aprnas, digamos - indicativo (em torno de 0,50%), o dá a falsa impressão de que as amortizações mensais do empréstimo segirão nesse patamar;3. Mas uma vez que os índices oscilaram no rítmo abaixo:01/2015 1,48%; 02/2015 1,16%;03/2015 1,51 %;04/2015 0,71 %;05/2015 0,99% .o custo operacional do ajusto, aplicável com 2 meses de atraso, foram de Juros+FQM+1.,48 em março, jiros+FQM+1,16 em abril, juros+FQM+1,51 em maio, juros+FQN+0,71 em junho e juros+FQM+0,99 para julho, portanto todos encargos bem superiores aos 0,50% estimados pela Previ e o que impacta o esquema mensal de amortização do ES, já que muitas vezes pagamos apenas total ou até mesmo parcialmente o custo mensal da operação.4. E Com a inflação em alta (e grande) A COISA SÓ VAI PIORAR.

Anônimo disse...

A Grande culpada de tudo isso é a Previ porque muitos colegas estão com suas margens no contra cheque estouradas. Exatamente na data de hoje muitos associados aposentados estão recebendo 25% do bruto, logo quem recebe r$ 4.000,00 bruto e liquido recebe r$ 1.000,00 mudando a regra para 30% MC inverteu os valores, primeiramente vai ficar uns 20 anos sem MC e ainda mais com o custo de vida aumentando assustadoramente e a correção nas aposentadoria minguadas e levando em consideração pessoas com idade avançadas e a cassi dando susto, não precisa de ninguém ter bola de cristal para saber o que vai acontecer daqui uns meses. O Novo Presidente tomou posse na Previ, não vai ser fácil resolver esse problema. Numa administração mais avançada e justa para esse pessoal em situação difícil as regras antigas deveria ser mantidas.

Anônimo disse...

E o relatório da consultoria ?
O conselho apreciou e deliberou. Só não divulgou .
A Previ, a seu estilo, deu uma notinha no site.
Precisamos saber detalhes. Transparencia está na pauta da sociedade.

Anônimo disse...

PREVI PERDEU NA previc O T. A. C. CONTRA O BB sobre o TETO de Contribuição e de Benefícios:

Leiam do site de Ari Zanella - Comentários de 29/6/15 as 15:12 e 15:16

Os mesmos 4 membros da Diretoria Colegiada da Superintendência Previc que em 26/12/2013 (Ata da 7ª sessão) mais 2 chefes convocados e 1 convidado que APROVARAM o TAC - Termo de Ajustamento de Conduta, nos termos da Nota Técnica nº 48/2013/CGFD/DIFIS/PREVIC e do Parecer nº 172/2013/PF-PREVIC, agora em 20/05/2015 :

ATA DA 27ª SESSÃO os mesmos 4 membros, agora com 2 Chefes Convocados deliberaram acerca da PROPOSTA (?? de quem..??) de CANCELAMENTO do TAC celebrado com a PREVI/BB e o Banco do Brasil S/A, que havia sido aprovada na 7ª sessão, de 26/12/2013, aprovando, por maioria (QUANTOS SIM ??? quantos não ?), o CANCELAMENTO ( c a n c e l a m e n t o ) do tal T.A.C., tendo em vista o expresso do Despacho nº 07/2015/DIFIS/PREVIC, de 19/05/2015 (deve ser da fiscalização, 1 dia antes desta sessão), e na Nota Técnica nº 24/2015/PF-PREVIC/PGF/AGU, de 20/05/2015 (mesma data desta 27ª sessão), sendo que nesta Nota Téwcnca consta a manifestação pela perda de objeto do TAC - repetimos "CONSTA MANIFESTAÇÃO PELA PERDA DE OBJETO DO TAC" ( sic).

Sessão secretariada pelo Coordenador-Geral de Apoio à Diretoria Colegiada.

Alguém quer comentar sobre o ocorrido ? (Lamentável!)

Anônimo disse...

O relatório da consultoria chegou a seguinte conclusão:

1) O rendimento do presidente triplica

2) O rendimentos do diretor duplica

3) O rendimento dos aposentados e pensionistas plica

Paulo Beno disse...

No site da PREVI,posição de 26/6/2015, traz nova listagem dos 122 conselheiros que detém os 192 assentos (eram 195 no dia 03/6) nas 36 Empresas Participadas da PREVI. Pouca novidade:

1)Não existem mais "INVEPAR-METRO RIO", excluídos da nominata 4 conselheiros administrativos (Carlos Eduardo Leal Neri, Ricardo Carvalho Giambroni, Mario Simões Tavares e Maria da Conceição Deodoro dos Santos.

2)Na nova empresa "RUMO LOGÍSTICA S/A" (associadas da ALL e Casan)localizada no Porto de Santos (SP)ingressou o segundo conselheiro, Nelson Bueno de Oliveira. A "RUMO" detém R$ 5,451 bilhões de Capital, muitas locomotivas, trens, vagões e linhas férreas e a PREVI (Plano 1) participa com 3,99%. O Titular no Conselho de Administração é o Joilson Rodrigues Ferreira.

Por oportuno, seria interessante e transparente uma manifestação dos novos Diretores, de Participação, Renato Proença Lopes e Diretor de Investimentos, Sandro Kohler Marcondes, ambos nomeados pela patrocinadora Banco do Brasil SA.
Também desejamos ouvir nosso novo OUVIDOR, Sr.Luiz Humberto Ismael da Costa (ex-Gepes Fortaleza), escolhido pelo C.D. em 26/6/2015.
Poderia divulgar seu blog, seu e-mail e telefone, bem como as tarefas que desenvolverá.

Felicidades a todos.

Fernando disse...

Medeiros e colegas, o Empréstimo SIMPLES, ja diz o nome, é simples, o INPC que era ano passado 0,39%, 060%, pulou todos os meses, para quase 1% a.m. Ou seja, a inflação degringolou. Enquanto não baixar o INPC , vai ser isso aí. O que poderia se fazer , era a PREVI contabilizar de maneira diferente , tipo os juros serem contabilizados anualmente, junto com o nosso aumento, em janeiro de cada ano, para não haver distorção.